História Destinos de Amor - Capítulo 12


Escrita por: e Leililiv

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Asterion de Cães de Caça, Camus de Aquário, Hyoga de Cisne, Ichi de Hidra, Ikki de Fênix, Isaak de Kraken, Jabu de Unicórnio, Mime de Benetnasch, Nachi de Lobo, Personagens Originais, Seiya de Pégaso, Shiryu de Dragão (Shiryu de Libra), Shun de Andrômeda, Shunrei, Shura de Capricórnio
Tags Abondono, Amor Não Correspondido, Esperança, Prostituição, Sonho De Amor, Traumas
Visualizações 77
Palavras 1.039
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Algumas chegadas, mudam toda situação.

Capítulo 12 - Sob um punho de ferro


Fanfic / Fanfiction Destinos de Amor - Capítulo 12 - Sob um punho de ferro

Hyoga não demonstrava quaisquer temor diante da aproximação do espanhol. Mas por dentro, sabia que poderia ser cruel, e sua mão de ferro não tinha peso limite.

- Shura, por favor pare.

- Não vou te mandar sair da minha frente de novo, Dragão. - Empurra o libriano para o chão.

- Você podia tê-lo machucado - o capricorniano dispara um soco contra o loiro que cai na cama.

- Sai de cima do Hyoga, agora - Shura sente um peso de duas mãos lhe empurrarem contra o chão.

- Saia você de cima de mim, Fênix! SAIAAA!

- Cala boca seu canalha! Estou cheio de você explorando a mim e os meus amigos. Vou te dar uma lição que...

O espanhol usa do punho de Ikki contra ele, e o acerta o machucando com força.

- Ikkii! - Shun entra na cena e fica desperado com o peso do capricorniano sobre o leonino. - Shura, saia de cima do meu irmão!

- Shun, você - socos na cara do Ikki. - Tem uma viagem para ir. Não se atrase.

- Não vou deixar você nessa situação, Ikki - devolve o Shun.

Alguns garotos de programa que trabalhavam no andar debaixo, assustados com o barulho subiram.

- Senhor Shura! O que aconteceu aqui?

A voz assustada de Jamian acalora o ambiente, junto da Ban e Jabu que com Shiryu e afastaram os rivais.

- Esses moleques idiotas que acham que são adultos, Corvo!

- E por isso o Cisne está tão machucado assim?. - Indaga o empregado.

- Ele é outro imprestável - argumenta raivoso.

Começa a se acalmar e se ajeitar, e alguns meninos descem do andar.

- De qualquer jeito, é para o Shun descer porque o sr. Seung chegou!

Informa apreensivo o 'corvo', tal como era conhecido o empregado.

- Pode deixar que ele levo ele para o aeroporto - avisa o capricórnio.

- Eu levo meu irmão ao aeroporto - Brada Ikki.

- Calado, praga quente - Shura devolve.

- Mas vamos logo que o avião está esperando - avisa.

Shura o olha firme.

- Então não perca tempo, estrupício.




- Estou com medo de retornar, Pierre! - Seiya andava apreensivo em retorno à Casa de Todos de Creta.

- Estou com você... Não se preocupe - O leonino acompanhou o castanho todo trajeto, e quando frentou a casa olhou para o garoto. - O que acha que ele pode fazer com você?

- O Shura... Bem, me privar do meu retorno salarial.

- Seria um absurdo... Mas bem que você não estava totalmente certo em querer ofuscar o lucro da mercadoria - devolve o castanho.

- Nós estávamos - argumenta o sagitariano.

- Você! - Olha firme para o garoto de programa. - Mas não se preocupe. Basta que você omita a parte em que transou com quem não paga.

- Cínico - Seiya abre um sorriso de canto.

" Você diz que eu te assusto

Você diz que eu te desvio

Também diz que eu sou um bruto

E me chama de vadio"

Alguns garotos que estavam na entrada da casa, na sala de sinuca jogando e bebendo, viram a aproximação dos meninos.

- Ih! Olha só quem chegou, ali - aponta um deles. - Prazer de novo, Hein!

- Nem vem que não tem, Ban!

Devolve o oriental.

- Bem que eu estava estranhando que não te encontrei hoje, quando cheguei!

- Shura?

Os meninos que jogavam, abaixaram os rostos e voltaram a dar atenção aos seua clientes.

- Passou tantas horas fora que nem lembra mais que eu sou?

Os olhos azulados de Shura transmitiam pura indignação.

- Dasaforado - completa o espanhol.

- Cuidado com o que fará com ele - ameaça Pierre.

- Entendi direito? É uma ameaça? - Encara o leonino nos olhos.

- Não - Pierre corresponde o olhar com a mesma intensidade. - É um aviso.

- Bem que eu gostaria de saber o que você andou fazendo com ele - avisa o dono da casa.

- Não é da sua conta Shura!

- Para sua sorte, não é nada demais. - Apazigua o iraquiano.

- Isso é bom para os dois. E Seiya, isso não irá ficar assim - termina de avisar. - Agora sobe, Pégaso.

Mesmo que contrariado, o sagitariano subiu para o andar dos "principais", deixando Shura sozinho com o iraquiano.

"Você diz que te desprezo,

Que me comporto muito mal

Também diz que nunca rezo,

Ainda me chama de animal"

- Que olhar é esse?

- O meu - devolve Pierre. - Por que eu tenho a impressão que você explora esses rapazes, que coisas ruins acontecem por aqui? E ainda ilegais?

- Não é da sua conta - devolve o capricorniano.

- Mas é da conta da polícia. Cuidado com as bocas soltas,os olhos omissos e bem informados.

- Do que você fala?

- De uma casa que pode cair a qualquer momento. Olha só para as paredes do primeiro andar, veja como elas estão rachando.

Aponta o leonino.

- E isso é apenas uma das coisas que pode cair em cima de você.

Dito isso, se retirou deixando o iraquiano com a pulga atrás da orelha.

- Quem ele pensa que é para falar assim?



Enquanto Pierre se afastava, duas presenças se aproximavam da Casa de Todos de Creta.

Uma delas, era a de Limi.

- Olá, princesa. Sentimos saudades. - Cumprimenta Jabu.

- Eu também! Uma pena que não vim ver Vocês.

- Serio? - Dramatiza o escorpiano.

- Sim. Mas isso não quer dizer que não possamos aproveitar o tempo juntos antes de eu ir vê-lo. - comenta sorrindo a travesti.

- Viva!

A outra presença que apareceu na Casa, era a de um carro preto escuro. Dele saiu Camus Lacroix, que sequer respondeu o comprimento dos rapazes.

"Eu vim pessoalmente atrás dos nossos problemas, Shura"

No aeroporto da Ilha de Creta, um jato se preparava para receber um menino.

- Ikki, vou sentir muita sua falta - o menino abraça o irmão mais velho.

- Eu também, irmão. Mas pense que você vai ganhar muito dinheiro com isso.

- Hahahahahah! Interesseiro. - Dá um último abraço no irmão enquanto se aproxima.

- Irmão, qualquer coisa me chame!

- Mas Ikki, você vai estar longe - argumenta Shun.

- Se eu precisar ir à Marte para lhe defender, eu vou. Que Athena lhe proteja.


Notas Finais


O que será que Limi vai arrumar por lá?
De que Matéria é feito o Pierre?

A música usada nesse capítulo, foi "Medo de Amar", e é a canção de Seiya e Pierre.
Abraços, e obrigado por ler até aqui.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...