História Destinos impossíveis - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Gabriel Agreste, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino, Plagg, Sabine Cheng, Tikki, Tom Dupain
Tags Adrinette, Alyno, Plakki
Visualizações 16
Palavras 1.027
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - -Capítulo 1-


Fanfic / Fanfiction Destinos impossíveis - Capítulo 1 - -Capítulo 1-

O Jovem Agreste, estava andando pelas belas ruas de Londres, ele estava indo até a casa de sua noiva, que em breve, seria sua mulher, sim, aos 22 anos, o Jovem ja se casaria, com a mulher que ele diz ser completamente apaixonado, Lila Rossi, uma Jovem muito bonita, porém, quanto mais linda por fora, mais podre por dentro. Ela é egoísta, só pensa em si mesma,os pais do loiro não são a favor do relacionamento deles, mas faz de tudo pra ver o Filho mais novo feliz.

Adrien Agreste on
"Estou quase chegando", sorrio com esse pensamento, estou quase chegando no Hotel onde minha noiva, e em breve, minha futura mulher estava, o Le Grand Londres, ele foi fundado por um Francês, em 1978,ele está espalhado por quase todos os países do mundo.Hoje é o dia que vamos decidir a data do casamento,e outras coisas do tipo.Ao chegar no Hotel, adentro no mesmo e vou até o número do Apartamento dela, e abro a porta.
Dor
Lágrimas involuntárias começam a cair, ouço meu coração se
quebrar, ficar em pedaços, a morena se assusta, e me olha incrédula, não acreditava que eu estava ali, não acreditava que foi flagrada me traindo.
Luka Couffaine
Ele era o garoto mais popular na época do colégio, tinha todas a garotas aos seus pés, era Capitão do time de Basket do colégio, e quase foi capitão do time de futebol, se eu não tivesse o impedido, ele estava seguro de si que ia ganhar de mim em uma partida de futebol, mas, eu o ganhei, e ele ficou furioso, não conseguirá naquela época, ao terminar o colegial, ele foi pra Milão, junto com os pais, e a irmã mais nova.
"-Eu vou voltar Agreste, vou me vingar de você, guarde essas palavras", as palavras Dele vieram a tona minha mente, ele conseguiu, ele conseguiu se vingar, ele conseguiu o que queria, e tirou de mim, a mulher que eu mais amo.

-Amor, eu posso explicar-olhou para mim, sorrindo

- NÃO ME CHAMA DE AMOR-perdi o controle

-Eu não queria, ele me obrigou, eu juro- se aproximou de mim e agarrou minha camisa

-Não foi isso que pareceu quando vocês estavam em tal ato -disse sorrindo debochado para os dois.

Ela começou a chorar falsamente, típico de Lila Rossi, igual ela fazia no colégio, desse jeito, ela conseguia tudo de quer. Como eu pude me apaixonar por ela, eu sou apenas um idiota apaixonado.

-Como eu pude me apaixonar por você? Você nunca me amou Não é mesmo? Você só meu usou, só está interessada no meu dinheiro, como você pode? EU TE AMAVA-mais lágrimas caiam, eu já não conseguia mais controlar.

-Por favor, acredita em mim amor -ainda fingia chorar

-Me esquece Rossi, eu nunca mais quero te ver -disse, saindo do seu APE

Entrei no carro e sai de lá em direção a cada dos meus pais, lágrimas teimosas insistiam em cair, por que eu não escutei meus pais quando eles me disseram que ela era egoísta? Por que? Eu era apenas um bobo apaixonado, que tinha tudo a perder.

Marinette Dupain Cheng on
Estava indo para a empresa,Isso faz parte do meu cotidiano, dirigia calmamente pelas lindas ruas da cidade do amor, o trânsito estava favorável, o que é normal nessa hora do dia.Estaciono meu carro e adentro pelas enormes portas de vidro, aviso Alya, minha assistente pessoal, e minha Melhor amiga.

-Bom dia Mari -sorriu - isso é tudo que você tem que fazendo hoje, tem uma reunião com o Sr. Kurtzberg, ele quer fechar um negócio com você-por fim, me entregou meu Tablet

-Bom dia Aly, muito obrigada-peguei o Tablet das mãos da mesma retribuindo o sorriso-Ele ainda não desistiu? Eu já disse que não vou fechar esse contrato -disse séria, e a mesma sorriu sem mostrar os dentes.

-Parece que ele é duro na queda-rimos com seu comentário-Mas, mudando de assunto, se você quiser, posso reservar uma mesa, naquele restaurante Italiano que você agora, pra gente almoçar-sugeriu sorrindo.

-Claro, eu adoraria, chama meu irmão também, faz uma semana que eu não o vejo-vejo a mesma sorrir com a minha resposta.

-Vou ligar pra ele sim, hm... 12: 30 está bom? -perguntou pensativa

-Está ótimo -ela sorriu e deu um mini pulinho em comemoração, me fazendo rir.

Alya Cesárie

Minha melhor amiga desde o colegial, sempre me ajudando em tudo, eu sou eternamente grata por tudo que ela fez por mim, nossa amizade continua firme até os dias de hoje, ainda bem, eu não sei o que eu seria sem ela. Alya, Pietro, vulgo meu irmão, e Félicité são as únicas pessoas que sabem do meu terrível passado obscuro. Éramos tipo o Quarteto fantastico, foi como Alya nos nomeou naquela época, éramos inseparáveis, quando tinha trabalho, sempre deixavamos a Sra Bustier doida, para que a mesma deixasse a gente fazer juntos, em caso de duplas, era sempre Eu e Alya, Pietro e Félicité, sempre suspeitamos que eles teriam uma quedinha um pelo outro. Meu irmão, muitas vezes foi motivo de zoação, por andar sempre conosco, mas ele não ligava, ele simplesmente "cagava" Pras pessoas, não importa o que dizem, ou vai deixar de dizer, o importante é estar com quem ama, isso sempre foi uma das coisas que eu mais admiro nele, ele pode ser muito possessivo e ciumento com quem ama. Alya sempre foi a mãezona entre nós quatro, sempre preocupada com tudo, protegendo a gente sempre, naquela época, ela também era fascinada por Heróis, dando apelidos heróicos pra cada integrante.Félicité sempre fazendo todos sorrir, quem não a conhece, acha que ela é a pessoa mais feliz do mundo, mas mal sabem eles, que, por trás daquele belo sorriso, se esconde um passado obscuro, assim como eu, ela sempre usava roubas totalmente coloridas, parecendo um verdadeiro unicórnio ambulante, de acordo com Alya. Eu sempre fui a mais criativa, na festa de despedida do colégio, eles me obrigaram a fazer a fantasia deles, de acordo com o apelido de casa um, boas lembranças, infelizmente, ao terminar o colégio, Félicité foi obrigada a fazer intercâmbio para Londres, pelo padrasto, deixando o quarteto fantastico incompleto, saudades daquela época, que nós não tínhamos que nos preocupar com nada. 


Notas Finais


Hey Guys, eai? O que acharam? Eu nunca fiz um capítulo tão longo na minha vida, estão espero que esteja bom. Desculpa estar postando tão tarde, eu perdi o capítulo que estava pronto, então tive que reescrever. Me perdoe por qualquer erro de digitação.
Então foi isso, Fiquem com Deus, até a próxima, FLW RAPAZIADA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...