História Destinos Traçados (Satzu) - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, Jeongyeon, Jihyo, Mina, Momo, Nayeon, Sana, Tzuyu
Tags Satzu
Visualizações 130
Palavras 1.729
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 12 - Toda a Verdade


Tzuyu

Faziam cerca de um minuto e meio que Mina ria descontroladamente, provavelmente achando muita loucura tudo que eu havia acabado de dizer. Eu não a julgo

-Já acabou?

-Desculpe Sana, mas... Isto é loucura

-Eu só estava brincando -Sorri constrangida. Era óbvio que tudo isto era loucura e ela nunca acreditaria em mim

-Eu sei -Afirmou enquanto voltávamos a andar para fora do colégio -Só me surpreende você fazer alguma brincadeira envolvendo Tzuyu, Sana você a detesta

-Ah, eu... -Tentei negar mas a garota me interrompeu

-Tudo bem, é um assunto delicado e proibido. Você deveria esquecer o passado, acho que faria bem para você e também para Tzuyu

-Você nem sabe o que aconteceu -Murmurei baixo, e mesmo sem a intenção de Mina ouvir ela acabou por fazer

-Como não? Você me contou

-C-Contei?

-Não se lembra? Disse que conheceu Tzuyu na infância e depois que ela havia parado de falar com você de uma maneira estranha, você decidiu voltar para o Japão

-O quê?

Sana realmente havia colocado toda a culpa em mim?

Não sei por que me surpreendo, Minatozaki Sana continua sendo a mesma idiota de sempre

-Disse algo errado?

-Não, eu só não quero falar disto

-Quer falar sobre o quê?

-Quero ficar quieta se não se importa

-Ah, certo. Eu também prefiro o silêncio

Depois de uma caminhada de alguns minutos até o lado de fora, onde o carro estava estacionado, não demorou para que embarcássemos e fossemos para a casa que Sana dividia com as outras

Assim que cheguei me adiantei a ir para o quarto, dispensando a ajuda de Mina e respondendo seus protestos com um simples "Irei descansar, se precisar lhe chamo"

As palavras de Mina me invadiram a cabeça, assim que recostei na cama. Então era assim que Sana enxergava seu lado da história? Eu era a vilã? Eu havia sido a única a errar?

Estes tipos de perguntas borbulhavam em minha cabeça e me faziam sentir como se estivesse sufocada, por não ter nenhuma resposta. Ao invés disto eu apenas tinha lembranças, recordações vagas de como tudo realmente havia acontecido

Meu pensamento se foi ao escutar o toque em sinal de mensagem que vinha do celular em meu bolso. Suspirei ao ver meu nome na tela, Sana queria conversar e eu não estava nenhum pouco surpresa

Pedindo de maneira insistência pela minha atenção, acabei cedendo. Como sempre. Acabei dizendo que a encontraria em minha casa, e a mesma pareceu satisfeita

-Minaaaa -Gritei pela garota enquanto descia as escadas e logo pude ver a garota correr para a sala

-O que aconteceu? -Perguntou parecendo preocupada -Se machucou? Está ferida?

-Não, te chamei para dizer que irei dar uma volta

-Uma volta? Acabamos de chegar

-Eu preciso de ar Myoui

-Hm... Quer companhia?

-Não -A interrompi rapidamente -Quero caminhar só

-Por mim tudo bem, apenas volte antes do jantar. Afinal hoje é a noite dos tacos

-Noite dos tacos?

-Onde você, Momo e eu assistimos jogos de basquete e comemos tacos, dã

-Ah sim é claro, eu apenas me confundi -Sorri nervosa -Eu estarei aqui sim

-Ótimo -Se virou de costas e eu suspirei, ser Sana era bem mais difícil do que eu pensava

Depois de andar por alguns minutos, parando apenas para tirar fotos de algumas paisagens que me chamavam atenção. Ao chegar na porta de minha casa, mandei uma mensagem para Sana avisando sobre minha chegada

Não demorou nem dois minutos para que uma versão minha chegasse na porta e a abrisse de maneira atrapalhada

-Você veio mesmo

-Por que eu não viria?

-Eu nem sei dizer -Riu sem graça -Quer entrar?

Revirei os olhos pela tentativa de formalidade e adentrei o local, pronta para ouvir a verdade e apenas ela

Sana 

Pode começar a contar -Tzuyu cruzou os braços e pela minha feição, aguardava impacientemente

-Primeiro, tem que me prometer não contar isto pra ninguém... Nem para Dahyun, Chaeyoung ou seja lá quem for

-Tá tá eu prometo, mas me diga o que está rolando

-Bom, acho que tudo começou quando eu decidi viver aqui na Coréia por conta própria. Eu sabia que precisava de dinheiro e sabia que meus pais não moveriam um dedo por mim desde que minha escolha não havia os favorecido. Arrumar um emprego em Seul foi a coisa mais difícil do mundo, já que ninguém em sã consciência contrataria uma adolescente e muito menos uma estrangeira... Foi aí que eu conheci Mina e Momo que me acolheram como uma irmã em sua pensão

-Onde Krystal entra nisto tudo? -Perguntou e eu suspirei a pedindo calma

-Mesmo com um teto para morar eu ainda precisava de dinheiro e é aí que Krystal finalmente da as caras. Eu a conheci em um bar que eu frequentava, ela me ofereceu uma bebida, eu aceitei e logo em seguida cometi a maior burrada da minha vida. Ficamos horas conversando Tzuyu, até que chegou o momento em que Krystal me ofereceu um emprego, eu estava tão desesperada que não tive tempo de pensar em algo que não fosse aceitar sua proposta

-Voce aceitou um emprego sem nem mesmo se perguntar do que tratava? Por que não estou surpresa?

-Eu estava em crise okay?! Eu precisava do dinheiro para sobreviver

-Mas e então?

-Krystal me convidou para seu escritório e disse que me tiraria qualquer dúvida que eu tivesse. No dia seguinte eu estava no exato endereço que me foi dado, fui convidada a entrar e me deparei com mais alguns jovens que deveriam ter quase a mesma idade que a minha, Krystal deu início a reunião e eu rapidamente me liguei do que se tratava

-As vendas de droga -Tzuyu disse e eu assenti

-Ela era apenas uma mulher que buscava dinheiro e que não se importava com os meios de consegui-lo ou muito menos com as consequências. E eu te disse, eu precisava de dinheiro e era muito imatura na época, não consegui dizer não

-Foi aí que começou as entregas?

-Eu havia feito apenas três entregas antes de tentar desistir de tudo... Mas, já era tarde. Eu consegui me endividar com Krystal, graças ao meu vício com a bebida e na época com a heroína -Percebi a mesma arregalar os olhos e sorri fraco -Está tudo bem agora, eu estou limpa a um ano e meio

-Mesmo assim, por que fez isso? Por que se afundou tanto?

-Eu não tinha ninguém Tzuyu, eu estava sozinha e perdida. Precisei encontrar apoio em algo

-Que te destruía?

-Que me deixava viva -Disse em um tom alto, mas logo suspirando e tentando manter a calma -Isto foi uma fase que eu não me orgulho

-Momo e Mina sabem?

-Elas descobriram depois de terem confiscado meu quarto e achado alguns pacotes de uso pessoal. Foi por elas que eu parei, porque foi nos esporros e sermões que eu ganhei que me fizeram acreditar que eu era amada de novo

-Quanto deve?

-Eu não sei ao certo, talvez cerca de 850 mil won

-Isto é muito dinheiro Sana -Comentou depois de passar a mão nos cabelos -E se denunciássemos? Afinal o tráfico de drogas é crime

-Se você quiser me levar para prisão junto a Krystal me diga logo. Eu não posso, e não é como se só a minha vida estivesse em jogo

-Voce disse que havia outros, quem eles eram?

-Para uma "divulgação" melhor do seu lance ilegal e também para um fácil acesso a qualquer tipo de droga, Krystal reuniu seis adolescentes de diferentes países. Ela tem a mim, Japão. Rosseane Park, uma metidinha e viciada em ervas que veio da Nova Zelândia. Dong Sicheng, uma criança irritante que veio da China. Chittaphon ou Ten, o riquinho de família nobre que apenas se arrisca por diversão que veio da Tailândia. Lee Félix, ele veio da Austrália e até que é divertido quando não está completamente chapado. E por último Mark Tuan, apenas um idiota que veio da Califórnia

-Espera, Mark? É por isso que se conhecem?

-Correção, é por isso que nos odiamos. Nós éramos amigos antes dele achar que me apunhalando pelas costas o faria virar o preferido de Krystal

-Você é a preferida de Krystal?

-Digamos que eu nunca falhei e sempre fiz minha parte sem excitar. Ela acha que é lealdade, eu chamo de dívida

-Você gosta?

-Gosta? Do que?

-Do que faz Sana, de viver deste jeito

-É claro que não Tzuyu, eu lhe disse que queria ter me mandado a muito tempo, mas não pude -Falei sincera -Eu estou tentando uma economia, irei pagar tudo que devo e ir embora daquele lixo de uma vez por todas

-T-Talvez eu possa ajudar -Desviou seu olhar de mim -Quem sabe lhe dar a metade do dinheiro

-Claro que não Tzuyu, eu me afundei nisto sozinha, é meu dever subir a superfície do mesmo jeito

-Talvez você precise de um pequeno impulso para chegar mais rápido, e não acabar se sufocando ou se debatendo -Se aproximou e a vi meio recuada ao ter que encostar em minha mão -Deixa eu te ajudar

-Eu não entendo -A encarei estranho -Por que se importa? É a minha vida

-Eu não sei, eu apenas... Me importo o suficiente para não lhe deixar acabar com ela

-Podemos começar de novo? Sem segredos agora

-Tudo bem Sana, eu aceito -Sorriu -Eu tenho que ir agora, preciso me preparar para a entrega

-É hoje?

-Sim, hoje a noite. Irei me certificar que Momo e Mina não me descubram

-Obrigada, por tudo -Agradeci e a vi assentir como se não fosse nada

-Nos vemos amanhã -Despediu-se e se virou para ir embora, não antes de me olhar com um sorriso desconfiado -Sana

-Sim?

-Você por acaso está ajudando Momo a conquistar Dahyun? -Sorri nervosa e a vi rir de meu estado

-É que... Eu não aguento mais vê-la encalhada, e sei que ela precisaria de um empurrãozinho

-Entendi, mas, se eu fosse você desistiria

-Por que eu deveria? -Perguntei cruzando os braços e sorrindo

-Porque Mina gosta da Momo, e acha que não pode competir com Dahyun. Mas, você que sabe, as amigas são suas -Disse batendo a porta ao sair

Meu queixo estava no chão e eu não poderia estar mais surpresa. Mina gostava de Momo?

Agora estava explicado o por quê de toda a vergonha quando eu ensinuava que havia algo entre as duas

-Você é uma péssima amiga Minatozaki Sana


Notas Finais


Hey Hey Hey

Voltei e com o (talvez) último capítulo desta semana

Espero que tenham gostado do cap de hoje, o próximo será flashback's no ponto de vista de Tzuyu, o momento onde vcs irão descobrir o por que de rixa entre Satzu está chegando...

É isso mores, até a próxima att ❤️



ps; eu acabei dormindo ontem, então estou voltando aqui com esse ps hj mesmo pra pedir um sorry kkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...