História Destinos Traçados -Satzu - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, Jihyo, Jungyeon, Mina, Momo, Nayeon, Sana, Tzuyu
Tags Satzu
Visualizações 176
Palavras 1.689
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Um motivo para odiar Chou Tzuyu


Casa de Tzuyu - 13:45 AM

31 Dias para a troca


Sana P.O.V

Não preciso dizer o quanto é tedioso estar no corpo de Tzuyu, a garota é uma completa careta que não fazia nada além de posar para revistas e estudar. Talvez eu estivesse errada, talvez realmente Tzuyu fosse um grande problema

Deitada em sua cama decidi finalmente me levantar, estava pronta para fazer algo que não me limitasse em apenas ficar parada sem fazer nada. Por isso fiz o que qualquer pessoa faria ao estar em um lugar desconhecido, comecei a vasculha-lo. Havia várias revistas empilhadas na escrivaninha da garota, todas com fotodormir, seja na capa ou contra capa. O computador do lugar era algo que ainda seria inabitável a mim, já que o mesmo possuía uma senha. Como eu imaginava, o guarda-roupa de Chou contava com uma vasta qualidade das melhores marcas de linhas de roupas e o mesmo se aplicava aos sapatos

Encarando bem ao topo pude perceber uma pasta rosa que havia me chamado atenção. Olhei ao meu redor e busquei pela cadeira que havia ali, a posicionei no devido lugar e assim subi nela ainda sim tendo dificuldades para agarrar o objeto que acabou por cair no chão

Suspirei frustrada e me abaixei, antes que eu me levantasse uma caixa bem ao fundo da cama despertou minha curiosidade

-Tzuyu, filha? -Escutei batidas na porta o que acabou por me assustar, vi a silhueta passar pela mesma e sorrir em minha direção -O que faz sentada no chão? -Perguntou sorrindo

-Eu... Deixei cair -Suspendi a pasta o fazendo suspirar em entendimento

-Ainda tem isto? Faz tanto tempo -Se aproximou me ajudando a levantar -Vem aqui -Sentou-se na cama e bateu ao seu lado como se me chamasse para se sentar ali, o encarei meio relutante o fazendo rir baixo -O que? Um pai não pode ter mais momentos com sua filha? -Arqueou as sobrancelhas me fazendo ceder ao que havia sido pedido

Pousou a mesma pasta no meio de seu colo e a abriu. Percebi que aquilo se tratava de um álbum de fotos e sorri sem ao menos perceber ao avistar a primeira foto de um bebê

-Não era uma graça? Quem diria que essa coisinha fofa viraria uma grande modelo e uma garota maravilhosa -Falou com certo orgulho em sua voz

-É a Tz... Eu?

-Claro que sim -Sorriu -Foi o dia mais importante de minha vida e de sua mãe

-Foi é?

-Sei que podemos ser rigorosos as vezes, mas fazemos isso pensando em seu futuro. Queremos o melhor pra você, queremos que tenha sucesso em sua vida Tzuyu -Olhou em minha direção procurando por minha mão e a segurou a apertando em seguida -Quero que saiba que não importa o que você faça eu sempre estarei orgulhoso de minha princesinha -Tocou em meu nariz me fazendo sorrir com o ato

-Obrigada... Appa, espero que Omma pense da mesma forma -Antes que ele pudesse falar algo escutei seu celular tocar

-Eu tenho que ir, conversaremos mais tarde -Se levantou e bagunçou meus cabelos saindo do quarto

Suspirei ao escutar a porta se fechando. Me levantei indo até o banheiro encarando o espelho em minha frente, vi lagrimas insistentes descerem pelo meu rosto o que me fez a enxuga-las rapidamente

Escutar o pai de Tzuyu proferir tais palavras me fez pensar em como eu nunca havia ouvido sequer metade vindo de meus pais. Eles sempre foram bastante reservados e desde que eu posso me lembrar se importavam apenas com eles mesmos, tive que aprender a cuidar de mim mesma sozinha. Quando decidi me mudar para a Coréia a ajuda financeira que eles me forneciam mensalmente era algo mínimo, por isso não demorei a procurar algo que me bancaria. Mina foi uma das pessoas que me ajudou, tanto com o lugar tanto na procura de um emprego, por isso sou eternamente grata a garota

Desde então não recebo noticias de nenhum dos dois, não sei se eles estão bem, sequer sei se eles ainda estão vivos, parece algo idiota de uma filha dizer mas não sei se me sentiria tão mal pela segunda opção. Todas as vezes penso em ligar, mas acabo sempre lembrando que se realmente se importassem eles ligariam e não o contrário

Tzuyu tinha sorte, possuía pais que a amavam e que sempre cuidaram e tratavam-na com carinho e mesmo assim insistia em apenas ver os problemas dos dois. E este era um dos motivos que me faziam odiá-la; o fato de nunca estar contente com nada que não seja de seu próprio agrado

-Hey perdedora -Senti algo se chocar contra a janela que veio acompanhado de um grito

Me aproximei da mesma e a abri, vendo as duas baixinhas suspirei revirando os olhos

-Posso ajudar vocês? -Perguntei escorando-me ali

-Vamos para a praça, está a fim? -A castanha que eu me lembrava ser chamada de Chaeyoung perguntou

-Praça? Vocês só podem estar lo... -Parei de dizer ao me lembrar de quem eu era ali, Tzuyu desde que eu possa me lembrar sempre gostou de ar puro e nunca passava muito tempo em casa. Eu era basicamente o contrário, meu quarto era basicamente o meu refugio, ficar deitada enquanto escutava música ou simplesmente dormir me fazia bem. É claro que a noite eu conseguia dar algumas escapadas de minha própria rotina mas esta não é a questão no momento

-Você vem ou não? -Dahyun perguntou enquanto cruzava os braços

-Estou descendo -Respondi arrastada devidamente com preguiça e não acreditando em minhas próprias palavras

Não demorou para que eu estivesse ao lado das duas menores que sorriam gentilmente para mim e vez ou outra faziam piadas enquanto caminhávamos. Dahyun e Chaeyoung nunca sequer haviam feito mal algum comigo mas eu simplesmente não gostava das duas, acho que por andar tanto com Chou eu de certa forma acreditei que elas fossem como a garota, irritantes e extremamente mimadas. Este era o conceito que eu havia dado ao trio

-Não trouxe sua câmera? -Chaeyoung dirigiu sua pergunta para mim que franzi o cenho

-Câmera?

-Claro, pensei que gostaria de tirar fotos

-Por que eu gostaria disto? Já faço isso praticamente todos os dias, creio que ter vocês apontando câmeras em minha direção não muda muita coisa -Falei e vi as mesmas se entreolharem parecendo confusas

-Eu acho que os flashes estão fazendo seus poucos neurônios sumirem. Por que nós pensaríamos em tirar foto de você? -Dahyun perguntou com certa ironia -Está se achando muita coisa senhorita Chou

-Mas...

-Perguntamos pela câmera por que sabemos o quanto você gosta de fotografar as paisagens, e como dará o inicio do inverno, sua estação favorita, pensamos que fosse o momento ideal para isto -Chaeyoung esclareceu

-Ah é claro... Eu me esqueci completamente

Há muitas coisas pelo visto que eu não sei sobre Tzuyu, acho que teremos que conversar um pouquinho melhor na próxima vez que nós nos virmos

-Não vai comer nada? -Perguntou a ruiva apontando para a cesta que haviam trazido

-Estou sem fome -Dei de ombros encarando ao meu redor

-Você não comeu nada, como pode não estar com fome? Seus pais estão te obrigando a alguma dieta idiota de novo?

-Não tem nada haver com eles eu só não estou afim no momento, posso ter essa escolha ou até mesmo isto temos que compartilhar de maneira idêntica? -Encarei a garota que suspirou voltando sua atenção ao seu suco -Ótimo

Devo admitir que passar um tempo fora encarando as pessoas caminhando, crianças brincando e casais compartilhando momentos fofos era algo agradável de se ver. Creio que me tranquilizava de alguma maneira e por um momento entendi o por que Tzuyu gostava tanto de passar seu tempo livre ali

Ocorria tudo bem, as duas garotas riam de algo falado e pareciam entender o meu silêncio já que evitavam me envolver em suas gracinhas. Pousei meu olhar em um ponto especifico e franzi o cenho no mesmo momento para a cena

-Mas que...

-O que houve? -Dahyun perguntou e seguiu me olhar -Está surpresa com o que? -Riu fraco -Sana sai com muitas garotas, mas Nayeon é novidade -Deu de ombros

-Não achei que Sana fosse desse tipo de pessoa -Chaeyoung começou me fazendo encara-la no mesmo momento

-Tipo de pessoa?

-Sempre a vi como uma garota da noite, e Nayeon parecia gostar dela por este motivo. Que idiota -Negou com a cabeça

-Não entendi

-Sana não é capaz de gostar de Nayeon -Falou sorrindo

-E por que não? -Perguntei

-Chaeyoung -A ruiva parecia não aprovar o que a mais nova diria mas isso não pareceu intimida-la

-Simples, para gostar de alguém primeiro é necessário gostar de si mesma. E esse não é o caso de Sana

Parecia algo simples mas a pequena frase da castanha havia me pegado desprevenida, eu nunca me importei com o que pensavam de mim. Sabia muito bem que meu nome ecoava constantemente pelos corredores do colégio com uma má reputação, e por isso aprendi desde cedo ignorar comentários deste tipo. Mas esse era diferente, diferente dos outros eu senti algo além de desgosto e insignificância ao escuta-lo, talvez por ter um pouco de verdade nas doídas palavras

-P-Por que acha isso? -Perguntei para Chaeyoung

-Bom...

-Não -Dahyun a interrompeu -Olha, creio que não devemos julga-la, não sabemos da vida alheia Chaey

-Vai me dizer que não acha a mesma coisa -Falou a outra e eu encarei Dahyun com certo receio

-Se quer realmente saber, não. Eu não acho isto... Talvez Sana apenas tenta esconder algum sentimento de angustia, por isso usa uma espécie de máscara tentando mostrar a todos uma personalidade forte escondendo uma realidade de na verdade uma garota sensível como nós -Deu de ombros ao concluir

-Esse é o seu problema Dahyun, você sempre vê o lado bom das pessoas. Já passou por sua cabeça que pessoas ruins podem ser apenas pessoas ruins? -Chaeyoung perguntou séria mas acabou por sorrir ao ver que Dahyun havia negado -Você não tem jeito

   Talvez eu estivesse enganada sobre estas garotas, ainda não confio o suficiente para ter certeza mas creio que posso descobrir mais neste período que passaremos juntas. Ah com certeza eu irei!


Notas Finais


Hey Hey Hey

Bom mores as explicações passaram a se tornar repetitivas já que agora além dos estudos tenho trabalho e quando chego em casa só penso em apenas uma coisa; comida & cama. Mas eu não irei parar de postar, afinal vocês estão contando comigo e eu me divirto escrevendo

Enfim, sobre minha outra fic: essa semana sai. Irei parar de prometer dias por que eu só me fodo por motivos de que eu acabo dormindo ou esquecendo então um prazo maior é sempre bom

Espero que tenham gostado do capitulo de hoje, e não desistam de mim okay?! Irei me esforçar para trazer com mais freqüência eu juro :D

É isso meus bebês, amo todos vocês e até a próxima ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...