História Destiny - Capítulo 42


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Alexa Ferrer, Camren, Chris Jauregui, Colson Mgk, Jesynelson, Keana Issartel, Louis Tomlinson, Lucy Vives, Romance, Sasha Pieterse, Shawn Mendes, Vercy, Vero Iglesias
Visualizações 1.325
Palavras 4.854
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ola ola
Vim no prazo 🤷🏻‍♀️😂
Terminei de terminar esse capítulo e como ja enrolei demais. Ta aí, capítulo quentinho.

AVISO: tem um hotzinho basico logo no começo, porém é relatado o uso de um objeto (brinquedo sexual), para quem não gosta, pode pular.. porém leia os últimos parágrafos antes dos "..." 😉

Boa leitura
Qualquer erro perdoem e me avisem nos comentários!

Capítulo 42 - She left



Point of view Camila Cabello Mendes

No elevador do prédio de Lauren eu a encarava, ela tinha uma expressão convencida e risonha, não me disse nada, apenas pediu para que eu passasse a noite aqui e tenho certeza que a tal noite do pijama veio dela, ainda estou decidindo se a perdôo por tirar minha filha de mim para então me abordar.. saímos e ela abre a porta de seu apartamento, estendeu a mão..

-as damas primeiro -sorri entrando, a ouvi me seguir e fechar a porta. Passei pelo mini corredor e..

-Lauren -solto seu nome e olho em volta, sua sala estava coberta de pétalas e velas.. perto do vidro que exibia a vista incrível dos prédios de York havia uma mesa com o que parecia nosso jantar, eu estava um pouco tensa, o que isso significava? A senti me abraçar por trás -o que.. -resfoleguei.. estava impressionada com tudo aquilo -qual o motivo disso tudo? -pergunto, sem a intenção de parecer rude só.. aniversário dela já passou, o meu também.. nosso de namoro também.

-Sim, o motivo é.. -deu a volta parando  minha frente e me olhou -nosso amor.. não basta? Porque pra mim, é o suficiente. -declarou e suspirei relaxando minha postura -só estou com saudade, senti sua falta, a falta do seu beijo, do seu cheiro, do calor do seu corpo, falta dos seus carinhos, três dias e duas noites foram o suficiente para ver que.. sou viciada em você, não posso, Camila, viver sem você. Não mais.. -meus olhos se encheram, engoli seco

-Isso tudo é só por me amar? Só para matar a saudade? -questiono e ela sorriu

-não vou te pedir em casamento -foi impossível não me sentir aliviada, eu quero mais nesse relacionamento, não quero dar esse passo tão grande assim inesperadamente, não me levem a mal -não ainda -disse e sorri ao sentir seus braços em minha cintura, descansei minhas mãos em seu tórax..

-Tudo bem.. -digo e ela sorriu, roçou nossos narizes me fazendo render-me, fechar os olhos e deixar que ela me faça dela, ela subiu seu nariz e selou seus lábios em minha testa, me frustrando.

-quer jantar comigo? -perguntou afastando e estendendo a mão, sorri pegando

-quero sim, mas só porque estou com fome -digo e ela riu assentindo.

-Vou relevar isso.. -brincou também e então arrasta a cadeira para eu sentar, me ajudou a me acomodar e logo se acomodou em frente a mim, me serviu vinho, passei meus olhos pelo rótulo, 1967, antigo, caro e provavelmente maravilhoso. Peguei a taça rodeei o líquido naquele cristal e inspirei o aroma, sim, maravilhoso, tomei um gole sentindo o gosto doce, leve, suspirei.. -que bom que acertei -disse e sorri -espero ter acertado em tudo -destampou uma bandeja, dois pratos com saladas -nossa entrada, mademoiselle -arranhou seu sotaque e me forcei a não estremecer com aquela voz. Me serviu e então olhei a mesma, alface, tomates cerejas, queijo gorgonzola, abacate em pequenos pedaços, azeite suponho e tempero deve ser o tradicional e.. provei, pimenta a gosto, muito bom.

-divino, Lo -digo enchendo minha boca novamente, eu amava o gosto do abacate na salada, a pimenta dava ainda mais um toque especial. -onde encomendou essa salada? Que tempero esplêndido -digo ao engolir, tomei um gole do vinho e a olhei, que sorria convencida.

-Eu quem fiz -disse me fazendo largar a taça e erguer a sobrancelha -estou em York desde.. um pouco depois do almoço -abri minha boca incrédula -tive a ideia no vôo de volta e decidi fazer surpresa, por isso não liguei ou mandei mensagem de texto -disse, continuei a olhando -me perdoe? -pediu me olhando com um risinho.. esses olhos de esmeralda a luz de velas.. esse brilho neles que eu amo tanto.

-pensarei a respeito -murmurou comendo mais daquela salada.. aquele queijo era maravilhoso, quando fui a Itália, nos vinhedos por lá, criei um vício, queijo e vinho, melhor combinação. Ela soltou um risinho.. -bom.. somando com o fato de ter me tirado minha filha e me abordado..

-não te tirei sua filha -soltou indignada, ri sarcástica

-ahh.. então você não deu a idéia de Elizabeth, sua cunhada, convidar minha filha para uma noite do pijama somente para me raptar hoje? -pergunto, ela fez um carinha fofa.. ugh.

-tudo bem, tudo bem, pode me incluir, mas estive parcialmente nesse plano. -disse, semicerrei os olhos -talvez uns oitenta por cento -disse, continuei com minha expressão e ela bufou -foi ideia minha, ok? Desculpinha Camz.. mas.. eu amo nossa filha -fez bico e pegou minha mão sobre a mesa -mas queria só você hoje comigo, somente você, todinha pra mim -disse manhosa e tentei não sorrir, tentei..

-me comprou jóias também? -pergunto e vi seus olhos arregalar levemente

-porque? -perguntou desconfiada

-geralmente quando há traição se compensa assim, chega de viagem melosa, com jantar romântico, presentes.. -digo e bebo mais vinho ela nem piscou me olhando, comecei a rir, iria jogar na cara dela sobre a revista mas não consegui, sua carinha desolada foi irresistível. -estou brincando, meu amor -pego sua mão -saiu uma matéria sobre você e umas amigas, mas não dei importância..-digo séria agora, vi o canto dos seus lábios se esticarem.

-mesmo? -questiono e eu sorri

-confio em você, Lo, mal vi a matéria, só sei pois estava na capa, mas não me interessei no que escreveram.

-Não traí você, Camz.. de forma alguma, nem se eu quisesse, não consigo, eu amo você..

-Eu sei, Lo.. eu também amo você, muito, era só uma brincadeira -digo e rimos.

-você é uma boba -disse e rimos mais. Comemos nossa salada com ela contando sobre o evento e até mesmo a balada que, segundo ela, Jesy e Candace, a morena da foto, que a obrigaram ir, mas acabou sendo divertido e beberam um pouco além da conta mas também não a ponto de cometer idiotices. Ela nos serviu o prato principal, o aroma estava delicioso, ela esperava que eu provasse, então provei.. mastigando lentamente sentindo o gosto, salmão ao molho teriyaki, com acompanhamento Gohan, o tradicional arroz japonês. Aquilo estava muito bom.. céus.

-Você quem fez também? -ela assentiu hesitante me fazendo rir -está perfeito, não sabia desse seu dom culinário -agora ela sorriu de verdade.

-Venho aperfeiçoando, comecei obrigada quando tive que morar sozinha, porque bem.. uma hora você enjoa de comer pizza ou comida congelada, eu estava no início da carreira, não ganhava bem assim pra pedir comida todo dia.. -riu -então comecei a aprender fazer compras e fazer minha própria comida, já fiz alguns cursos até.. -deu de ombros -só estava esperando o momento certo de te conquistar pela barriga também.. -rimos

-Está funcionando, amor.. te amarei eternamente se continuar cozinhando assim -brinquei rindo e ela riu satisfeita, aquele salmão estava muito bom, céus.. um prato simples, mas delicioso. Eu amava o fato de como Lauren era atenciosa, educada, doce.. sempre querendo me ouvir, qualquer seja o assunto, a banalidade que digo, ela se interessa.. então ela levantou dizendo que ia pegar nossa sobremesa, eu já havia parado com o vinho, não sabia o desfecho daquela noite, mas me sentia com álcool suficiente e não queria mais daquilo.

-Certo alguém me disse que, ama banana, então.. -colocou o prato a minha frente, não evitei lamber os lábios, qual é.. ela fez banana caramelizada com sorvete.

-Ok, eu aceito -digo séria, ela me olhou -aceito me casar com você -digo e ela gargalha me fazendo rir. Comemos e ajeitamos as coisas deixando para amanhã, então fomos para o andar de cima, sua sala de cinema, nos deitamos abraçadas, estava aconchegante seu apartamento vendo orgulho e preconceito, era um dos meus filmes preferidos, a inteligência e a classe do filme me faz amá-lo.. mas no momento, não estava fazendo questão do mesmo, estar sobre o corpo de Lauren me deixa fora de órbita, estar perto dela já me faz ir além, a olhei, estava agarrada a ela de lado, havia até mesmo tirado os sapatos, olhei seu perfil, seu nariz desenhado, seus lábios cheios.. sua sobrancelha desenhada, seus cabelos, acariciei os mesmo e sorri, fechei os olhos e inalei seu cheiro passando meu nariz por seu pescoço, eu amo essa cheiro suave, já que ela não usa perfume, beijei sua pele e a senti se arrepiar, sorri, ela me olhou e selei nossos lábios, beijei também seu queixo, acariciei seu rosto, me ajeitei melhor e fiquei cara a cara com ela, ela sorriu passando a mão por minha cintura e rocei nossos narizes, a leveza de sua pele, a maciez, selei nossos lábios e não prolonguei, passei a língua por sua boca na intenção de adentrar e provar seu gosto, acesso ao qual foi permitido e explorei sua boca, sua língua na minha, seu gosto, seu calor, ela puxou minha cintura forte me fazendo ficar de joelhos, com um em meio as suas pernas e segurei firme em seu pescoço beijando seus lábios com lentidão porém com intensidade, com força, me perdi.. não soube o tempo, soube que as roupas começaram incomodar e tirá-las parecia incrivelmente agradável. Peguei na barra do seu vestido descendo os beijos por seu pescoço.. subindo aquele pano ela me parou..

-ahn-hã -soltou um resmungo em negação e me jogou naquele sofá ficando por cima segurando minhas mãos lado a lado a minha cabeça e sorriu -hoje eu comando, Karla Camila -disse rouca, sexy..

-Não estou reclamando, só que estar com tantas peças de roupa está me incomodando -digo avançando em sua boca, minhas mãos subiram sobre a cabeça e senti seu corpo se encaixando no meu, eu me sentia suar, Lauren me deixava assim, quente como o inferno, desejando-a.. dobrei minha perna passando meu pé por sua perna, enlacei a mesma em sua cintura e puxei o ar com força ao senti-la desgrudar nossos lábios, sua boca desceu por meu maxilar, pescoço, senti os botões de minha camisa ceder e Lauren descer com seus lábios por minha pele, minha clavícula, meu colo, meus seios.. minha barriga. -Lo? -chamei em um gemido, empurrei seus ombros e a senti rir em minha pele, ela se ajoelhou no sofá e puxou seu vestido revelando sua lingerie.. me apoiei nos cotovelos de boca aberta, essa mulher é minha? A calcinha transparente de pano negro, tinha alguns detalhes floral de renda.. não sei, sei que eu fiz o que achei impossível, desejei-a ainda mais, me sentei e a puxei para o meu colo, porém ela me empurrou se levantando.. se virou de costas e arrumou sua calcinha pequena que quase sumia entre os montes, então me olhou sobre os ombros

-eu mando, Karla Camila -sorriu provocativa e saiu andando, em seu salto, cujo qual ainda estava e de lingerie.. somente, jogou seus cabelos e saiu pela porta, meus pulmões puxavam o ar com força, minha boca seca, meu corpo suado, me levantei, deixei minha camisa de seda escorrer por meus braços indo de encontro ao chão, segui o caminho até nosso quarto, já estando somente de lingerie, fiz um coque bagunçado, ajeitei minha franja, alguns fios bagunçados e entrei no mesmo, Lauren não estava.. ia ao banheiro mas a vi sair o closet, ela sorriu, tinha uma caixa nas mãos, uma caixa média, negra e de veludo.. -na viagem fiz uma coisa louca -disse vindo até mim -fui a um sex shop com Jesy, tive um prejuízo leve em relação a paparazzis e notícias idiotas que não pude deixar serem publicadas mas consegui o que queria -balançou a caixa e a colocou na ponta da cama, me puxou pela mão com delicadeza -queria fazer diferente.. o que me diz? -perguntou surpreendente insegura, eu via em seu rosto, seus olhos.. franzi o cenho, ela mordeu o lábio, eu estava excitada, queria ela.. e era notável seu desejo recíproco, porém ela estava na defensiva, como se esperasse uma reação ruim minha.. o que ela está aprontando? -lembra quando usamos um dildo? -ergui minha sobrancelha -disse que queria inovar comigo mesmo não tendo experiência alguma porém comigo você..

-Queria.. -completo sua frase e ela mordeu o lábio novamente, fui até a caixa rápido e a abri.. céus, ela não tinha me arrumado um desses.. me virei a olhando que abaixou a cabeça evitando meu olhar, sorri, eu queria isso, só não tive coragem suficiente pois não sabia o que ela pensaria mas.. -você manda essa noite, amor.. estou completamente em suas mãos -sussurro acariciando sua clavícula com a ponta dos dedos.. -me faça sua -sussurro ficando na ponta dos pés, beijei seu queixo e ela sorriu

-você quer isso? -assenti e acariciei seu corpo -sou tão louca por você.. -murmurou com o olhar perdido em meus lábios, me sentei na cama e puxei a fina tira lateral da sua calcinha, passei meu dedo por ela toda e por fim puxei deixando o estalo ecoar, ela me olhou ofegante, me esparramei na cama, ergui meus braços sobre a cabeça e rocei uma perna na outra dobrando-as, movimentando-as, parece ter surtido o efeito sexy que eu queria, ela pegou a cinta e a vestiu, ajustou em seu quadril e acariciou o pênis de borracha que apontava em minha direção, ela puxou minhas pernas que estavam encolhidas e me virou, senti um tapa que me fez gemer surpresa, senti suas mãos em meu bumbum, infiltraram por baixo da calcinha de cintura alta que eu usava e a puxou, me apoiei e a deixei tirar, nua da cintura para baixo senti ela me beijar, coxa, bumbum, costas.. foi subindo pela minha coluna até minha nuca, mordeu meu ombro e senti aquele objeto me cutucar, enterrei o rosto na cama entorpecida, precisava dela, a queria mais que tudo.. abri minhas pernas me empinando para ela que roçava em mim, minhas dobras úmidas, escorrendo -tira -ouvi seu sussurro, estava tão inerte que nem mesmo reparei ela abrir meu sutiã e muito menos retirar o seu, pois assim que joguei aquela peça de lado na cama ela colou nossos corpos e senti seus mamilos enrijecidos em minha pele das costas.. suas mãos apertaram minha cintura me afundando no colchão macio, em meio a lençóis de seda.. clichê porém é tudo que quero, sendo com ela não me importo de viver e reviver todo clichê do mundo romântico, eu a amo afinal de contas.. enrijeci meu corpo ao senti-la adentrar minimamente aquele objeto dentro de mim, senti sua mão alisar minha coluna.. -shhh.. relaxe, minha vida.. não farei nada que não queira -murmurou e com isso beijou-me o ombro, cai na cama relaxando e me empinando mais a deixando entrar em mim, assim ela fez, lentamente e até o fundo.. senti meu corpo pinicar, queimar, mordi o lábio e a senti desfazer o nó em meus cabelos para os puxar, saindo lento e entrando forte, fundo.. me ondulei no colchão sentindo aquela sensação, com ela, vindo dela, ela me faz ser tão sua, facilmente me rendo, confio e me entrego, a senti sair lentamente e estocar forte, arfei e quase gritei ao sentir o puxão em meus cabelos.. ela estava tão sexy, tão ativa, tão mandona, me fazendo ser tão submissa dela e isso é tão sexy, quente, excitante.. ela mantinha o ritmo lento, porém forte, quente.. era tão bom, tão gostoso, a sentia ir tão fundo, fazendo meus olhos revirarem, me fazendo gemer sem pudor, minhas mãos agarradas nos lençóis os apertando forte, sentia o baque de nossos corpos, o barulho dela entrando e saindo de mim, eu estava tão louca.. louca de tesão, louca por ela, louca para gozar, rude.. era assim que estava nosso sexo, estávamos fodendo, todo o romantismo ficou no jantar, minha boceta era preenchida, e agora se fechava, eu iria gozar, iria logo..

-Lauren.. -minha respiração sem controle -Lauren -soltei novamente e ela aumentou a velocidade, sentia seu quadril em meu bumbum, suas mãos em minha cintura, apertando-a forte, me mantendo firme no colchão, me contorci, ainda mais ao ouvir Lauren gemer, Lauren arfar, Lauren suspirar, por estar me fodendo, me preenchendo, suas unhas me arranharam e apertaram minha bunda, forte, me abrindo, ela iria me rasgar, porém eu queria que rasgasse pois era assim.. assim que eu chegaria ao ápice. -mmm -travei o maxilar gemendo, tremi, convulsionei, gritei e me libertei.. gozei como absolutamente nunca antes, nunca, em toda a minha vida, gozei como agora. Ela continuou entrando, lentamente, eu ainda tremia, minhas pernas bambas, sem coordenação motora, então ela saiu, ouvi seu risinho.. eu estava quase desmaiada devido tamanho prazer, mal ouvi o que fazia, porém senti seu corpo no meu, nu, sem nada mais, apenas ela.

-Como fez isso? -perguntou, a olhei e sorri meio anestesiada

-o que? -sussurrei e ela sorriu beijando-me

-você gozou.. muito, tipo.. espirrou -disse e a olhei franzindo o cenho -isso foi muito sexy, Camila -disse e mordi o lábio

-orgasmos múltiplos.. -murmuro ainda entorpecida.

-não Camz.. você teve o famoso squirt -disse e a observei

-isso é tão pornográfico -comentei rindo e ela gargalhou se jogando para trás, me arrastei e deitei em seu corpo, passei a ponta dos dedos por seu colo, ela me olhava com um risinho -o que foi? -pergunto ficando sem jeito

-já gozou assim antes? -suspirei desviando o olhar -Camz.. eu amei causar isso em você, acontece..

-raramente..

-sim, mas acontece, estávamos longe uma da outra, a uns dias justificativos sem relação, agora foi novo, diferente, rude.. -disse e me arrepiei..

-nunca pensei que eu fosse do tipo.. sádica -digo e ela riu -amor.. eu sempre fui mais.. pra amor, do que foda, nem quando fui casada ia para esse lado selvagem, eu gostava mais rude porém não.. como agora, sentia que iria me rasgar e..

-machuquei você? -se precipitou, puxei seu rosto e a beijei

-você me deu o melhor orgasmo da minha vida, Lauren, eu amei foder com você, usando aquilo, eu.. eu amei seu jeito rude, ativo, forte.. como puxou meus cabelos, como.. -arfei -como me invadiu.. -sussurro me sentindo quente novamente -me fode de novo -peço -me fode de ladinho -pedi de olhos fechados sentindo nossos seios se roçarem..

-bem gostoso? -murmurou e me jogou na cama subindo sobre mim -está tão submissa hoje.. me redescobri.. -sorri -fala o que ama em mim.. fala -pediu e a encarei, seu olhar sexy, duro.. de um jeito excitante, seu maxilar travado, eu era apaixonada.. quando acordei e abri a boca para dizer o quanto amo seu jeito inovador de me amar na cama senti meu rosto arder, minha cabeça virou de lado, ela bateu na minha cara, a fitei ainda sem reação -diz o que eu pedi, Karla Camila -soltou rouca.. tremi debaixo dela, tremi de tesão.. toquei meu rosto quente.. ardido, vi seu olhar vacilar e um fio de culpa passou por eles, sorri avançando nela, em sua boca, nos virei na cama e montei sobre ela, suguei sua língua e prendi seus pulsos sobre a cabeça..

-o que eu mais amo em você, é como tem poder sobre mim.. amo seu jeito louco de me manter segura, seu jeito insano de me ter somente para você.. -suspirei roçando nossos narizes -amo o fato de tudo em você ser tudo em mim, como aquela música, amo a certeza que tenho de que.. se eu me doar inteiramente sei que doará tudo de si a mim, amo a confiança que me faz ter em ti, me jogaria nos seus braços sem temer caso estivéssemos na ponta de um precipício, amo como sabe me cuidar, assim como cuida de Charlotte o meu bem mais precioso no mundo -a bipolaridade me atacou, de ardente fui ao manso, de picante fui para o doce, da selvageria fui para o romântico porque amá-la me fazia ser assim, bipolar, mas o mais importante é saber que ela corresponde, exatamente assim. Soltei suas mãos me apoiando e colando nossas testas, a senti sorrir

-isso é o suficiente para se casar comigo? -perguntou, em um sussurro quase sem forças, como se arrancasse da alma, a fitei, ainda milímetros de distâncias, seus olhos me diziam tanto, me mantinham e com um suspiro de rendição disse, de olhos fechados, o que em meu íntimo desejei..

-sim, é suficientemente o bastante para eu dizer sim, todas as vezes que quiser.



-vida? -chamei.. -Lauren? -aumentei o tom, ela me fitou -o que houve? Não ouviu nada do que eu disse, não é? -ela suspirou e sorriu culpada, me sentei em seu colo, estava com um hobby de seda negra, apenas, ela também, abracei seu pescoço beijando sua boca, beijei também sua bochecha, seus olhos, sua testa, seu nariz, ela sorria, beijei seu queixo e sorri fitando-a -parece estar longe.. -murmuro infiltrando meus dedos em seus cabelos pela nuca e acariciando seu couro cabeludo.

-estava pensando.. -murmurou vaga, me calei, debatendo internamente se a pressionava para dizer..

-Quer me dizer sobre o que? -pergunto receosa, a vi engolir sua saliva e rolar os olhos pelo grande vidro da sala, York ainda escura pela noite e iluminada pelas luzes.

-não.. -murmurou, me calei praguejando-me mentalmente. Ela ficou calada olhando o vidro e reparei que ela não estava confortável comigo ali, parei o carinho e delicadamente me afastei.. ela cruzou as pernas assim que levantei e ajeitou seu hobby, voltou o foco para o vidro e suspirei saindo da sala, peguei meu celular e vi as horas, logo iria amanhecer.. entrei em meu.. no quarto de Lauren, e fui ao banheiro, me olhei no espelho, sem paranóia, disse mentalmente a mim mesma, respirei fundo.. ajeitei meus cabelos e por fim, minha aliança me chamou atenção, mexi na mesma e sorri.. olhei em volta.. o silêncio desconfortável.. peguei meu celular e relutante digitei a Lucy


Me: Está acordada?


Fiquei olhando a tela e esperando, alguns minutos se passaram e nada, suspirei rendida porém a resposta veio.


Vives: Estou.. estava no banho.


Sorri ao imaginar que sua noite foi provavelmente tão quente quanto a minha.. suspirei, a minha noite.


Me: Estou tendo paranóias


Confesso, havia meses e meses que não passava por isso, por insegurança repentina, como se não fosse mulher feita.


Vives: O que houve?

Vives: Uau, isso não acontece a anos..


Soltei um risinho fraco e hesitei em contar, fechei os olhos respirando fundo e soltando o ar pela boca


Vives: Cam? Sou eu.. lembra? Me diz.


Mordi o lábio inferior sentindo meus olhos arderem, como sou patética..  


Me: Acho que passei do limite


Mandei simples assim, não sabia bem como dizer..


Vives: Dúvido que tenha matado alguém.. o que te incomoda, Cam?


Me: Lauren..


Vives: Isso é óbvio, me refiro ao que aconteceu..


Suspirei, hesitante.. olhei a porta do banheiro aberta, o silêncio ainda continuava lá, fodemos tantas vezes, tomamos banho e por fim comemos algumas torradas com chocolate quente que fiz.. e conversando confortavelmente ela foi se distanciando, até que por fim notei seu desinteresse ao que eu contava.. o que fiz com Charlotte nesses dias que ela estava fora.


Me: Lauren e eu transamos usando strap-on


Direta, simples e.. ela não entenderia


Me: Inúmeras vezes, gozei loucamente e.. até mesmo cheguei ao tão raro Squirt


Vives: Você conseguiu gozar “a jato”, Karla Camila Cabello?

Vives: COMO?


Soltei um risinho bobo até voltar ao foco ouvindo passos e em seguida a porta da frente ser fechada.. caminhei rapidamente saindo dali, fui até a sala.

-Lauren? -chamei, olhei em volta -amor? -chamei novamente e.. sim, ela saiu, ouvi o barulho do elevador. Suspirei engolindo seco, as pétalas ainda continuavam ali, espalhadas, as velas do candelabro sobre a mesa mesmo menores, ainda estavam acesas. Porque ela saiu? Porque ela saiu e me deixou sozinha aqui? Talvez minha tpm mudou a data ou só talvez seja meu lado apaixonada e frágil me fazendo querer chorar agora mesmo.


Me: Está na Vero?


Enviei, esperei..


Vives: sim.. estou em casa, onde mais eu estaria a essa hora?


Suspirei me levantando, caminhei até o quarto e deixando o celular de lado sobre a cama bagunçada, fui até o closet, vesti uma calcinha qualquer, um jeans grosso negro, puxei uma blusa aleatória e peguei o primeiro sobretudo que vi, calcei seus coturnos que estava perto do puf e sai dali ajeitando os cabelos, sai fechando a porta com minha chave, a olhei antes de sair.. Lauren tinha uma reserva debaixo do tapete, saí dali logo descendo ao estacionamento, seu carro não estava ali, eu tinha vindo com ela.. sai do condomínio andando, avistei um táxi vazio e parei o mesmo, o pedi para que me levasse a long island novamente, precisava da minha amiga, Dinah provavelmente estava com Ian, Keana com Sofia, Normani com Andrew.. Lucy com Verônica, mas elas moram juntas então.. relevante. Algumas lágrimas bobas e teimosas escorreram durante o caminho, Lauren havia saído depois de ter-me tão intimamente, como nunca jamais me permiti antes, sem dizer nada, sem celular.. mal vi o que vestiu. Quando o táxi parou em frente a casa de Verônica os raios solares já inundavam os Hamptons. Desci dando algumas notas ao motorista, que sorriu agradecendo.. provavelmente por ter recebido bem mais do que seu taxímetro pedia, ao menos ele ficou feliz com isso. Bati na porta e Lucy abriu quase imediatamente

-Sua estúpida, estou ligando e mandando mensagens a horas -disse e me puxou abraçando-me. -o que faz aqui? -suspirei sentindo lágrimas, eu parecia aquela Camila adolescente outra vez, sem controle, sem auto estima e totalmente insegura.

-Lauren, por acaso.. não está aqui? -pergunto com um pouquinho de esperança de achá-la e talvez, confrontá-la.

-Hey, Camila -ouvi Verônica, Lucy me puxa para a sala e olhei a morena..

-porque acho que sabe algo? -ela franziu o cenho -onde a Lauren foi? -pergunto

-Eu não sei, po..

-Você sabe, Verônica, onde ela..

-Calma.. -murmura Lucy me puxando e abraçando-me de lado

-Eu não sei, Camila -disse e trocou olhares com Lucy, porque droga ela saiu? Se ela precisasse ficar sozinha, eu saía, era a casa dela, e.. eu a deixei pensar, não precisava sair, nós.. a essa altura ela agir assim? Depois de tudo? Depois de me ter daquela forma?!

-Cam? -chamou-me, neguei com a cabeça

-droga.. porque, Lu? -pergunto e ela suspirou -eu.. eu me entreguei como nunca, sabe que nunca permiti usarem esse tipo de coisa comigo, sempre achei abusivo e íntimo demais e.. ela saiu, me deixando sozinha, sem dizer nada. -digo e ela suspirou

-eu não sei o porque, Cam.. -neguei com a cabeça me sentando no sofá

-pareço uma adolescente idiota -murmuro brava comigo mesma agarrando meus próprios cabelos, Lucy riu -eu sou mulher, Lucy, uma mulher feita, desapegada, que tem uma carreira séria e uma filha..

-costumava ser, mas agora você é uma mulher feita, desapegada, que tem uma carreira séria, uma filha e está amando.. o que muda, absolutamente tudo -diz me fazendo bufar -Camila? Presta atenção..

-Eu agi como uma prostituta na cama dela.. -digo com raiva de mim -porque diabos permiti tal coisa? Eu aceitei me casar com ela e.. ela me deixa sozinha -falo comigo mesmo -quando vai parar de ser tão estúpida, Camila? -murmuro sentindo lágrimas

-espera.. o que? Ela te pediu em casamento? Isso muda tudo, ela te pediu em casamento e sumiu? De madrugada te deixando no apartamento dela sozinha? -perguntou, a olhei óbvia

-Sim, Lucy, não foi formal mas.. eu disse sim e dei a certeza de que diria todas as vezes seguintes que me pedisse -digo e ela sorriu.. largo, porque ela está sorrindo?

-Lauren te pediu em casamento? Desculpe eu.. ouvi -disse Vero aparecendo na sala me olhando, revirei os olhos bufando.. -ela tá no central park -disse eufórica e levantei

-Eu disse, você sabia onde e..

-Não.. mas se ela fez isso, ela ta no central park, onde sempre ia com.. -se calou encolhendo os ombros, franzi o cenho

-Ela.. -ri sem achar graça em nada -espera.. ela armou todo um jantar romântico pra mim, me fodeu de todos os jeitos, me pediu em casamento, me fudeu ainda mais como bem quis, me deixou igual uma idiota falando da minha vida e da vida da minha filha sozinha, para as paredes porque ela não estava dando a mínima e depois de me afastar deixando claro que não me queria perto saiu do apartamento dela cujo qual eu estava, me deixando nua e sozinha, sem dizer nada, sem levar celular e sem se importar com nada, para ir ao lugar que ela ia com a ex? -ergui minha sobrancelha

-vou fingir que não ouvi isso, você idolatra seu ex e a compara com ele todos os dias e ela nunca teve esse ataque igual está tendo agora.. -a olhei incrédula

-Veronica.. -Lucy repreendeu, lágrimas rolaram por meu rosto, minha boca aberta em incredulidade, me aproximei dela ainda do mesmo jeito.

-Ele era meu marido, Verônica, o pai da minha filha, o único homem que tive na vida, nos casamos, vivemos por sete anos, sete longos anos, Verônica..

-Nick era tudo que ela tinha..

-SHAWN ERA TUDO O QUE EU TINHA, SHAWN.. ERA TUDO O QUE EU E MINHA FILHA DE UM ANO TÍNHAMOS, VERÔNICA -bradei com raiva e choro

-Você tem família, Camila, não tem um pai que te odeia muito menos uma mãe que te acha um monstro por ser lésbica.. nunca foi expulsa de casa como se fosse um lixo..

-Eu nunca.. Verônica, nunca comparei nossas vidas, nunca comparei nossas famílias, nunca comparei nossas perdas.. -me aproximei mais dela, uma lágrima escorreu por meu rosto -mas a partir de agora começo a comparar o nosso amor.


Notas Finais


Eu de TPM, ou no meu período, é óbvio que sairá drama nos capítulos kkkk
Espero que tenham tombado na primeira parte do capítulo, e tombado ainda mais aqui no final. Vou tentar voltar o mais rápido possível.. (afinal, eu sempre tento) 😉 @'s -O que é Squirt?
-É o famoso "orgasmo a jato", quando espirra.. (quem vê as indescencias da vida sabe bem do que to falando) é bem difícil de acontecer, mas acontece, tem todo um conjunto de estímulos e sensações até chegar a conseguir tal feito, não é impossível, but..

Isso vem vindo a minha mente a uns dias e decidi por Camila tendo esse espetáculo hoje, nesse hot. Foda-se mundo, achei bafonico, vi em uma fic maluca do wattpad e decidi por aqui, quem gostou muito bem, quem não gostou paciência, algo que não tenho, ainda mais na minha semana de preto (ou vermelho, no caso) kkkkkk adoro vcs bambis 🤘🏻💅🏻

Bye ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...