História Destiny - Capítulo 43


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Alexa Ferrer, Camren, Chris Jauregui, Colson Mgk, Jesynelson, Keana Issartel, Louis Tomlinson, Lucy Vives, Romance, Sasha Pieterse, Shawn Mendes, Vercy, Vero Iglesias
Visualizações 1.345
Palavras 4.684
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha soóoo quem voltou antes do prazo 😍🤘🏻
Como vão? Com seus coletes? 🙄
Boa leitura
Qualquer erro perdoem e me avisem nos comentários!

Capítulo 43 - I wanted you


Fanfic / Fanfiction Destiny - Capítulo 43 - I wanted you


Point of view Camila Cabello Mendes

-Oi.. -disse e me abraçou, abracei de volta fechando os olhos.. depois de passar duas noites e três dias na casinha das rochas em alto mar com Charlotte, pensando e isolada, colocando a cabeça em ordem, decidi agir como se nada tivesse acontecido, ela não entrou no assunto, sei disso porque nos falamos antes de eu ir, ela não se opôs e muito menos quis ir junto. -Como foi lá? -perguntou e sorriu..

-Tranquilo, cadê meu beijo? -peço, ela encurtou a distância entre nós e segurando em meu rosto selou nossos lábios, puxei sua cintura na intenção de matar a saudade que estava, mesmo chateada e confusa com os últimos acontecimentos, eu ainda a amo. Passei minha língua por seus lábios e ela afastou sorrindo.

-pronto -beijou minha testa e me soltou, soltei sua cintura ainda meio sem reação -preciso fazer uma ligação -disse e se afastou,lambi meus lábios buscando seu gosto neles e por fim assenti soltando o ar pesado pela boca.

-Mamãe? -ouvi, pisquei várias vezes, que frágil.. estúpida. -olha.. -sorriu e me mostrou um desenho, três meninas palitos de vestidos, flores, um sol, nuvens, árvores, e um.. anjo?! Tinha uma auréola e estava perto das nuvens, isso tinha desenhado na folha do seu caderno de desenho -você, a mamãe Lo, eu e o papai -apontou no desenho, o papai era o anjo.. a peguei no colo e a abracei beijando sua bochecha. Peguei o caderno e acariciei aquele desenho.

-Camila? -ouvi, Lauren, ergui a cabeça -tenho que..

-mamãe veja.. olha o que desenhei -disse sorrindo e ergueu o caderno, Lauren olhou

-Que lindo -disse rápido -preciso ir, nos vemos amanhã? -franzi o cenho

-não quer saber quem desenhei, mamãe? -Charlotte perguntou, Lauren olhou o desenho novamente

-ahn.. eu, você e sua mãe? -perguntou e Charlotte sorriu assentindo

-sim, e esse aqui é um anjo, que é o meu pa..

-Ótimo, querida, porque não desenha um cachorrinho? -sorriu e Charlotte abaixou lentamente o caderno olhando o desenho -certo, nos vemos depois -disse e ia saindo

-Para onde vai? -pergunto, ela me olhou confusa

-tenho um compromisso -disse simples

-achei que fosse ficar essa noite, não nos vimos a três dias..

-porque você viajou.. e desculpe, tenho uma coisa importante pra fazer -e então saiu me deixando estática.. a olhei sair da sala sumindo das minhas vistas

-mamãe? Pode arrancar essa folha? -a olhei e tentei me recompor

-quer guardar o desenho em outro lugar? -pergunto e puxo a folha, ela olhou a mesma e amassou, abri a boca assustada -Charlotte o que está fazendo? -pergunto pegando a folha amassada.

-vou desenhar um cachorrinho -sorriu fraco e se ajoelhou em frente a mesinha de centro pegando um lápis.. eu estava estática, ri amarga e marchei saindo da sala, passei rápido pelo hall de entrada e avistei Lauren abrindo a porta do carro.

-Lauren -chamo e fui ainda mais rápido até ela, bati a porta do carro e a prensei no mesmo -escuta aqui.. você pode fazer o que for, pode ser estúpida quanto quiser, comigo, porém nunca com Charlotte.. me ouviu Lauren? -pergunto, ela me olhava sem piscar, coloquei a bolinha de papel em sua mão e virei as costas voltando para dentro de casa sem ao menos olhar para trás. Fui até minha filha e ela desenhava.. respirei fundo me recompondo, me abaixei ao seu lado sentando no carpete em frente a lareira e ela continuou concentrada, ela desenhava bem, pois realmente parecia um cachorrinho o que desenhou, pintava-o com manchinhas marrons, acariciei seus cabelos. -Porque não desenha nossa família, hum? -pergunto e ela sorriu, então começou fazer uma boneca palito, fez uma.. calça, então pintou de preto, fez um sapato pontudo com o mesmo, então pegou um vermelho para.. esperei, uma blusa, sorri, fez os cabelos, e com o marrom também fez os olhos. -essa sou eu? -pergunto e ela assentiu -nossa, estou tão linda aqui, tem certeza? -ela riu

-sim, mamãe, você fica linda de vermelho -diz e me surpreendi, beijei seu narizinho.

-você acha? -pergunto ainda surpresa porém feliz, Charlotte tinha essa facilidade de me fazer feliz com tão pouco.

-acho.. -disse dando de ombros, ri baixinho e fiquei observando ela se desenhar agora, pois a bonequinha era pequena, amava ver seu jeitinho fofo canhoto de pegar no lápis. -mamãe? -chamou depois de um tempo, olhei seu desenho novamente e tinha um.. túmulo. Ao meu lado. -queria ir ver o papai, pode me levar? -engoli seco, ela não me pedia isso a meses.. na verdade, desde que Lauren apareceu não vamos lá.

-Agora? -pergunto e ela suspira, me olha com os olhinhos cheios

-Sinto a falta dele.. -sorriu fraco, eu lutava para não fraquejar -ele te fazia feliz, sempre. Lembro de você sorrir sempre -disse me surpreendendo, ela tinha um ano, não pode se lembrar de algo assim, porém.. -vou pedir ao papai do céu quando for dormir que eu possa sonhar com o meu papai no meu aniversário -sorriu com o narizinho vermelho e duas lágrimas já haviam escorrido, antes de dormir, todas as noites, Ally fazia uma oração com Charlotte, é bonito e creio que exista sim um Deus, lá em cima, cuidando da gente.

-Você não quer.. uma festa? -ela olhou o desenho.

-Quero o papai aqui, mamãe.. -disse me fazendo respirar fundo controlando meu choro.

-faça uma oração, peça para vê-lo. O que acha? Aposto que ele ta feliz pela mocinha dele estar crescendo -digo e ela sorriu

-Ele iria gostar dos meus desenhos, não é? -aquilo me atingiu -mesmo se fosse feio.. -murmurou -a Lauren não gostou do que eu fiz porque..

-Ela só.. -a interrompi

-vocês terminaram? -continuou -eu vi você chorando, muitas vezes e não dormiu a noite, não vi ela beijar você como fazia antes de ir embora -eu estava sem ação, as palavras sumiram da minha boca -achei que ela fosse ser mesmo minha mamãe..

-ela é, meu amor, ela só está muito ocupada -digo e ela me olhou -nos beijamos antes de entrar na sala, por isso ela não me beijou novamente antes de sair -digo e ela me olhou -ela ama você.. não fica triste -digo e ela assentiu

-Eu também amo a Lauren.. -ela não a chamou de mãe e meu coração deu um solavanco.. silêncio.. até que ouvi um soluço, não era Charlotte, olhei para trás e Lauren estava ali, com a folha de papel na mão, então saiu, levantei e corri atrás dela, antes de alcançar a porta eu a puxei

-Hey.. -digo, seu rosto estava vermelho, lágrimas rolavam

-Eu vacilei com a Charlie, ela é tudo na minha vida, Camila, ela não pode me desconsiderar, ela é tudo.. tudo pra mim, me desculpa, por favor -a abracei

-Shhh -digo sentindo seu choro contra meu peito, seu rosto enterrado em meu pescoço, seus braços firmes em minha cintura -ela só está confusa, nós a confundimos, pode ir lá até ela e desenhar com ela, ela é pura demais para guardar mágoas, irá esquecer em minutos… fique aqui conosco, ligue para Jesy e remarque o que tinha, ou se é importante vá e depois..

-Não.. posso remarcar, eu ia sair com uma amiga -disse e foi como um soco, ela ia saindo daquele jeito por causa de uma amiga? Causou tudo isso por causa de uma amiga? Me tratou como tratou porque ia se encontrar com uma amiga? Afastei lentamente, eu não podia acreditar.

-va.. amanhã fala com Charlotte, ela aprende lidar com isso -digo séria e me viro porém ela me puxa

-Camz.. -ri me virando

-Camz? Ainda sou a Camz pra você? -pergunto e ela franziu o cenho -Lauren.. lembra da última noite que ficamos juntas, hum? Lembra do que aconteceu? Do que me pediu? -ela fechou os olhos suspirando -o que eu respondi, Lauren? -questiono -você sumiu, me deixou sozinha, no meio da madrugada, sumiu o dia todo, não me deu a mínima quando disse que iria ficar fora..

-Eu precisava de um tempo

-me dissesse, caramba -esbravejo e ela suspirou se aproximando

-Vida.. -soltei uma risada -para.. -segurou meu rosto com uma mão e o puxou -eu te amo, Camila.. o que mais almejo na vida é me casar com você -ergui minha sobrancelha -só não acho que eu seja o melhor pra você..

-Ah, você acha? -pergunto e ela bufou

-Camila, o homem que se diz meu pai, é capaz de qualquer coisa e.. ter a certeza de que ele sabe do nosso relacionamento.. -negou com a cabeça -ouvir ele dizer sobre você.. Charlotte.. eu não..

-Como é? Ele falou com você? -ela desviou o olhar -Lauren.. céus.. há quantos anos você não vê o seu pai, não fala com ele.. porque não me disse? -pergunto e ela suspira

-Porque ele é um porco, Camila, não a quero perto dele

-Já nos conhecemos, Lauren, ele é o gerente geral do banco central de Manhattan -digo -ele já foi um dos.. na SM -digo e ela deu um passo para trás -antes de tudo mas enfim.. -digo

-Enfim? Achou que eu não queria saber disso? -ri

-Achou que eu não queria saber sobre ele ter aparecido novamente na sua vida? -pergunto de volta e ela engole seco -o que ele queria? -ela bufou -fala comigo, funciona assim, Lauren -digo, seu olhar ficou vago, sem foco

-Queria saber como eu estava, dizer que tem acompanhado minha carreira, que fiquei uma bela mulher, que ao contrário do que pensou eu me tornei alguém digna, mesmo sendo gay, ele até sente orgulho de mim por ter acertado estando com alguém como você.. riu e ainda disse como se estivesse realmente orgulhoso, tem até uma família, sabe? São lindas juntas, com a pequena Charlotte então.. deixando-as como uma bela família de capa de revistas. -engoli seco e uma lágrima desceu por seu rosto

-Lo.. -ela negou

-o que ele quer, Camz? Dinheiro? Fama? O que? -questionou, parecia uma garotinha, sua feição me fez lembrar de quando sai do seu colo e a deixei sozinha, na noite em seu apartamento, a olhei antes de entrar no corredor rumo ao quarto e era essa expressão em seu rosto.. de garotinha assustada, abandonada e em busca de amor.

-Presta atenção.. -digo segurando seu rosto -eu amo você.. -digo -amo com a minha vida e.. não me faz ter que viver sem você, se ele quer algo, vamos dar corda a ele e quando ele cansar, o pegamos, descobrindo tudo, porque só agora? Tem algo, conhecendo seu nível interesseiro e ambicioso, deixe-o, estarei aqui, com você, por você, do seu lado, te protegendo e amando você, mesmo quando age como uma estúpida. -ela sorriu e me abraçou

-me perdoa, minha vida -disse -me perdoa -suplicou e então.. tomou meus lábios em um beijo cheio de saudade.. de anseio, de amor.. era esse beijo que eu queria mais cedo quando pedi a ela que me beijasse, sua língua me causa diversas sensações.. indescritíveis.

-Ops -ouvimos, sorri contra os lábios da minha mulher idiota, e com um selinho afastei, Char estava envergonhada, a chamei, suas bochechas estavam vermelhas.. Lauren beijou e a olhou

-Perdoa a mamãe por ser idiota? -ela assentiu imediatamente -eu te amo, filha.. -disse com os olhos cheios

-Eu também amo você -disse e Lauren deixou lágrimas cair.

-Eu não sou sua mamãe mais? -perguntou com a voz embargada, Char fez uma carinha entortando a boca.

-está magoada com ela? -sussurro e ela assentiu triste -porque? -continuei o tom de voz mesmo sabendo que Lauren ouvia

-Porque ela te fez chorar, outra vez, ela prometeu não fazer mais, mamãe.. não posso deixar as pessoas machucar você, porque é tudo que eu tenho -engoli seco e ela me abraçou, ouvi seu fungar.. suspirei olhando Lauren que deu passos para trás mantendo a cabeça baixa.

-Eu errei, errei novamente, e certamente irei errar mais e mais porém eu amo vocês.. só preciso parar de fugir, eu sei.. -suspirou, fungou -me desculpa, Charlie, a Lolo é uma estúpida -disse com uma carinha.

-Porque não abraça ela, hum? -pergunto em seu ouvido, ela me olhou, tinha um bico

-ela não vai te fazer chorar mais? -pergunto e suspirei

-provavelmente sim, mas se a cada vez que a noite eu chorar, ao amanhecer ela estiver aqui, me amando, já vale a pena, meu amor.. porque ela é tudo que eu amo, você e ela é tudo o que vivo. -Charlotte sorriu e acariciou meu rosto com seus dedinhos

-Charlie? -chamou -desculpa a Lolo.. você não entende, mas a Lolo é toda errada e cheia de problemas -disse se aproximando

-Todos têm problemas, Lolo e não significa que temos que descontar nos outros.. é difícil até pra mim que sou criança -disse, eu sempre.. me surpreendo com seus pensamentos, sua inteligência, seu jeito de se impor. Verdadeiramente uma Mendes, que orgulho dela ele teria.

-Por isso mesmo, eu afastei de vocês, fiz sua mamãe chorar por eu me distanciar, não queria soltar meus problemas em vocês e machucar vocês..

-mas machucou, Lolo, doeu bem aqui -apontou pro peito -eu só tenho minha mamãe, e você.. aprendi ter duas mamães, não quero ter que aprender ficar sem você de novo. -disse fazendo um bico

-Oh minha vida -disse e a puxou a abraçando -me desculpa, minha princesinha, me desculpa.. -murmurou e suspirei -eu amo você, muito.. infinito vezes infinito -disse me fazendo sorrir. Charlotte a olhou e ao me aproximar delas a vi abraçar Lauren com força fechando os olhos.

-Tudo bem você ser estúpida as vezes -disse nos fazendo rir

-Seu desenho ficou o mais lindo, irei guardá-lo em um quadro -disse e mostrou a folha amassada porém agora estava dobrada.

-ta feio Lolo, e amassado -disse e Lauren negou

-ta o mais lindo -disse e Char sorriu -quero desenhar com você.. vamos? -ela sorriu largo e assentiu

-Eu fiz um cachorro, a mamãe e eu, você quer ver? -Lauren me olhou sorrindo e saiu com Char indo de volta a sala de estar

-Claro que quero, vou até te ensinar umas coisas que sei também.. você me ensina, e eu te ensino, o que acha? -a ouvi e elas sumiram da minha visão, suspirei.

-Ela é jovem e tola ainda, Srª Mendes -ouvi, Ally me olhava da escada, caminhei até la e me sentei em um degrau, ela se acomodou ao meu lado.

-Podemos resolver, todo casal passa por seus momentos, ela ainda está aprendendo isso de viver a dois, a entendo, viver sozinha, se virando desde novinha a fez ser assim.. -digo e ela suspirou

-Vejo o amor que sentem e é tão lindo -sorri -Charlotte tem estado tão diferente..

-mais criança -digo e ela sorriu sem jeito -eu sei.. tenho notado. Eu tenho mudado, sua mudança foi consequência.

-Essa mulher veio para dar vida a vocês novamente, Srª Mendes -diz e sorri

-Ela foi o fôlego de vida que eu precisava, Ally -ela sorri

-hoje entendo melhor sobre o amor, posso compreender seus sorrisos bobos pela casa, seu bom humor, seus olhares e suspiros. -disse me fazendo rir.

-está apaixonada, Allyson? -pergunto e ela corou -me conte.. -digo e ela sorriu, ainda tímida.

-Ele é um cara que conheci.. legal, charmoso, engraçado, bobo até.. -riu -estamos a alguns meses juntos, tem.. dado certo, sabe? -disse e sorri

-Sempre que quiser, fale comigo, você mora aqui, é a babá de Charlotte, mas você é muito mais que isso, você e Mary são as mulheres mais especiais daqui, você insiste em manter formalidade mas.. você faz parte da minha vida, da vida da Charlotte.. Allyson, conte comigo, não estou aquela megera insensível, eu sinto, compreendo, se precisar ir vê-lo, sair, me avise, sei que é grata por tudo que fizemos, mas.. você é praticamente da família, entende? Eu sou grata por termos você, então pode abusar um pouquinho -digo e ela sorriu

-está mesmo diferente -sorriu -obrigada por isso, senhora.

-me desculpa por tudo, as grosserias, meu jeito idiota, o amor muda as pessoas, assim como a dor, e diferente da dor, o amor melhora, está aqui o resultado. Eu a amo, Ally, me vejo sonhando em como seria casar-me com ela, em como seria se pudéssemos ter um filho, dela.. -digo e sorri

-porque não podem? -perguntou -ainda são novas, bem cuidadas, podem gerar um bebê, o mundo está moderno, podem pegar seus óvulos e colocarem nela, não entendo muito disso, mas vi que isso é possível, como se viesse de você e de alguém que escolhessem e colocar nela, para gerar, ela é mais jovem, seria mais fácil do que arriscar passar por tudo aquilo novamente que passou com Charlotte. -meu sorriso não cabia no rosto, me virei para Allyson.

-Você é um anjo.. Sabia? Você me fez pensar em algo perfeito, em algo que não havia pensado, me deu uma ideia perfeita e.. -suspirei entorpecida -enfim.. -ri comigo mesma -o tempo mostrará -digo e ela riu

-boa sorte, Srª.. Jauregui -murmurou, a encarei de pé -soa bonito -disse e sorri negando com a cabeça indo a sala, minhas mulheres estavam ali, se divertindo e eu precisava me inteirar.



Michael Jauregui ter voltado a vida da Lauren depois de onze anos, ela tinha dezesseis quando começou se virar em York, eles a apagaram de suas vidas praticamente, e ele voltar agora.. de repente? Isso estava estranho, sabendo de seus últimos feitos.. eu mantinha meus dois pés atrás, em relação a ele, sei que Lauren também, pois sua preocupação ultrapassou, ela estragou nossa noite, agiu como agiu, por simplesmente falar com ele, por descobrir que ele tem conhecimento de nossas vidas, me pergunto até que ponto de mediocridade ele seria capaz de chegar?

-Camila? -ouvi batidas na porta, Lauren.. a ouvi entrando em meu quarto e sai do closet, apenas de lingerie, ela parou me secando da cabeça aos pés, eu amava esse olhar.. amava seu desejo por mim -essa eu não tinha visto -disse se aproximando, passou as mãos por minha cintura e desceu para meu bumbum, acariciando minha pele, fiquei na ponta dos pés e beijei seus lábios

-É nova, eu comprei a algum tempo e nunca havia usado. -respondi, suas mãos mantiveram em meu bumbum -ta bom aí? -pergunto divertida e ela riu assentindo.

-gostosa.. muito gostosa essa mulher minha -disse e apertou-me contra ela, cheirou meu pescoço -cheirosa.. tem defeito não, mulher? -rimos.

-Tenho.. muitos -digo e ela suspirou

-Eu te amo com eles, mesmo eu me negando vê-los, são eles que te faz a humana que eu amo -disse me fazendo sorrir

-Já ouvi isso de outra pessoa -ela riu negando, Vero disse isso a Lucy quando revelou sobre sua história de vida, até as declarações uma pega da outra, isso que é amizade, ela colou nossas testas

-vamos jantar comigo -afastei a olhando -Liz ligou, convidando-nos para jantar -suspirei.. não é que eu não queria ir, mas eu me sentia completamente sem jeito, Christopher não gostava de mim, eu me sentia um peixe fora d’água. -por favor -pediu suplicante -tenho certeza que Charlie está com saudades do Peter

-não joga sujo, Lo -ela riu e suspirei rendida -tudo bem.. vamos nos arrumar

-Estou pronta -assenti selando nossos lábios -veste Char pra mim -peço e ela assentiu saindo.. me arrumei, confortável, iríamos apenas na casa do meu cunhado. Logo estávamos indo no carro da Lo, em direção a casa deles, ela estaciona na calçada ao lado do carro que está de fora, o de Liz se não me engano. Abriu a porta pra mim e em seguida tirou Charlotte do banco de trás na cadeirinha, fomos até a porta de entrada, Lauren tocou a campainha e foi entrando..

-Hey -disse ele, abraçou Lauren -como vai? -disse pra mim, olhando brevemente e logo pegou Charlotte -ola pequena princesa -sorriu e Char também -vem.. vamos apressar o Peter e a tia Liz, pode ser? -ela assentiu e ele foi andando com ela -fiquem a vontade -disse alto sumindo de nossas vistas, eu nunca disse a Lauren que me sinto incomodada e que reparo bem seu jeito estranho comigo, porém bem.. se Lauren for levar a sério a questão de nos casarmos, terei que conversar com ele, uma bolinha de pelo pulou em meu pé me fazendo sorrir, era o Teddy.. ele era muito fofo e engraçadinho.

-Hey, como vão? -ouvi, Elizabeth descia as escadas sorridente -desculpe deixá-las esperando -pediu sem jeito

-Sei, mas não julgo -disse Lauren divertida, Liz corou e a repreendeu com o olhar, acabei rindo ao entender

-Isso acontece, e não deve mesmo julgar, quando temos criança pequena em casa, qualquer tempo vago é uma oportunidade -digo e ela riu assentindo, porém ainda sem jeito.

-Oi titias -disse Peter descendo as escadas com ajuda do pai, sorri, ele veio até Lauren que o pegou no colo e beijou suas bochechas

-Oi lindinho -digo e ele sorriu beijando minha bochecha, olhei Char e ela brincava com o pequeno cãozinho ali

-desejam beber algo enquanto não servimos o jantar? -olhei pra Lo

-O de sempre, Chris -disse semicerrei os olhos

-Certo, pra mim então só uma água, obrigada -digo, se Lauren iria beber, eu iria dirigir de volta então..

-não quer beber um whisky? -neguei

-pode beber, eu dirijo de volta -digo e ela assentiu beijando minha testa, então saiu com Chris.

-vem.. vamos no sentar -chamou Liz nos guiando a sala da lareira, estavam conversando banalidades, eu ria e comentava uma coisa ou outra, mas estava quieta.

-Como está no trabalho, Liz? Camila é muito chata? -perguntou Lauren rindo, Elizabeth riu negando

-Não, ela é firme, como tem que ser, e eu gosto de trabalhar duro, então nos damos muito bem por isso. -sorriu me olhando e eu sorri de volta.

-isso é bom.. vocês são minha família e a aprovação de vocês, conta muito -disse sorrindo, olhei Chris instintivamente e o mesmo desviou o olhar, suspirei.. olhei as crianças, Peter tinha um olhar tão doce para Charlotte, eu o admirava, era mesmo um pequeno homem.

-Tia Mila? -chamou, me inclinei o ouvindo -sabia que eu sei pô o papa dele? -disse convencido apontando pro peito, sorri

-Mesmo? E ele já jantou? -pergunto, ele negou.

-não, mas agolinha eu pegunto a minha mamãe a hola, pa eu pô o papa dele, a senhola dexa a Char ir comigo? -assenti e ele sorriu

-deixo sim, e até eu quero ver como você cuida do Teddy, você deixa? -ele sorriu largo e assentiu seguidas vezes.

-Filho.. ja coloca o papa do Teddy, vamos servir o jantar logo e ele já fica alimentado -ele levantou rápido assentindo

-a tia Mila vai comigo, ela que vê eu po papa pa ele, mamãe, ela e a Char -disse contente, sorri pra Liz e me levantei ajeitando meu vestido, peguei na mão deles ficando no meio e ele nos guiou até a cozinha -ó, bem aqui.. ta as comidinhas dele, você pega tia Mila? Eu num acanço -disse e sorri

-aqui? -aponto para o armário e ele assentiu, abri e vi que era uma repartição só de coisas do cãozinho. -qual, meu amor? -ele afastou olhando

-Esse molho marrom e essa lata azul -disse, ele fala certinho, porém tem o probleminha com a letra r e algumas palavras, mas mínimas, peguei o que ele indicou e ele puxou um banquinho alcançando a bancada, destampou o pote e colocou a quantidade certa, depois despejou um molho de carne para cachorro e mexeu com uma pazinha, tampou tudo novamente colocando no canto da bancada onde alcançou e desceu do banquinho o guardando no cantinho, sorri -vem Char.. -segurou a vasilha com uma mãozinha e a outra puxou a de Char, os segui observando, o cachorro esperava no canto da parede -ele semple espela aqui -diz sorrindo e abaixou colocando a vasilha pro cãozinho minúsculo comer apressado, eles gargalharam da pressa do cãozinho e eu sorri os vendo..

-isso o ensina ser responsável, ele ficou tão organizado depois que arrumamos o Teddy -ouvi Liz, sorri -sempre tentamos ensiná-lo do melhor jeito, Chris o faz ser o melhor homem do mundo, eu amo o modo que ele o instrui ser -sorri

-Um pai faz toda a diferença, não é? -digo amarga.. ouço seu suspiro

-Charlotte têm Lauren agora -a encarei -mesmo se fosse um menininho, você seria o suficiente, Camila -disse e sorri

-as vezes me pergunto isso.. -ela me olhou -se serei suficiente.. as vezes penso se lá na frente ela dirá algo como.. se eu tivesse um pai.. ela sente tanta a falta dele, Liz -digo e ela piscou com os olhos cheios -Lauren é tudo que temos agora.. mas ainda sim ela não é o pai da Charlotte, é tão difícil as vezes me manter firme e explicar a ela que ele não existe mais, que ele não poderá ir a escola nos dias dos pais, temo para quando ela começar crescer e querer o pai perto, presente..

-não é culpa sua, Camila.. -suspirei limpando as lágrimas que escorreram -não é como se pudesse fazer algo.. foi um acidente -disse e assenti -e ele guia vocês, Charlotte comentou outra noite sobre Shawn ter mandado Lauren pra ela, porque ela sentia falta de mais alguém e só tinha você que trabalhava muito pra cuidar de tudo. -sorri de lado -ela é doce demais, inteligente e madura demais, Camila. Tenho certeza que quando crescer irá continuar entendendo que ele ainda está com vocês e que são sim uma família completa -afagou meu ombro, suspirei

-obrigada por isso -digo e ela sorriu negando, a abracei.. ela afagou minhas costas e suspirei -Lauren é tão feliz tendo vocês -disse ao se afastar -eu sou tão grata por aparecer, Camila, tanto na vida dela, como na minha, Charlotte na de Peter, tenho certeza que Chris também é grato por fazer a irmã dele tão feliz -soltei um riso nasal duvidando de suas últimas palavras.

-não agradeça, sempre digo a ela que quem agradece sou eu, ela me fez reviver, ela trouxe vida a mim e consequentemente a Charlotte.. -ela sorriu

-foram destinadas uma a outra, nao tenho duvidas -disse e rimos.

-Mamãe, põe na máquina, pu favô -Liz assentiu e pegou a vasilha indo até a máquina de louças, eles saíram com Teddy e eu fui atrás.

-Hey -topei com Lauren, ela me abraçou e selou nossos lábios, passei minhas mãos por seu colo, ombros, parei em seu pescoço.. -já disse que está linda? -assenti e ela sorriu -tudo bem, você está linda.. -deu de ombros

-você.. está linda -digo e ela sorriu, fiz que ia beija-la e afastei, ela me puxou de volta com as mãos em meu bumbum, mordi o lábio e ela sorriu -vê onde está Charlotte pra mim -peço e ela assentiu, beijei sua boca e ela afastou.. eu amava como ela anda perfeitamente bem de salto, como é elegante e sexy sem esforço algum.

-Laur.. -Chris apareceu, me viu e estancou no lugar

-Creio que fora ao quintal com o Teddy e as crianças -digo e ele assentiu passando por mim, estava apenas nós dois e tomei uma decisão.. puxei seu pulso -posso falar com você? -peço e ele me olha.. assustado?

-po..pode. -gaguejou -o que.. houve? -perguntou mantendo distância, dei passos para frente e ele para trás, até que bateu as costas na parede do corredor

-Qual o seu problema comigo? -questiono e ele piscou várias vezes, desconfortável, olhou pros lados -já notei que não gosta de mim, Christopher, só me diga como posso melhorar isso..

-não, não tenho nada contra você -disse me olhando, semicerrei os olhos

-Você sempre é hesitante em minha presença, mal fala comigo, sempre age estranho, recuando.. o que há de errado, Christopher? Pretendo me casar com sua irmã, não quero que nossa relação siga assim, não quero que ela note que não gosta de mim..

-Camila.. presta atenção -disse tomando iniciativa pela primeira vez, segurou em meus braços pouco abaixo do ombro -não tenho um problema com você, não tenho nada contra você, vejo que é uma mulher incrível, fico feliz por fazer tão bem a Lauren eu só.. -suspirou me soltando

-só..? -incentivo, ele parecia lutar consigo mesmo -fala Christopher.. -suplico, ele me olhou

-eu já quis você, Camila.. -abri a boca em choque, ele passa a mão pelos cabelos -eu já.. me interessei em você, quis tentar algo com você, sei de você a um tempo já e..

-por Deus.. você é casado, Christopher -solto chocada demais ao ouvir isso..

-foi antes, Camila.. -ele deu um passo e eu quem recuou agora.. -antes de me casar com Liz, antes de Peter.. eu te quis pra mim, Camila.


Notas Finais


É isso.. aposto que ninguém esperava kkkkkkk amo tombos! O que acharam?
Michael ressurgiu das cinzas na vida da Lolo, o que esperam disso? Hm-hm 🙄

Até semana que vem, meus bens kkk ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...