História Destiny - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Robert Downey Jr., Stan Lee, Tom Holland, Zendaya
Tags Romance, Tom Holland
Visualizações 318
Palavras 1.415
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 19 - Sogra


Fanfic / Fanfiction Destiny - Capítulo 19 - Sogra

 -Tom POV 

 

 Eu, meu pai, Sam e Harry fomos até um campo de golfe que havia próximo a nossa casa, antes das filmagens tínhamos muito mais tempo para vir aqui, mas agora é bem difícil. Mesmo estando frio o sol está a brilhar fortemente no céu enquanto me preparo para dar uma tacada, com uma única tacada consegui acertar o buraco.

 _Olha, não é que você não perdeu o jeito! -Harry estava apoiado no taco enquanto Sam aplaudia a minha jogada.

 _Então Tom... Você e Lana né... Ela é uma boa garota como parece? -Perguntou meu pai enquanto escolhia um taco.

 _Eu diria que até melhor. -Sorria enquanto o observava.

 _Vocês já se conheciam antes?

 _Não, eu a conheci no meet and greet na Comic Con.

 _Fico feliz que você tenha encontrado alguém para estar ao seu lado filho, só não quero que você saia na pior com esse relacionamento.

 _O que está querendo dizer? -Perguntei franzindo o cenho.

 _É o primeiro filme que ela faz... E a sua carreira está decolando agora... -Ele ficou em silêncio preparando-se para dar uma tacada. -Você não acha isso estranho?

 _Não, acha que a Lana é um tipo de aproveitadora?

 _Eu posso estar enganado...Nunca se sabe filho... -Respondeu dando uma tacada.

 _Não pai, a Lana não é assim, nós conversamos ontem à noite, ela me pareceu uma pessoa incrível. -Disse Harry.

 _Quando conhecê-la melhor, sei que vai mudar de ideia, ela é a pessoa mais encantadora e gentil do mundo...

 _Olha ele todo apaixonado... Allana e Thomas sentados em uma árvore... -Cantarolou Sam.

 _Deus, quantos anos você tem? 7? -Perguntei rindo e jogando uma bolinha nele.

 Passamos a manhã inteira jogando e rindo como fazíamos antes, eu simplesmente adorava ter esse momento com eles... 

 Quando chegamos em casa senti um cheiro delicioso de macarronada que parecia estar vindo da cozinha, tirei os sapatos e fui até lá, Lana estava de costas para mim mexendo uma panela que estava no fogo, seus longos cabelos estavam presos por um coque e ela usava um avental, me aproximei lentamente e a abracei dando um beijo em sua nuca.

 _Tom! Você me assustou! -Reclamou mesmo rindo.

 _O que está aprontando? -Perguntei olhando por cima de seu ombro.

 _Macarronada... 

 _Está com um cheiro ótimo... -Sussurrei em seu ouvido, pude sentir seu corpo se arrepiar. -Quer ajuda?

 _Não, quero que você saia e me deixe cozinhar quieta.

 _Tudo bem... 

 Antes de sair peguei um pedaço de pão que estava sobre o fogão e molhei no molho.

 _Tom! 

 _Nossa... Está muito bom... -Disse enquanto mastigava um pedaço.

 _Sai daqui criança! -Lana me bateu com o pano de prato fazendo ambos rirem.

 Enquanto o almoço não ficava pronto fui até o quintal brincar com a Tessa e o Paddy que a essa altura já estava 90% terra. Não demorou muito para a minha chamar ele para ir se limpar dizendo que o almoço estava quase pronto, dei um último carinho nas orelhas de Tessa e entrei, lavei as mãos e fui encontrar com todos na mesa. Ela estava farta como sempre e o cheiro estava maravilhoso.

 _Lana essa macarronada está divina! -Disse a minha mãe enquanto levava uma outra garfada para a boca. -Você precisa me passar a receita!

 _Méritos a minha mãe, ela que me ensinou a cozinhar e pode deixar que antes de irmos eu anoto a receita.

 _Vocês vão voltar que horas? -Perguntou Harry.

 _Depois do almoço, é que vamos passar na casa da mãe da Lana. -Respondi enquanto bebia do meu suco.

 _Nervoso para conhecer a sua sogra? -Perguntou meu pai com um tom cômico na voz.

 _Na verdade um pouco sim. 

 _Não precisa querido, sei que ela vai te adorar. -Lana sorriu gentilmente.

 Assim que terminamos de almoçar ajudamos a arrumar a mesa e nos despedimos de todos, enquanto eu colocava as mochilas no carro Lana brincava com Tessa.

 _Tchau Tessa. -Disse a abraçando.

 Entramos no carro e Lana foi me falando o caminho até sua casa já que eu não me lembrava direto. Depois de 1hr finalmente chegamos a casa dela, ela estava extremamente empolgada, segurou a minha mão e me guiou até a porta.

 _Mãe? -Gritou assim que entramos.

 _Allana querida! -Uma mulher ruiva apareceu de um dos cômodos a abraçando fortemente. -Não esperava ver você hoje meu amor! 

 _Como não mãe? Eu avisei que viria lembra? 

 _Ah sim... Desculpe querida... -Ela a soltou e e olhou em minha direção, engoli seco na hora. -Prazer em conhecê-lo, eu sou Anastácia Meyer, mãe da Lana.

 _Tom. -Estiquei a mão a cumprimentando tentando sorrir o mais amigável possível.

 _Vem vamos para a sala. -Disse indo na frente.

 Eu e Lana sentamos em um sofá e ela sentou no sofá ao nosso lado.

 _Mãe... Nós estamos namorando... -Lana sorriu pegando a minha mão.

 _Sério querida? Eu fico tão feliz em ver você seguindo a sua vida, tendo a sua carreira que você tanto almejou e agora um bom rapaz ao seu lado... Cuida bem da minha garotinha Tom... -Disse piscando para mim.

 _Pode deixar Sra.Meyer.

 _Que isso, pode me chamar apenas de Ana... Vocês querem um chá?

 _Eu não quero, obrigado mãe...

 _Também não... 

 _Bom, eu vou ao banheiro e já volto. -Disse Ana levantando-se e saindo.

 _Acha que ela gostou de mim? -Perguntei olhando pra Lana.

 _Tenho certeza que sim amor. -Lana passou a mão em meu rosto e me beijou rapidamente.

 Logo Ana apareceu novamente na sala com um semblante alegre no rosto.

 _Oi eu sou a mãe da Lana, seja bem-vindo viu, você aceita um chá? -Perguntou Ana sorrindo amavelmente para mim.

 _Não não, obrigado...

 _Mãe, tá tudo bem? -Lana estava com um semblante preocupado no rosto.

 _Sim, sim... Desculpe eu estou meio aérea hoje... 

 Passamos a tarde inteira conversando, até Ana levantar-se e pegar um álbum de fotografias para me mostrar.

 _Olha a Lana com o irmão dela... Tiramos essa foto no Brasil em um parque chamado Ibirapuera.

 _Olha ela tá comendo terra. -Disse rindo.

 _Vitamina pura! -Disse Lana dando risada, ela não ficava sem graça apenas se divertia com as lembranças, mas logo ficou séria quando a mãe dela virou a página.

 _Essa aqui ela tinha 3 aninhos... É ela e o pai... -A voz de Ana também ficou um pouco menos alegre.

 Na foto Lana estava cobrindo os olhos do pai dela enquanto ambos davam risada, também havia outras fotos dela com o pai e uma de quando ela havia acabado né nascer, nessa estava o pai e a mãe dela. Quando olhei para Lana ela estava chorando assim como a mãe dela, apenas a abracei.

 _A saudade dele dói não é filha... -Ana colocou a mão sobre a perna de Lana que estava deitada em meu ombro.

 _Sim... -Disse com um pouco de dificuldade. 

 _Ele teria adorado você Tom... Era brincalhão como você e me olhava do mesmo modo que você olha pra Lana... Eu nunca vou esquecer esse olhar... -Disse Ana limpando algumas lágrimas que escorriam pelo seu rosto. -Mas chega de chorar querida sabe que ele não iria gostar nada disso.

 _Tem razão mamãe... -Lana levantou o rosto e limpou as lágrimas que escorriam.

 Olhei para uma mesinha que estava ao nosso lado e vi uma foto da Lana abraçada com um garoto.

 _Quem é ele? -Perguntei apontando para o quadro.

 _O atentado do meu irmão... Em falar nele cadê ele mãe?

 _Na faculdade querida, ele tem passado mais tempo lá por causa das provas e você fala que ele é atentado, mas você não fica muito atrás não, quem foi que desafiou ele a comer giz de cera mesmo? -Perguntou Ana com os olhos cerrados para Lana.

 _Ah ele tinha me desafiado antes a beber vela derretida, eu ainda fui boazinha com ele. 

 _Meu Deus! -Disse rindo. -Você bebeu?

 _Essa burra bebeu, só colocou na boca e cuspiu, mas lá foi eu ter que levar essa criança pro hospital com queimadura nos lábios.

 _Mãe!

 _Mas é verdade amor, olha que ideia de girico beber vela! -A mãe de Lana não conseguia parar de rir.

 _Valeu mesmo...

 Logo todos estávamos rindo muito das histórias que Ana estava nos contando sobre a infância deles, já estava anoitecendo quando nos despedimos dela e fomos em direção ao hotel.

 _O que achou da minha mãe? -Perguntou Lana.

 _Ela é incrível! Muito engraçada e você e a cara dela. -Respondi sem tirar os olhos da estrada.

 _Ela também gostou bastante de você... Mas eu sei lá ela estava estranha...

 _Estranha como?

 _Nada... Deve ser impressão minha... 

 

 ...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...