História Destiny (Byulhee) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Mamamoo
Personagens Hwasa, Moonbyul, Solar, Wheein
Tags Byulhee, Hwasa, Lee Dahee, Mamamoo, Moonbyul, Moonsun, Solar, Violencia, Wheein, Yuri
Visualizações 44
Palavras 4.066
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ATENÇÃO BOIOLAS POR FAVOR LEIAM AQUI PARA EVITAR QUALQUER TIPO DE DESENTENDIMENTO
Nesta fanfic a Moonbyul vai se encontrar em um relacionamento abusivo com a Yong e eu sei que a Yong jamais seria assim na vida real tudo aqui é uma historia fictícia que NÃO conduz com a realidade.
Nada aqui em nenhum ponto será romantizado e se em algum momento vocês acharem que algo foi romantizado ME AVISEM PELO AMOR DE DEUS
E TODA VEZ QUE EU CONFIRMAR "MAS YONGSUN A AMAVA" ou coisa do tipo o que eu quero falar é que as moonsun não se amam isso é apenas a LINHA DE PENSAMENTO DA BYUL QUE AINDA ACREDITA DE ALGUMA FORMA QUE A YONGSUN AMA ELA MAS NA VERDADE FORAM SÓ OS JOGOS DA YONG PRA FODER O PSICOLÓGICO DA BYUL PRA FAZER ELA ACREDITAR NISSO EU NÃO ESTOU CONFIRMANDO QUE ELAS SE AMAM

enfim foi isso e moonsun não vai terminar junto nessa historia pq a Yong dessa fic não merece direitos

Um aviso de gatilho pra esse capitulo pois tem estupro

Capítulo 1 - Capítulo 1


—Entenda Byulyi, você é minha e somente minha! — Yongsun dizia prendendo Byulyi de forma violenta contra o colchão. Sua mão segurando o pescoço da garota com força.

Moonbyul engoliu em seco, medo preenchia cada parte de seu corpo. — Eu sou a única que te ama de verdade Byul. — Yongsun sorriu soltando o pescoço da namorada, mas agora segurava firmemente os pulsos da mesma acima de sua cabeça. Uma marca vermelha já era visível no pescoço leitoso da mais nova e em breve, seus pulsos também estariam ostentando grandes hematomas.

Com uma mão livre, Yongsun levantou a blusa de Moon e apertou com força seus seios enquanto sua boca trabalhava no pescoço de Byul mordendo e chupando com força o local.

— Desculpa... — Moonbyul sussurrou na esperança que Yongsun tivesse misericórdia, mas sabia que não iria escapar. Havia deixado Kim furiosa e ela nem sabia o motivo e Yongsun também não iria revelar. "Você sabe muito bem" Era a única frase que deixaria os lábios da mais velha caso perguntasse, mas agora, teria que sofrer as consequências e sofreria calada pois sabia que a culpa era sua e somente sua afinal, Yongsun a amava... não era?

—Yong... devagar, por favor, está machucando...- Os dedos de Kim entravam e saiam com força de sua entrada que também estava pouco lubrificada.

A mais velha não falou nada. Em quanto uma de suas mãos trabalhava, a outra apertava a cintura de Byulyi, unhas cravando em sua pele. Byulyi fechou os olhos com força sentindo outra estocada. Queria chorar pela dor.

— Eu te amo Byul, e eu vou ser a única capaz de fazer isso e você sabe. — Yongsun sussurrou contra os lábios entre abertos. — Promete que nunca vai me deixar, eu não sobreviveria sem você. —Moonbyul abriu os olhos e respondeu com um sôfrego e desesperado sim.

 

 

A manhã seguinte veio como Byulyi previu: Dores por todo seu corpo, nem saberia se iria conseguir se levantar da cama. Abriu os olhos devagar, um grunhido de dor deixou seus lábios, fechou suas pernas institivamente devido a dor causada pelas duras investidas da namorada noite passada e como de costume, Yongsun não estava deitada a seu lado. Provavelmente havia saído mais cedo novamente. Já fazia um tempo que Yong não acordava mais ao seu lado seja após o sexo ou após somente dormirem juntas e abraçadas. Byulyi sentia saudades de dormir e acordar com Yongsun em seus braços ou vice e versa, sentia saudades de ser abraçada pela namorada, mas depois de um tempo de namoro, Yongsun parou de com essas ações. Se a mais velha estivesse de bom humor hoje, talvez perguntaria a ela.

Moonbyul pensou que talvez Yongsun não estivesse ficando mais tempo na cama com ela pela manhã por conta da faculdade.

Com esforço se levantou da cama com alguns gemidos de dor e assim que se sentou, pode ver de relance as marcas que agora tinham tom vermelho e roxo, podia ainda ver um pouco das marcas dos dedos de Yongsun juntamente a cinco marcas em forma de meia lua formadas pelas unhas da mesma. As marcas pareciam estar prestes a sangrar.

Suspirou e se levantou indo em direção ao banheiro, talvez um banho morno a faria se sentir melhor. Assim que entrou no chuveiro, sentiu seu corpo relaxar.

Saiu do chuveiro e tirou um momento para se olhar no espelho e suspirou um pouco assustada: Olheiras fundas eram visíveis a baixo de seus olhos, marcas vermelhas e roxas decoravam todo os eu pescoço, peito e perto de suas clavículas.

Moonbyul levantou sua mão direita tocando as marcas furiosas em seu pescoço sentindo o local dolorido, seus pulsos também estavam marcados, grandes marcas vermelhas em formas de dos feitas pelas mãos fortes de Yongsun.

Byulyi suspirou mais uma vez procurando pelas gavetas do banheiro seu pequeno estojo de maquiagem procurando pelo tubo de corretivo—que estava sendo bastante usado.

Pegou a embalagem e espremeu um pouco do liquido pastoso em deus dedos espalhando por todo seu pescoço cobrindo as marcas. Dessa vez foram necessárias duas camadas, Yongsun havia deixado mais marcas do que da ultima vez e mais fortes também.

Quando se deu satisfeita saiu do banheiro e vestiu uma calca jeans e uma blusa estampada caso a maquiagem sujasse o tecido, a estampa poderia esconder possíveis manchas, porem vestiu um casaco para tentar esconder as marcas da noite passada.

Decidiu sair e tomar café no caminho para a faculdade então pegou sua bolsa jogando pelo seu ombro e saiu de casa às pressas.

 

 

— Bom dia gente... — Byulyi cumprimentou as amigas com um sorriso fraco e se sentou em uma das cadeiras de uma mesa que ficava no pátio coberto da faculdade. Wheein e Hyejin se entreolharam para a garota cansada segurando um copo de café se jogar na cadeira esfregando seus olhos.

—Bom dia Byul... —Wheein cumprimentou de volta.

—Byul —Hyejin começou

—Sim?

— Estamos no início do verão... por que você está usando um casaco? — Moonbyul coçou sua nuca com um sorriso nervoso.

— Senti que queria usar. —Deu de ombros. Wheein se aproximou mais de Byulyi e pode ver com mais clareza a maquiagem em seu pescoço e suspirou.

— Ela de novo?

— Quem?

— Moonbyul não se faça, você sabe do que eu falo. —Hyejin disse firme fazendo Byulyi desistir.

—Sim... — Wheein pegou cuidadosamente o braço de Byulyi e levantou a manga do casaco revelando a marca vermelha.

— Byul... Dói em algum lugar?

—Meu corpo está um pouco dolorido apenas. —Disse como se não fosse nada. —Mas eu meio que mereci...eu deixei a Yong brava...

—Não, você não mereceu! — Hyejin rebateu. Ambas as amigas viviam relembrando Byul de que o que Yongsun estava fazendo a ela não era bom, o relacionamento não estava saudável e que deveriam terminar, mas toda vez que esse tópico vinha, Byulyi entrava em pânico com medo de terminar com Yongsun e ela terminar a vida dela. Hyejin e Wheein sabiam o quão fundo o estrago havia chegado. 

—Byul, você dormiu pelo menos ou ela foi até o amanhecer de novo?

—Ela parou pelas 5 da manhã... mais ou menos... — Hyejin esfregou as têmporas. Se não fosse por Wheein, ela já teria matado Yongsun com as próprias mãos. Wheein havia percebido as olheiras no rosto da mais velha e tudo que pode sentir foi raiva, pena e desgosto.

— Unnie, vem aqui... —Wheein puxou sua cadeira para o lado para que Moonbyul pudesse colocar a dela próxima a sua. — Temos algum tempo antes da aula começar e você deve estar exausta e é capaz de você acabar dormindo no meio da aula. — Byulyi juntou as sobrancelhas em confusão colocando sua cadeira ao lado de Wheein. 

— O que você quer dizer com isso? — Wheein de endireitou na cadeira e deu leves tapas em seu ombro. 

— Deita, tira um cochilo…

— Tem certeza? 

— Sim Byul, vai te fazer se sentir um pouco melhor já que não dormiu o suficiente e a Hyejin te acorda quando for a hora de entramos para a sala. — Moonbyul deu um pequeno sorriso para a amiga e deitou sua cabeça em seu ombro ficando confortável e logo fechando os olhos.
Para a surpresa do casal, Byulyi pegou no sono rápido.
— Ela deve estar tão desgastada… — Hyejin disse baixo. Moonbyul abraçou o braço de Wheein afundando seu rosto no pescoço da mesma.

 

Yongsun estava indo para a sala de Byulyi para conversar com a mesma quando viu a namorada deitada no ombro de Wheein. Seu sangue ferveu.
Ela já havia dito a Byulyi que não queria mais a ver com as amigas.
Yongsun ficou para a na porta de braços cruzados observando o momento entre Byul e Wheein e logo Hyejin notou a presença Yongsun e Wheein não demorou muito para perceber que a garota estava a porta.
As três faziam uma troca de olhares intenso e Wheein colocou uma mão sobre a de Moonbyul instintivamente de forma protetora. Yongsun desistiu do jogo de encarar e saiu dali.
Resolveria as coisas assim que chegasse a hora do almoço.

 

Byulyi acordou depois de alguns minutos com leves batidas em seu ombro dados por Hyejin.

Moonbyul percebeu que abraçava o braço da amiga e pediu desculpas por impulso e Wheein apenas disse mais uma vez que não precisava pedir desculpas. Byulyi havia sonhado que estava abraçada a Yongsun em sua cama enquanto a mais velha fazia carinho em seus cabelos. Acordar daquele sonho e perceber que não era real, enchia seu peito de dor. Estava com saudades de sua namorada.

Ao fim do primeiro período, Byulyi guardava seus materiais, mas foi interrompida brevemente com um chamado de sua professora. 

—Byulyi, temos alunos da monitoria hoje? — Lee Dahee, a professora perguntou.

Byulyi fazia parta da monitoria que foi também uma iniciativa da mesma. Teve a ideia para ajudar os estudantes com as matérias e a ideia foi bem aceita pelos professores.

Moon era uma das alunas mais inteligentes de sua sala, se não de todo o curso, suas notas sempre altas e o jeito que era simpática. Moonbyul era uma borboleta social, introvertida, mas conseguia fazer amizade com todos no final. Sua personalidade amigável, seu jeito passivo e calmo funcionava como um imã, a confiança que passava para as pessoas ao seu lado e o fato de sempre cuidar os outros faziam as pessoas confiar em si, mas um de seus maiores defeitos era: colocar os sentimentos dos outros acima dos seus.

— Sim, Yooa queria tirar umas dúvidas, então vou aproveitar esse tempo do almoço para ajudá-la. — Sorriu fraco fechando sua mochila. Dahee estava preocupada com o estado de Moonbyul. A mesma parecia doente.

— Você está bem Byulyi?

— Sim, sim, foi só uma noite mal dormida. — Em partes não mentiu. —Eu já vou indo.

— Tudo bem — um pequeno sorriso surgiu nos lábios de Dahee —Depois, passa na sala dos professores para terminarmos de discutir sobre a monitoria.

—Passarei! — Byul lançou um sorriso para a professora e saiu da sala fazendo a mais velha espelhar seu sorriso. Dahee odiava quando a perguntavam se ela tinha algum aluno preferido, mas tinha que admitir que possuía um carrinho especial por Moon.

Byulyi andava com passos rápidos pelos corredores, sabia que se demorasse mais tarde, Yongsun ficaria brava.

— Yooa! — Byul segurou os ombros da garota a sua frente lhe dando um susto.

— Unnie! Você quase me matou do coração! — Yooa respondeu fingindo estar brava.

—Desculpa. — Yooa deu um abraço rápido em Byulyi. —Vamos então? Temos muita coisa para ver. — Yooa entrelaçou seu braço ao de Byulyi e foram para a biblioteca.

 

 

—Onde está Byulyi? — Yongsun disse autoritária batendo com força na mesa onde Hyejin e Wheein estavam sentadas. Nenhuma resposta — Não me façam repetir. — Disse firme. 

— Eu não sei Yongsun. —Hyejin respondeu seca.

— Como assim não sabe? Não era ela dormindo no seu ombro mais cedo? — Direcionou sua fala a Wheein. — Eu já falei que não quero que perto de vocês. Ela já tem a mim e não precisa de mais ninguém.

— Ela estava dormindo do ombro da Wheein hoje porque você não a deixou dormir — Hyejin cerrou os dentes e quem via poderia dar o palpite que a mesma estava prestes a pular no pescoço da mais velha.

—Amor, calma... — Wheein sussurrou no ouvido da namorada e voltou sua atenção para Kim. —Você deveria saber a essa hora se não estivesse com você, ela estaria na monitoria. — Yongsun estreitou o olhar e saiu do local pisando com raiva. Hyejin passou as mãos em seus cabelos frustrada.

— Calma, Byul ainda vai deixá-la. Discutir com Yongsun não vai ajudar em nada.

— Então por hoje é só. — Moonbyul sorriu fechando os cadernos.

— Obrigada Byul, eu estava precisando mesmo de ajuda nessa matéria.

—Caso tenha alguma dúvida, pode mensagem. —Moonbyul completou enquanto ambas saiam da biblioteca. Yongsun esperava do lado de fora ao lado da porta e braços cruzados e a expressão não muito satisfeita fez um calafrio subir pelo corpo de Moon.

— Até mais unnie! — Yooa acenou saindo do local e fez uma reverência para Yongsun que respondeu com um sorriso, mas logo voltou a sua expressão séria. Byulyi engoliu o nó em sua garganta.

—Hey, Sun...—Sorriu para a namorada.

— Por que está de casaco? 

— Eu... só...queria usar um, apenas isso.

— Então tire.

— Mas...

— Não me ouviu? — Moonbyul se encolheu e tirou sua bolsa de seu ombro colocando no chão e tirou o casaco revelando as marcas ainda em seus pulsos e um pouco do roxeado em seu pescoço, já que um pouco da maquiagem havia saído.

Yongsun segurou com força o braço de Moonbyul praticamente a puxando para fora do prédio. Kim segurava com força o suficiente para deixar mais uma marca na pele branca de Byulyi.

—Yong...me solta está doendo... — Isso fez o aperto de Yongsun ficar mais forte. Os corredores estavam vazios devido ser horário de almoço. Moon sabia aonde Yongsun estava a levando; para atrás do prédio.

Yongsun jogou Moonbyul com força contra a parede.

—Yong, o que houve? — Byul disse quase em um sussurro.

— Eu já te disse que não queria te ver mais com aquelas duas. Você sabe que elas  não gostam de você de verdade, não é? Elas só querem me afastar de você Byul.

— Elas não querem Yong, elas... — Yongsun segurou o queixo de Byulyi com força e lhe deu um beijo com a mesma intensidade.

 

 

—Oh Yooa.

—Professora? —Yooa sorriu desviando de seu caminho e indo até Dahee. —Aconteceu algo?

— Byulyi estava com você agora a pouco, não é? Eu a disse que assim que terminassem para ela vir a minha sala, mas ela não apareceu ainda. —Disse preocupada.

—Quando estávamos saindo da biblioteca, Yongsun estava esperando-a na porta. Provavelmente ela foi com ela. — Yooa disse pensativa.

— Entendi... elas namoram certo? —Yooa confirmou. —Você tem alguma ideia de onde possam estar?

—Bem, geralmente os casais vão para atrás do prédio para namorar, talvez estejam lá. 

—Obrigada Yooa. 

—De nada. 

Dahee caminhou até o local que Yooa havia lhe informado e durante o caminho organiza seus pensamentos do que iria conversar com a aluna até escutar uma voz gritar a medida que se aproximava.

— E aquela garota que estava com você? 

— Ela é apena suma aluna da monitoria...

— Eu vi o jeito que ela te olha Byulyi! Eu não sou idiota! Você acha que ela quer algo mesmo com você?

— Não, Yong não é isso... — Não pode terminar

— Ela só quer te usar Byul, ela não quer ser sua amiga por que você é legal ela só te quer na cama dela! Ou é isso que você quer também? 

— Yong, por favor não! Não é isso! —Sua voz saiu trêmula. — Yooa é apenas uma amiga, uma aluna da monitoria e eu não posso parar de falar com ela. — Yongsun juntou as sobrancelhas, aquele olhar que fazia Byul tremer. Yongsun segurou o braço de Byulyi novamente e levantou sua mão livre. Byulyi se encolheu e fechou os olhos sabendo o que viria.

— Estou interrompendo algo? — Uma voz familiar disse e Moonbyul abriu os olhos ainda assustada. Yongsun desviou seu olhar para a mulher que havia interrompido. Dahee havia escutado o suficiente e correu até o local antes que pudesse ficar pior. — Estava procurando por você Byulyi. —Yongsun soltou o braço de Moonbyul que ainda estava em pânico. — Eu a pedi que viesse a sala dos professores após a aula da monitoria, mas ela não apareceu então me disseram que estaria aqui.

— Desculpe. —Byulyi fez uma reverência. 

—Tudo bem, está tudo bem falarmos agora? É realmente importante. —Dahee alternou o olhar entre Byulyi e Yongsun enquanto Byulyi olhava para a última. 

— Terminamos isso em casa. — Yongsun sussurrou no ouvido de Byulyi deixando a mais nova ir.

—Vamos? 

— Sim. — Moonbyul pegou sua mochila e seguiu Dahee até dentro da faculdade. Moonbyul sentiu uma dor imensa em seu peito e uma vontade avassaladora de chorar.

 

Assim que chegaram na sala dos professores, Dahee abriu a porta da sala deixando Byulyi entrar e entrou logo em seguida fechando a porta. Ao se virar para a mais nova Moonbyul continuava parada sem sua frente. 

—Byulyi? — Antes que pudesse perguntar mais alguma coisa, Moonbyul segurou em sua blusa e afundou o rosto em seu peito. — Moon? —Um soluço alto, Byulyi não segurou mais e desabou, chorava alto, lagrimas desciam pelas suas bochechas e não conseguia segurar sua voz em sua garganta. Moonbyul chorava de dor, cansaço, ódio de si e confusão. Dahee não sabia o que fazer, mas o mínimo que havia presenciado mais cedo podia ser também a causa dela não estar vem durante a manhã e durante os outros dias. Lee havia percebido a diferença no comportamento da mais velha durante aquele ano. Dahee pensou em abraçar Moonbyul, mas mudou de ideia caso a mais nova não respondesse bem ao contato.

Dahee conseguiu levar Byulyi até o sofá que havia na sala e se sentou com ela, Moonbyul continuava a chorar até que caiu no sono em seu colo. 

A professora pegou o casaco de Moonbyul para cobrir seu corpo devido ao ar condicionado estar gelado dentro do local e assim que pegou o caso pode reparar nas marcas no corpo de Byulyi; marcas em seu pulso, seu pescoço e em sua cintura - que estava um pouco exposta pela blusa ter levantado, e agora, uma nova em seu braço. A boca de Dahee estava aberta em choque, as marcas pareciam frescas. Ser A aquele o motivo de não ter dormido noite passada? 
Dahee sabia que algo estava estranho desde quando soube que Moonbyul havia começado a namorar.
Sempre foi introvertida, mas fazia amizades rápidas, parecia sempre saudável e radiante, estava no meio, sempre participava bastante das aulas e suas notas sempre em cima, mas depois que começou a namorar Byulyi não parecia mais tão radiante, passou a se sentar no fundo, usava casacos com mais frequência, olheiras fundas eram bem visíveis, não interagia como antes com os alunos, não passava muito tempo com suas amigas como antes e suas notas tiveram uma queda não muito perceptível, mas havia uma queda ali. Byulyi havia também perdido peso. Dahee levou sua mão esquerda aos cabelos coloridos de Byulyi e fez um leve carinho ali e imaginou como estava sobrevivendo a tudo aquilo, como estava junto a Yongsun e agora temia o que Yongsun faria a garota.

A sala dos professores se encontrava em profundo silêncio, apenas a respiração pesada de Byulyi podia ser escutada e nada acordaria a menina.

A porta havia sido aberta devagar desviando o olhar da mulher para quem estava entrando e suspirou aliviada ao ver que era Yeeun.

— Dahee? O que faz aqui e quem é essa? É uma aluna? Ela não deveria estar em aula? Por que a deixou dormir em seu colo? — Dahee colocou seu indicador na frente de seus lábios pedindo para que sua colega de trabalho fizesse mais silêncio. 
 
— Ela está em uma situação delicada… ela não estava bem para voltar… — Yeeun estava confusa. Dahee lhe mostrou alguns dos machucados que marcavam sua pele e Dahee explicou que a causa era Yongsun a namorada de Byulyi. — Não se preocupe, eu já mandei uma mensagem para os outros professores avisando que ela não se sente bem e que estou com ela.

— Bem que eu percebi que Byulyi estava diferente…

— Eu também…

— Você acha que ela pode estar abusando de Byulyi?

— Bem, sim, mas eu não sei o que posso fazer, não sei como o relacionamento das está...Byulyi Não parece ser alguém que é facilmente influenciável, mas parece que Yongsun conseguiu…

— O que pretende fazer?

— Protegê-la, não me importa como, não sei como vou fazer isso, mas eu preciso ajudá-la a sair desse relacionamento é preciso proteger Byulyi… ela tem um coração bom demais e Yongsun está se aproveitando disso eu tenho certeza… — Yeeun arqueou uma sobrancelha devido a determinação da mais velha. Pensou que Dahee não faria nada do tipo por nenhum outro aluno, mas estava fazendo por Byulyi o que somente confirmava que talvez, Dahee sentisse algo a mais pela aluna, mas não disse nada.

Moonbyul acordou algumas horas depois de seu longo cochilo e estranhamente foi o melhor sono que havia tido em meses, talvez seja pelo fato de ter chorado toda a dor que tinha em seu peito, mas onde estava agora? Sentiu estar deitada em algo macio e quente, um perfume conhecido. Logo as lembranças de mais cedo voltaram a rondar em sua mente, havia indo com Dahee para a sala dos professores e chorado por conta de Yongsun. Dahee? Yongsun? Byulyi se levantou num pulo dando de cara com a professora que havia lhe oferecido colo.

— Boa tarde Byulyi. —Dahee sorriu.

— Boa...que horas são? — Disse desesperada. —Meu deus as aulas! E eu dormi no seu colo me desculpa! Mil desculpas! —Moon se levantou cambaleando e fez inúmeras reverencias. —Meu deus a Yongsun deve estar me procurando em todo lugar. —Dahee percebeu que Byulyi estava entrando em pânico.

—Ei, ei, calma. —Lee se levantou segurando s ombros de Moonbyul. —Eu que deixei você dormir em meu colo, você estava tão... — Vulnerável, frágil — Cansada... eu comuniquei os outros professores que não estava se sentindo bem e provavelmente Yongsun deve ter recebido a mensagem também.

—Ela sabe que estou aqui? —Seus olhos se arregalaram em desespero. — Que horas são? E ela foi para minha casa e não me encontrou lá? Ela vai me matar...

— Calma, ok, respira... — Moon respirou fundo alguma vezes. — Tudo bem?

— Eu acho que sim. — Moonbyul percebeu que sua garganta estava seca, e as frases de desespero só faziam sua garganta arranhar mais ainda, também uma forte dor de cabeça a lembrou que estava presente.

— Vou pegar um copo de água para você beber. — Dahee se afastou e Byulyi se sentou novamente no sofá, suas pernas juntas e suas mãos sem eu colo, seu corpo estava completamente tenso. —Não se preocupe ainda está no horário de aula, tem tempo de você ir para casa e sua namorada não desconfiar que passou a tarde aqui. — Voltou para onde Byulyi estava lhe entregando o copo com água. —Beba.

Byulyi pegou o copo em mão agradecendo e bebeu tudo em um gole só fazendo Dahee dar um pequeno sorriso. Dahee queria perguntar mais coisas a Byulyi, mas sentia que aquele não era o momento, ela não queria ser invasiva, mas Byul estava em perigo e ela sentia que tinha que ajudar. Não podia deixar Moonbyul sofrer desse jeito.

—Você... —Byulyi interrompeu os pensamentos da professora. —Viu algo... ouviu... —Dahee foi pega de surpresa.

— Byulyi eu... — Respirou fundo. —Eu não gosto do jeito que a Yongsun te trata, eu não tolero tal tipo de comportamento. — Byul a olhava confusa. — Eu não vou tolerara que ela continue te tratando assim...eu quero ajudar você.

— Mas... — Moon não pode terminar sua fala pois havia sido interrompida por batidas na porta.

— Depois continuamos ok? Mas entenda em mento que a partir de hoje, eu não vou tolerar que ela a trate daquele jeito, não sob meu olhar.

 

Byulyi havia chegado em casa. Jogou sua mochila em qualquer canto e se jogou no sofá e pegou seu celular. Duas mensagens de suas amigas pedindo para que ficasse bem e descansasse e inúmeras ligações de Yongsun, mas ela não queria retornar as ligações, pois sabia que seria atendida aos gritos e ela só queria carinho agora. Então decidiu mandar uma mensagem.

“Yong, estou em casa, não pude continuar na faculdade por que comecei a me sentir mal...”

“Por que não me ligou?”

“Não tive tempo. Desculpa”

Byulyi começou a digita, perguntaria se Yongsun poderia ir até sua casa para ficarem abraçadas no sofá. Ela apenas queria carinho e Yongsun era sua única opção. Digitou a mensagem e enviou, mas foi respondida comum “Estou ocupada”.

Sempre que Byulyi estava no meio de algo importante e Yongsun demandasse atenção ela tinha que largar tudo, mas quando era ao contrário, não funcionava do mesmo jeito. —Talvez seja muito importante... — Byulyi sussurrou para si mesma e respondeu Yongsun com um “Tudo bem”.

Se lembrou da conversa que teve com Dahee mais cedo. Não tinha nada de errado entre ela e Yongsun, certo? Talvez tivesse um motivo para amais velha ser daquele jeito com ela... tinha? Byulyi estava muito cansada para pensar em como seu relacionamento andava, ela preferiria acreditar que estava tudo bem e que logo, Yongsun voltaria a como ela era antes com ela, voltaria a ser a Yongsun carinhosa e sorridente pela qual se apaixonou...talvez ela voltaria. Era assim que Byulyi pensava.


Notas Finais


eu sei que eu tenho a fic wheesa pra atualizar taok
feedbacks por favor irra


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...