História Destiny (Byulhee) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Mamamoo
Personagens Hwasa, Moonbyul, Solar, Wheein
Tags Byulhee, Hwasa, Lee Dahee, Mamamoo, Moonbyul, Moonsun, Solar, Violencia, Wheein, Yuri
Visualizações 34
Palavras 3.245
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


nossa eu não esperava um feedback tão bom com essa história

Capítulo 2 - Cápitulo 2


 

Moonbyul aproveitou o resto daquela tarde para organizar as coisas da faculdade e as coisas recorrentes da monitoria, mas metade de seus pensamentos sempre voavam para Yongsun.

Olhou seu celular algumas vezes na esperança de receber alguma mensagem da namorada, algum sinal de vida. Mordeu o interior de sua bochecha um pouco hesitante, queria mandar uma mensagem para Yongsun e perguntar onde estava pois estava tarde e a mais velha não havia mandado mais nada. Não era do costume de Yongsun mandar mensagens de boa noite ou bom dia, mas ela era sua namorada e Byulyi se preocupava, ela tinha o direito de lhe perguntar onde estava para ter certeza de que estava bem, não é? Além do mais, Yongsun sempre mandava mensagens ou fazia ligações perguntando onde Byulyi estava...talvez pudesse fazer o mesmo.

Pegou seu celular e abriu no contato de Yongsun, a carne do interior de sua bochecha que insistia em mastigar, já saiam pequenos pedaços de pele. Abriu o aplicativo de mensagem indo para a conversa de Yongsun e digitou com dedos trêmulos.

Não queria que pensasse que estava tentando a controlar, então digitou a frase com cautela.

“Hey Sun...está tarde e eu estou preocupada eu só queria saber onde está...só pra eu ficar mais tranquila só estou preocupada ok? Te amo”

Moonbyul enviou a mensagem e respirou fundo, ela não esperava uma resposta instantânea de Yongsun, ela nunca havia sido do tipo de responder rápido e ela sabia disso pois era assim mesmo antes de começarem a namorar. Sorriu com a breve memoria de quando estavam começando a sair e Yongsun nunca lembrava onde havia deixado o celular.

— Yeba... — Balançou a cabeça enquanto um pequeno sorriso continuava em seus lábios. Fora acordada de seus pensamentos assim que escutou o seu celular vibrar, então pegou o aparelho e seu sorriso continuou assim que viu o nome de Yongsun na tela, mas seu sorriso sumiu assim que viu a mensagem.

“Por quer saber Byulyi?”

Outra mensagem

“quer me controlar agora?”

Moon sentiu desespero, não, não era isso. Começou a digitar outra mensagem, mas Yongsun mandou outra.

“Estou no bar com alguns amigos”

Moonbyul mordeu seu lábio e respondeu.

“Tudo bem Ddun...não beba muito e cuidado quando voltar pra casa”

Byulyi esperou uma resposta, mas nada.

 

Eram quatro da manhã e Byulyi se encontraria em seu decimo oitavo sono, se não fosse pelo cheiro forte de álcool e um peso sobre seu corpo.

— Hey, Byul... acorda.  — Yongsun sussurrou nos lábios de Moonbyul que abriu os olhos um pouco fazendo uma careta por conta do cheiro de álcool que saia da boca de sua namorada.

— Yong? —Disse sonolenta. — Você bebeu demais... — Cobriu seu nariz e Yongsun sorriu beijando o pescoço de Moon. —Yong não...está tarde... por favor... —Tentou afastar a garota de seu pescoço e abraçar seu quadril tentando a fazer se deitar ao seu lado, mas Yongsun não parecia querer concordar.

— Eu não quero dormir.

— Você está bêbada Yongsun... — Fechou os olhos novamente.

—Eu quero você. —Voltou a beijar o pescoço de Byulyi.

—Mas eu estou cansada... —Se virou para o lado tentando sair de Yongsun. 

— Não me ouviu Byulyi? Eu quero você e eu quero agora. —Disse firme segurando os ombros de Byulyi com força a colocando de buços contra a cama. Não teve tempo de rebater assim que a mão de Yongsun espalmou em sua coluna dorsal a pressionando contra o colchão dificultando mais ainda que levantasse. Yongsun era forte, por mais que Byulyi fosse alguns centímetros mais alta, Yongsun era bem mais forte. Suas visitas a academia e as aulas de Box realmente surtiam efeito que deixava Byulyi em desvantagem.

Yongsun voltou a atacar o pescoço de Byulyi deixando mais marcas e uma grande mordida em sua nuca que fez a mais nova gemer de dor. Havia contrariado Yongsun e agora estaria brava e teria o que queria com Byulyi concordando ou não. Yongsun deslizou sua mão livre pelo corpo da namorada e abaixou o short de seu pijama de forma bruta e com pressa desferindo logo em seguida um tapa na pele exposta e logo massageando com força o local.

—Seja uma boa garota pra mim e fique quietinha, ok?

— Yong... — Byulyi choramingou.

 

Byulyi acordou com o barulho de seu alarme, seu corpo estava dolorido e assim que se acostumou com a claridade do quarto, abriu seus olhos devagar focando na parede branca a sua frente e então as lembranças da noite passada vieram assim que viu seus shorts, quando abriu a boca e sentiu uma dor imensa em seu lábio inferior, sua calcinha jogada pela cama e aquilo... Byulyi não gostava da ideia de usar brinquedos tanto nela quanto em Yongsun, mas aparentemente, a mais velha começou a usar aquilo ao seu favor. Byulyi virou de lado e teve a surpresa de dar de cara com as costas de Yongsun. Um sorriso torto e fraco surgiu em seus lábios por um minuto esquecendo sobre a noite passada.

—Yong... —Sussurrou e se aproximou da mais velha a abraçando por trás e afundando seu rosto na nuca da mesma. Ainda conseguia sentir o cheiro de álcool e talvez por estar bêbada, Yongsun havia feito aquilo na noite anterior, ela sabia que Yongsun não tinha muito controle sobre si quando bebia, talvez deixasse aquilo passar, mas agora ela só queria um pouco de conforto.

Moonbyul conseguiu ficar alguns —poucos minutos abraçada a namorada. Yongsun se levantou se sentando na cama ainda sem olhar para Moon e tirou seu braço de sua cintura.

— Bom dia... — Byulyi sussurrou. — Ddun?

— Que horas são?

 — Quase sete da manhã... — Yongsun não deu nenhuma resposta, apenas se levantou e começou a se vestir imediatamente, mas sem pressa. — Quer que eu te faça café? — Byul não queria que a garota estivesse brava com sigo.

— Não. — Respondeu pegando sua bolsa. — Não se atrase para a faculdade. —Foi em direção a porta a abrindo. Byulyi sentiu o tom frio e seus olhos caíram para o lençol branco em baixo de si o que fez Yongsun suspirar então, se aproximou da namorada e segurou seu queixo a forçando a olhar pra cima.

—Eu não vou me atrasar... —Sua voz saiu tremula com um pouco de medo, mas Yongsun fez o que ela particularmente não esperava muito, um beijo, um selinho para ser mais correta. Não era algo para se ficar surpresa com, mas aquilo foi o suficiente para deixar Byulyi um pouco despreocupada.  — Desculpa por ontem, ok? Eu te amo você sabe né?

— Sim...

Yongsun se afastou de Moonbyul e saiu do quarto. Talvez Yongsun estivesse voltando ao que era antes e aquilo acendeu uma chama de esperança dentro de Moonbyul.

 

 

—Bom dia. — Byulyi se sentou ao lado de Wheein que estava com Hyejin em uma das mesas do pátio.

—Unnie, o seu pescoço! — Wheein disse assustada se aproximando da amiga e examinando as marcas em seu pescoço e pude ver a grande mordida em sua nuca que parecia estar a ponto de sangrar — Sua boca também... O que ela tentou fazer com você? Arrancar um pedaço?

—O que? — Passou a mão pelo seu pescoço e nuca sentindo uma pequena dor. — Droga! Talvez seja por isso que uma mulher me perguntou no ônibus se eu estava bem...

— Eu não acredito que essa noite de novo... —Hyejin passou as mãos em seu cabelo.

—Calma ela só estava bêbada e...

— E você Byulyi? Você queria Byulyi!? — Hyejin disse firme com um tom de voz um pouco alto o que fez a mais velha se encolher e Hyejin percebeu o que tinha feito. —Desculpa Byul eu...eu só estou preocupada.

— Eu estava com sono, eram quase cinco da manhã, mas ela estava bêbada..., mas olha pelo lado bom. — Sorriu — Antes de sair ela me deu um selinho e pediu desculpas. — Hyejin estava pronta para falar, mas foi interrompida pela namorada.

—Vamos para a aula. — Wheein olhou para ambas.

 

Wheein e Hyejin não queriam mais falar de Yongsun e queriam distrair a cabeça de Moonbyul da namorada. Estavam combinando de tomar algo depois do almoço antes de voltar para as aulas, Wheein emprestou Byulyi seu corretivo para que cobrisse os hematomas.

— Então, vamos tomar um sorvete depois do almoço? —Hyejin tentou confirmar.

—Não sei, depois do que você disse sobre o sorvete de baunilha. —Wheein fez bico cruzando os braços

As três estavam prestes a se separar quando Moonbyul sentiu alguém segurar seu braço com um pouco de força e quando se virou viu que era Yongsun e a mesma não tinha uma expressão muito satisfeita enquanto olhava para suas amigas.

—  Por que não me procurou assim que chegou? — Tentou não soar brava.

— Ah, desculpa unnie. — Yongsun soltou o braço de Moonbyul e subiu sua mão ate sua nuca sentindo a mordida que havia deixado no lugar noite passada e Moonbyul se arrepiou por causa da breve dor que sentiu ao machucado ser tocado.

— Nem tudo gira me torno de você, Kim. — Hyejin disse ríspida.

— Poderia ficar fora disso por favor?

—Você é forte, mas não é duas Yongsun. — Wheein segurou a mão de Hyejin com medo que a mesma pulasse no pescoço e Yongsun.

A mais velha deu de ombros e virou Byulyi para si, segurou seu sorto.

—Yong, espera... — Yongsun beijou Byulyi com um pouco de força prensando a garota contra a parede do corredor quase deserto.

— Não me faça te lembrar a quem você pertence Byulyi. —Sussurrou ao pé do seu ouvido e juntou seus lábios novamente. Byul segurava os lados da blusa de Yongsun.

Hyejin havia escutado, mas antes que pudesse agir, Dahee apareceu.

— Kim Yongsun? Preciso lembrar que estamos dentro de um uma faculdade? — Dahee disse seria, sem tentar intimidar.

— Desculpa. —Sorriu. — Byul queria um beijo.

—Bem, eu consegui ouvir ela pedindo para você parar enquanto eu me aproximava. —Olhou para Byulyi e voltou seu olhar para Kim. — Por favor, evite isso dentro do prédio. — Yongsun se afastou da namorada. — Byulyi, sobre a monitoria... —Estava prestes a continuar, mas a marca profunda de dentes no lábio inferior de Moon tirou seu foco. Seu lábio estava vermelho, a mordida parecia ter sangrado assim que foi feita.

— Professora? Tudo bem?

— Ah sim... — Acordou de seu transe. — Sobre o que eu estava falando? — Parou para pensar um segundo. —Ah, a monitoria, certo. — Yongsun e o casal haviam deixado Byulyi a sós com a professora. — Os alunos estudaram na biblioteca ontem sozinhos como se fosse um grupo de estudos. Eu consegui ajudar alguns, mas não teve o mesmo efeito que você explicando.

— Oh... obrigada por ontem e... — Abriu sua bolsa pegando alguns papeis. —Eu preparei algumas aulas e foquei mais nas coisas que os alunos tem mais dificuldade de acordo com que eles me disseram na última aula. —Entregou os papeis para Dahee. — E a aula de hoje já está pronta também. —Sorriu Dahee que teve o sorriso espelhado para Byulyi.  Dahee jamais admitiu aquilo em voz alta, mas achava o sorriso de Byulyi encantador, único e sincero mesmo quando estava cansada ou triste, o jeito que seus olhos e fechavam era adorável também e o jeito que seus olhos carregavam as galáxias neles. As galáxias, a coisa preferida de Dahee que nunca havia visto em ninguém e sentia falta... Byulyi havia perdido aquele brilho nos olhos a um tempo. Dahee queria trazer aquilo de volta, não queria ver os olhos de Byulyi opacos para sempre.

— Obrigada Byulyi. Vai fazer a monitoria no fim do dia certo?

— Isso.

— Ok, se cuida e depois conversamos.

— Tudo bem, até. — Sorriu saindo do lugar entrando na sala. Assim que entrou a professora perguntou se sentia melhor.

Mesmo que presença não fosse algo que de fato havia peso e que os professores não se importavam quando um aluno faltava, alguns professores se preocupavam com Byulyi de alguma forma.

De costume, Moon se sentou no fundo da sala. Esse costume só começou depois de alguns meses namorando Yongsun por que até então, sempre sentava pelo meio ou na segunda cadeira e começou a conversar menos com os colegas de classe, mas nunca deixava de interagir por completo com os mesmos mesmo que Yongsun tenha a pedido isso. Era difícil ainda mais sendo parte da monitoria.

Yongsun havia estabelecido algumas regras a Byulyi, que a mais velha não chamava de regras.

Moonbyul suspirou, Yongsun estava fazendo aquilo por que a amava... certo?

Moon abriu seu caderno relendo algumas de suas anotações antes de prestar atenção na aula novamente.

E mais uma vez não conseguiu prestar atenção cem por cento nas aulas, seu rendimento estava caindo e sabia disso. Suas pálpebras pareciam pesar uma tonelada e volte e meia podia escutar o som da voz da professora sumindo ao fundo quando seus olhos fechavam e seu corpo cedia ao cansaço e ficou nesse loop por alguns minutos. Ela não iria dormir em mais uma aula, por mais que seu corpo e sua mente implorassem tinha que se manter acordada.

Deu leves tapas em suas bochechas e se forçou a ficar a cordada, esfregou os olhos com força e levantou a cabeça se forçando a ficar acordada e dessa vez conseguiu se manter, mas o cansaço não permitiu que a absorvesse tudo.

— Ei, Moon, está tudo bem? —Uma de suas colegas de classe que estava sentada ao seu lado perguntou.

— Sim, sim foi só uma noite mal dormida. —Sorriu fraco para a garota.

— Oh... aqui — abriu sua mochila e tirou de um pequeno bolso interno um pequeno pacote de chicletes que estava pela metade, tirou uma das gomas embaladas em um papel semi fosco e entregou a mais velha. —Vai te ajudar a te manter acordada se mascar. —Sorriu. — é sabor canela, espero que não se importe.

— Ah, sim. —Sorriu. —Obrigada Seul. — Kang sentiu suas bochechas arderem com o jeito que seu apelido saiu os lábios de Byulyi

— De nada.  — Sorriu de volta sem jeito.

Byulyi abriu a pequena embalagem e colocou o chiclete em sua boca mascando e Seulgi estava certa, estava ajudando a não pegar no sono.

 

Moonbyul conseguiu sobreviver o restante das alias até a horário de almoço, o chiclete também serviu para enganar seu estomago durante os primeiros períodos já que não havia tomado café da manhã já que decidiu dormir mais alguns minutos.

Moonbyul juntou seus matérias e saiu da sala, andando pelo corredor indo para o refeitório onde havia combinado com Wheein e Hyejin.

— Byulyi. — Uma voz a chamou de longe e Byulyi conhecia voz, então somente parou de andar com medo que que Yongsun agarrasse seu braço novamente no meio de um monte de gente. — Aonde está indo? — Byulyi olhou em volta, o corredor de esvaziando. — Eu fiz uma pergunta Byulyi. —Yongsun perguntou séria, sem levantar a voz.

—Eu... estava indo para o refeitório...comer...

— Com suas amigas? —Byulyi abriu a boca para responder, mas Yongsun segurou seu queixo com um pouco de força fazendo Moonbyul a abrir a boca. Uma expressão não muito feliz surgiu no rosto de Kim. — Que cheiro é esse Byulyi?

— É canela... Seulgi me deu um chiclete durante a aula, pra me ajudar a ficar acordada... —Byulyi engoliu em seco, com um pouco de medo. Ela sabia que Yongsun não gostava de Seulgi. Yongsun continuava olhando para a namorada com cara de desaprovação.

— Desculpa...

— Cospe o chiclete.

— O que?

— Eu não quero você aceitando mais nada vindo de Kang. Me entendeu? —  Byulyi balançou a cabeça. —Me entendeu? Fale, você tem boca pra falar.

— Sim Yong... desculpa... —Yongsun sorriu. Ela sabia que Seulgi tinha uma queda por Byulyi, mas ela não iria deixar com que a mais nova roubasse a garota e si.

— Você sabe que eu faço isso por que eu te amo, né? Eu quero te proteger Byul, esse lugar está cheio de gente querendo o seu mal, mas eu não quero. —Yongsun segurou o rosto de Byulyi em suas mãos. — Não me deixe, ok? — Yongsun deu um selinho rápido nos lábios de Byulyi, segurou sua mão e a puxou pelo corredor.

Dahee estava encostada em uma das postas e uma sala li perto e pode ver toda a cena e aquilo fez seu coração se contorcer. Podia ver como Moonbyul se encolhia com as palavras de Yongsun, como seu corpo tremia toda vez que a garota levantava a mão, com medo de que levasse um tapa ou coisa do tipo.

Yongsun andava pelo corredor segurando a mão de Byulyi que mantia sua cabeça baixa, com sentimento de culpa, não queria deixar Yongsun triste ou aborrecida, longe disso, a ultima coisa que queria era deixar Yongsun brava.

 

Hyejin viu Yongsun arrastando a amiga pelos corredores e Byulyi lançou um olhar pedindo desculpas para a mais nova e Yongsun notando, acelerou mais seus passos.

— Yong...eu preciso comer ou eu vou desmaiar... —Byulyi se lembra da ultima vez que passou um dia praticamente inteiro comente com meia maçã no estomago e quase desmaiou.

— Você vai, mas comigo. — Moon abaixou a cabeça e murmurou um ok. Hyejin e Wheein iriam entender a súbita mudança de planos.

 

 

— Yong... eu tenho monitoria depois das aulas, então eu não vou voltar com você... —Byulyi disse mexendo com a comida no prato com seu garfo. Yongsun apenas fez um “hum” enquanto comia.

— Não tem problema se eu ficar certo? — Byulyi tombou sua cabeça para o lado confusa. — Eu não tenho nada para fazer depois da aula, não tem problema de eu ficar na sala que você dá aula, certo? Eu não vou te incomodar nem nada, prometo. —Yongsun sorriu. Sim, ela não tinha nada para fazer depois das aulas, mas talvez ficar com Byulyi durante a monitoria seria um pouco demais.

—  Não tem problema algum, mas você tem certeza? Tipo... essa aula de hoje pode demorar um pouco e eu não quero que você fique brava...

— Brava por que? Está escondendo alguma coisa de mim? —Disse com tom acusador.

—Não! Não... —Balançou suas mãos negando. — Eu nunca esconderia nada de você... tanto que você tem a senha do meu celular... —Byulyi sorriu fraco. Yongsun tinha acesso a seu celular, mas Byulyi não tinha ao de Yongsun.

 

Ao voltar para o prédio, Byulyi mandou uma mensagem para o casal e elas responderam com um tudo e bem e talvez a manhã almocem juntas.

Moon passou suas mãos pelos seus cabelos, cansada.

— Byulyi, tudo bem? — Chanmi surgiu atrás da colega de classe. — Seulgi me disse que dormiu mal essa noite...

— Está tudo bem, —Sorriu — Nada para se preocupar.

— Não se sobrecarregue de mais Byul. —Fez bico.

— Prometo que não vou. — Afagou os cabelos da garota. — Você vai na monitoria hoje, certo?

— Sim.

— Ótimo, tudo bem se eu levar uma amiga? Ela disse que também está com dificuldade da matéria que você vai dar hoje.

— Sim, claro. —Sorriu. — Quanto mais melhor. — A única coisa que mantia Byulyi de pé naquela faculdade era a monitoria, Hyejin e Wheein e as professoras como Dahee. Lee Dahee era de longe a professora preferida de Byulyi e jamais negaria. O jeito que a mulher era carismática e legal, sem falar que era ótima professora, havia a ajudado com a monitoria lhe dando todo o apoio e também, aquele episódio com Yongsun. As vezes Byulyi se perdia nas aulas pois se distraia com sua voz e o jeito que era suava e confortante de ouvir.

E felizmente, Yongsun não havia a “confiscado” também. Byulyi as vezes passava muito tempo pensando em Dahee, mas não romanticamente e sim se não fosse pela mais velha, estaria completamente perdida naquele lugar,  sentia que tinha sorte por ter uma professora como Lee.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...