História Destroying Roses - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias The GazettE
Personagens Aoi, Kai, Personagens Originais, Reita, Ruki, Uruha
Visualizações 17
Palavras 1.575
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meus amores, como prometido, eu voltei!!!! E aqui está mais um capítulo para vocês!!! Espero que gostem.

Capítulo 8 - Love Will Be Born Again Parte II


Fanfic / Fanfiction Destroying Roses - Capítulo 8 - Love Will Be Born Again Parte II

 Finalmente chegara a hora. Elas adentraram a sala de espera no térreo, Alice pensava que era maior que a atual casa dela. A sala era composta por bancos de couro preto, paredes bem trabalhadas na cor bege. E em frente a elas havia um grande balcão com dois moças ali sentadas, uma delas estava falando ao telefone e fazendo anotações e a outra olhava gentilmente para as jovens.

Haruka tomou a frente e se apressou a falar com a moça.

- Boa tarde – Falou educadamente fazendo reverência. – Nós temos uma entrevista aqui hoje, marcada para as 15 horas.

- Com o senhor Nishida. – Afirmou Alice surpreendendo Haruka.

- Boa tarde meninas, vou avisa-lo que vocês já chegaram. – Disse a simpática moça pegando o telefone do lado e discando o ramal. – Podem aguardar sentadas. – Concluiu sorrindo.

Alguns minutos depois a jovem atendente se levantou e as chamou com um aceno. Todas se aproximaram dela.

- Desculpem a espera, o senhor Nishida as aguarda na sala dele. Vou leva-las até lá. – Disse caminhando lentamente até o elevador, enquanto era seguida pelas quatro.

Entraram então no elevador. “Muito chique” pensava Alice. O nervosismo havia dado uma trégua a menina, mas logo que elas saíram do elevador no 15º andar recomeçara a ficar nervosa. Parecia que a cada passo naquele longo corredor branco de piso milimetricamente limpo era uma falha em seu coração. Era tudo tão quieto que ela conseguia ouvir o próprio coração acelerado.

Todas chegaram a sala, ficava no final do corredor, Alice olhou para os rostos das outras, todas aparentavam o mesmo nervosismo que ela. A recepcionista bateu na porta e a abriu. Aquele mesmo senhor que baixara o vidro do carro para chamarem a atenção estava ali sentada, agora em roupas extremamente formais. Ele se levantou e sorriu pedindo para que entrassem.

- Olá meninas, é bom revê-las. – Disse estendendo a mão a cada uma. – Sejam bem vindas a PS COMPANY. Sou Nishida Kawamura. Vice-presidente da empresa. Sentem-se. – Disse estendendo a mão para as cadeiras que tinha a sua frente.

Todas se sentaram e então voltaram a olha-lo, todas realmente tensas.

- Meninas não fiquem nervosas. – Disse dando uma risada alta. Arika e Alice sorriram, as outras continuaram sem graça. – Bom, acho que vocês já descobriram de qual empresa nos tratamos, somos uma produtora famosa. Vimos talento em vocês e achamos que vocês tem sucesso. Gostaríamos muito de trabalhar com vocês. Bom, mas primeiro gostaria que vocês se apresentassem e dissessem qual instrumento tocam, afinal eu só sei o nome da banda. – Pediu dando em grande sorriso.

Antes que elas conseguissem responder, houve uma batida na porta e Nishida respondeu “entre”. “Quem seria em um momento como aquele?” pensou Alice. Foi então que o coração dela parou. Eram os cinco. Era o The Gazette. Alice não soube como agir naquele momento e só se remexeu na cadeira.

- Esse é seu primeiro contrato como vice-presidente, não perderíamos por nada. – Disse Ruki dando risada. Todos eles se sentaram em uma poltrona que tinha no canto da sala e ficaram olhando. Alice olhou para todos sentados na poltrona e por ultimo para Ruki, ele parecia se divertir com a situação.

- E então meninas, desculpem pela intromissão. Podem continuar. – Disse chamando de volta a atenção de Alice.

- Eu sou Haruka Kishimoto, mas na banda eu sou apenas Haru, toco guitarra. – Respondeu Haru sorrindo.

- Eu sou Kaori Ogawa, Kao. Toco baixo. – Continuou pela ordem de como elas estavam sentadas.

- Eu sou Arika Asano, Rika. Bateria – Sorriu.

Chegara a vez de Alice, ela nunca se sentira tão nervosa como agora, nem cantando em publico ela se sentia dessa forma. Ela deu uma olhada de esguelha para os meninos sentados no canto e percebeu que a atenção de Ruki se dobrara.

- Eu sou Alice Mizushima, Airi, vocal e guitarra. – Disse por fim.

- Só pra constar, vocês tocam mais algum instrumento? – Perguntou o senhor Nishida.

- Também toco violão. – Disse Haruka.

Alice ficou pensando se deveria ou não dizer se tocava violino, fazia muito tempo que ela não tocava nele, desde que ganhara o violão de sua irmã.

- Eu também toco violão. – Decidiu omitir, não queria que ele a fizesse pegar um violino e passa se vergonha na frente de todos.

- Muito bem meninas, vocês tem alguma dúvida? – Perguntou. Todas negaram com a cabeça. – Ótimo, então vocês aceitam trabalhar conosco? – Todas concordaram. – Que maravilha! Podem assinar esses papéis então. Quem de vocês é a líder? – Elas se entre olharam.

- Haruka. – Disse Arika, Kaori e Alice fizeram o mesmo em seguida. Haruka fez cara de quem comeu e não gostou, mas logo sorriu.

- Ok. – Disse Nishida dando uma risada alta. Nishida parecia estar de muito bom humor. – Você deve assinar estes daqui Haruka. As outras assinem estes outros. – Disse colocando na frente papeladas.

Elas assinaram e sorriram. Os meninos que estavam quietinhos sentados no canto então se levantaram e começaram a aplaudir se aproximando delas e as parabenizando. Nishida também se levantou sorridente.

- Agora, oficialmente, o Destrying Roses faz parte da PS COMPANY! Obrigada meninas, sejam bem vindas. Faremos vocês serem grandes! – Disse olhando todas lentamente e sorrindo. – Aproveitando que os meninos do Gazette estão aqui, que tal apresentarem para elas o estúdio de gravação? É bom elas irem se familiarizando com o novo ambiente de trabalho. – Concluiu Nishida.

- Claro, vamos. – Disse Kai sorrindo com aquele sorriso meigo dele. – Me sigam meninas. – Seguiu para a porta Ruki, Reita e Uruha o seguiram. Aoi disse que queria conversar com Nishida e logo os encontraria.

Eles seguiram para o elevador e adentraram. Subiram mais um andar e saíram. Todos quietos, até que Ruki se aproximou de Alice.

- Eu sabia que você era a vocalista, depois de ouvir sua voz tive certeza. – Disse ele. Agora parecia mais introvertido. A personalidade de Ruki parecia ser um completo mistério. Alice meio tímida, agradeceu, era um elogio vindo dele. “Quem diria” ela pensava, jamais imaginaria que estaria conversando com seu ídolo um dia. E ainda mais, que seria contratada pela mesma produtora que ele.

Depois de caminharem em um corredor eles entraram em uma sala, totalmente a prova de som. Era uma sala espaçosa, as paredes eram da cor amarelo, quase dourado. Havia uma grande mesa de som, cadeiras em torno dela e um vidro guardando outro ambiente, lá havia todos os instrumentos que precisavam para gravar o que quisessem.

- Chegamos, se sintam a vontade para olhar tudo. – Disse Kai se sentando em uma das cadeiras e pegando alguns papéis que estavam em cima do painel. Começou a lê-los, pareciam letras de música e algumas cifras.

“Será que eles estão criando uma música nova? Quando eu me tão tornei importante para estar tão próxima deles assim”. As outras meninas olhavam tudo. Uruha sentara em um canto da sala e estava lendo um jornal que estava jogado por ali. Reita estava sentado ao lado mexendo em seu celular. Ruki mexia no painel. Ela se sentia boba, ali parada olhando todo mundo sem fazer algo. E então se sentou, pelo menos estaria boba sentada.

Ruki então se levantou e foi até o ambiente onde eram gravadas as músicas e ficou olhando concentrado para o microfone. E então alguns segundos depois o instrumental de Cassis começou a tocar. Alice entrou em pânico. Será que ele começaria a cantar ao vivo assim para ela? “Para ela?” Se sentia boba pensando que era para ela, ele conhecera ela agora, jamais se interessaria por ela. “O que ela teria de tão importante?”. Alice estava perdida em seus pensamentos quando ouviu a voz de Ruki. A fez despertar imediatamente e então ela o olhou. Ele estava olhando diretamente para ela. Será que dava para ver através daquele vidro?

Kaori então sentou de um lado dela, Haruka sentou do outro. Arika ainda estava inerte naqueles tantos botões do painel.

- Tá apaixonada? – Perguntou Kaori dando cotoveladas em Alice.

- Fecha a boca que ainda da tempo. – Brincou Haruka.

Alice só conseguia rir naquele momento. Ele continuava a olhar para ela, ela estava começando a se sentir embriagada com a voz dele. Ela começou a cantar baixinho junto com ele. Em momento algum ele desviada o olhar dela.

- Airi. – Chamou uma voz conhecida, era de Uruha que agora estava sentado de pernas cruzadas, havia parado de ler o jornal e estava a olhando. – Seu cabelo é de verdade? – Perguntou surpreendendo-a.

- É sim, nunca pintei. – Disse Alice desviando o olhar de Ruki para Uruha. – Minha mãe era escocesa. – Concluiu um pouco triste, lembrara da sua mãe. Com os recentes acontecimentos ela mal tivera tempo para pensar na mãe.

- Era...? – Ele pareceu pensativo, havia feito uma pergunta para sí mesmo. – Então você é estrangeira. – Concluiu voltando a olha-la.

- Na verdade, sou brasileira. Nasci no Brasil, meu pai trabalhava no consulado de lá, nos mudamos com a minha mãe ainda gravida. Sou filha de pai japonês e mãe escocesa. Eu sei é uma mistura. – Disse rindo.

- Mas é legal, é diferente do habitual. – Disse Uruha voltando a olhar para o jornal.

Alice agora voltara a olhar para Ruki, ele agora estava olhando para o chão. A música estava no fim. Praticamente perdera o privilegio de vê-lo cantar ao vivo e olhando para ela. Embora se sentido meio triste por perder, a conversa com Uruha fora boa, ele a fez sorrir. E ela tinha esperança que algum dia poderia vê-lo cantar assim novamente.


Notas Finais


E ai? Será q o Ruki estava vendo a Alice de boca aberta????
Obrigada por lerem!!!
Até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...