História Desventuras em Série : Voluntários - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Desventuras em Série
Personagens Arthur Poe, Beatrice Baudelaire, Beatrice Snicket, Bertrand Baudelaire, Duncan Quagmire, Eleanora Poe, Esmé Squalor, Fiona Widdershins, Homem Com Barba Mas Sem Cabelo, Isadora Quagmire, Juíza Strauss, Kit Snicket, Klaus Baudelaire, Lemony Snicket, Mulher Com Cabelo Mas Sem Barba, Personagens Originais, Quigley Quagmire, Sunny Baudelaire, Violet Baudelaire
Visualizações 1
Palavras 1.605
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Poesias, Romance e Novela, Violência
Avisos: Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Histórias que me lembro, e as que não consigo me esquecer


Fanfic / Fanfiction Desventuras em Série : Voluntários - Capítulo 10 - Histórias que me lembro, e as que não consigo me esquecer

"Para Beatrice -

O melhor lugar do mundo nunca foi um lugar "



Nos capítulos anteriores

***

Juíza : BAUDELAIRE ?! 

Violet: olá, juíza ! 

***

 Marta : Só lhe chamei para agradecê - lá novamente 

 Violet : Pelo o que ? 

 Marry : Soube que pretende cuidar da filha da srt. Snekets 

***

Quigley : Porque esta chorando ?

Violet : eu não consegui dormir e eu ...

***

Nossa esse resumo foi tão bom que quase me faz pensar que foi um disperedicio em nem ter escrito a história ate aqui.



Sou Beatrice Bauderale, como os irmãos Bauderale. Beatrice Bauderale, segunda.

E meu de dever solene relatar as aventuras e desventuras que se seguiram na vida dos novos voluntários da divisão de prodígios, na qual hoje me incluo. Essa parte da Historia e datada de 8 anos depôs da morte de minha mãe, Kit Snicket.


*** 


A C.S.C. criou uma espécie de internato onde os jovens órfãos filhos de membros da organização permaneciam ate completar a maioridade, e onde crianças como eu e Sunny Bauderale, cujo os responsáveis estao em missão, ficamos ate que eles retornem. se retornarem.

Naquela tarde faria por volta de um mês que estávamos por lá, dividiamos não só o sobrenome mais também o quarto.

- olá - Chamou algum funcionário - tem cartas para vocês! Não ficaram órfãs pelo visto ! - ele disse feliz

Receber cartas era uma ótima notícia queria dizer que não eramos "órfãos" se bem que já eramos, em resumo queria dizer que nossos responsáveis nestavam vivos. Lindo não é ? Ate virar piada pela escola. 

Sunny : já somos órfãs

Assim como Klaus, Sunny tem um probleminha em ser chamado de "órfão"

- Obrigada - fui simpática

Havia duas cartas, interessadas uma a Sunny e a uma a mim.

Sabia que era de Violet antes mesmo de ler no envelope, " V. B." ela tinha uma letra maravilhosa, Fina e comprida com traços delicados, só ela tinha o cuidado de enviar uma carta para cada uma.

" Violet Bauderale " - leu Sunny, "espero que sejam boas notícias "

" Sim " - concordei morria de saudade de Violet, Klaus e os outros.

' Para Beatrice -

Por trás de grandes atos, a grandes histórias que nunca são feitas apenas de vitórias.

Olá querida

Estaremos voltando para casa muito em breve, a missão foi um sucesso !

Estamos todos bem. Chegaremos por volta de seis dias, e o tempo que levaremos para chegar.

Estamos na ingletara, voce adoraria esse clima, e realmente um lugar muito frio. Mais que aquele sorvete que tomamos no último verão. mal podemos esperar ate terem idade para viajar com a gente.

Estou ansiosa para saber o que fez por esse tempo na escola, lamento ter tardado a mandar noticias. Estou morrendo de saudades, querida, nos veremos em breve !

De Violet Bauderale '

Na carta que mandou a Sunny não havia muita diferença

' Para Sunny -

O que pode ser mais forte que o coração que quebra em mil pedaços, mais ainda bate.

Logo logo estaremos de volta, A missão foi um sucesso !

Chegaremos por volta de seis dias, e estamos todos bem, e verdade desta vez ...

Viemos para a Inglaterra, Você adoraria a comida daqui. A caldos e comidas quentes, como aqueles que preparamos no ultimo inverno.

Em breve terão idade para viajar conosco.

Estou curiosa para saber o que fez esse tempo todo ! Desculpe a demora... Nos veremos logo. Estou com saudades, meu bem.

Beatrice esta se comportando ? Continue cuidando dela por mim, por favor.

Da sua irmã, Violet Bauderale'

Hoje trasncrevendo essa lembrança reparei que Violet não escrevia aderessos em suas cartas a mim, por exemplo nas cartas que envia a Klaus e Sunny, havia a inscrição " Da sua irmã" antes de seu nome. Nas suas cartas a Quigley, que talvez eu não devese ter lido, apesar de ter sido só uma vez e por engano, ha a dedicatória " Sempre sua " Nas suas cartas a Isadora " Da sua amiga". Etc.

Não que eu pense que Violet não gosta de mim, eu sabia que gostava e era recíproco. Porém nunca soube oque ela era minha ao certo, sobre como trata - la.

Lembro - me de quando tinha por volta de 3 anos, no aniversário de 18 de Violet a C.S.C. organizou um baile. Não me lembro de quase nada desse baile. me lembro que manhã que o antecedeu, Klaus ensina literatura para Sunny e me lembro de volear alguns livros com Isadora.

Depôs só me lembro de estar em uma sala com Violet, provavelmente a do sr. Poe. Me lembro de algumas coisas, comentários dele infelizmente, acho que ele tentava explicar a Violet a diferença entre Tutor e pai adotivo. O que ela provavelmente já sabia.

Me lembro de ouvila dizer " Fico feliz que tenha vindo comigo, não gosto de vir até aqui sozinha " ou algo do gênero, quando saímos de lá, me lembro melhor do sorvete que ganhei depôs, era de Chocolate.

O que quero dizer com toda essa historia e que a ha diferença entre ser tutor e pai adotivo. Violet era minha mãe adotiva, Não quero parecer ingrata, Violet e ate hoje minha referência feminina. Mas não era alguém que eu chama se de "mãe", imagino que se questionem de que raios eu a chamava ? Bom não me lembro se chegei algum dia a chama la simplesmente de Violet, me lembro de chama lá de algo próximo a "vi" quando ainda aprendia a falar. Não me lembro ao certo quando a comecei a chamar como chamo atualmente "Madrinha".

Klaus por outro lado, sempre o chamei de "tio" pelo mesmo ao que me lembro, lembro me também de chamar Isadora Quagmire de "tia Iza" talvez eu ainda a chame assim, Duncan e Fiona também tinham o aderesso "tio/a" era algo que Duncan se gabava para o irmão, nunca chamei Quigley de tio.

Peço perdão por desviar novamente do rumo da história, e um custume meu fazer paralelos desnessesarios, se bem que nunca se sabe oque e nessesario ou não.

" Beatrice esta se comportando ? Continue cuidando dela por mim, por favor. Da sua irmã, Violet Bauderale " Sunny leu alto. Não que 3 anos fizessem ela ter mais responsabilidade que eu, não o suficiente para ser "encarregada " de me suprevisonar.

" se repetetir denovo ... Eu vou te fazer engolir essa carta " eu brinquei era algo que ela fazia com frequencia me dizer que era "responsável" por mim

" pois eu duvido, se comporte ou contarei a sua madrinha " ela provocou ja me fazendo cosegas.

[...]

Talvez minhas desventuras teriam sido menos angustiante se tivesse entendido uma coisa que estava bem diante dos meus olhos naquela noite.

Sunny sempre se responsabilizava. Porque assim como seus irmãos tinha prometido a minha mãe que cuidariam de mim.

[...]

Haviam se passado os seis dias, era por volta de seis da tarde, Sunny e eu estamos de mala prontas e cabelos molhados.

Descemos ate o pátio, anoitecia. Só poderíamos sair caso o nosso responsável e só o nosso responsável viesse nos buscar.

" esta escurecendo ... " eu disse baixo

" sim, eles sempre vem por essa hora ... " concordou Sunny calma.

" Eu odeio o escuro, mas adoro esse brisa que sempre ha no final do verão" - comentei

"Também odeio o escuro, quando ha silêncio nele" - disse a loira - " esta tudo tao quieto "

Naquele exato instante quase que instaniamente começamos a murmurar a mesma música

" Não se iluda " - comecei

" Pois, não e feliz o final " - completou

" Tristeza foi só " continuei

" o que restou " cantamos juntas " se um dia pensou que serias feliz "

" Seu tolo " ela disse subindo mais a escala

" Voce errou " completei 

" seu tolo você... Errou " terminamos juntas

" Violet dizia que aprendeu essa músicas com nossa mãe " ela desabafou " mas eu nunca soube se havia mais ..."

" que coincidência " disse com um sorriso "eu também não "

" Violet deve saber com certeza " ela disse

" Agora so falta nos lembramos de perguntar " brinquei e rimos juntas

[ ... ]

Devia ser por volta de 6 : 40 quando ouvimos alguém chamar nossos nomes

" eii " disse um funcionario " Sunny e Beatrice Bauderale ? O que estão fazendo ai ? " ele disse bravo.

" ora, nos estávamos ... " fiquei sem resposta

...

" Elas estavam me esperando, e claro " disse uma voz muito conhecida vinda de trás de nós. " Olá, meninas ! Como estão ? Foram gentis com todos ? "

" Violet " Disse Sunny

" Madrinha " disse feliz

Quando nos aproximamos percebemos que Violet tinha um curativo no ombro direito

" O que houve ? " Disse aflita

" nada demais, querida " ela disse sorridente.

" já arrumaram suas coisas ? Vamos para casa ! Que tal compensar meu atraso jantando uma pizza ? "

Casa, e a palavra mais doce que já ouvi, ate mesmo naquela época, Não conheci nenhum de meus pais, apenas por fotográficas vi minha mãe, sorridente e estonteantemente linda, sempre ao lado da Sra. Bauderale. Sobre meu pai, havia apenas uma, em que estava junto com minha mãe.

Lamento ter que lhes contar mais uma pequena introdução a história em si, porém e nessesaria para enterdemos a situação seguir. Aconteceram tres fatos que fizeram as coisas ser como foram, e ainda bem que foram assim. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...