História Desventuras em Série : Voluntários - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Desventuras em Série
Personagens Arthur Poe, Beatrice Baudelaire, Beatrice Snicket, Bertrand Baudelaire, Duncan Quagmire, Eleanora Poe, Esmé Squalor, Fiona Widdershins, Homem Com Barba Mas Sem Cabelo, Isadora Quagmire, Juíza Strauss, Kit Snicket, Klaus Baudelaire, Lemony Snicket, Mulher Com Cabelo Mas Sem Barba, Personagens Originais, Quigley Quagmire, Sunny Baudelaire, Violet Baudelaire
Visualizações 1
Palavras 2.395
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Poesias, Romance e Novela, Violência
Avisos: Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 18 - 19 - Xeque mate


Fanfic / Fanfiction Desventuras em Série : Voluntários - Capítulo 18 - 19 - Xeque mate

" Para Beatrice -

Ha duas verdades, a que te contam e a que aconteceu "

...
" Você tem informações socias que qualquer um pode ter ... " disse Violet " mas tem razão ! Eu não sei nada sobre você. Mas e por isso que eu vim aqui ! Julieta  "

" Gostei de você, Violet Bauderale ! " disse dando um sorriso doce " Agora, que realmente me conhece. Eu te pergunto. Vamos jogar ? "

Violet amarou os cabelos com a fita " Já não estávamos jogando ? "
...

" Não paro de me surpreender " disse Julieta convidando a inventora para a mesa " como se sente ? " disse enquanto arrumavam as peças. " Sabendo que também é uma ladrazinha meia - boca "

" Um ladrão que rouba outro ladrão, tem 100 anos de perdão " respondeu a moça sem tirar os olhos do tabuleiro.

" Parece com algo que meu pai diria " respondeu rindo " aquela religião me enjoa "

" Suas praticas sacrárias são sim, questionáveis. Mas não cabe a mim julga las"

" E impossível você se condenar, não é ?  " disse Julieta sorrindo para a moça. " Sendo assim, irei refazer minha pergunta : Como se sente sabendo que poderia estar em casa com sua familia e não aqui em uma casa que mais parece um convento. "

Violet a encarou

" Ou melhor então ... Como se sentiu quando meu pai falou sobre um trauma seu ? "

Inesperadamente Violet sorriu. Não um sorriso doce, como o habitual. Um sorriso de satisfação.

" Acha que eu gostaria de estar em casa ? " disse a inventora
" Esta certa ! É época de provas, na escola da minha filha podia estar a ajudando, ou a minha irmã ... Podia estar dormindo calmamente sabendo que sou amada agora. Mas estou aqui, aceitando doi menos sabe ? Mas já que falou nisso ! "
disse a Bauderale com um sorriso ainda maior
" Mas depôs de tantas missões suicidas estou feliz de não correr risco de vida, tem alguém me esperando em casa "

➣➣➣

Violet encarava seu irmão que dormia tranquilamente a sua frente, ela segurava seus óculos para que não caíssem.

" O que e isso ? " disse moça com a mão no bolso.

❝ Boa sorte, esperamos que volte bem

           Beatrice e Quigley

...

" Pare de me abraçar a todo instante !" brincou Sunny " Você sabe que vai voltar né ?! Não ousaria me deixar sozinha não é !? "
...

" Tome cuidado, Vio " disse Isadora a abraçando " Você sabe que tem gente aqui te esperando, não aceito que me devolva a peste do meu irmão ! Além dele tem sua menina, e suas duas irmãzinhas " irmãzinhas no qual Isadora se incluía.

➣➣➣

" Você esta trancada em uma sala com uma pessoa que você mal conhece ... Acha que não corre risco ? "

" Se quiser me matar ... Entre na fila ! Dês dos meus quatorze muitos já tentaram. Além do mais, tenho experiência em missão de alto escalão, acha que minha defesa pessoal não é superior a sua ? "

Talvez não fosse. Violet nunca se aprofundou em lutas corporais, de modo que sabia apenas o  'básico' sobre o assunto.

E com a sorte da Bauderale, Julieta provavelmente devia ser melhor que ela.

" Inteligente " disse Julieta movendo um dos seus peões. " mas não respondeu minha pergunta. "

" sobre meus traumas se referia ? " disse Violet " Eu não perdo tanto tempo assim pensando neles ... Apenas não me simpatizo com vestidos de noivas, são tao exagerados ... " disse a garota enquanto passava o dedo sobre a coroa da rainha. " Agora ... Eu te pergunto porque não se voluntariou antes ? " disse Violet movendo um de seus cavalos. "Sua vez ! "

" Papai preferia que eu me casasse e tivesse filhos " disse revirando os olhos " seria horrível ! " Violet levantou os olhos " Por ele em específico ! Um velho uns 20 anos a mais que eu ! Casamento ainda ia, ficaria longe de meu pai, mais depôs ... Céus "

" Depôs ? "  Disse Violet se fazendo de sonsa, ela sabia, muito bem o que vinha depôs.

" Sabe"  disse Julieta " o compromisso da noite de núpcias "

Depôs de se ler tantos livros sobre isso, Violet calmamente respondeu

" Você não é obrigada a se deitar com ele não pela lei ! "

" Sou pela religião ! "

" Patético " sussurou Violet

" Não faria mal ! Não seria minha primeira vez mesmo ! " disse observando o jogo " Com quantos foi sua primeira vez ? "

" depôs que me casei. " respondeu calma

" E eu sou a rainha da ingletara ! "

" Diga você primeiro então ... "

" Quatorze ! "

" Dezesseis, quase dezessete. "

" Tenhos uma puritana aqui ! " brincou Julieta. As duas sorriram  " Você parece inocente, se não soubesse que você e casada ... Se bem que por lei ... " disse a garota movimentando seu bispo

" Não vamos exagerar " riu Violet.

" Sua vez ! " disse a anfitriã " Porque se voluntariou ? "

" Não imaginava nada além que eu gostaria de fazer, des de que meus pais morreram. " respondeu a moça fazendo sua jogada. " Como não se casou ? "

" Bom, foi bem engraçado na verdade, um dia meu pai foi atenteder uma visita e ele estava aqui ! Então eu fui dar uma volta pelo jardim e ele foi atrás, eventualmente eu, que conheço o lugar andei por lá varias vezes. E desapareci "

" E então ? " perguntou Violet " ele está perdido lá ate hoje ? "

" Não ! " disse rindo " Eu disse ao meu pai, em particular que ele tinha me deflorado " disse soltando a rizada " disse que eu não queria, depôs eu finji um trauma, e me voluntariei " disse movimentando uma de suas torres

Violet arregalou os olhos " Muito, muito ... Astuto "

" Sua vez ! " disse a garota de roxo " Eu sobre seus pais, sei sobre seus irmãos, sei sobre sua divisão inteira. Então eu te pergunto : Como pode se dar ao luxo de não ter medo do que posso te dizer ou fazer ? "

" Aonde quer chegar ? " respondeu a moça movendo seu cavalo.

" Sei sobre todas as desventuras que você viveu, poderia te dizer algo agora que te deixasse muito abalada ... "

" Há três possíveis respostas que eu poderia te dar, cada uma delas te daria uma visão diferente de mim, mas, não estou aqui para brincar de aparências. Então, te darei as três." disse a moça numerando o um com os dedos. Aquilo a vez se sentir nervosa.

" 1 ° - Eu já passei por muitas coisas, não vai ser uma resposta sua que vai me afetar, ou ao menos as probabilidades são minimas "

" 2 ° " disse a moça nervosa abertando a voz para não gaguejar, ate que sentiu algo em seu boloso que a fez sentir confiante " O que você me diria de tão perturbador ? Se soubesse já teria o dito ! "

"3 ° " disse a a inventora confiante " Como sabe se o que leu é verdade ? Ha duas verdades, a que te contam e a que aconteceu " disse movimentando uma de suas peças " Cheque ! " disse a garota " sua vez ! " disse Violet " Eu imagino como tenha achado nossos registros, então e fora de cogitação. Não vou te perguntar como sua mãe morreu, não sou esse tipo de pessoa. Então eu te pergunto : porque esse interesse na minha vida ? Alguém em seu lugar iria se defender e não atacar "

" Você é intelectualmente espetacular ! " disse a garota dirando o rei do cheque " A melhor defesa sempre e o ataque ! Além do mais, antes de te conhecer, me parecia engraçado você é tudo que eu não suporto a ideia de ser ! Ver pontos de vistas e interessante ! "

Os olhos de Violet estavam desfocados você pode pensar que ela estava muito concentrada no jogo, ou em Julieta. Mas na verdade ela so estava se perguntando o que Isadora,Sunny e Beatrice deveriam estar fazendo

" E porque você e tão ruim para você isso ? " disse Violet sem tirar os olhos do seu rei. " E medo ? "

" Medo ? " disse Julieta

" De não mudar de ponto de vista. Ou de mudar ..." disse olhando o jogo.

Julieta adquiriu uma tonalidade avermelhada que se destacava com o rose de sua blusa.

" Ora " disse Violet " Você pensa que seu pai me mandou aqui, não é ? Para te convencer a se casar ? " ela soltou um rissinho " Patético "

" Sabe " disse Julieta sorrindo " Eu ate gostei de você. Estava convencida a provar para meu pai. ou melhor estava querendo me convencer que qualquer um que se casar e infeliz, você quase me fez mudar de ideia "

" Você não presisa que eu te influencie a nada " disse Violet " nem seu pai, sobre se casar ou sobre a C.S.C. " disse Violet movimentando a rainha " sua vez "

" Você vai me aprovar ? " perguntou Julieta olhando violet fixamente

Violet então reparou que em seus olhos, não havia todo o sinismo que antes corrompia os olhos cor - de - corvo da moça. Sorriu então, da forma doce que era acostumada.

" Talvez ! " disse a moça " se ganhar de mim"

Julieta sorriu o jogo se prorougou por mais duas horas, as duas seguiram em silêncio. Violet deveria estar calma, não tinha o que temer. Porém, suas mãos suavam, então novamente pos sua mão direita no bolso de seu casaco, Violet era destra, de modo que foi incomodo jogar com a mão esquerda.

" O que é ? " perguntou Julieta

" O que é o que ? " disse a inventora

" Que tem no seu bolso "

" Um relógio e um caderno "

" Não ! " disse Julieta retirando um colar de dentro de sua blusa " E algo como isso não é"

" O que seria isso ? " Julieta retirou o colar e deu a moça " Não é lindo ? Era de mamãe ! "

" E realmente muito bonito " não havia nada de especial naquele colar, nada mesmo, era apenas um pingente em forma de círculo com uma pedra de ametista roxa em seu centro

" Você tem algo da sua mãe ? "

" Mais o menos " disse a moça ainda olhando o colar

" Ora mais o menos ! " disse Julieta " Te contarei a historia desse colar se me explicar esse mais o menos ! "

" Muito bem, a mãe da minha menina deu um anel a minha mãe, que agora esta comigo, no dia que ela morreu, pediu para que eu desse o anel a criança que estava por vir, ele ainda esta comigo, eventualmente não estará mais "

" Quando eu era menina, minha mae usava varias jóias, ate que um dia reparei que por debaixo de todo colar havia um outro, que ficava por dentro da gola, era esse colar, antes dela morrer ela me deu esse colar "

" é um colar muito bonito " lhe disse Violet

" Ela morreu de pneumunia, eu vi ela morrendo aus poucos. Ela respirava com tanta dificuldade, cada vez que respirava, me dava agunia ve la assim. Ate que um dia eu percebi, não haveria futuro para ela, logo ela se foi. Eu tinha uns 10 anos " ela tinha os olhos marejados  E quanto a sua mãe ? "

" Carbonizada " disse Violet fitando o fogo " Um dia, ela me pediu  para dar uma volta com meus irmãos e cuidar deles. Assim que saímos ouvimos uma cirene de bombeiros, nem tínhamos voltado, e nos avisaram que eles estavam mortos " disse Violet com os olhos ainda desfocados " 'Nos vemos mais tarde querida ! ' ela disse, e então ficamos sozinhos. "

" Ficamos ? " perguntou Julieta

" Eu, Klaus e Sunny " disse ainda distante seus pensamentos ainda eram daquele dia se lembrou do sorriso forçado que deu a Klaus quando ambos viram o carro de bombeiros passando, do sorriso de Sunny na praia e da forma que o irmão segurou sua mão naquela tarde  " eu com quatorze, Klaus com doze e Sunny com três. "

Os olhos de Julieta escorriam " E quem cuidou de vocês ? Depôs ... "

" Eu cuidei deles, e eles cuidaram de mim... E sempre fomos uma família unida " disse olhado uma das fotos de seu caderno : os irmãos Bauderale na ultima festa que foram antes da morte de seus pais.

" É engraçado " disse Julieta " Você fala como ela "

" Ela ? "

" Minha mãe, ela também se chamava Violet"  disse Julieta movendo seu peão

" Cheque " disse Violet " Isso me parece um elogio ! "

Julieta moveu sua rainha, asism que o fez o cavalo de Violet a exterminou, Julieta moveu seu rei a frente

" Cheque " disse Violet

Julieta fez outro movimento com o rei e sorriu triunfante a inventora.
  Violet abaixou os olhos e com um movimento de seu peão ceifou a vida do rei negro.

" Meus parabéns " disse Violet ficando de pé

" Mas você ganhou o jogo !! "

" E você ganhou minhas granças, vi humanidade em você Julieta. E vi muito potencial." disse sorrindo  " Além do mais você não ia ganhar de mim mesmo que eu deixasse ! " disse se retirando e antes de sair pela porta disse

" Eu vi que tentou pegar meu relógio denovo " disse levantando a ferramenta mesmo de costas " Na verdade você o pegou denovo. "

Julieta  sorriu, Violet se virou e com um sorriso disse " Bem vinda a C.S.C. vai ser um prazer trabalhar com você ! "  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...