1. Spirit Fanfics >
  2. Detenção de Março >
  3. Aceitação

História Detenção de Março - Capítulo 16


Escrita por:


Notas do Autor


Oii Cupcakes <3! Mais um capítulo novinho para vocês. Espero que gostem. Obrigada Princesa_Fefeh e iamshipprinessa pelos doces comentários no capítulo passado. Boa leitura...

Capítulo 16 - Aceitação


ROMANCES MENSAIS

LIVRO III - DETENÇÃO DE MARÇO

��

CAPÍTULO XV - ACEITAÇÃO

Era sábado à noite. Evie, Kara, Lena, Eleven e eu nos encontrávamos no apartamento de minha prima em uma noite do pijama só das meninas. Nós arrumávamos nossas unhas, comíamos besteiras e cantávamos músicas antigas que marcaram a nossa infância. Apesar das diferenças de idade, nós nos divertimos como crianças na nossa bagunça.

Depois de passar pelo estresse de doar medula óssea para meu irmão e toda a questão do transplante, eu finalmente poderia ter uma noite com as minhas garotas preferidas para tentar descansar a mente. Hadie já está em casa e se recuperando rapidamente. Eu havia voltado a treinar com Ben e já conseguíamos fazer a coreografia por completo, ainda que ele não tenha certeza se vai ou não se tornar o meu parceiro no campeonato nacional.

Deitada no chão com a cabeça no colo de Evie, eu encarava a televisão onde passava o filme favorito de todas nós, A Proposta, mas minha mente estava distante. Não é que eu não quisesse assistir ao filme, eu só não conseguia me concentrar, pensando em Ben. E por mais que eu tentasse, eu não conseguia entender o porquê.

- Sabe, Lena, hoje está sendo bem complicado. - Comenta Evie de repente. - Ter amigas apaixonadas quando se está solteira é um pouco complicado, você não acha?

- Não sei do que você está falando. Está quase namorando Doug. - Resmungo e Kara suspira, desligando a televisão.

- Tem razão, Evie. Achei que precisaria aguentar apenas Kara apaixonada. Não imaginei que El e Mal estivessem tão afetadas assim. Você está quase namorando. Acho que em pouco tempo, eu estarei sobrando aqui. - Comenta Lena, entrando na brincadeira. - Kara tem Mon-El, você tem o tal do Doug, Eleven tem o Mike. Agora estou curiosidade para conhecer o namorado de Mal.

- Eu não estou apaixonada. - Nega minha prima, repreendendo a melhor amiga. No entanto, não demora muito para que a loira me encare com animação. - E quem é o se namorado? Por que não me contou isso antes, traidora?

- Eu não estou namorando. - Respondo, revirando os olhos. - Evie está inventando história.

- Mas é verdade que você está bem distraída hoje, Mal. - Comenta Eleven, pensativa. - Eu também ficava no mundo da lua antes de Mike me pedir em namoro. 

- Então o problema é que ele ainda não te pediu em namoro, Mal? - Questiona Lena, sorrindo maliciosa.

- Não tem ninguém. Eu não estou apaixonada. - Insisto, levantando do colo de Evie para fazer mais pipoca.

- Esse ninguém tem nome de Benjamin e sobrenome Florian. - Provoca Evie e eu lanço um olhar nada agradável para minha melhor amiga. - Não adianta me olhar assim. Você sabe que eu estou falando a verdade. Desde que se tornaram amigos, você não para de pensar nele.

- Espere um pouco. Benjamin Florian não é o capitão de hóquei da sua escola, Mal? - Pergunta Eleven, surpresa.

- Esse é o mesmo garoto que você gritava para os quatro cantos do mundo que você odiava e não via a hora de acabar com a cara sonsa dele? - Questiona Kara, tão impressionada quanto Eleven. Minha prima me encara confusa. - O que foi que eu perdi? Pensei que ele tivesse namorada.

- Ele tem. Audrey Bennett. Ela é bem famosa por se destacar nas competições escolares de patinação artística. - Responde Eleven, aproximando-se para saber mais da história.

- E também por ser uma meretriz mal-amada. - Retruco, sentindo raiva só de lembrar da garota.

- Isso é tão clichê. Você se apaixonou pelo garoto mais popular da escola, que é o capitão de uma equipe esportiva, que namora a garota popular e vocês se odeiam até perceber que tudo não passava de atração reprimida. - Comenta Lena, sorrindo maliciosa.

- Eleven também se apaixonou pelo garoto mais popular da escola que namorava a garota popular e ninguém falou nada. - Resmungo e dessa vez é Kara quem parece se divertir com a situação.

- Então você admite que está apaixonada? - Indaga minha prima e somente nesse momento é que eu noto o meu erro. Kara e as garotas começam a rir, enquanto sinto meu rosto esquentar.

- Eu não sei. 'Tá legal?! - Confesso, jogando-me no sofá, espremendo minha prima, Eleven e Lena. Elas resmungam, mas dão espaço para que eu me sentasse. - Eu estou confusa. Não sei o que eu estou sentindo. Eu só sei que gosto de estar com ele. É confortável e divertido. Ben é o meu completo oposto, mas ainda assim, ele tem sido uma das pessoas que mais tem me apoiado nesses últimos meses. Ele me defendeu quando meu pai apareceu, me protegeu de diversas formas, tem me ajudado a treinar para o campeonato nacional, mesmo estando tão ocupado e ficou ao meu lado o tempo todo durante a doação de medula óssea e o transplante de Hadie. Acho que ele é uma das pessoas mais doce e gentil que eu conheço. Ben é determinado e não importa o quão difícil é o desafio, ele sempre dá o melhor de si para se superar. Acreditam que ele tem o paladar de uma criança? Ben nunca come comida saudável. Quando ele se junta com Austin e Barry, os três só querem comer besteira. Mas ele também é muito carinhoso, corajoso, inteligente, bonito e...

Paro de falar ao ver os olhares que recebia das quatro mulheres naquela sala. Penso um pouco no meu discurso e é inevitável não me surpreender com o fato de eu conseguir pensar em tantas qualidades em uma pessoa que até alguns meses atrás eu dizia odiar. 

- Ai meu Deus! Eu estou apaixonada por ele. - Constato, fazendo Evie rir e revirar os olhos, como se dissesse que ela já havia me avisado. - Isso não deveria ter acontecido!

- Finalmente! - Comemora Evie, sorrindo animada, enquanto bate palmas. - Agora vocês podem ficar juntos e viver uma linda história de amor.

- Isso realmente não deveria ter acontecido. Ele tem namorada, Evie! - Kara repreende minha melhor amiga que ri, deixando Eleven, Lena e minha prima confusas.

- Ele está sendo...

- Cala a boca, Evie! - Interrompo a garota antes que ela falasse demais.

- O quê? Elas não vão contar para ninguém. - Responde Evie, cruzando os braços.

- Kara é a namorada do Mon-El. É o melhor amigo do padrinho do Ben. Eu tenho certeza de que ela vai abrir a boca para Mon-El e o que o Ben tem evitado vai acontecer. - Explico e ela suspira, negando.

- Eu não sou a namorada do Mon-El! Nós apenas estamos em uma aposta para ver quem se apaixona primeiro. - Kara se explica, sem esconder a mágoa. - E eu sou sua prima. Caramba, Mal, a gente sempre conta tudo uma para a outra. Eu te considero quase como uma irmã ou... ou uma filha. Mesmo com a pouca diferença de idade. Acha mesmo que eu contaria um segredo seu e de Ben para Mon-El?

- Não. É só que... - Sinto-me culpada por duvidar de minha prima. - Desculpa. Eu só estou com medo de estragar tudo. De atrapalhar a vida de Ben. Durante esse tempo que ele tem estado ao meu lado, eu só tenho complicado a vida dele, que já não é fácil. Eu odeio isso. Odeio me sentir tão não eu. Odeio me tornar tão dependente de alguém como me sinto dependente dele. Isso não é justo. Eu sempre tive que me virar sozinha. Nunca precisei dos meus pais para ir atrás dos meus sonhos. Sempre fiz o que era preciso para alcançar meus objetivos. Eu entrei na Auradon, mesmo crescendo na periferia. Eu consegui trabalho com apenas doze anos só para conseguir me tornar uma patinadora profissional. Eu fiz tudo isso sozinha. Ainda assim, eu me sinto cada vez mais ligada ao Ben. E o pior de tudo é que eu me sinto bem com isso. Pela primeira vez na vida eu não me sinto mais sozinha, Kara. Com ele ao meu lado, eu sinto que posso enfrentar qualquer um dos meus medos. Eu me sinto forte, confiante e calma. Ao mesmo tempo, eu me tornei vulnerável. Vocês, Jay e Carlos eram os únicos a verem esse lado meu, mas agora... Droga.

- Oh, meu amor... - Kara me puxa para um forte abraço, enquanto as lágrimas desciam pelo meu rosto intensamente. Evie também me abraça e quando menos espero, eu era consolada por todas as garotas naquela sala. Assim que nos afastamos, vejo que Kara e Evie choravam. Minha prima acaricia meu rosto e sorri com doçura. - Mal, você nunca esteve sozinha, mas eu entendo o que quer dizer com isso. O amor é forte, poderoso e assustador. Ele nos deixa irracionais e completamente fora de si. Mas também é um sentimento maravilhoso, que aquece nosso coração e nos inspira. Você é uma garota forte, que teve que amadurecer cedo demais. Desde que a tia Malévola foi embora, você tem enfrentado uma barra pesada demais. Eu tentei deixar as coisas mais fáceis para você, mas acho que falhei.

- Não! Você foi a única pessoa em nossa família que se aproximou de mim e me deu amor. Kara, você foi como a mãe que eu nunca tive. Eu sinto muito por ser um peso para...

- Você não é um peso, Mal! - Kara me interrompe, parecendo realmente irritada com a minha fala. - Eu te amo e tenho muito orgulho de você. É exatamente como você disse. Durante todo esse tempo, você sempre correu atrás de seus objetivos, sem se importar com o que as pessoas diziam de você. Toda vez que eu olho para você, vejo uma garota linda, inteligente e justa, que luta com todo seu coração pelo que acredita. Então, nunca pense que você é um peso, porque para mim, você é a minha inspiração e orgulho. Você me inspira a aceitar quem eu sou e a ter forças para lutar. Sabe que se fosse por mim, você estaria morando aqui comigo há muitos anos.

- Kara, eu... - Tento me explicar, mas sou interrompida mais uma vez.

- Está tudo bem. Não precisa se explicar. Eu sei que você tem seus motivos. E eu vou esperar até que você esteja pronta para me contar. Até lá, continuarei sendo o ombro amigo e o porto seguro que você pode usar sempre que precisar. - Minha prima sorri e limpa as lágrimas em meus olhos que insistiam em descer.

- Eu te amo muito. - Declaro, abraçando a loira, que imediatamente corresponde.

- Vocês são tão lindas. - Comenta Lena com uma voz forçadamente doce, fazendo com que rissemos em meio ao choro bobo de nós duas. - Eu poderia ficar a noite toda vocês fazendo essa fofa declaração de amor, mas eu realmente estou curiosa para saber sobre a história por trás do príncipe encantado de Mal.

- Eu confesso que também estou me segurando de ansiedade. Afinal de contas, Mal e Ben podem ficar juntos? - Pergunta Eleven, curiosa.

- Sim! - Afirma Evie, animada. Ela se recuperou rapidamente do choro e exibia toda a elegância que apenas uma aprendiz de uma das maiores estilistas da cidade, Isobel Flemming, seria capaz de conseguir.

- Não! - Nego no mesmo instante, repreendendo Evie com o olhar.

- Sim ou não? - Questiona Kara, confusa.

- Ben está sendo chantageado pela Audrey para ser o namorado dela. Ele é completamente apaixonado pela Mal, mas não pode ficar com ela porque tem medo do que Audrey pode fazer com a mãe dele. - Resume Evie e isso parece deixar todas ainda mais confusas.

- Espera. O que a Audrey poderia fazer com a mãe de Ben de tão grave ao ponto de dele concordar com a chantagem dessa maluca? - Questiona Eleven, encarando-me com os brilhos em busca de respostas.

- A mãe de Ben tem uma síndrome que não tem cura. Ou pelo menos não tinha. O fato é que ela era bailarina e teve que desistir de todos os seus sonhos por causa da doença. Essa síndrome faz com que a pessoa comece a perder os movimentos do corpo até que seus órgãos pare de funcionar. Os pais de Audrey trabalham no Hawkins National Laboratory e parecem ter descoberto uma cura para essa doença terrível. A mãe de Ben está quase no final do tratamento e ele disse que ela está praticamente curada. Mas se o tratamento for interrompido, ela pode voltar ao estado catastrófico em que ela ficou quando foi parar na UTI sem conseguir respirar, porque seus pulmões estavam atrofiando. - Explico e vejo Eleven ficar pálida na mesma hora. Kara prende a respiração e encara a menina, preocupada. - El, você está em?

- Sim. - Responde sem muita confiança, enquanto engole em seco. - É só que esse laboratório me fez vítima de seus estudos por muitos anos. Foram os piores onze anos da minha vida. Ao mesmo tempo, o pai de Mike é o presidente desse lugar. Tem muita coisa errada envolvida nesse laboratório.

- Eu sinto muito. - Lamento e Eleven dá um fraco sorriso, negando.

- Está tudo bem. Já ficou no passado. - Afirma Eleven, um pouco mais animada. - Mas realmente me preocupa que a mãe de Ben esteja sendo usada para estudos. Mesmo tendo resultados positivos, eu não sei se a família de Ben pode confiar neles. 

- Então deixa eu ver se eu entendi. - Começa Lena, pensativa. - Você e Ben são apaixonados um pelo outro, mas não podem ficar juntos por causa de uma adolescente mimada de merda que acha que pode controlar a vida das pessoas e está chantageando o próprio "namorado" usando a saúde da mãe dele como moeda de troca?

- Exatamente. - Responde Evie, indignada.

- Não é bem assim. Eu estou apaixonada por ele, mas não sei se posso dizer o mesmo dele. Mas o restante está certo. - Explico e Evie revira os olhos, frustrada.

- O garoto faz de tudo por você, enfrenta pessoas perigosas, encara seu pai, fica sempre do seu lado, é um fofo com você e até mesmo se coloca em risco apenas para te ajudar e você ainda tem dúvidas de que ele é apaixonado por você? O que mais você precisa para ter certeza disso? Que ele alugue um carro de som e anuncie por toda a cidade o amor dele por você? - Questiona Evie com ironia. Bufo, irritada. Ela se aproxima de mim e me encara com aquele olhar desesperado que ela só faz quando tenta colocar algo em minha cabeça. - Abre seus olhos, Mal. Ele te ama e você também o ama. Vocês são perfeitos juntos. Tudo o que precisam fazer é arrumar uma forma de se livrar da maldita Audrey.

- Se quiser, eu posso cuidar disso de um jeito prático. Ela pode simplesmente, do dia para noite, conhecer o inferno mais cedo, se é que vocês me entende. - Propõe Lena, indicando que poderia matar a bruxa que tem me assombrado nos últimos três anos. Rio e a encaro com divertimento.

- Oferta tentadora. É uma pena que terei que recusar. - Respondo e ela finge ficar decepcionada.

- Muito tentadora mesmo. - Comenta Evie, em falso desanimo.

- Você que sabe. Mas se mudar de ideia, é só me ligar. - Fala Lena e Kara nega, balançando a cadeira.

- Pode deixar. - Afirmo, rindo.

- Você não deveria estar incitando violência a ela. - Kara repreende a melhor amiga, que a encara entendiada.

- Não fale como se você também não desejasse isso. - Resmunga a mulher de longos cabelos pretos. 

- De qualquer forma, o que você vai fazer, agora que finalmente descobriu o que sente por Ben? - Questiona Eleven, levantando um ponto que eu estava evitando pensar desde que entendi meus sentimentos. - Quer dizer, você não pode continuar fugindo disso por muito tempo e acho que será difícil conseguir se controlar na frente dele, sabendo que está completamente apaixonada por ele.

- Eu não sei. - Respondo, incomodada. De repente, meu celular vibra em cima da mesa de centro da sala. Pego o aparelho e vejo que recebi uma mensagem de Ben me convidando para sair com ele amanhã. Respiro fundo e respondo, concordando com a ideia. Sorrio levemente para as garotas da sala. - Por enquanto, eu apenas vou deixar a coisas fluírem naturalmente. Deixa para eu me preocupar com isso mais para frente.

- Mal, se você não pretende lutar pelo seu amor por Ben, essa é a melhor hora de se afastar. Sentimentos como esse não são fáceis de controlar. Uma hora você vai acabar não aguentando mais esconder e pode acabar se machucando. - Aconselha Kara, preocupada. 

- Não se preocupe. Eu vou ficar bem. - Digo, sorrindo. Respiro fundo, encarando a mensagem de Ben e sussurro para mim mesma: - Eu vou ficar bem.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...