1. Spirit Fanfics >
  2. Detetive Park- (park jimin ) >
  3. Parceiro possessivo

História Detetive Park- (park jimin ) - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Olá amoresss😍😘😉

Capítulo 9 - Parceiro possessivo


Previously in Detetive Park:

Decidida a desligar o aparelho de vez, jaehyun verbalizou:

Now:

— S/n fique à vontade para  atender! — Falou, compreensivo, olhando o meu desconforto.

— Não é ninguém importante! —  comentei, fingindo controle através de um sorriso indeciso.

— Talvez, seja alguma emergência— reforçou.

Sem alternativas, concordei com a cabeça, e atendi o menino park irritante.

[Ligação-ON]

— S/n por que você não atendeu a minha ligação! Barata cascuda! Por que? Existe algo mais importante que o seu parceiro te ligando desesperadamente? — Sabia que ele gritaria. — O chefe nos mandou....—

Quando ele começou, eu o cortei. Coloquei a mão na boca para abafar a voz, e o meu jaehyun não escutar o que eu estava prestes a dizer, pois descobriria que a garota a sua frente não era exatamente a fofa que eu fingi ser durante todo aquele tempo.

— Escuta aqui seu merdinha!  vá pertubar a puta, inconha!— insultei, baixo e firme. Finalizei a ligação na cara dele, tirando qualquer chance de continuar com os seus surtos. E desliguei o celular para ter a convicção  de que não me pertubaria mais.

Voltando ao jaehyun o meu coração se acalmou e ofereci um sorriso gentil de tudo resolvido para ele, e fui retribuída às alturas com aqueles dentes brancos perfeitos que o rapaz tem.
Voltamos a estaca zero, a ligação inconveniente levou todo o clima necessário para um beijo.
Começamos a conversar, e ele falava sobre a sua profissão, coreógrafo, enquanto eu desviava ao máximo à atenção da minha.

— S/n! Porra S/n! Cadê você? S/n? Vocês viram uma... Mulher que não se parece com uma, mas é uma... — Jimin apareceu no estabelecimento gritando como um louco, espantando alguns clientes e assustando outros— é um inconveniente mesmo— Depois que o seu olhar me encontrou , ficou mais visível a sua  carranca irritadissima.
— A não! Que droga— resmunguei, baixo, envergonhada. Todos já havia notado que eu era a s/n, aquela que jimin chegou denegrindo a imagem.

Tentei enfiar a cara embaixo da mesa, mas já era tarde demais.
Como ele me encontrou? Que pergunta mais idiota. Rastrear um celular é como amarrar um cardasso para nós. Será que vou precisar pedir licença com o jae para ser sem educação e terminar de quebrar a cara de rato do jimin? Ele não aprende nunca! Ranço! 

Jimin chegou na nossa mesa de um jeito espalhafatoso. O que fez balançar a garrafa de bebidas, e copos.  Se quebrasse, o prejuízo seria por conta dele. 

Puxando-me pelo braço, colocou-me de pé forçadamente. E para piorar pressionou o meu corpo contra o seu, numa intimidade assustadora. Ele quer morrer?

— Como ousa desligar na minha cara s/n? — Encarou-me a zero centímetro de distância. Deixando seus lábios entreabertos demonstrando estar insultado.
Queria entender de onde havia arranjado tanta bravura. Eu me Segurava para continuar civilizada e  não lhe arrancar os cabelos da cabeça.
— Espera aí, o que é isso na sua fuça?  Garota, você está usando maquigem...— Levou a mão que não segurava o meu braço, para acariciar falsamente o meu rosto. E deu um rápido sorriso, malicioso que se eu piscasse os olhos não o veria.
— E esse vestido aí... Por causa dele eu demorei para reconhecer você quando cheguei aqui. Eu sempre achei que  fosse um homem, pelo visto estava enganado. Mas você está certa de não usa-lo nunca, não combina nada com o seu estilo... masculo. — Encarou-me, provocando de todas as formas, e bafejou contra a minha cara propositalmente. Eu respondi com uma expressão de nojo.

— jimin me solta desgraça! Me solta! Você não tem o direito de vir aqui estragar a minha noite! Me solte, que eu ainda não estou irritada. — Agonizada, tentei empurra-lo pelo peito.

— Solte ela! Ela já disse para você solta-la. Não escutou direito?— Jae entro  em ação, lembrando-me que ainda permanecia ali o tempo todo, vendo a cena ridícula com o jimin.

— Cala a boca! Não se intrometa!— Jimin, falou com desdém, e lhe inferiorizou, quando retornou os olhares para mim.

—  Mas afinal quem é você? — Jae, perguntou, pertubado.

— Eu? — Sorriu, maldoso. — Eu sou o namorado dela, e vim busca-la. Por que? Você tem alguma coisa contra? Se tiver, você quer conversar lá fora e resolver? Porque eu acho que aqui está ficando... meio abafado. E... realmente acho que deveríamos trocar umas ideias, para você me contar o que estava fazendo com a minha namorada. Vamos lá fora! Sem demoras cara. — Jimin exaltado, pareceu ameaçar.

Namorada dele? Me poupe! Não me venha me fazer de substituta de Jeongyeon. Namorada! Esse termo foi a desculpa mais ridícula que ouvi na vida. O que ele pensou ao dizer isto? Quer acabar com a minha vida? Se um dia pensei ser namorada dessa coisa, estava cega.

Jae ficou quieto, por incrível que pareça. Afinal, jimin intimidador vestia couro preto da cabeça aos pés, para completar usava botas, tão ameaçador quanto ao lider de uma gangue. Com uma expressão raivosa e um brilho assassino nos olhos. Quem seria o louco de contraria-lo e ser pego de surpresa pelos seus capangas? Ser esfaqueado e jogado numa mata?
O rapaz ajeitou a roupa, colocou um dinheiro sobre a mesa, o suficiente para a conta, suponho. Virou-se para mim e proferiu algumas palavras secas:

— Tchau s/n! Muito Obrigado! Foi tudo muito bom! Aproveite a noite com seu namorado. —

E saiu não me dando chances de me desculpar.

— Jaehyun espera! Jae... — Tentei acalca-lo com a voz. Tenho certeza que escutou, mas apenas me ignorou.

— tire essas mãos sujas de mim, seu filho da puta!— Desprendi-me dos braços do jimin, que a todo momento me mantinha presa a ele como uma posse, e limpei o lugar aonde ele segurou como se fosse me passar alguma bactéria.

Para piorar tinha uma cambada de pessoas me olhando, nem tanto para o maluco que fez escândalo. Era para mim. Certamente parecia a  estrangeira sem-vergonha que coloca mais que um par de chifres no namorado , e ainda faz confusão perrubando a tranquilidade dos outros.
Chateada, peguei a minha bolsa e saímos em dupla. Ele atrás falando um monte de bosta, eu na frente fingindo que ele não existia. Meu sonho no momento era surra-lo no asfalto, sabe de um jeito que o faça parte do pavimento. Por mais que eu queria gritar até ficar rouca, engoli as palavras, e prometi  manter distância de jimin naquela noite, pelo bem da minha carreira.

O assunto "urgente" que levou  jimin a destruir o início de uma possível vida amorosa, era praticamente uma bobagem. O  chefe queria que ficássemos de plantão, fazendo blitz de trânsito para fiscalização de um caminhão que estava transportando material ilegal, drogas e outras merdas.

  Era meu horário de descanso, podia muito bem convocar outro no meu lugar. 
Eu trabalhei a noite toda, mas tudo  pela força do ódio. E não encontramos merda nenhuma de caminhão ilegal, mesmo passando horas revistando os milhares  que cortaram o trecho que paralisamos.
E jaehyun? Sumiu da minha vida. Nunca mais o vi, nem tive notícias. Parece até que trocou o número para cortar a nossa comunicação. Tudo por culpa do jimin que estragou meu primeiro date.
As chances de ter um namorado legal e bonito se desfizeram ao mesmo nível que estiveram de se concretizarem.
Jimin conseguiu mesmo  me deixar solteira, enquanto ele fica lá com a modelo perfeitinha. Não tem como não odia-lo, não depois dessa. Eu juro que tentei! 

Continua???


Notas Finais


O que vc faria se Jimin estragasse o seu encontro com um boy promissor?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...