História Detroit: Andróides e Humanos - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Detroit: Become Human
Personagens Connor, Kara, Markus, Personagens Originais
Tags Amizade, Amor, Connor, Detroit, Detroit: Become Human, Gavin, Hank, Markus, Mistério, Paz, Perguntas, Romance
Visualizações 105
Palavras 1.635
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom dia, Boa tarde e Boa noite meus lindos e lindas! Trago a vocês depois de anos o capítulo 11! Peço perdão pela demora, agora sem enrolação e vamos começar!

Capítulo 11 - Liberdade?


Fanfic / Fanfiction Detroit: Andróides e Humanos - Capítulo 11 - Liberdade?

— Hoje é o dia.

— Isso tudo me preocupa... — fiquei de frente para o espelho do meu quarto me observando — Minha roupa tá boa? Não têm nada de errado, né? Acha que exagerei?

— Uma calça legging acompanhado de botas e um casaco preto com um cachecol branco, elegante. Gostei.

— Certeza? É a Presidente que vai tá lá e quero que tudo dê certo.

— Confia em mim, não têm o porque se preocupar.

— Jade? — Ouvimos leves batidas na porta — Está pronta? — Perguntava Connor.

— S-sim, tô indo.

— Vou acompanhar tudo e trate de fazer bonito.

— Tudo bem — respirei fundo antes de abrir a porta.

Fomos até a sala e encontramos Connor terminando de ajeitar seu novo terno preto.

— Não me sinto tão elegante quanto ele...

— Para de ser insegura, você tá um arraso! Agora respira bem fundo e conta até 10 que esse nervosismo todo passa.

— Promete tomar cuidado?

— Ryan tá aqui comigo — ela deu leves tapas nos ombros do andróide, que a encarou, sem entender, com seus olhos azuis da cor do oceano.

— Cuidarei dela, não se preocupe — ele dizia tirando as mãos de minha irmã do seu ombro.

— Vamos? — Connor sorriu e ofereceu sua mão.

— Seja o que Deus quiser... — segurei sua mão e ele entrelassou nossos dedos. Aquela pequena atitude me deixou envergonhada, já Kat parecia se divertir com a cena.

Chegamos, finalmente, na casa de Carl, que agora era apenas de Markus. Entramos e o encontramos com Simon na sala de estar, ambos já vestidos com seus ternos prontos para receber Warren.

— Estou começando a ficar cada vez mais tenso.

— Você não é o único nessa situação, Simon. Parece que têm borboletas no meu estômago, se não fosse Connor nem teria tomado o café da manhã...

— Temos que manter a postura e mostrar que estamos confiantes e determinados. Todos estão em seus lugares prontos para agir caso algo ocorra e espero que nada saia do controle.

— Vamos conseguir, Markus, pode ter certeza — sorriu Connor.

— Ele têm razão, vamos conseguir — concordei e a campainha começou a tocar.

— Eu atendo — Markus tomou a frente e abriu a porta — Boa tarde, Sra. Warren.

Vamos lá, Jade, se controle. Fique calma e tranquila é só uma pessoa, uma pessoa que pode destruir nossos planos na mesma hora.

— Boa tarde, Markus — a vi sorrir simpaticamente antes de entrar na casa com um homem muito bem vestido.

— Presidente? — Connor a cumprimentou com um beijo nas costas de sua mão — Me chamo Connor, é um prazer conhecê-la.

— Sou Simon, ao seu dispor — agora foi a vez dele de a cumprimentar.

— Prazer conhecê-los, rapazes — era incrível como aquele sorriso e a calma não saíam dela a nenhum momento sequer.

— Jade Collins, Sra. Warren — desta vez fui eu quem a cumprimentei com um aperto de mão.

— Conheço seu pai, um homem admirável. Realmente, a senhorita puxou a ele.

— Obrigada, Sra. Presidente — continuei com o sorriso, mas a minha vontade era a de negar aquela afirmação com todas as minhas forças.

— Espero que não se importe por eu ter trago algumas pessoas a mais.

— Não se preocupe com isso, Markus. Sei que deve confiar bastante neles, assim como confio no Jarvis, meu acompanhante — ela colocou a mão no ombro do homem que deu um curto aceno para nós.

— Fiquem a vontade, sentem-se — Markus dizia e se sentou em um sofá enquanto os dois se sentaram no outro de frente para ele.

— Gostaria de beber algo? — Ofereci.

— Aceito uma água, por favor. A viagem foi um pouco longa.

— E o senhor? — Perguntei e ele apenas negou com a cabeça sem dizer uma palavra. Pelo visto aquele cara não era muito de falar.

— Trago em um instante — Simon se retirou e eu me sentei ao lado de Markus enquanto Connor ficou parado em pé ao nosso lado.

— Acompanhamos sua manifestação pacífica no centro dois dias atrás, acho que sabe disto.

— Não queríamos que nenhuma gota de sangue fosse derramada, independente de sua cor. Não há motivos para ter começado uma guerra e nem nada do tipo, só queremos liberdade, igualdade e direitos.

— A música que cantaram foi encantadora. "Hold On Just A Little While Longer" — a Presidente cantou uma pequena parte da música de olhos fechados, curtindo o momento — Tenho certeza de que encantou a todos os outros.

— Agradecemos pelo elogio, Senhora — Markus agradeceu e logo Simon apareceu com uma bandeja.

— Muito obrigada, meu jovem — ela agradeceu e tomou um gole da água antes de continuar a falar — E a Srta. Collins? Foi muito corajosa em ter despertado aqueles andróides e vejo que isso custou algo — dizia se referindo ao meu olho roxo.

— Bom, essa é uma longa história. Enfim, na minha opinião não foi muito fácil, encontramos diversas interrupções e problemas, mas no final tudo deu certo.

— O que despertou esta vontade de ajudá-los?

— Sempre gostei dos andróides e todos os dias eu os via sendo maltratados, humilhados, xingados, agredidos e torturados. Em todos os casos que participei isso acontecia e vi que era... injusto. Mesmo eles tendo passado por tudo isso escolheram a forma mais pacífica de lidar com essa situação.

— Nosso objetivo é ser livre e não causar violência. Sabemos que estas nossas atitudes mudaram a vida de milhões de pessoas, mas o importante é que nenhuma dela teve sua vida tirada — completou Markus.

— Olhem, quero ajudar vocês — ao ouvir suas palavras me senti aliviada, parecia que eu estava no céu — Conversei com o Senado e a maior parte dele aceitou em dar a todos vocês seus direitos, sua igualdade e liberdade, sem falar que vocês estão vivos, são seres vivos e merecem respeito assim como os outros.

Por favor, alguém me diga que não foi um sonho.

— Podem levar algum tempo até as novas leis serem feitas e aprovadas, mas garanto que tudo o que desejam será realizado. Agora tenho uma pergunta — ela deu mais um gole em sua água — Qual acham o melhor futuro para Detroit?

Markus me olhou e fez um sinal com as mãos para que eu respondesse.

— B-bom, aceitaremos com muito amor e carinho as pessoas que quiserem morar nessa cidade. Não vamos proibir visitantes e muito menos futuros moradores.

— As novas leis serão feitas o mais breve possível e logo poderão se candidatar para a política e decidir um ótimo prefeito para esta nova cidade. Os caminhões de abastecimento de alimentos, gasolinas e entre outros voltarão a funcionar tranquilamente sem nenhum problema.

— Sra. Warren, qual a situação das pessoas que evacuaram Detroit? — Perguntei sem tentar demonstrar o quanto estava curiosa pela resposta.

— Canadá as acolheram e terão 8 meses para ajeitarem tudo e procurarem um emprego novo.

— E o caso CyberLife? — Markus perguntou em seguida.

— Voltará ao trabalho assim que as novas leis estarem feitas e forem colocadas em prática, não se preocupem, pois continuarão a produção de andróides só que desta vez sem serem vendidos. Alguma dúvida?

Negamos antes de nos levantar.

— Obrigada por nos aceitarem bem e sejam felizes, sejam livres e vivam.

Nos despedimos da Presidente e de Jarvis que continuou sem dizer nada. Ao saírem e Markus fechar a porta me joguei no sofá, tentando armazenar tudo que havia ocorrido.

— Somos livres! — Simon exclamava alegremente abraçando Markus, que também ria e comemorava.

— Está bem? — Connor se sentou ao meu lado sorrindo.

— É verdade isso? Sem guerra? Sem tiro? Sem bombas?

— Sim!

— Fizemos tudo aquilo a toa então?

— E-exato...

Um sorriso se formou em meus lábios e eu dei um longo suspiro de alívio.

— Ainda bem que toda aquela preocupação e correria foi em vão — ergui meus braços, agradecendo aos céus — Não vou ficar reclamando, porque tô muito feliz por isso.

— Haha, temos que comemorar! — Simon se jogou no sofá ao meu lado.

— No momento quero me acalmar, parecia que a qualquer momento minha cabeça ia explodir de tanto medo e preocupação.

— Já avisei a todos — Markus se sentou conosco.

— Nessa hora Kat deve tá pulando de alegria por todo lado — dei risada.

...

— Não acredito! — Larguei meu notbook no sofá e comecei a dar pulinhos de alegria — Nós ganhamos, não vai comemorar?!

— "Comemorar"?

— Mas é claro, por que? Não gostou que vai ser livre?

— É que... não sei como poderia comemorar, isso não faz parte dos meus programas.

— Não seja chato! — Puxei ele pelos braços, o fazendo levantar do sofá — Aproveita!

— Só vou comemorar quando as leis estiverem prontas e funcionando da maneira certa.

— Estraga prazeres — resmunguei e soltei seus braços.

— Não podemos comemorar antes da hora.

— Ora, não comece com essas idiotices, por favor — revirei os olhos e ouvi o telefone tocar — Alô?

— Já acabou a reunião?

— Sim e você não sabe! Eles estão, finalmente, livres! Warren vai escrever as novas leis!

— Puta merda, já tava na hora dessa porra acontecer. Onde aqueles dois tão?

— Ainda na casa de Carl, tenente, mas acho que daqui a pouco vão estar de volta.

— Manda os parabéns por mim? Depois vou ver se apareço aí.

— Pode deixar! Nos vemos mais tarde então?

    — É, provável. Tchau — ele desligou sem dizer mais nenhuma palavra. Parecia que estava com pressa, mas... pressa do que...? 

....................................................................


Notas Finais


Agradeço a todos vocês por terem chegado até aqui, espero que tenham gostado meu anjinhos! Obrigada por tudo e até breve!

Beijinhos!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...