1. Spirit Fanfics >
  2. Deuses do Olimpo e os Asgardianos 2 >
  3. Capítulo 32

História Deuses do Olimpo e os Asgardianos 2 - Capítulo 32


Escrita por: Circ3

Notas do Autor


Bom dia meu povo!
Trouxe capítulo novo!
Gente, esse capítulo é muito especial!!
Espero que vocês gostem, porque personagens bem legais vão surgir daqui para frente!!

Capítulo 32 - Capítulo 32


Em algum lugar abaixo da superfície

A cobra se preparava para lançar seu veneno espumante em direção ao deus do trovão e Thor não tinha nada que pudesse usar para se proteger. Seria o fim do herdeiro de Odin? Aparentemente não. Ainda não.

O deus da sabedoria sacou sua espada rapidamente. De maneira firme e certeira degolou a cabeça de serpente da horripilante quimera. No chão, a víbora se remexia e contorcia completamente inerte do seu destino fatal. 

Melinoe arregalou os olhos ao ver o cenário épico que se formava entre os filhos de Odin e a monstruosidade. A filha de Hades continuou entoando seu cântico em latim até que a passagem central se abriu aos seus pés.

_ Corram!_ A deusa da loucura gritou.

Thor e Balder seguiram a voz da deusa dos fantasmas enquanto o leão e a cabra se recuperavam para um próximo embate. Os filhos de Odin viram quando os longos cabelos ruivos de Melinoe afundaram na passagem subsolo, indicando que ela já estava a caminho do próximo desafio.

Os asgardianos seguiram o mesmo passo. Thor primeiro. Balder por último. Aquele caminho parecia bem mais profundo que o primeiro. Desciam cada vez mais para as profundezas do mundo inferior.

Melinoe foi a primeira a chegar ao solo. Seus olhos estavam à espreita de qualquer movimento, a tocha em sua mão completamente apagada. Não demorou muito para a chegada de Thor e Balder. E assim, mais uma passagem se fechou.

_ Estão todos bem?_ A filha de Hades perguntou.

_ Dentro do possível._ Balder respondeu se limpando do acumulo de terra que carregava junto a suas roupas.

Thor concordou com a cabeça mesmo que sentisse algo queimando no seu antebraço. O deus do trovão relutou em contar que havia sido atingido pelo veneno espumante da serpente. Ele contava com o fato de ser um deus, já havia enfrentado coisas piores em Svartalfheim e Muspelheim.

O lugar em que haviam descido tinha a aparência mais cavernosa. Mais especificamente uma gruta. E havia barulho de água, quase que como a nascente de um rio.

_ Procurem qualquer sinal de algo no chão._ Melinoe aconselhou.

E mais uma vez os deuses caminharam sem obter a resposta que procuravam. Chegaram na fonte da água. Um beco sem saída.

_ Não era para isso acabar assim._ A filha de Hades disse baixo.

_ Tem algo errado._ Balder concordou.

_ Estamos presos?_ Thor perguntou com a respiração um pouco afetada.

_ Não. Todas as passagens levam a algum lugar. Pode demorar mais ou menos. A quantidade de monstros varia... Mas vamos chegar aonde queremos._ Melinoe explicou.

O deus do trovão apoiou seu corpo sobre a parede da caverna enquanto Melinoe e Balder procuravam por qualquer indício de portal. Estavam terrivelmente abaixo da superfície, o único modo de saírem dali era seguindo adiante.

Balder começou a pensar o que poderiam estar esquecendo. Se Melinoe tinha razão sobre as passagens que sempre levavam a um mesmo lugar não havia como estarem presos ou perdidos. E então, uma luz iluminou os pensamentos do deus asgardiano. Uma luz literal.

Enquanto Melinoe tateava algumas rochas e Thor observa as ações da filha de Hades, Balder foi mais esperto. O deus da sabedoria notou uma luz que surgia da grande fonte de água.

_ Aqui!_ Balder disse em direção aos deuses.

Melinoe se aproximou e arregalou os olhos.

_ Ótimo!_ A deusa da loucura disse.

_ É o mais próximo que temos de uma passagem..._ Balder disse.

Thor se aproximou e todos começaram a retirar as rochas da fonte, aumentando cada vez mais a intensidade da água e da luminosidade.

Uma última pedra. Thor retirou a última quando o chão começou a estremecer. O solo cavernoso se liquefez e os sugou para dentro. Água, lama e rochas. Tudo rolava junto aos deuses.

Dessa vez, caíram juntos num lago salgado e  turvo. Thor e Balder emergiram da água quase que juntos. A deusa da loucura ainda permanecia debaixo d’água.

_ Eu vou procurá-la._ Balder disse a Thor.

O deus da sabedoria tentou em vão. A água era escura demais. Quando Balder ascendou novamente do lago e sua resposta foi negativa, ambos os deuses viram- se preocupados.

Poucos segundos se passaram até que a filha de Hades ressurgiu tomando grande fôlego.

_ Tem alguma coisa lá no fundo com escamas..._ Ela disse enquanto se engasgava com a água. Ela conseguia ver bem melhor que os filhos de Odin, era sangue do submundo que corria em suas veias.

Balder sentiu quando algo passou entre suas pernas. De repente, a criatura emergiu, metade cavalo e metade peixe.

_ São... Hipocampos?_ O deus da sabedoria perguntou.

_ São..._ Melinoe afirmou confusa.

Outro hipocampo surgiu próximo ao deus do trovão. A criatura parecia curiosa, mas não era agressiva.

_ Eles não pertencem à Poseidon?_ Thor perguntou quando um dos animais colocou a cabeça próximo ao deus, para que ele a acariciasse.

_ A maioria sim... E são criaturas passivas. Não devemos nos preocupar com eles ..._ A deusa da loucura acrescentou.

Os hipocampos surgiam aos montes curiosos pelos visitantes.

_ Tudo bem se montarmos neles?_ O deus do trovão perguntou enquanto acariciava um hipocampo carente. Parecia algo astuto a se fazer, eles podiam nada muito mais rápido que os deuses.

O ambiente parecia tranquilo, até que algo começou a movimentar o lago. Ondas se iniciaram. Os três deuses, cada um em seu hipocampo, aguardaram para que a água se estabilizasse.

_ Tem algo abaixo de nós._ Balder expressou sua opinião.

_ Eles estão aqui por que são..._ Thor se preparava para dizer quando foi interrompido.

_ Comida! _ Melinoe gritou. _ Temos que ir embora, agora!_ A filha de Hades disse indicando para uma caverna do lado direito.

E quando os deuses se preparavam para seguir, água começou a sacudir novamente. Os hipocampos surgiam aos montes na superfície, deixando as profundezas para a criatura horrenda que os devorava.

~~~

Império de Osíris

O passeio pelo império corria bem, Atena, Hermes e Perseu caminhavam com Hator, Bastet, Tueris e um curioso Thoth. O último parecia interessado em uma conversa com o jovem semideus, enquanto Hermes em seu jeito falante divertia Bastet e Hator.

Tueris caminhava ao lado da deusa da sabedoria, a deusa da fecundidade andava quase que colada a Senhora do Olimpo com um sorriso estranho no rosto.

_ Hermes disse que não estava muito bem pela manhã..._ Tueris iniciou._ Mas se sente melhor agora?

_ Sim._ Atena respondeu com sinceridade, mesmo que confusa.

_ Eu sou ótima companhia quando se trata dessas coisas._ Tueris disse orgulhosa, acariciando os braços de Atena com suas patas de leoa._ Você só precisa se acalmar...está perto._ Tueris continuava sorrindo.

Atena devolveu o sorriso por educação. “ Que tipo de gente maluca tem por aqui?’’ a deusa pensou. Mas precisava manter a diplomacia, mesmo que se sentisse desconfortável por todo aquele toque. Estavam invadindo seu espaço. Tueris era invasiva.

_ Você precisa entender a Hator, as notícias nunca chegam como realmente são e às vezes as circunstâncias indicam outras coisas. Mas Osíris não acredita que nem Asgard ou Olimpo representem uma ameaça para nós. E isso é o que realmente importa._ Tueris explicou.

Atena concordou com a cabeça, pensando que Tueris era o tipo de deusa que falava e falava, mas tudo sem muita conexão.

_ As circunstâncias indicam outras coisas? _ A deusa da sabedoria perguntou.

_ É claro... Uma união dessas e suas consequências são notáveis. Eu poderia ver a quilômetros o que se passa na sua cabeça... _ Tueris disse lançando uma piscadela.

“Maluca. Completamente maluca” Atena pensou. A deusa da sabedoria percebeu que a deusa da fecundidade relacionava suas recentes dores de cabeça a união com o herdeiro de Asgard.

_ É diferente do usual, devo admitir. Contudo, dada as condições do seu nascimento é até interessante. _ Tueris sorria.

A paisagem da caminhada parecia um verdadeiro oásis. Tudo tão verde, fresco e luminoso. Tão propício para uma nova descoberta.

_ Não..._ Atena disse baixo para Tueris em completa negação.

_ Sim!_ Tueris disse sorrindo enquanto colocava suas patas ao redor da cabeça da deusa da sabedoria.

Atena balançava a cabeça negativamente e Tueris sacudia a sua positivamente. A deusa da fecundidade tinha uma expressão de satisfação, afinal, ela havia contado a novidade.

_ Esse tipo de luz e energia é único. Eu tenho certeza absoluta! _ Tueris ainda matinha as patas no rosto da deusa.

_ Não..._ Atena disse quase que roboticamenente. A única coisa que saía de sua boca.

Mesmo mais a frente os outros deuses perceberam a estranha situação entre Atena e Tueris.

_ O que está acontecendo entre elas?_ Perseu perguntou a Thoth.

_ Acredito que Atena esteja passando por um episódio de alta revelação e Tueris está indicando esse caminho de iluminações._ Thoth disse com sua sapiência.

_ O quê?_ Hermes perguntou confuso.

_ Uma epifania._ Thoth resumiu.

_ Diga a ela Bastet._ Tueris mantinha seu sorriso no rosto.

_ É... Isso está bem estranho..._ Hermes disse e começou a caminhar até a irmã.

_ Você tem que manter a calma agora minha querida. Eles precisam de você._ Tueris disse baixo, retirando as suas patas da deusa da sabedoria.

E com isso, o encanto de Tueris se desfez. As visões da Senhora do Olimpo retornaram com intensidade. O velho viking e ruivo quase sussurrava em seu ouvido. “ Eles serão o futuro de Asgard.” A voz ecoava pela sua mente. “ Assim como eu, Odin e Thor.” A voz masculina continuava.

Ao fundo da situação caótica, uma tempestade de areia se aproximava.

_ O que é isso?_ Perseu disse colocando a mão sobre os olhos.

Atena despencou sobre o chão enquanto era amparada por Tueris.

_ O que você fez?_ Bastet perguntou agressiva para a deusa da fecundidade e nascimentos.

_ Eu contei a ela. _ Tueris explicou.

A tempestade se aproximava e as pessoas corriam para se protegerem.

_ Temos que voltar para o palácio._ Hator disse.

_ Ele está chegando._ Thoth disse indo em direção à Hator.

Atena permanecia no chão desacordada, seus olhos entreabertos dissipavam eletricidade. O céu estava carregado de nuvens tempestuososas.

_ Ela está fazendo isso?_ Bastet disse tocando a testa da deusa da sabedoria.

_ Não... Ela faz chover... Mas isso... São como trovões...._ Perseu respondeu.

De repente, a deusa da sabedoria arragalou os olhos em pura corrente elétrica e os raios tomaram conta dos céus.

_ É... Ela está fazendo isso._ Hermes disse.

_ Vocês duas tem que controlar a situação! Não queremos uma inundação aqui! _ Hator gritou ao perceber o rio subindo. A chuva descia fortemente no reino de Osíris.

_ E o que fazemos com a tempestade de areia?_ Perseu perguntou.

Os deuses se olharam indecisos diante daquelas desafios da natureza. Hermes correu em direção à Atena, segurou-a firme em seus braços e correu rumo ao palácio. Os outros seguiram na mesma direção que o deus velocista.

Hermes chegou primeiro, evidentemente, colocamdo-a sobre o chão de mármore. Impotente, desejou ser Apolo naquele momento. Atena mantinha os olhos vidrados e as mãos fechadas. Seus olhos, sua boca, seus ouvidos e seu nariz emanação luz. Os trovões rugiam como verdadeiros leões do lado de fora.

Quando os deuses chegaram ao encontro de Hermes e Atena, eram uma mistura de areia e água. Hator e Thoth decidiram avisar ao velho Osíris e Horus para avisá-los da chegada de um novo convidado.

Tueris, Bastet e Perseu caminharam em direção à deusa da sabedoria. As deusas se colocaram uma de cada lado. Concentrando suas energias para que a Atena se acalmasse e os trovões cessassem.

Aquilo parecia surtir efeito do lado de fora. Os barulhos diminuíam, mas não a chuva. Essa ainda arrasava com o império.

_ Não vai dar tempo._ Bastet arregalou seus olhos gatunos para Tueris.

_ Vai ser agora._ Tueris concordou com a cabeça.

Hermes e Perseu ainda não faziam ideia do que se tratava.

_ O que não vai dar tempo? O que está acontecendo?_ Perseu perguntou.

Antes que as deusas pudessem responder uma enorme luz tomou conta da sala. Tueris segurava a mão direita de Atena e Bastet a esquerda. Todos fecharam os olhos diante de tanta claridade. A areia invadia o salão.


Notas Finais


Oieeee, tudo bão?
Primeiro, o que estão achando dessa aventura maluca no Submundo?
Vocês também querem um hipocampo de estimação?
Quem é a criatura horrenda no lago?
O que está acontecendo no Egito?
Quem é esse velho doido no sonho da Atena? O que está acontecendo com a deusa da sabedoria?
"Eles são o futuro de Asgard" .... O que isso quer dizer?
Tueris ou Bastet?
Quem é o convidado especial ?

Comentem, favoritem...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...