História Deuses lendo Percy Jackson e A Maldição do Titã - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Afrodite, Apollo, Ares, Artemis, Atena, Demeter, Dionísio, Hades, Hefesto, Hera (Juno), Hermes, Nêmesis, Perséfone, Poseidon, Quíron, Zeus
Tags Percabeth Zeus, Percyjackson, Poseidon
Visualizações 76
Palavras 2.945
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense
Avisos: Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


A morte de Bianca

Capítulo 16 - Capitulo 13


 

Meu sobrenome era Di angelo singular de Angeles,que quer dizer Anjo,meu nome era Bianca que em italiano significava branco,juntos completavam anjo branco,o que era ironia por eu ser filha de Hades. Eu tinha doze anos quando fui assassinada em combate.Prontos para a minha morte?.Porque eu não estava.-Feito por mim mesma.

 

- Visitamos o ferro-velho dos deuses- Leu Hefesto-Vão conhecer meus pequenos tesouros. Só não sei se é algo bom.

Nós viajamos no javali até o pôr do sol, o que era o máximo que as minhas costas poderiam aguentar. Imagine viajar em uma escova de aço gigante por um leito de cascalho o dia todo. É o quanto é confortável viajar em um javali.

-Quer voltar e seguir o caminho a pé? Deveria agradecer Pã- Disse Hera.
-Se é que era ele. Ele está perdido a tanto tempo, que nem nós deuses sentimentos sua presença-Disse Poseidon.

Eu não tinha ideia de quantos quilômetros nós cobrimos, mas as montanhas desapareceram na distância e foram substituídas por quilômetros de terra seca e plana. A grama ficava espessa enquanto nós galopávamos (javalis galopam?)

-Não- Disse Atena- Eles trotam mesmo.

pelo deserto.
Quando a noite caiu, o javali parou em um riacho, cansado e resfolegando. Ele começou a beber a água lamacenta, então arrancou um cacto saguaro do chão e o mastigou com espinhos e tudo.
- Isso é o mais longe que ele irá - disse Grover. - Precisamos ir embora enquanto ele está comendo.
Ninguém discutiu. Nós saímos das costas do javali enquanto ele estava ocupado devorando cactos. Então gingamos para longe do melhor jeito que pudemos com nossas assaduras de sela.
Depois do seu terceiro saguaro e outro gole de água lamacenta, o javali grunhiu e arrotou, então se virou e galopou de volta em direção ao leste.
- Ele gosta mais das montanhas - eu imaginei.

-Ninguém gosta do andar no deserto-Riu Hades. Então se lembrou de algo-"Um se perderá na terra ressequida". E se a profecia estiver se referindo ao deserto?

-Nós mais do que ninguém,sabemos que não devemos tentar entender profecias-Disse Quiron.

Mas ele soou vazio,todos sabiam que a profecia se referia ao deserto.

- Eu não posso culpá-lo - Thalia disse. - Olhe.
À nossa frente estava uma estrada de duas pistas coberta pela metade com areia. Do outro lado da estrada estava um grupo de construções muito pequeno para ser um povoado: uma casa murada, uma loja de tacos que parecia não ter sido aberta desde antes de Zoë Doce-Amarga ter nascido e um escritório dos correios de reboco branco que tinha uma placa que dizia GILA CLAW, ARIZONA suspensa tortamente acima da porta. Mais além, havia uma cordilheira de colinas... mas então eu percebi que elas não eram colinas comuns. O interior estava muito plano para isso. As colinas eram enormes montes de carros velhos, ferramentas e outras sucatas. Era um ferro-velho que parecia não terminar nunca.
- Opa - eu falei.
- Algo me diz que não vamos encontrar um carro pra alugar aqui - Thalia disse. Ela olhou para Grover. - Imagino que você não tenha outro javali selvagem na manga?
Grover estava farejando o vento, parecendo nervoso. Ele pegou suas bolotas e as jogou na areia, então tocou sua flauta. Elas se rearranjaram em um padrão que não fazia sentido para mim, mas Grover olhou preocupado.
- Somos nós - ele disse. - Aquelas cinco nozes ali.
- Qual delas sou eu? - perguntei.

-E o que te importa?-Disse Artemis

-Come torta-Berrou Apolo

- A pequena e deformada - Zoë sugeriu.

- Ah, cale a boca.

- Aquele aglomerado logo ali - Grover disse, apontando para a esquerda, - aquilo é problema.

- Um monstro? - Thalia perguntou.

Grover parecia desconfortável.

- Eu não farejo nada, o que não faz sentido. Mas as bolotas não mentem. Nosso próximo desafio...

Ele apontou na direção do ferro-velho. Com a luz do sol quase inexistente agora, as colinas de metal pareciam algo de outro planeta. Decidimos acampar a noite e tentar o ferro-velho pela manhã. Nenhum de nós quis mergulhar na caçamba de lixo no escuro.Zoë e Bianca produziram cinco sacos de dormir e colchões de espuma de suas mochilas. Eu não sei como elas fizeram isso, porque as mochilas eram minúsculas, mas deviam ter sido encantadas para aguentar tanta coisa.

-Presente de Hecate-Disse Ártemis sorrindo para a deusa-Bolsas com feitiço indetectável de extensão

Eu havia notado que seus arcos e aljavas também eram mágicos. Eu nunca tinha pensado sobre isso, mas quando as Caçadoras precisavam deles, eles apenas surgiam nas suas costas. E quando não eram necessários, eles desapareciam.A noite ficou fria rapidamente, então eu e Grover pegamos tábuas velhas da casa em ruínas e Thalia as fulminou com um choque elétrico para fazer uma fogueira. Então logo nós estávamos tão confortáveis quanto se pode ficar em uma cidade fantasma em ruínas no meio do nada.

- As estrelas apareceram - Zoë disse.Ela estava certa. Havia milhões delas, sem as luzes da cidade para tornar o céu laranja.

- Incrível - disse Bianca. - Eu nunca tinha realmente visto a Via Láctea.

- Isso não é nada - Zoë disse. - Nos dias antigos, existiam mais. Várias constelações desapareceram devido à luz da poluição humana.

-A cada ano que passa,sinto que o planeta morre mais-Disse Pérsefone

- Você fala como se não fosse humana - eu disse.

Zoë levantou uma sobrancelha.

- Eu sou uma Caçadora. Eu ligo para o que acontece nos locais selvagens do mundo. Pode-se dizer o mesmo sobre ti?

- Sobre você - Thalia corrigiu - Não ti.

- Mas se usa você para o início da sentença.

- E para o final - Thalia disse. - Sem tu, sem ti. Só você.

Zoë jogou suas mãos para o alto em exasperação.

- Eu odeio essa língua. Ela muda muito frequentemente!

-Isso que é mudar de assunto-Observou Hermes

Grover suspirou. Ele ainda estava olhando para as estrelas pensando no problema da poluição.

- Se pelo menos Pã estivesse aqui ele poderia consertar as coisas.Zoë concordou tristemente.- Talvez tenha sido o café - Grover disse. - Eu estava bebendo café, e então o vento veio. Talvez se eu bebesse mais café...

-Era só o que faltava,Grover se torna um dependente de café.Um cafécólatra-Disse Apolo

Eu estava certo de que café não tinha nada a ver com o que aconteceu em Cloudcroft, mas eu não tinha a coragem para contar ao Grover. Eu pensei no rato de borracha e nos pequenos pássaros que de repente ganharam vida quando o vento soprou.

- Grover, você realmente acha que foi Pã? Quero dizer, eu sei que você quer que seja.

-Percy acha que foi quem?Um duende azul?-Zombou Zeus

- Ele nos mandou ajuda - insistiu Grover. - Eu não sei como ou por quê. Mas era a presença dele. Depois que essa missão acabar, eu vou voltar ao Novo México e beber muito café. É a melhor pista que nós tivemos em dois mil anos, eu estava tão perto.

Eu não respondi. Não queria esmagar as esperanças de Grover.

- O que eu quero saber - disse Thalia, olhando para Bianca, - é como você destruiu um daqueles zumbis. Tem mais um monte deles por aí. Precisamos descobrir como lutar contra eles.

Bianca sacudiu a cabeça.

- Eu não sei. Eu só o apunhalei e ele ficou em chamas.

- Talvez haja algo especial com a sua faca - eu disse.

- É a mesma que a minha - disse Zoë. - Bronze celestial, sim. Mas a minha não os afetou da mesma maneira.

- Talvez você tenha que acertar o esqueleto em um local exato - eu disse.

Bianca parecia desconfortável com todo mundo prestando atenção nela.

- Não tem importância - Zoë disse a ela. - Nós vamos achar a resposta. Enquanto isso nós devíamos planejar nosso próximo movimento. Quando entrarmos no ferro-velho, nós precisamos continuar a oeste. Se pudermos encontrar uma estrada, podemos pegar carona até a próxima cidade. Eu acho que será Las Vegas.

-Chega de experiências na cidade do pecado-Protestou Poseidon.

Eu estava a ponto de protestar que eu e Grover tivemos péssimas experiências naquela cidade, mas Bianca foi mais rápida.

- Não! - ela disse. - Lá não!Ela parecia realmente assustada, como se tivesse caído da escarpa de uma montanha-russa.

Zoë franziu as sobrancelhas.- Por quê?

Bianca tomou um fôlego instável.

- Eu... eu acho que nós ficamos lá por um tempo. Eu e Nico. Quando estávamos viajando. Então não consigo me lembrar...

De repente eu tive um pensamento realmente ruim. Eu me lembrei de Bianca ter me contado que Nico e ela estiveram em um hotel por um tempo. Eu encontrei o olhar de Grover e percebi que ele estava pensando a mesma coisa.

- Bianca - eu disse. - O hotel que vocês ficaram. Por acaso se chamaria Lótus Hotel e Cassino?

-O que me irrita é ela não saber,quem os colocou lá-Disse Hades-A minha única certeza,é que foi algum monstro.Que advogado enfia duas crianças em um internato,depois os deixa em um hotel que os anos não passam,e depois os tira como se fosse a coisa mais normal do mundo,e os põe em um colégio militar?

Os olhos dela se alargaram.

- Como você pode saber disso?

- Ah, ótimo - falei.

- Espere - Thalia disse. - O que é o Lótus Cassino?

- Dois anos atrás - eu disse, - Grover, Annabeth e eu ficamos presos lá. Ele é feito para que você nunca queira sair. Nós ficamos por cerca de uma hora. Quando saímos, cinco dias tinham se passado. Ele faz o tempo acelerar.

- Não - Bianca disse. - Não, isso não é possível.

- Você disse que alguém veio e pegou vocês - eu lembrei.

- Sim.

- Como ele parecia? O que ele disse?

- Eu... eu não me lembro. Por favor, eu realmente não quero falar sobre isso.

Zoë sentou mais à frente, suas sobrancelhas unidas com preocupação.

- Tu disseste que Washington D.C mudou desde que vós estivestes lá no último verão. Tu não te lembras do metrô estar lá.

- Sim, mas...

- Bianca - disse Zoë, - podes me dizer o nome do presidente dos Estados Unidos neste momento?

- Não seja boba - disse Bianca. Ela nos disse o nome certo do presidente.

- E quem foi o presidente antes dele? - Zoë perguntou.

Bianca pensou por um momento.

- Roosevelt.

Zoë engoliu em seco.

- Theodore ou Franklin?

- Franklin - disse Bianca. - F.D.R.

- Franklin é presidente agora-Disse Atena pasma-Agora,em 1945.

- Tipo FDR Drive? - eu perguntei.

Porque, sério, essa é a única coisa que sei sobre F.D.R.

- Bianca - disse Zoë. - F.D.R não foi o último presidente. Isso foi há cerca de setenta anos atrás.

- Isso é impossível - disse Bianca. - Eu... eu não sou tão velha.

Ela olhou para suas mãos como que para ter certeza de que não estavam enrugadas. Os olhos de Thalia ficaram tristes. Eu imaginei que ela sabia como era ser tirada do tempo por um período.

- Está tudo bem, Bianca, o importante é que você e Nico estão a salvo. Vocês conseguiram sair de lá.

- Mas como? - eu disse. - Nós ficamos lá por uma hora e nós mal escapamos. Como você pode ter saído depois de ter ficado lá por tanto tempo?

- Eu já disse a você - Bianca parecia a ponto de chorar. - Um homem veio e disse que era hora de ir.

-Foi tudo planejado-Disse Poseidon-Quem os tirou de lá,os tirou na esperança de um deles fazer parte da profecia.

- Mas quem? Por que ele fez isso?

Antes que ela pudesse responder, nós fomos atingidos por uma luz ofuscante vinda da estrada. As luzes de um carro apareceram do nada. Eu estava meio esperançoso de que fosse Apolo, vindo nos dar uma carona de novo, mas o motor era muito silencioso para a carruagem solar e, além disso, era noite. Nós pegamos nossos sacos de dormir e saímos do caminho assim que uma limusine mortalmente branca parou na nossa frente.A porta traseira da limusine abriu bem próxima a mim. Antes que eu pudesse me afastar a ponta de uma espada tocou minha garganta.Eu ouvi o som de Zoë e Bianca armando seus arcos. Quando o dono da espada saiu do carro, eu recuei bem devagar. Eu tive que fazê-lo porque ele estava pressionando a ponta da espada embaixo do meu queixo.Ele riu cruelmente.

- Não está tão rápido agora, não é mesmo, moleque?

Ele era um homem grande com um corte baixo, uma jaqueta de couro preta, jeans pretos, uma camisa branca e botas de combate

-Acharam mesmo que eu não iria me vingar?-Disse Ares,parecendo um daqueles malandros bad boys dos filmes.

. Lentes escurecidas escondiam seus olhos, mas eu sabia o que havia atrás daqueles óculos - órbitas vazias preenchidas com chamas.

- Ares - eu rosnei.

O deus da guerra deu uma olhada nos meus amigos.

- Relaxe, pessoal.Ele estalou os dedos e suas armas caíram no chão.- Este é um encontro amigável. - Ele afundou a ponta de sua espada um pouco mais embaixo do meu queixo. - É claro que eu gostaria de ter sua cabeça como um troféu, mas alguém quer ver você. E eu nunca decapito meus inimigos na frente de uma dama.

Afrodite e Ares se entreolharam.Ele sempre a chamava de dama.Mas o que queriam com Percy?

- Que dama? - Thalia perguntou.

Ares olhou para ela.

- Bem, bem. Eu ouvi que você tinha voltado.

Ele abaixou sua espada e me empurrou para o lado.

- Thalia, filha de Zeus - Ares disse. - Você não está andando em boa companhia.

- O que você quer, Ares? - ela disse. - Quem está no carro?

Ares sorriu, aproveitando a atenção.

- Oh, eu duvido que ela queira conhecer o resto de vocês. Particularmente elas. - Ele apontou o queixo na direção de Zoë e Bianca

-Afrodite-Cuspiu Ártemis

. - Por que vocês não vão todos pegar alguns tacos enquanto esperam? Só vai tomar de Percy alguns minutos.

- Nós não vamos deixá-lo sozinho contigo, Lorde Ares - Zoë disse.

-Isso é um progresso,se fosse outro garoto ela seria a primeira a abandona-lo-Disse Ártemis-Nunca vi Zoe tratar algum menino assim,mas confio em minha tenente.

- Além disso - Grover constatou, - a loja de tacos está fechada.

Ares estalou os dedos de novo. As luzes dentro da taqueria de repente ganharam vida. As tábuas voaram da porta e o FECHADO se tornou ABERTO

.- Você estava dizendo, garoto bode?

- Podem ir - eu disse aos meus amigos. - Eu vou cuidar disso.

Eu tentei parecer mais confiante do que me sentia. Eu não acho que Ares foi enganado.

- Vocês ouviram o garoto - disse Ares. - Ele é grande e forte. Ele tem as coisas sob controle.

Meus amigos relutantemente seguiram para o restaurante de tacos. Ares me considerou com ódio e então abriu a porta da limusine como um chofer.

- Entre, moleque - ele disse. - E meça suas maneiras. Ela não perdoa falta de educação como eu.

Quando eu a vi meu queixo caiu.Eu esqueci meu nome. Esqueci quem eu era. Esqueci como falar sentenças completas. Ela estava usando um vestido vermelho de cetim e seu cabelo estava enrolado em uma cascata de presilhas. Sua face era a mais bonita que eu já havia visto: maquiagem perfeita, olhos deslumbrantes, um sorriso que iluminaria o lado escuro da lua.

-Percy é um fofo-Disse Afrodite exibindo seu belo sorriso-Mas acho que fico esplêndida de azul,de rosa fico apenas glamourosa.

Pensando melhor, eu não posso dizer com quem ela se parecia. Nem mesmo de que cor seus olhos ou cabelos eram. Pegue a mais bonita atriz que você possa pensar. A deusa era dez vezes mais bonita do que ela. Pegue sua cor de cabelo favorita, cor de olho, qualquer coisa. A deusa tinha aquilo.Quando ela sorriu pra mim, só por um momento ela se pareceu com Annabeth. E depois com uma atriz de televisão por quem eu costumava ter uma queda na quinta série.

-Eu me pareço com quem você quer que eu pareça-Explicou a deusa-Me pareço com o seu amor,a pessoa que acha ser a Bela Dama.

Então... bem, você pegou a ideia.

- Ah, aí está você, Percy - a deusa disse. - Eu sou Afrodite.

Eu escorreguei para o assento em frente a ela e disse algo como:- Um uh gá.

Ela sorriu.

- Você é um doce. Segure isto, por favor.

Ela me entregou um espelho polido do tamanho de um prato de jantar para que eu segurasse para ela. Ela se inclinou para frente e retocou seu batom, embora eu não pudesse ver nada de errado com ele.

- Você sabe por que está aqui?

Eu quis responder. Por que eu não podia formar uma sentença completa? Ela era apenas uma mulher. Uma mulher seriamente bonita. Com olhos que pareciam lagoas de nascente. Uau.Eu belisquei meu próprio braço, com força.

- Eu... eu não sei - concluí.

- Ah, querido - Afrodite disse. - Ainda em negação?

-Você é pior do que uma sereia-Disse Hefesto-Capaz de controlar cada homem,e fazer de burro o homem mais inteligente do mundo.

-Um dia vocês irão me entender-Disse Afrodite seriamente-O amor é mais velho do que tudo,ele é capaz de tudo,é o sentimento mais bonito e perigoso.Sou capaz de derreter,até o mais gélido coração.

...............................................................................

E fim.

Me perdoem por ter cortado,mas o capítulo completo deu mais de 8.000 mil palavras,e levaria mais de meia hora para ler.E lembrem-sse a pior parte ainda não chegou

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...