História Deuses lendo Percy Jackson e A Maldição do Titã - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Afrodite, Apollo, Ares, Artemis, Atena, Demeter, Dionísio, Hades, Hefesto, Hera (Juno), Hermes, Nêmesis, Perséfone, Poseidon, Quíron, Zeus
Tags Percabeth Zeus, Percyjackson, Poseidon
Visualizações 230
Palavras 4.172
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense
Avisos: Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 16 - Capitulo 13-Parte 2


 

  Jamais desconsidere a maravilha das suas lágrimas. Elas podem ser águas curativas e uma fonte de alegria. Algumas vezes são as melhores palavras que o coração pode falar.-A Cabana

 

Fora do carro, eu pude ouvir Ares gargalhando. Eu tive a sensação de que ele podia ouvir cada palavra que dizíamos. A ideia de ele estar lá fora me deixou com raiva, o que ajudou a clarear minha mente.

– Eu não sei sobre o que você está falando – eu disse.

– Bem, então por que você está nessa missão?

– Ártemis foi capturada!

Afrodite deu um sorriso

-Estágio um:negação-Contou a deusa

Afrodite rolou seus olhos.

– Ah, Ártemis. Por favor. Fale sobre um caso irremediável. Digo, se eles fossem sequestrar uma deusa, ela deveria ser linda de tirar o fôlego, não acha? Eu tenho pena dos pobres queridos que tiveram que aprisionar Ártemis. Cha-to!

-E eu tenho pena de cada coração que quebrou,cada pessoa que enganou-Disparou Ártemis.

Mas ela estava perseguindo um monstro – eu protestei. – Um monstro realmente, realmente mau. Temos que achá-lo.

Afrodite me fez segurar o espelho um pouco mais alto. Ela parecia ter achado um microscópico problema no canto do seu olho e pincelou a sua máscara.

– Sempre algum monstro. Mas meu querido Percy, isso é o porquê dos outros estarem nessa missão. Eu estou mais interessada em você.

Meu coração martelou. Eu não queria responder, mas seus olhos extraíram a resposta da minha boca.

– Annabeth está com problemas.

 -Não desvie Percy de seu caminho-Alertou Poseidon-Não brinque com seu coração

Afrodite sorriu radiante.

– Exato.

– Eu tenho que ajudá-la – eu disse. – Eu venho tendo esses sonhos.

– Ah, você até sonha com ela! É tão fofo!

-Não,e você sabe-Informou Hestia

Não! Quero dizer... não foi isso que eu quis dizer.

Ela fez um barulho de tsc-tsc.

– Percy, eu estou do seu lado. Eu sou a razão de você estar aqui, no fim das contas.

Eu a fitei.

– O quê?

– A camiseta envenenada que os irmãos Stoll deram a Phoebe – ela disse. – Você acha que foi um acidente? Mandar Blackjack para encontrá-lo? Ajudá-lo a fugir do acampamento?

-Você fez bem-Disse Ártemis surpreendendo a todos-Claro que estou com ódio de você por ter envenenado minha caçadora,mas foi tudo por um bem maior.A missão era de Percy não de Phoebe,ele precisava ir,e todos sabíamos disso.Fizeste bem irmã.

-Sei que fiz,mas não fiz pela missão-Explicou a deusa do amor-Fiz para meu completo divertimento.

 Você fez aquilo?

– Claro! Porque, realmente, como essas Caçadoras são chatas! Uma missão por algum monstro blá, blá, blá. Salvar Ártemis. Deixe-a continuar perdida, eu digo. Mas uma missão pelo amor verdadeiro

  -Alguns de nós usam a coragem como guia. Outros usam paciência. E alguns podem usar formosura -Disse Afrodite.

Espere um segundo, eu nunca disse ...

– Ah, meu querido. Você não precisa dizer. Você sabe que Annabeth estava perto de se unir às Caçadoras, não é?

Eu corei.

– Eu não tinha certeza

– Ela estava a ponto de jogar a vida dela fora! E você, meu querido, você pode salvá-la disso. É tão romântico!

-Ela está a ponto de perder a vida ficando com Percy-Disse Ártemis.

– Hum...

– Ah, abaixe o espelho – Afrodite ordenou. – Eu pareço bem.

Eu não tinha notado que ainda o estava segurando, mas assim que o abaixei, percebi que meus braços estavam doloridos.

– Agora preste atenção, Percy – Afrodite disse. – As Caçadoras são suas inimigas. Esqueça-as e a Ártemis e ao monstro. Isso não é importante. Você tem que se concentrar em achar e salvar Annabeth.

-O mais importante é acharmos este monstro-Disse Zeus,e todos concordaram.

– Você sabe onde ela está?

Afrodite moveu sua mão irritavelmente.

– Não, não, eu deixo os detalhes para você. Mas já faz eras que não temos uma boa história de amor trágica.

– Opa, em primeiro lugar, eu nunca disse nada sobre amor. E segundo, o que é que há com trágica!

– O amor conquista tudo – Afrodite prometeu. – Olhe Helena e Páris. Eles deixaram algo ficar entre eles?

– Eles não começaram a Guerra de Troia e fizeram milhares de pessoas morrerem?

– Pfft. Esse não é o ponto. Siga seu coração.

-Esse que é o problema-Disse Hefesto-Para você o importante é apenas uma bela história trágica,mas não percebe o que acontece,o que se perde,para seus amados ficarem juntos.

Mas... eu não sei aonde ele está indo. Digo, meu coração.

Ela sorriu simpaticamente. Ela realmente era bonita. E não só por que ela tinha uma linda face ou algo assim. Ela acreditava tanto no amor, que era impossível não se sentir tonto quando ela falava a respeito.

Não saber é metade da diversão – Afrodite disse. – Esquisitamente doloroso, não é? Não ter certeza de quem você ama e quem ama você? Oh, vocês crianças! É tão fofo que eu vou chorar

.– Não, não – eu disse. – Não faça isso.

– E não se preocupe – ela falou. – Eu não vou deixar isso ser chato e fácil para você. Não, eu tenho algumas surpresas maravilhosas na manga. Angústia. Indecisão. Oh, espere só.

– Está tudo realmente bem – eu disse a ela. – Não precisa se incomodar.

Você é tão fofo. Eu gostaria que todas as minhas filhas pudessem quebrar o coração de um garoto tão amável quanto você. 

-Eu te amo,mas não consigo te entender-Disse Ártemis-Não consigo.

Os olhos de Afrodite estavam se enchendo de lágrimas. – Agora, é melhor você ir. E seja cuidadoso no território do meu marido, Percy. Não pegue nada. Ele é altamente meticuloso em relação às suas porcarias e tranqueiras.

-Você não tem ideia-Disse o deus ficando preocupado

O quê? – perguntei. – Você diz Hefesto?

Mas a porta do carro se abriu e Ares pegou meu ombro, colocando-me pra fora do carro e de volta na noite do deserto.Minha audiência com a deusa do amor havia acabado.

– Você é sortudo, moleque – Ares me afastou da limusine. – Seja grato.

– Pelo quê?

– Por nós sermos tão legais. Se fosse por mim...

– Então por que você não me matou? – eu atirei de volta.

 Era uma coisa estúpida para se dizer ao deus da guerra, mas estar perto dele sempre me deixa imprudente e zangado.Ares acenou com a cabeça, como se eu finalmente tivesse dito algo inteligente.

– Eu adoraria matar você, sério – ele disse. – Mas veja, eu estou em uma situação. A conversa no Olimpo é que você pode começar a maior guerra da história. Eu não posso arriscar bagunçar isso. Além disso, Afrodite pensa que você é algum tipo de astro de novela ou algo assim. Se eu matar você, isso vai me deixar mal com ela. Mas não se preocupe. Eu não esqueci minha promessa. Algum dia em breve, garoto - muito em breve — você irá levantar sua espada pra lutar, e se lembrará da ira de Ares.

Sem querer Poseidon associou isso a profecia,a lâmina de Percy era uma lâmina maldita,e ainda carregava a maldição de um deus.Ele não queria admitir,mas teria que começar a se preparar para uma tragédia iminente. 

Eu fechei meus punhos.

– Por que esperar? Eu venci você uma vez. Como aquele tornozelo está se curando?

Ele deu um sorriso torto irônico.

Nada mal, moleque. Mas você não conseguirá nada do mestre das provocações. Eu vou começar a luta quando eu estiver bem e pronto. Até lá... Dê o fora.

Ele estalou os dedos e o mundo deu uma volta completa, girando em uma nuvem de poeira vermelha. Eu caí no chão.Quando eu me levantei de novo, a limusine se fora. A estrada, o restaurante de tacos, toda a cidade de Gila Claw se fora. Meus amigos e eu estávamos no meio do ferro-velho, montanhas de metal sucateado espalhadas em todas as direções.

– O que ela queria com você? – Bianca perguntou, após eu ter contado a eles sobre Afrodite.

– Ah, hum, não tenho certeza – menti. – Ela disse para ser cuidadoso no ferro-velho do marido dela. Disse para não pegar nada.

Zoë estreitou seus olhos.– A deusa do amor não faria uma viagem especial para contar a ti apenas isso. Sê cuidadoso, Percy. Afrodite já extraviou muitos heróis.

– Pela primeira vez eu concordo com Zoë – Thalia disse. – Você não pode confiar em Afrodite.

-Se as duas estão concordando,é melhor escutar-Advertiu Apolo

Grover estava me olhando de um jeito engraçado. Com a ligação empática e tudo mais, ele podia geralmente ler minhas emoções, e eu percebi que ele sabia exatamente sobre o que Afrodite conversou comigo.

– Então – eu disse ansioso para mudar de assunto, – como saímos daqui?

– Naquela direção – Zoë disse. – É o oeste.

– Como você sabe?

Na claridade da lua cheia eu fiquei surpreso do quão bem eu podia vê-la rolar os olhos pra mim.

– Ursa maior está ao norte – ela disse, – o que significa que lá é o oeste.

Ela apontou para o oeste, e então para uma constelação ao norte, que era difícil de perceber porque havia muitas outras estrelas.

 Ah, sim – eu disse. – A coisa do urso.

Zoë pareceu ofendida.

– Mostra algum respeito. Era um bom urso. Um oponente digno.

-Isso é tudo culpa sua Zeus-Disse Hera-Suas amantes sempre dão dor de cabeça.

-Calisto era uma caçadora-Disse Ártemis-Fez o voto de virgindade,mas você a enganou pai.Fingiu que era eu e quando estavam a sós,mostrou sua verdadeira face.

-Eu a enganei sim,mas quando ela soube que era eu e não você,ainda assim quis ficar comigo.Suas caçadoras não são perfeitas,elas podem até te amar e desprezar os homens,mas não podem vencer a carne.

-Calisto era um ele fraco,e para piorar engravidou,então eu a expulsei.

-Expulsou mesmo Ártemis,e quando a criança nasceu minha querida mãe a transformou em uma ursa-Exclamou Hefesto-incrível Senhora Hera.E quando o filho dela cresceu e foi caçar,encontrou a mãe e quase a matou achando que era um urso,sorte que Zeus o deus que gosta de transformar as pessoas para salva-las,a transformou em uma constelação.

– Você age como se fosse real.

– Caras – Grover cortou. – Olhem.

Nós havíamos chegado ao topo de uma montanha de sucata. Pilhas de objetos metálicos cintilavam à luz da lua: cabeças quebradas de cavalos de bronze, pernas de metal de estátuas humanas, carruagens destruídas, toneladas de escudos e espadas e outras armas, junto com coisas mais modernas, como carros que cintilavam ouro e prata, refrigeradores, máquinas de lavar e monitores de computador.

– Uau – disse Bianca. – Aquela coisa... parte dela parece com ouro de verdade.

– E é – disse Thalia severamente. – Como Percy disse, não toque em nada. Esse é o ferro-velho dos deuses.

Sucata? – Grover pegou uma bonita coroa feita de ouro, prata e joias. Estava quebrada em um lado, como se tivesse sido partida por um machado. 

– Você chama isso de sucata? – Ele mordeu uma ponta e começou a mastigar. – É delicioso!

Thalia tomou a coroa de suas mãos.

– Estou falando sério!

– Olhe! – Bianca disse. 

Ela correu colina abaixo tropeçando em rolos de bronze e pratos de ouro. Ela pegou um arco que resplandecia prateado à luz da lua. 

– Um arco de Caçadora!-Ela uivou em surpresa quando o arco começou a encolher, e se tornou um grampo de cabelo com feitio de uma lua crescente.– É como a espada do Percy!

-O grampo que e Zoe deu a Hércules-Disse Deméter

A expressão de Zoë era severa.

– Deixa-o, Bianca.

Mas...

– Está aqui por alguma razão. Qualquer coisa que foi jogada neste ferro-velho deve permanecer nele. É defeituosa. Ou amaldiçoada.

-Isso é tão triste-Disse Afrodite.

  -A maioria de nós tem suas próprias tristezas, sonhos partidos e corações feridos, cada um viveu perdas únicas-Lembrou Hestia

Bianca relutantemente largou o grampo no chão.

– Eu não gosto deste lugar – Thalia disse. Ela apertou a haste de sua lança.

– Você acha que seremos atacados por refrigeradores assassinos? – perguntei.Ela me deu uma olhada dura.

– Zoë está certa, Percy. Coisas são jogadas aqui por algum motivo. Agora venha, vamos atravessar este campo.

– Esta é a segunda vez que você concorda com Zoë – eu murmurei, mas Thalia me ignorou.

Nós começamos a trilhar nosso caminho através das colinas e vales de sucata. As coisas pareciam não ter fim, e se não fosse pela Ursa Maior nós ficaríamos perdidos. Todas as colinas se pareciam. Eu gostaria de dizer que não mexemos em nada, mas tinha muita sucata legal pra não checarmos algumas. Eu achei uma guitarra elétrica no formato da lira de Apolo que era tão legal que eu tive que pegá-la. Grover achou uma árvore quebrada feita de metal. Ela foi fatiada em pedaços, mas alguns dos galhos ainda tinham pássaros dourados, e eles se balançaram quando Grover os pegou, tentando bater suas asas.Finalmente, nós vimos o limite do ferro-velho cerca de um quilômetro a nossa frente, as luzes de uma auto-estrada se alongando pelo deserto. Mas entre nós e a estrada...

O que é aquilo? – Bianca arquejou.Diante de nós estava uma colina muito maior e mais longa do que as outras. Era como um morro de metal com o topo plano, da largura de um campo de futebol americano e tão alto quanto os postes do gol. No final do morro estava uma fileira de dez grossas colunas de metal forçadas hermeticamente juntas.Bianca franziu suas sobrancelhas.

-Talos-Disse Hefesto-Mas não se preocupem,ninguém pegou nada,ele nem vai se mexer.

Elas se parecem com...

– Dedos do pé – disse Grover.

Bianca acenou.

– Dedos muito, muito largos.

Zoë e Thalia trocaram olhares nervosos.

– Vamos contornar – Thalia disse. – Bem longe.

– Mas a estrada está logo ali – eu protestei. – É mais rápido escalarmos.

Ping.

Thalia preparou sua lança e Zoë sacou seu arco, mas então eu percebi que foi apenas Grover. Ele havia jogado um pedaço de metal sucateado nos dedos e acertou um, fazendo um longo eco, como se a coluna fosse oca.

– Por que fizeste isso? – Zoë exigiu.

Grover se encolheu.– Eu não sei. Eu, hã, não gosto de pés falsos?

– Vamos – Thalia olhou para mim. – Dar a volta.

Eu não argumentei. Os dedos estavam começando a me assustar também. Quero dizer, quem esculpe dedos de metal de mais de três metros de altura e depois os crava em um ferro-velho?Depois de vários minutos de caminhada, nós finalmente pisamos na autoestrada, uma abandonada, porém bem iluminada linha de asfalto negro.

-Eu disse nada a se preocupar-Disse o deus ferreiro.

Nós conseguimos – disse Zoë. – Graças aos deuses.

Mas aparentemente os deuses não queriam ser agradecidos. Naquele momento, eu ouvi um som parecido com mil compressores de lixo triturando metal. Eu me virei. Atrás de nós, a montanha de sucata estava em ebulição, erguendo-se. Os dez dedos se moveram e eu percebi por que eles pareciam dedos. Eles eram dedos. A coisa que se ergueu do metal era um gigante de bronze em uma armadura grega completa. Ele era impossivelmente alto – um arranha-céu com pernas e braços. Ele brilhou assustadoramente à luz da lua. Ele olhou para nós e sua face estava deformada. O lado esquerdo estava parcialmente derretido. Suas juntas rangeram enferrujadas e no seu peito blindado, escrito em grossa poeira por algum dedo gigante, estavam as palavras LAVE-ME.

-Você disse...

-Eu sei o que eu disse Poseidon,alguém pegou alguma coisa.

-Sabia que algo iria ocorrer,a profecia é clara 'Um se perderá na terra ressequida'-Disse Atena nervosamente-Alguém vai morrer,não tem como fingir que não,desde o inicio do capítulo sabemos disso. 

-Mas Atena,são nossos filhos-Disse Hades

  - O mundo não é um playground onde eu mantenho todos os meus filhos livres do mal.-Disse Hermes-O que podemos fazer é escutar suas preces.

Talos! – Zoë arquejou.

– Que... quem é Talos? – eu gaguejei.

– Uma das criações de Hefesto – Thalia disse. – Mas não pode ser o original. É muito pequeno. Um protótipo talvez. Um modelo defeituoso.

O gigante de metal não gostou da palavra defeituoso.Ele moveu uma mão para o cinturão de sua espada e desembainhou sua arma. O som dela saindo da bainha era horrível, metal chiando contra metal. A lâmina tinha mais de trinta metros de comprimento, fácil. Ela parecia enferrujada e cega, mas eu não imaginei que isso importasse. Ser atingido por aquela coisa seria como ser atingido por um navio de batalha.

– Alguém pegou algo – Zoë disse. – Quem pegou algo?

Zoë olhou para mim acusadoramente.Eu balancei minha cabeça.

Eu sou um monte de coisas, mas eu não sou ladrão.

Bianca não disse nada. Eu poderia jurar que ela parecia culpada

-O grampo-Disse Nemesis-Ela só pode ter pego ele.

mas eu não tive muito tempo para pensar sobre isso, porque o gigante defeituoso Talos deu um passo na nossa direção, cobrindo metade da distância e fazendo a terra tremer.

– Corram! – Grover gritou.

Ótimo conselho, exceto pelo fato de que era inútil. Em um passo lento, aquela coisa poderia nos ultrapassar facilmente. Nós nos separamos do modo como fizemos com o Leão da Neméia. Thalia armou seu escudo e o segurou no alto enquanto corria na direção da autoestrada. O gigante brandiu sua espada e acertou uma fileira de cabos de força, os quais explodiram em faíscas que se espalharam no caminho de Thalia. As flechas de Zoë assobiaram na direção da face do gigante, mas se despedaçaram inofensivamente contra o metal. Grover zurrou como um bebê bode e escalou uma montanha de metal.Bianca e eu acabamos perto um do outro, escondendo-nos atrás de uma carruagem quebrada.

–Você pegou algo – eu disse. – Aquele arco.

– Não! – ela disse, mas a voz dela estava trêmula.

Devolva! – falei. – Jogue isso fora!

– Eu... eu não peguei o arco! De qualquer maneira, é muito tarde.

– O que você pegou?.

Antes que ela pudesse responder, eu ouvi um imenso barulho de rangido, e uma sombra escondeu o céu.

– Mova-se! – eu rasguei colina abaixo, Bianca logo atrás de mim, assim que o pé do gigante estraçalhou uma cratera no lugar onde estávamos nos escondendo.

– Ei, Talos! – Grover gritou, mas o monstro levantou sua espada, olhando para Bianca e para mim.

Hades e Poseidon empalideceram.Seria aquele o fim de seus filhos?

Grover tocou uma rápida melodia em sua flauta. Lá na estrada, as linhas de força caídas começaram a dançar. Eu entendi o que Grover ia fazer um segundo antes de acontecer. Um dos postes com cabos de força ainda atados voou na direção da parte de trás da perna de Talos e se amarrou em sua panturrilha. As linhas faiscaram e mandaram um choque de eletricidade para o traseiro do gigante. Talos rodopiou, faiscando e rangendo. Grover havia conseguido alguns segundos para nós.

– Vamos! – eu disse a Bianca, mas ela continuou congelada. Do seu bolso ela tirou uma pequena figura de metal, uma estátua de um deus. 

– Era... era para Nico. Era a única estátua que ele ainda não tinha.

-Ah Bianca!-Disse Ártemis 

Como você pode pensar em Mitomagia em uma hora dessas? – eu disse.

Havia lágrimas nos olhos dela.

Jogue isso fora – falei. – Talvez o gigante nos deixe em paz.

Ela largou a estátua relutantemente, mas nada aconteceu.O gigante continuou indo atrás de Grover. Ele apunhalou uma colina de sucata, errando Grover por alguns metros, mas a sucata fez uma avalanche sobre ele, e então eu não pude vê-lo mais.

Não! – Thalia gritou.

Ela apontou sua lança e um arco de relâmpagos azuis foram lançados, acertando o monstro em seu joelho enferrujado, que falhou. O gigante desmoronou, mas imediatamente começou a se levantar novamente. Era difícil dizer se ele podia sentir alguma coisa. Não havia nenhuma emoção em sua cara meio derretida, mas eu tive a impressão de que ele estava tão furioso quanto um guerreiro de metal de vinte andares de altura poderia estar.Ele levantou seu pé para pisotear e eu vi que a sola era igual ao solado de um tênis. Tinha um buraco no calcanhar, como um grande poço de serviço, e havia palavras vermelhas pintadas ao redor, as quais eu só decifrei quando o pé desceu: APENAS PARA MANUTENÇÃO.

– Hora da ideia maluca – eu disse.

Bianca olhou para mim nervosamente.

– Qualquer coisa.

Eu contei a ela sobre a escotilha de manutenção.

Talvez haja um modo de controlar a coisa. Botões ou algo do tipo. Eu vou entrar lá.

-Ele não foi projetado para ter um humano-Lamentou Hefesto-Se Percy entrar...dificilmente irá sair.

Uma dor tocou o coração de Poseidon,mesmo sem conhecer o filho,só por leitura,ele tinha se apegado.Mas sabia que Percy teria um triste destino.

– Como? Você vai ter que ficar embaixo do pé dele! Você vai ser esmagado.

– Distraia-o – eu disse. – Eu só tenho que acertar o tempo.

A mandíbula de Bianca travou.– Não. Eu vou.

Você não pode. É nova nisso! Você vai morrer.

– É minha culpa que o monstro veio atrás de nós – ela disse. – É minha responsabilidade. Aqui.Ela pegou a pequena estátua de deus e apertou contra a minha mão.– Se acontecer alguma coisa, dê isso a Nico. Diga a ele... diga a ele que sinto muito.

– Bianca, não

Mas ela não estava esperando por mim. Ela correu na direção do pé esquerdo do monstro. Thalia tinha a atenção dele no momento. Ela tinha aprendido que o gigante era grande, mas lento. Se você pudesse ficar perto dele e não ser esmagado, poderia correr ao redor e continuar vivo. Pelo menos estava funcionando até agora.Bianca ficou perto do pé do gigante, tentando se equilibrar nas sucatas que balançavam e mexiam com o peso dele.

Todos sabiam agora quem se perderia.

-Hades,sinto muito mas...

-Não diga nada-Gritou Hades-Minha filha vai morrer,e ela nem sabe quem é seu pai.Ela vai embora sem se quer lembrar de mim.Fiquem quietos.

Zoë gritou.

– O que é que tu estás fazendo?

– Faça com que ele levante o pé! – ela disse.

Zoë atirou uma flecha na direção da face do monstro e ela voou direto para dentro de uma das narinas. O gigante se endireitou e balançou sua cabeça.

– Ei, Garoto Sucata! – gritei. – Aqui embaixo.

Eu corri até o seu dedão e o furei com Contracorrente. A lâmina mágica fez um corte no bronze.Infelizmente, meu plano funcionou. Talos olhou para baixo e levantou seu pé para me esmagar como um inseto. Não vi o que Bianca estava fazendo. Tive que me virar e correr. O pé desceu cerca de cinco centímetros atrás de mim e eu fui jogado no ar.Atingi algo duro e me sentei atordoado. Eu tinha sido jogado em um refrigerador de ar do Olimpo.O monstro estava a ponto de acabar comigo, mas Grover de algum modo conseguiu se livrar da pilha de sucata. Ele tocou sua flauta freneticamente e sua música mandou outro poste de linha de força castigar a coxa de Talos. O monstro se virou. Grover deveria ter corrido, mas ele devia estar muito cansado pelo esforço de usar tanta mágica. Ele deu dois passos, caiu e não se levantou mais.

– Grover! – Thalia e eu corremos na direção dele, mas eu sabia que era tarde demais pra nós.O monstro levantou sua espada para esmagar Grover. Então ele parou. Talos acertou sua cabeça de um lado como se ele estivesse ouvindo uma estranha nova música. Ele começou a mover seus braços e pernas de maneiras estranhas, fazendo a Galinha Funk. Então ele fechou o punho e se deu um soco na cara.

– Vai, Bianca! – eu gritei.

Zoë pareceu horrorizada.

– Ela está dentro?

O monstro cambaleou, e eu percebi que nós ainda estávamos em perigo. Thalia e eu pegamos Grover e corremos com ele em direção à autoestrada. Zoë já estava à nossa frente. Ela gritou:

– Como Bianca vai sair?

O gigante se acertou na cabeça mais uma vez e largou sua espada. Uma tremedeira correu por todo o seu corpo e ele cambaleou na direção dos cabos de força.

– Cuidado! – gritei, mas já era muito tarde.O tornozelo do gigante se embolou nas linhas e faíscas azuis de eletricidade passaram pelo seu corpo. Torci para que o interior fosse isolado. Eu não fazia ideia do que estava acontecendo lá. O gigante cambaleou de volta ao ferro-velho, e sua mão direita se soltou, caindo na sucata com um horrível CLANG!Seu braço esquerdo se desprendeu também. Ele estava se partindo nas juntas.Talos começou a correr.

– Espera!Zoë gritou.

Nós corremos atrás dele, mas não havia como nós acompanharmos. Pedaços do robô continuavam caindo, ficando no nosso caminho. O gigante desmontou de cima a baixo: sua cabeça, seu peito e, finalmente, suas pernas desmoronaram. Quando alcançamos as ruínas nós procuramos freneticamente gritando o nome de Bianca

Hades começou a chorar

-Eu tinha tanto planos para ela,ela seria grande,uma semideusa tão poderosa,tinha fé que ela fosse a heroina da profecia,que ela salvaria o Olimpo-Sonhou Hades-Graças a ele o que minha filha é?A garota morta?A garota perdida?A garota desaparecida?.Não foi isso que sonhei

   

. Nós engatinhamos entre as vastas partes vazias e as pernas e a cabeça. Nós procuramos até o sol começar a nascer, mas sem sorte.

Zoë se sentou e chorou. Eu estava atordoado por vê-la chorar. Thalia gritou enfurecida e enfiou sua lança na face esmagada do gigante.

-Sua filha não vai voltar-Disse Zeus-Não adianta chorar,sinto muito meu irmão.

– Nós podemos continuar procurando – falei. – Está claro agora. Nós vamos encontrá-la.

– Não, nós não vamos – Grover disse miseravelmente. – Aconteceu exatamente como foi previsto.

– Do que você está falando? – perguntei.Ele olhou pra mim com grandes olhos úmidos.

– A profecia. Um se perderá na terra ressecada.

Por que eu não tinha visto isso? Por que eu a deixei ir em meu lugar?Ali estávamos nós no deserto.

E Bianca DI Angelo se fora.

 

  Mas tinha uma coisa que meu assassino não entendia,ele não entendia como um pai pode amar sua filha. -Bianca di Angelo 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...