1. Spirit Fanfics >
  2. Deve ter sido o vento >
  3. Você deve ter se enganado

História Deve ter sido o vento - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá olá, como vocês estão?
Tive inspiração para essa fanfic com a música Must Have Been The Wind do Alec Benjamin, essa é uma música incrível e não pude deixar de tentar puxar minha criatividade para fazer essa shortfic com os bokuaka lindinhos kakak. É a primeira vez que trago uma fanfic que não seja de capítulo único e por isso estou muito nervosakkkk. Mas espero poder atualizar o mais rápido que o EAD me permita c:
Tenham uma boa leitura!

*OBS: A depressão é tratada nessa fic, caso você tenha gatilho com esse assunto, por favor, não leia.

Capítulo 1 - Você deve ter se enganado


O dia havia sido corrido e exaustivo como era de costume em sua vida de treinos. Koutarou não conseguia explicar em palavras o quanto aliviado se sentiu quando chegou em seu apartamento e retirou os tênis e roupas empapadas de suor, para então tomar um banho quente com seu amigo Benjamin, o pato de borracha que ganhara de presente de seu melhor amigo e companheiro de time. Havia dias, como este em especifico, em que o treinador Samson estava uma pilha de nervos e caprichava – para não dizer que exagerava ou extrapolava – nos jogos treinos e tudo o que queria fazer quando chegava em casa era se limpar e jantar, para então se jogar em seu colchão e dormir o resto da noite. E foi exatamente isso que fez; de dentes escovados e usando um pijaminha pra lá de confortável havia se deitado e começara a sentir o sono bater. Foi quando se levantou em um sobressalto com um barulho estridente vindo do apartamento acima do seu.

Soube de imediato que se tratava de Akaashi Keiji, seu vizinho. Era um homem magrelo e misterioso que tinha se mudado há algumas semanas para o mesmo prédio que si e de fato pouco sabia dele, ou mesmo o via raramente apenas quando calhava de chegarem do trabalho no mesmo horário. Estava prestes a ignorar o barulho assim como das vezes anteriores, mas um gemido sôfrego seguido de um choro baixinho lhe chamou a atenção. Embora o barulho de objetos caindo e se quebrando fosse frequente, Koutarou nunca havia ouvido Akaashi chorar, e ficou surpreso com o quão sentido ficou. Isso lhe tirou todo o sono e cansaço que estava sentindo, e de repente se vira desperto com o corpo tremendo em curiosidade e preocupação. Sabia que estava sendo intrometido por querer ir ver como o outro estava, mas não podia ignorar a situação, ainda mais quando um aperto em seu peito lhe dizia que algo estava errado.

– Se eu não for até lá não vou conseguir dormir hoje à noite. –  Suspirou e levantou-se rapidamente. Retirou as vestes largas e macias e colocou uma camiseta florida junto de uma bermuda preta, o dia estava quente e ele se sentia confortável num conjunto mais fresco.

Bokuto então deixou seu apartamento, não se esquecendo de trancá-lo e rumou para o elevador. Segundo andar, número 4. Lembrou-se vagamente do dia em que entregaram uma correspondência de Akaashi para si por engano e teve que retorná-la para o moreno. Estava certo de que era aquele apartamento. Caminhou devagar com as mãos suando em nervosismo. Estava quase travado, mas não podia simplesmente virar-se e ir embora. Expirou e inspirou fundo algumas vezes, até criar coragem e levar as mãos trêmulas para bater na porta.

Demorou alguns segundos antes das trancas rangerem e a porta se abrir, revelando um moreno alto. Seus cabelos negros e sedosos estavam mais bagunçados do que o costume, mas o que lhe chamou mais atenção foram seus olhos. Os que costumavam carregar um lindo azul agora estavam úmidos e avermelhados, em contraste com o seu rosto também avermelhado e inchado. Koutarou sentiu seu coração apertar com a visão sofrida.

– Boa noite? – Perguntou se escorando no batente, sua voz estava baixa e levemente rouca.

– B-boa noite. Er... tudo bem? Eu... Eu ouvi alguns barulhos lá do meu apartamento e acho que vieram daqui. Fiquei preocupado. – Coçou a própria nuca, embaraçado. – Está tudo bem?

Akaashi desviou o olhar e se remexeu desconfortavelmente, os dedos então agarrando a manga de seu suéter vermelho e puxando-a para baixo. Mordeu seu lábio inferior e mudou seu peso de uma perna para outra, antes de voltar os olhos para o platinado e sorrir.

– Acho que você deve ter se enganado. – Relaxou sua postura. – É gentil da sua parte vir até aqui, mas tenho que voltar para dentro.

– Ah... – engoliu em seco sem ter o que falar. Estava certo de que os barulhos haviam vindo de lá, não havia se enganado e o estado do outro deixava claro. O sorriso havia soado como uma mentira junto de sua afirmação, mas naquele momento Bokuto sabia que não deveria insistir mais.

– Queria poder te explicar sobre o barulho, mas eu não ouvi nada. – Puxou a maçaneta e desviou os olhos novamente. – Deve ter sido só o vento.

– É possível que sim... – suspirou. – Desculpe-me pelo incômodo, Akaashi-san.

– Está tudo bem, Bokuto-san. Tenha uma boa noite. – E sem dar tempo do outro responder fechou a porta, o sorriso já se desfazendo.

Koutarou se viu parado por alguns instantes antes de cair em si novamente e voltar para seu apartamento, usando o elevador novamente. Estava em dúvida sobre oque poderia fazer para ajudar seu vizinho, mas por hora achou que deveria tentar dormir um pouco. Embora o dia seguinte fosse sua folga, seu apartamento clamava por uma limpeza e deveria descansar essa noite o máximo que conseguisse.


Notas Finais


Ainda estou morrendo de vergonha por postar issokkk, mas espero que tenham gostado. Mais personagens irão aparecer do próximo capítulo a diante.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...