História Devil Lives Next Door - Imagine Lay - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chen, D.O, Kai, Lay, Personagens Originais, Sehun, Xiumin
Tags Comedia, Imagine, Romance
Visualizações 1.787
Palavras 1.326
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura, Cherries. <3

Capítulo 14 - 14


Fanfic / Fanfiction Devil Lives Next Door - Imagine Lay - Capítulo 14 - 14

— Estou gostando disso. Minha namorada tomando café da manhã aqui. — Comentei sorridente, após ter chegado na mesa que S/N ocupava.

— Não sou tua namorada. — Sorriu divertida, me contrariando.

— É sim. — Pisquei com o olho a ela, que puxou o cardápio para esconder seu rosto. — Mas me diga aí... O que gostaria de comer ?

Por cima do mesmo encarou a mim, que ainda estava em pé esperando seu pedido ser dito.

Confesso que nunca cansarei de pegar no pé dela, pois S/N com raiva é a coisa mais linda e gostosa em se ver, e isso é algo que quero cultivar em nosso relacionamento. Certo que ainda não fiz o pedido oficial, mas isso é questão de tempo.

— Qual sua especialidade de hoje ? — Ergueu uma das sobrancelhas, seguida de uma mordida em seu lábio inferior

Quer provocar, e isso é a minha especialidade da casa.

— Temos Zhang Yixing, o chinês mais gostoso do mundo todo. Fofo também, mas só depois de uma bela transa.

Rapidamente suas bochechas ficaram vermelhas, me tirando boas risadas antes de a roubar um selinho rápido, tão rápido que nenhuma cliente percebeu.

— Esse eu como mais tarde, no momento, eu quero torta de cenoura e suco de frutas.

Anotada com muito carinho, deixei avisado que logo retornaria com os pedidos dela.

Dentro da cozinha onde tudo é preparado por um amigo meu, fiquei escorado entre a divisão dos dois lugares esperando o pedido de S/N, enquanto observava ela sentada batucando seus dedos na mesa.

— Quem é a olho redondo ? — Escutei meu amigo perguntar, enquanto preparava umas poupas para por no liquidificador.

— Apenas eu posso apelidar ela. — Resmunguei, não admitindo suas palavras.

— Mas e ela, ela gosta desse tratamento que tem com ela ? — Ainda sem me olhar, continuava a se meter onde não deve. Saco. 

Chen, se virou já com tudo na bandeja, sorrindo em tom de brincadeira por notar meu comportamento, diante em defender uma mulher, coisa que eu nunca fizeste.

— Vai transar, Jongdae. Tu está a precisar disso, e está na hora em afogar o ganso. 

— Cuidado. O amor machuca, certas vezes. — Advertiu, por ainda não superado os galhos que Suzy pois nele.

— Vai cortar teus galhos, porra irritante.

Revirei meus olhos, saindo da cozinha indo em direção a mesa de S/N. A mesma abriu um lindo sorriso ao me ver, deixando-me com esse recebimento bom.

— Não se empolgue. Minha felicidade é pelo lanche mesmo. — Avisou divertida, curtindo com minha cara de tacho.

Um lábio triste se formou em meus lábios, querendo comover o coração de gelo dessa mulher.

(...)

Havia saído um pouco tarde dp trabalho, mas sabia que S/N também sairia tarde da faculdade dela, por isso comprei nossa janta e a fui buscar naquele lugar. Fiquei por minutos a esperando dentro do meu quarto, enquanto jogava um joguinho divertido em meu celular, mas de tanto que morria acabei por desistir largando o aparelho de mão.

Suspirei profundamente, notando o como ela estava demorando hoje, ao ponto que a janta esfriou mais rápido do que os outros dias.

— Saco. Pra quê demorar uma vida ? Assim eu envelheço aqui.

Murmurei transtornado, direcionado meus olhares mais uma vez na entrada do prédio, logo avistando a mesma saindo acompanhada de Baekhyun.

Apertei com força o volante, antes de sair do veículo tratando de ir até eles que cessaram a risada após me verem.

— Lay! — Sorriu grande, dando passos até a mim que a abracei, sem cortar contato visual com o seu amigo.

— Falei que não te queria de papo com ela. — Rosnei para ele, que ficou apenas a rir cínico. 

— Eu, sinceramente não ligo para o que você quer ou não. — Confrontou, pondo a mão no ombro de S/N querendo chamar atenção da mesma. 

— Vai nessa, amigão. 

— Bom... Vou indo, S/N. A gente se fala amanhã! — Se despediu após o abraço rompido, podendo olhar minha garota.

Assim que ele saiu com o carro dele, S/N beijou meus lábios, porém, nenhum movimento fiz com os mesmo não retribuindo.

— Que cara de bunda é essa, Lay ? — Se pós a me encarar, segurando meu rosto entre suas mãos.

Com brutalidade tirei suas mãos da minha fase, segurando um de seus pulsos para poder nos guiar até meu veículo, o qual entramos em total ssilêncio.

(...)

— Tira a cara de Afonso, ou eu vou pro meu apartamento. — Reclamava dentro do elevador, esperando chegar em nosso andar.

— Nossa, muito longe teu apartamento. — Disse em tom de ironia, segurando a vontade de rir. — E quem é esse Afonso ? Teu outro macho ?

Foi segundos para ela se virar e me encarar. Estava séria, deixando claro que logo viria um discurso por eu citar coisas que não sei, mas fiquei confuso após ela começar a rir.

— Então, é isso ? — Ergui uma das sobrancelhas, ainda perdido com esse escandalo todo. — Você ficou com ciúmes de Baek ?

— Não! — Virei o rosto, não querendo dar esse gostinho a ela.

— Awn, que bonitinho o meu china. — Passou a falar como se eu fosse um bebê, deixando-me constrangido.

Nossa. Que mulher doida a qual fui gostar.

— Não fiquei com ciúmes de ninguém, garota. — Reforcei minhas palavras, sendo um pouco rude com ela que emburrou cara.

—  Então, posso estudar com ele amanhã ? — Sorria em provocação, querendo ver até onde vai em limite. 

As portas se abriram, me fazendo disparada a mil na direção do meu apartamento com S/N me seguindo, segurando as sacolas da nossa janta. Entrei na frente e ela logo atrás, fechando a porta com dificuldade devido as coisas que tinha em mãos, coisa que a fez me fuzilar com raiva por não ter ajudado, portanto sorri cínico querendo a irritar mais.

— Filho de uma chinesa, da vagina cabeluda. — Murmurou algo na língua dela, me fazendo boiar no que tenha sido. — Seja cavaleiro, e esquente a janta.

— Esquente você.

— Você!

— Então, vamos ficar com fome, fofa. 

(...)

— Isso está gelado e sem graça. — Lamentava pela comida, assim como eu.

— Devia ter me obedecido, sua feiosa. — Lhe dei um escoram, por estar sentado a seu lado.

— Você é muito chato, Lay. — Sujou minha bochecha de puré. Fechei os olhos, buscando a paciência contando até mil, se fosse preciso. 

— Só come, S/N. 

S/N bufou, desistindo de comer pondo toda sua janta no meu prato, me fazendo gritar em desespero por não apreciar comer o resto das pessoas.

— Por isso que não quero ser sua namorada. Você não me trata como uma princesa. — Choramingou, fazendo seu típico drama de quando quer ganhar algo. — Cachorro não gostoso.

— Não vai conseguir. — Avisei, enquanto jogava pro lado a janta dela.

Com rapidez a garota sentou em meu colo, jogando cada perna para um lado devido que eu não estava a olhando para ver seu drama. Nessa posição era impossível deviar do rostinho dela que estava muito próxima ao meu, assim como seus lábios que roçavam os meus. Cretina!

— Por que tão mau comigo ainda ? — Fechei meus olhos, apreciando seus carinhos em minha face, nuca e lábios com os dela.

— Porque sei que tu gosta.

— Gosto não. Gosto de homem bonzinho. — Puxou meu cabelo com força repetidamente, fazendo-me gritar de susto e dor. — Vai esquentar essa porra de janta, Yixing!

— Okay. Agora solta meu cabelo, sua maluca. — Assim fez, sorrindo como uma garota atrevida. — Sabe que irei me vingar, não é ?

— E você sabe que eu vou gostar dessa vingança, não é?

Piscou com o olho, jogando meu próprio jogo. Quando foi que ela ficou tão parecida comigo ? Credo.

Levantei carregado de medo, indo esquentar essa comida como pedido de S/N, deixando uma garota barulhenta feliz da vida a qual não desgrudava de mim por nada. Ficamos assim o tempo todo, abraçados trocando carícias, esperando o ponto certo para poder comer de vez. 


Continua..



Notas Finais


Espero que tenham gostado, e desculpa pela demora. Até mais <3

Meu perfil @MeiYeol


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...