História Devil Love ll BTS - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), I.O.I, IU, Lee Sunmi, Loona, Park Hyung-sik, Red Velvet
Personagens Choerry, Chuu, HaSeul, HeeJin, HyunJin, Irene, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jeon So-mi, JinSoul, Joy, Jung Hoseok (J-Hope), Kang Mi-na, Kim Do-yeon, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lee Ji-eun "IU", Lee Sunmi, Min Yoongi (Suga), Park Hyung-sik, Park Jimin (Jimin), Wendy, Yeri, Yves
Tags Bts, Choerry, Chuu, Doyeon, Haseul, Heejin, Hoseok, Hot, Hyunjin, Imagine Bts, Irene, Jeongguk, J-hope, Jimin, Jin, Jinsoul, Joohyun, Lee Ji Eun, Lee Sunmi, Loona, Namjoon, Rap Monster, Seokjin, Somi, Suga, Taehyung, Yeri, Yoongi, Yves
Visualizações 8
Palavras 2.103
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Bishoujo, Bishounen, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Magia, Mistério, Misticismo, Orange, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - The games just started ll 0. 03


❁❀ "The Games Just Started | 0.03" ❁❀


Dois anos se passaram, seguidos esses dois anos a pequena Ji Eun já havia parado de se alimentar das proteínas que sua mãe lhe fornecia, Dorothéa viu que era hora de afastar ela das irmãs, viu que a cada dia ela se apegava mais a Gentillesse, pudicitiam e bonitatem 

Era naquela noite, na quarta noite antes do aniversário da menina que entregaria aos cuidados de Jungkook. Pegou o cavalo, colocou a menina numa pequena cesta, e mesmo ela mexendo pôde percorrer um tranquilo caminho. 

Já Jungkook se encontrava na beirada da janela com uma garrafa de uísque quase vazia, bom, era a quarta que havia tomado, ele estava um tanto "desconexo", e a chegada de Lee Ji Eun o assustaria mais ainda. 

Dorothéa, assim que desceu do cavalo na frente do enorme castelo totalmente negro deu duas fracas batidas na porta que apenas de tocar poderia tomar um papel maior que um Iceberg por tamanha frieza. 

Jin assim que ouviu correu para atender a porta vendo a loira com uma cesta que apenas mostrava o rostinho da menina tentando sair de lá.


Foi um grande susto... 


— Dorothéa?. 

— olá Jin, Onde está Jungkook?! - o sorriso meigo da mais velha se alargou assim que viu o mais velho que acabou por atende-la, já Seokjin manteve um sorriso escondido. 

— bom, Jeon não está... Em bons estados, me entregue a men... 

— onde ele esta, quero vê-lo - a loira fez o mesmo, escondeu a cara que antes demonstrava maior gentileza e agora vestia a face de raiva, Sabia que Jeon não tinha jeito. 

— segundo quarto à cima. 

E apressada foi a loira balançando a cesta ao subir os degraus gigantes da escada. Foi seguindo as poucas instruções de Jin até o quarto, e assim que parou na porta de coloração negra deu dois fortes tapas. 

O próprio Jeon se assustou com tal ato e se levantou resmungando. 

— já estou indo – falou baixo enquanto girava a chave na tranca que com um pequeno barulho deu a entender que a porta agora tinha acesso permitido

Assim que viu Dorothéa seu restante de felicidade tinha pego uma carroça e ido embora, e piorou quando viu uma criança na cesta qual ela carregava. 

— tome, agora a menina é sua, cuide dela com sua vida e será recompensado – Dorothéa disse apenas tais palavras quando pousou a cesta no chão dando um último beijo Beijinha e indo para o andar de baixo, conversar com Jin. 

O moreno apenas viu a mesma virar no chão e de lá de dentro sair engatinhando um bebê, era de dar ânsia apenas de olhar. 

— coisa nojenta – Jeon deixou a menina caminhar até a escada , ela iria errar os passos e cair de uma altura de sete metros, morte na hora.


Mas não foi bem como Jeon queria, a menina parou por breves minutos olhando na direção do moreno de terno que arqueou a sobrancelha esquerda enquanto enfiava as duas mãos no bolso.


A menina abriu um imenso sorriso mostrando apenas dois dentes na parte superior da gengiva rosada.


Os cabelos negros curtos caíam sob o rosto, o biquinho feito para o Jeon fez um riso escapar do mesmo que se virou dando as costas para a menina.


— peste.


Entrou no quarto e se isolou, não parava de sorrir um minuto sequer, obviamente a menina estava feliz, mas porquê?, aquele lugar era de dar depressão gratuita.


O barulho da porta foi o único que Jeon ouviu em meio a tamanho silêncio, viu o amigo Taehyung segurando na ponta do vestido da menina que agora se encontrava de cabeça para baixo gargalhando de uma forma gostosa.


— Jeon, Jin me mandou te dar isso


Jungkook desmanchou o sorriso se sentando na cama e cruzando os braços vendo o Kim balançar a menina enquanto fazia uma cara de nojo.


— esses anjos pequenos e burros, não sabem nem andar.


— jogue ela pra cá, ande, só eu que maltrato essa peste – Jeon ergueu os braços na direção do loiro que tomou impulso para jogar a menina que mais uma vez deu um grito de tanto rir. 

— essa é a tal da paz entre o inferno e o céu?!.


— Sim, esse animalzinho de sangue quente pode salvar milhares de seres


— o que vai fazer com ela? – Taehyung encheu a boca de ar inflando as bochechas enquanto encarava a criança que, sentada no colo de Jungkook, brincava com o pingente de águia preto.


— amanhã eu deixarei ela na frente de um orfanato, vão ficar com ela, Dorothéa será banida de Goggiokodan, manterei ela afastada até mesmo da floresta de Shisuku , não quero ela enchendo meu saco. Você coisinha, irá pra bem longe de mim – Jungkook afastou a pequena franjinha que se grudava no rostinho pequeno da menina.


— E se nos castigarem?, já pensou nisso?, obviamente não! – Taehyung se sentou na poltrona olhando com certo ódio para a menina — vamos matar ela Jungkook, devem estar nos enganado em relação a você ter uma ligação com ela. 


— não, não matarei ela, não vejo necessidade se já vou joga-la fora –Jungkook soltou um de seus olhares mais sério para Taehyung que estava incrédulo. Balançava as pernas aninhando a pequena em seu peito que aos poucos ia relaxando.


— essa mundana podre está te impedindo até de matar...


— Já pode sair Taehyung, creio que já me entregou o que é meu.


O kim emburrado se levantou da poltrona olhando mais uma vez para a menina, jogava diversas pragas na pobre de poucos anos que estava no colo do Jeon.


Jungkook a olhou nos olhos enquanto estava a sós. Ele nunca quis cuidar de algo como um filho, muito menos quando se tratava de uma humana, gente mortal era tão sem graça aos olhos do Jeon, principalmente os casais, nunca seriam de corpo e alma como os imortais; humanos podiam ser mais sujos que os meros demônios. Um ponto que julgam é os pertences vivos, se fosse pra criar Ji Eun ela seria sua, seu corpo pertenceria a ele, sua alma pertenceria a ele, sua inocência pertenceria apenas a ele.


— praga, olhe o que me faz passar, agora Taehyung me acha incapaz  – Jungkook deu um fraco peteleco na testa da menina que tomou a chorar.


Jungkook desesperado balançou a menina na tentativa de faze-la parar de chorar...


— okay, okay, fui rude em ter te machucado, mas cale a boca!!.


— o que houve? – Jin entrou no quarto vendo Jungkook aninhar a menina em seu peito desnudo.


Jungkook viu que Jin estranhou, não queria ser o manso mais uma vez, não desejava que Jin pensasse tal coisa, devia seguir o conselho do irmão, matar a menina era a decisão a se tomar


— tome, leve embora daqui, mande Yoongi matar, se não mandar eu mesmo mato...


calúnia, apenas isso


Jin, o mais sentimental entre os irmãos não seria capaz de ver aquela menininha ser assassinada brutalmente, sabiam que Yoongi iria a matar cruelmente, o branquelo era o que mais odiava os humanos. Seokjin foi até Jungkook e apanhou a menina de seus braços o olhando com certa raiva.

— Jeon... 

— Vá!! – gritou o mais novo

— levarei, se me permite...


Jin com a menina nos braços se encaminhou até a porta chamando seu tão amado Namjoon, nele Jin podia confiar a vida da menina.


Jungkook não se sentia livre da maneira que queria, se sentia até angustiado, deixou que esses pensamentos fossem embora e voltou a se deitar na tentativa de dormir, o que andava sendo difícil.




{...}




— deixe-a em alguma casa, não importa onde, pelo amor de Deus Namjoon, leve-a rápido, Jungkook está querendo que eu dê ela pra Yoongi matar, e sabe bem o que Yoongi faria.


— não, ela não merece morte tão cruel, talvez se eu deixasse na floresta de Shisuk...


— será que não vê, eu não quero que ela morra, ela é nossa arma fatal, os de cima vão ver que não somos obras ruins.


— nos somos...


 — conte por vocês, eu não quero viver nesse inferno de isolamento.


— Okay, eu levo, me dê – Namjoon apanhou a menina e se encaminhou até a porta. Iria finalizar o percurso se não fosse o alastrante grito de Jin o chamando.


O moreno puxou Namjoon para que mais uma vez pudesse ver a menina que era carregada, dormia feito pedra. Seokjin de seu bolso tirou um colar acompanhado de um pingente com uma enorme pedra arroxeada com pequenos círculos esverdeados, o moreno colocou no pequeno pescoço de Ji Eun.


— é grande mas protege.


— Stone praesidium? – Namjoon tocou no pingente após pronunciar tais palavras em latim vendo a pequena "incubadora" se formar em volta da menina.


A pedra é o meio mais poderoso de proteger alguém a longa distância, a própria Perséfone deu tal proteção a Kim Taehyung quando pequeno, mas esse foi de um modo fixo, qual apenas ela poderia dar, Taehyung sempre foi uma criança com problemas, essa foi a única maneira de fazer que o menino não morra com seus dois meses de vida.


Ji Eun tem a proteção assim como Taehyung.


- Et relinquam in vobis sentire comfortable loco.


Sem muita fala da parte de Namjoon rapaz sumiu com a pequena, Jin com toda angústia subiu para o quarto esperando um ataque vindo de Jungkook após saber por Yoongi que a menina não foi morta. 


Jin, mais que ninguém, sabia como era forte uma ligação feita antes do nascimento de um dos indivíduos, em sua antiga tribo era normal uma ligação assim entre filhos e pais, para ter certeza de que nenhum dos dois se afastariam, caso contrário, seriam mortos pela dor da distância. 

Jungkook, como era novo, seria fraco para sentir tal coisa aos poucos corroendo seu coração, Jin como era um fugam ligado com sua mãe, quando a perdeu não era apenas saudade, mas sim algo o comendo por dentro, era como se sua maior parte tivesse ido, apenas uma pessoa pôde salva-lo e salvar outras milhares, infelizmente essa pessoa já não estava viva . 

Não desejava tal coisa nem para seu maior inimigo... 



{...}


Todos sentados em seus devidos lugares, o silêncio conseguia reinar mais que o próprio Yoongi, naquele local apenas o barulho de Taehyung comendo se ouvia. 

Yoongi sabia o que se passava, conseguia ler as mente de Namjoon e Jin, bom, as mente que tentavam se calar. Jimin, pálido conseguindo ter menos vida que os imortais, mexia em sua "comida" que apenas de olhar chegava a enjoa-lo

Jungkook sentia a tensão no local, achava que era por conta da (não) falecida  criança. 

— onde jogou o corpo? – Jungkook perguntou a Yoongi que levantou o olhar até os do rapaz na última ponta da mesa. 

— estava me sufocando com seus pensamentos irritantes sobre essa pergunta, bom, pergunte a seus irmãos Jin e Namjoon, os de sexualidade pecaminosa – Yoongi cruzou os braços abrindo um sorriso perverso para seus irmãos citados. 

— o que quer dizer com "pergunte a seus irmãos Namjoon e Jin "?... 

— onde a jogou, Namjoon? – Yoongi trincou o maxilar olhando o irmão. 

— Yoongi... 

 — onde jogou a salvação?, nossa única maneira de mudar, certo?.

— Não matou a menina? – Jungkook olhou enraivecido para Seokjin que cabisbaixo respondeu com um "sim" . 

— idiotas, são todos idiotas tentando mudar seu lado, Jungkook não mata, Jin é piedoso, Namjoon um louco apaixonado que faz tudo por Jin, Jimin?, nem se fala... O único que continua ruim aqui é Yoongi  – Taehyung sussurrou vendo que todos escutaram. 

— não vejo necessidade de mata-la – Jimin, antes calado, falou mexendo a prata por todo o prato que era preenchido por sangue fresco. 

— diz isso porque sua namoradinha humana foi assassinada na sua frente!,  agora acha que qualquer ser imortal deva ter nossa piedade!, aquela criança é diferente! – Jeon grito olhando o Park que logo percebeu seus olhos lacrimejarem, sentiu uma dor imensa se formar em seu peito, a dor de antes. 

— Jiminnie! – Taehyung viu o irmão correr da sala de jantar e foi atrás largando seu prato digno de cinco reis. 

— bom, não tenho mais obrigações com aquela criança, importando ou não, vou deitar... 

Jungkook se levantou deixando Jin, Namjoon e Yoongi no local. 

Yoongi tinha em seu rosto um imenso sorriso por conseguir mais uma vez prejudicar o irmão adotivo e mais velho. 

— Não deveria ter contado... 

— Seokjin, ao envés de me irritar com suas lamentações trate de chamar Hoseok, tenho coisas a resolver com ele... 

❁❀ "capítulo revisado" ❁❀


Notas Finais


Olá, espero com todo meu coração que tenha gostado e agradeço por estar acompanhando o virtual book. Até o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...