História Devils cry and humans lie: Story ir when a demon cries - Capítulo 27


Escrita por:

Postado
Categorias Devil May Cry
Personagens Dante, Lady, Nero, Personagens Originais, Trish, Vergil
Visualizações 38
Palavras 2.514
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Magia, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiii gente, tudo bem? Bom, peço desculpas pela demora pra postar. Mas infelizmente eu fui roubada final de setembro, então tive que esperar praticamente até metade de outubro para comprar um celular novo e reescrever a história (estava pronta no outro celular).
Mas enfim, deu tudo certo e aqui está mais um capítulo novo :-)
Espero que gostem :-)

Capítulo 27 - A última batalha contra o Príncipe das Trevas


Fanfic / Fanfiction Devils cry and humans lie: Story ir when a demon cries - Capítulo 27 - A última batalha contra o Príncipe das Trevas

Angela acordou, assustada. Olhou em volta para saber na onde estava.

-"Merda. NÃO, NÃO, NÃO, NÃO!!!"

Ela rapidamente se levantou e foi em direção a entrada do Inferno. Nada! Não havia nada. Estava fechado.

Angie podia sentir as lágrimas invadindo os seus olhos. Aquilo não poderia estar acontecendo. Estava se sentindo uma inútil, ela não fez nada para impedir.

-Sua BURRA!

Não podia perder o Dante. Não podia perder o Vergil.

Ela começou a chorar, não queria demostrar tristeza, sabia que ambos estavam fazendo aquilo pelo bem de Sarah e dela. Mas saber que nunca mais poderia vê-los... Aquilo lhe partia o coração.

Angie sabia que tinha que agir, porém, seu corpo apenas ficou no chão, chorando, como uma simples humana.







Sarah estava do lado de fora da igreja, chorando. Porém, Lady não havia percebido logo de primeira as lágrimas, pois estava caindo uma chuva enorme.

-"O que é estranho, pois não tinha previsão de chuva."

Ela se aproximou lentamente da menina, não sabia o que falar ou o que fazer. Porém, a jovem quebrou aquele silêncio.

-Eu sei que o tio Dante sempre fala que demônios não choram. Talvez eu não seja uma completa demônio. Mas eu não ligo mais para isso.

Lady desviou o olhar, também estava com medo pelo Dante e pela Angie. Mas não havia nada que elas pudessem fazer. Trish se aproximou de ambas.

-Sarah, eu sei como você se sente. Mas vamos ter esperanças de que eles vão voltar.

Sarah encarou Trish, seu olhar não era de ódio, mas Lady achou que ela poderia acabar machucando Trish.

-Esperança? Não fale besteiras! Você acha mesmo que eles vão voltar? É óbvio que não.

Trish se afastou um pouco de Sarah. Dessa vez, Lady falou:

-Tem razão, Sarah. Talvez eles não voltem.

-Lady...

-Não, Trish. Ela tem que ouvir de novo. Sarah, você está agindo como uma humana. Mas a pior de todas. Mimada, burra e egoísta.

Sarah ficou vermelha. Lady podia sentir a raiva em seu olhar. 

-Cala a boca!

-Não, Sarah. Você deve estar achando que o mundo gira ao seu redor. Mas está enganada, Dante, Vergil e Angela não estão fazendo isso apenas por você. A Trish já tinha falado e eu vou falar de novo, é pela humanidade, sua garota burra! Você nem parece que é descendente de Sparda, é fraca e tola!

Porém, quando Lady terminou de falar, ela sentiu seu corpo voando para alguns metros longe de Sarah, ela bateu suas costas na parede. Quando ela se levantou, tinha um pouco de sangue, vindo de sua boca.

Trish rapidamente foi ao seu encontro.

-Você está louca? 

Sarah encarou ambas, seus olhos azuis estavam vazios. Aquele jeito, aquela postura, aquele olhar...

-Se você voltar a me xingar, eu mato você! 

Então Sarah se afastou. Trish ajudou Lady a se levantar.

-O que você pensa que está fazendo, Lady? Falando essas coisas para ela? Enfrentando ela assim? 

Lady limpou sua boca, depois cuspiu o sangue.

-Ela tem que ouvir umas verdades, Trish. 

-S-sim, eu concordo. Mas acho que você foi dura demais nas palavras e...

Trish parou, pois percebeu que Lady estava chorando.

-Ei, ela machucou demais você? 

-Não é isso, agora estou percebendo que, talvez eles realmente não iram voltar.

Trish olhou em direção a igreja. Ela passou as mãos pelo cabelo preto molhado de Lady.

-Talvez isso seja verdade. Mas vamos esperar. Nunca se sabe.

Lady não gostava de ser pessimista, mas havia algo que lhe dizia que nunca mais iria ver eles outra vez. Por fora, estava um pouco brava com Sarah, por tê-la atacado, mas no fundo, entendia a menina, pois também tinha a sensação, de que eles não iriam voltar mais.





-DESGRAÇADO!!!

Mundus atacou Dante, fazendo seu corpo voar para longe. Vergil se intrometeu na luta e atacou a criatura. Sua Yamato atravessou umas das assas de Mundus, porém, ele mau havia reagido ao ataque.

-Vocês acham que vão proteger a humanidades assim? Irei matar Dante primeiro, depois você, demoniozinho.

Vergil o encarou, depois olhou em direção na onde Dante estava. Reparou que ele havia empunhado a Espada de Sparda. Então, ele voltou seu olhar em direção à Mundus e sorriu.

-É você que irá perder dessa vez, Mundus. E eu não estou interessado em proteger a humanidade. E lembre-se que são dois contra um. Juntos, nós dois temos o poder de Sparda.

Mundus riu, realmente os gêmeos de Sparda eram fortes, porém, Mundus estava com uma nova vida. Não iria perder para aqueles dois. 

Então ele lançou um ataque em direção a Vergil, mas o gêmeo mais velho desviou e vôo para trás de Mundus. Ele percebeu que Vergil ativou seu Devil Trigger, mas aquilo não iria funcionar. Vergil mais uma vez atravessou o peito demoníaco de Sparda. 

Mundus riu do movimento de Vergil, pois só aquele golpe não iria acabar com a vida dele. Porém, seus olhos se arregalaram quando Dante atingiu as costas de Mundus, em direção ao seu coração.

-O quê...?

Aquela dor... impossível! Não era para aquelas espadas lhe causarem dor.

Dante o atravessou profundamente.

-Você se esqueceu, Mundus? A Force Edge é do meu pai. Por isso, você já era.

Ambos saíram de perto de Mundus. O corpo do demônio foi para o chão em um segundo. Porém, ele se levantou de novo.

-Vocês acham mesmo que esse é o meu fim? Seus...

Porém, várias espadas fantasmagóricas atingiram Mundus. Dante se surpreendeu com o ataque e olhou em direção a Vergil. Ele ainda estava com a sua Devil Trigger ativada. Dante suspirou e jogou a Force Edge para Vergil.

Seu gêmeo mais velho o encarou e entendeu o recado.

-Sabe Mundus, meu objetivo sempre foi te matar. Porém, achei que Dante já tinha o feito.

Dante revirou os olhos e ambos foram se aproximando do corpo caído de Mundus.

-O que vocês vão fazer?

Vergil o ignorou completamente e continuou:

-Não tenho motivo para poupar sua vida. Você matou a minha mãe, quis matar minha filha. Acho que nada é mais justo que eu lhe tome sua vida.

-SEU TOLO!!!

Dante se aproximou do rosto de Mundus.

-Nunca pensei que esse dia chegaria, Mundus. E antes que você questione: Sim! É pessoal.

Dante deu um chute no rosto de Mundus. Ele sacou a Ebony e Ivory e disparou vários tiros em seu rosto. Quando Dante parou, Vergil se aproximou de Mundus, ele já havia voltado ao estado normal.

-Dante disse que era pessoal para ele. Eu penso diferente: eu estou fazendo porque eu quero!

Então ele atravessou a Force Edge no crânio de Mundus. Sangue se espalhará por todo o chão do submundo.

-Vergil, temos que selar a alma e o corpo de Mundus agora!

Vergil assentiu. Ambos ficaram em volta de Mundus, então Dante pegou a espada de Sparda, cortou a palma da mão direita, Vergil observou tudo aquilo, então Dante falou: 

-Minha mão esquerda já tem um corte, lembra?

Ele mostrou a cicatriz que tinha em sua mão, uma lembraça de vários anos atrás, quando o objetivo de Vergil ainda era outro.

-Você é um idiota, Dante!

Dante sorriu e passou a espada para o irmão mais velho.

Vergil cortou a palma da mão esquerda. O sangue dos gêmeos estavam espalhando por todo o chão. Eles usaram o amuleto perfeito para concluir o ritual.

-Ei, não teremos que usar o sangue de uma humana né? Como Sparda fez...

-Cala a boca, Dante!

Dante deu um sorriso e revirou os olhos. Realmente Vergil não iria mudar seu jeito.

Depois que eles finalizaram o ritual, Dante já estava pronto para ir embora dali.

-Então, vamos?

Porém, o olhar de Vergil estava perdido, olhando para dentro do Inferno.

-Ei, isso traz lembranças né?

-É, porém, não muito boas.

Dante também olhou em direção ao inferno, mas sabiam que estavam perdendo tempo.

-Vamos, Vergil.

Vergil concordou. Dante estava louco para sair dali, tanto pela pressa quanto para deixar as lembranças para trás.






Angela finalmente havia parado de chorar e foi procurar Sarah, Lady ou Trish. Já tinha perdido gente demais em sua vida: Jasmin, sua mãe e possivelmente, Dante e Vergil.

-"Não! Eu vou proteger nossa filha, Vergil. Eu prometo!

Porém, viu Trish e Lady paradas do lado se foda da catedral.

-Ei, meninas!

Ambas olharam em direção a jovem.

-Angie!!!

Então as três se abraçaram. Aquele abraço foi muito reconfortante para Angie, por sabia que amava aquelas duas. Porém, o rosto de Lady estava vermelho e seus olhos estavam inchados.

-Você está bem? Onde está o Dante e o Vergil?

Angie desviou o olhar, não sabia nem por onde começar.

-E-eu não sei o que aconteceu com eles... Quando eu acordei, já estava na igreja.

Os olhos de Lady se encheram de lágrimas, porém, a jovem não chorou. 

-Entendo.

Angie entendeu que ela não queria tocar no assunto. Porém, ela olhou para os lados e percebeu que sua filha não estava por perto.

-Onde está a Sarah? 

Dessa vez, foi a vez de Trish e Lady desviaram o olhar.

-Ela foi embora.

-O quê? Como assim, "ela foi embora"? Onde está a minha filha? 

-Calma, Angie. Ela saiu correndo, praticamente, pois ela achou que vocês nunca mais iam voltar.

Angela se sentiu muito mal, não queria causar preocupações na sua filha, porém, agora precisava ir atrás dela.

-Lady, por acaso você sabe para onde ela foi? 

-Não. Me desculpa, Angie. Não deveria...

Porém, Lady parou de falar quando viu que o olhar de Angie havia se perdido. Era como se ela estivesse perdida em pensamentos.

-Ela é muito parecida com eles, né? O jeito temperamental do Dante e o gênio forte do Vergil.

Lady assentiu com a cabeça e deu um abraço no jovem. Sabia que tinha pisado na bola.

-Angie, fique aqui com a Trish. Eu vou atrás de Sarah.

Porém, antes que Angela pudesse responder, Lady já havia partido. Não era muito o seu jeito pedir desculpas, mas sabia que havia sido dura com a menina. Pois, assim como Sarah, ela também já havia perdido várias pessoas em sua vida, exclusive os seus pais. Lady prometeu a si mesma que mudaria o seu jeito de lidar com algumas coisas, afinal, ela e Sarah tinham muita coisa em comum.








Dante e Vergil estavam abrindo o portal para o mundo dos humanos. Mas Dante percebeu como Vergil estava quieto e na dele.

-"Não que isso seja incomum. Vergil sempre foi mais na dele... Mas ele está estranho."

Decidiu puxar assunto.

-Angela deve estar muito brava com você, sabia?

Porém, Vergil não respondeu. Isso vez com que Dante sentisse um pouco de raiva. Parecia que Vergil sempre estivesse de mau humor.

Quando o portal finalmente se abriu, Dante rapidamente foi para o mundo dos humanos, mas Vergil ainda estava lá em baixo. Ele não estava entendendo porque Vergil estava demorando tanto.

-Ei, vem logo! Esqueceu que os amuletos estão separados, logo o portal irá se fechar.

Nada. Apenas silêncio. Vergil deu uma olhada para trás e quando ele iria para o outro lado, viu V se aproximando com uma espada na mão. Como aquele desgraçado ainda estava vivo? 

Obviamente ainda era o V que tinha visto, porém, sua pele parecia que estava descascando e estava mancando. Dante viu que Vergil mau notará sua presença.

-Vergil, atrás de você! 

Mas foi tarde, V havia atravessado a espada em Vergil.

-NÃOOOO!!!

Dante gritou e quando ele iria pular outra vez para o inferno, V o encarou, então uma poder muito forte fez Dante voar longe. Ele ficou um pouco desnorteado, mas rapidamente foi em direção a entrada. Porém, ela já havia se fechado. Dante ficou olhando para o buraco, sem acreditar no que acabou de ver. Ele estava em choque. 

-"Vergil... Não... Eu não acredito que você..."

-Dante!

Ele olhou para trás e viu Angela e Trish correndo em sua direção.

-"Angela... Ah droga, me desculpe!"

Então Angie se aproximou e lhe deu um forte abraço. Ele não sabia como retribuir aquele gesto de carinho, então apenas aceitou o amor dela. Trish estava olhando em volta, mas ela já percebeu o olhar de Dante, por isso, não falou nada.

-Ainda bem, estou tão feliz que você está aqui. Lady foi atrás de Sarah, ela ficou tão preocupada conosco, que acabou indo embora sem nós, uma atitude um pouco imatura tenho que admitir, mas é de família, creio eu. Muito cabeça dura, aquela menina. É igualzinha a você, teimosa. Mas ela também...

Porém, Angie parou de falar quando o olhar de Dante estava suplicando por desculpas.

-Você está bem? Onde está o Vergil, Dante? 

Porém, Dante não respondeu.

-Por favor, não me diga que...

Foi a vez de Dante lhe dar um abraço. Porém, o choro de Angela lhe cortou o coração. 

-Por favor, Dante. Não faça isso comigo!

-Me desculpe, Angie. Me desculpe.

Ambos ficaram vários minutos abraços, o que para Dante pareceu horas. Angela estava soluçando em seu ombro, mas não se importava. Não se importava que ela estivesse chorando e nem que mostrava que realmente amava Vergil. Sabia também que nada do que dissesse poderia ser o suficiente para preencher aquela dor, por isso, Dante só ofereceu o seu amor e sua parte humana para Angie. Trish se aproximou de ambos e também os abraçou.

-Eu sinto muito, Angie.

A jovem estava com o rosto vermelho ainda, porém, ela parou de chorar e se afastou de Trish e Dante.

-Obrigada, gente.

Dante mais uma vez pensou em Eva. Angie o fazia lembrar de sua falecida mãe. Não pela aparência, longe disso, pois Trish realmente era uma copia de Eva. Mas o jeito, o seu amor e dedicação pela família.

-Angie, eu prometo a você que vou te proteger e protegerei a Sarah. 

A jovem lhe deu um sorriso e deu-lhe um beijo na bochecha.

-Eu sei Dante e agradeço. Mas acho melhor irmos atrás de Sarah. Ela vai precisar de muita ajuda.

-Sim. 

Angela se virou e foi em direção a entrada do Inferno. Sabia que ficar ali chorando não iria adiantar de nada. Tinha que honrar o sacrifício de Vergil, iria procurar pela filha.

-Adeus, Vergil. Obrigada por ter me dado a Sarah. Eu te amo! 

Angie se voltou e deu um belo sorriso para Dante e Trish e os três foram em direção a saída. Porém, ao chegarem lá fora, havia uma tempestade enorme.

-Voltou a chover!? Que droga!

Trish, Dante e Angela foram correndo procurar Sarah. Não sabia na onde a sua sobrinha estava ou o que estava pensando, mas Dante não iria permitir que a garota sofresse o que eles sofreram quando eram crianças. Protegeria Angie e Sarah com sua vida.

-"Irei tomar conta delas, Vergil. Eu prometo."

A escuridão atrapalhava a busca, mas Dante não se importou, pois logo um novo dia iria chegar e o Sol já iria aparecer, isso lhe dava ânimo e forças para continuar. Não importava as perdas, não importava as dores e nem as tristezas, sempre iria lutar para proteger aqueles que ele ama e isso era uma característica herdada de sua mãe e Dante não tinha medo de abraçar seu lado humano.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...