1. Spirit Fanfics >
  2. Devotion >
  3. Memórias voltando...

História Devotion - Capítulo 29


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpa p sumiço, mas com essa quarentena eu pretendo terminar essa fic logo...
beijos pra vc, se cuidem e fiquem em casa.

Capítulo 29 - Memórias voltando...


Fanfic / Fanfiction Devotion - Capítulo 29 - Memórias voltando...

Capítulo 29

 

Elijah Mikaelson

 

As quatro deram as mãos e Helen estava a recitar algo há muito tempo. Mantinham as suas máscaras de foco, mas para além do calor e das chamas vibrantes das velas, nada mais tinha acontecido.

-Helen… - comecei, mas Kol colocou um dedo à frente dos seus lábios, me calando. Ele tinha passado muito tempo com bruxas nos séculos passados, pelo que presumi que ele soubesse o que Helen estava fazendo.

-Preciso que se unam ao círculo – falou Helen de repente e olhei para os meus irmãos em dúvida. Em que poderíamos ser úteis? – Vocês têm a memória do que aconteceu lá. Quantos mais, melhor.

Kol foi o primeiro a acenar e colocou-se entre Tatia e Katerina, pegando nas mãos delas que estavam unidas, separando-as e unindo-as às dele. Klaus foi a seguir, dando as mãos a Katerina e Elena.

-Desculpem o atraso – falou a minha irmã, ofegante. O que ela fazendo? – Problemas na empresa do Daniel. O que tenho que fazer?

-Se junte a nós, Rebekah – afirmou Helen. – Estamos prestes a colocar na mente delas o que aconteceu naquela noite.

-Ótimo! – disse Rebekah, dando as mãos a Helen e Elena. Então eu não tive outra opção senão dar as mãos a Helen e a Tatia.

-Vou começar e devo avisar que não será agradável. Vocês estão mesmo dispostos a fazer isto? – perguntou Helen.

Todos acenámos e ela respirou fundo, fechando os olhos.

-Fechem os olhos. Preciso de vocês com as mentes fechadas para o mundo real – mandou e eu fechei os olhos.

 

Helen Grayson

 

Não era agradável, ir a cada um dos Originais, juntar as perspectivas e memória deles do acontecimento daquela noite, fundi-las numa só, conjuntamente com a minha memória, e encaminhá-las para as doppelgangers. Não ia ser uma tarefa fácil.

Então Elena começou a soluçar alto e não duvidei que estivesse chorando. Eram demasiadas coisas, aconteceram muitas coisas naquela noite. Em seguida, foi Katherine, a debater-se mentalmente contra aquelas memórias, tentando quebrar a nossa ligação.

-Não… - murmurou e ouvi o seu pânico.

Por fim, Tatia. Ela parecia não estar a resistir fisicamente, mas percebi que estava apenas a controlar-se. Para ela, aquelas memórias repostas na sua cabeça eram informação. Mas informação para quê?

Não tive oportunidade para ficar mais tempo na cabeça dela, porque Rebekah começou a gritar.

-Irmã! – gritou Klaus de volta e senti as quatro mentes poderosas dos Originais tentarem se livrar daquele roubo de memórias. Eles conseguiriam lembrar-se, mas de qualquer das formas, eu estava dentro das suas cabeças, e dentro da minha eu fundia todas aquelas memórias deles, juntava as minhas para aperfeiçoar o momento, e entregava-as nas mentes das doppelgangers.

-Helen, para – pediu Elijah em voz alta e depois através da mente. Não respondi. Se eles me tinham pedido isto, eu tinha que acabar o feitiço, ou então todos nós estaríamos condenados à falha de memória.

-Não posso – admiti e continuei a inserir as memórias na mente de Tatia, Katherine e Elena.

Agora eram todos eles a se debater contra aquilo, o barulho entrava tanto pelos ouvidos como invadia a minha mente. Era muito difícil me concentrar. Elena era a mais fraca de todos nós e já estava a prever o pior, mas quando finalmente tudo acabou o silêncio finalmente instalou-se na sala e eu abri os olhos. Larguei as mãos de Elijah e Rebekah e olhei para todos, que iam abrindo os seus olhos gradualmente.

-Está feito – olhei para as três vítimas das artimanhas de Esther, e Elena era quem parecia que não ia aguentar mais.

Klaus abraçou-a com força, embalando-a nos seus braços, num gesto meio desajeitado, talvez por não estar muito habituado a afetos.

Katerina foi a segunda a reagir.

-Oh, céus… Kol! Me perdoa, por favor! – abraçou o Original, fechando os seus braços ao redor do pescoço dele, a chorar copiosamente. – Me perdoa... Por favor, me perdoa.

Tatia levantou-se e foi se colocar de frente para a janela, tentando absorver toda aquela informação.

-A minha tarefa está feita – ergui-me e Elijah seguiu o movimento, assim como Rebekah. – Tenho que ir para casa.

-Obrigado – agradeceu Elijah, profundamente. Percebi que era sincero, ele estava realmente grato por tê-los ajudado.

Acenei com a cabeça, não me comprometendo com nada. “De nada” não era correto, nem “sem problema” ou “não foi nada”. Fazer favores a vampiros era algo que tinha jurado a mim mesma não fazer, mas por causa de Elijah, fi-lo. Quebrei uma promessa que tinha feito a mim mesma e não há maior traição do que essa.

-Espero que agora fique tudo bem.


Notas Finais


Beijos bbs.... talvez amanhã ou segunda eu apareço... estou terminando de revisar os próximos capitulos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...