História Devuélveme El Corazón - Capítulo 17


Escrita por: e Serquelsz

Postado
Categorias La Casa de Papel
Visualizações 118
Palavras 1.243
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Primeiramente eu gostaria de agradecer a todos que estão comentando e favoritando a fic eu fico muito feliz e me divirto com cada comentário
Segundo:Desculpem por não postar capítulo ontem,andamos muito oucupadas ultimamente.Enfim,boa leitura e nos vemos la embaixo


Ps:Este capítulo contém hot,então se você não gosta não leia
~Serquelsz

Capítulo 17 - Surpresas


Fanfic / Fanfiction Devuélveme El Corazón - Capítulo 17 - Surpresas



Sérgio e Raquel chegaram em casa. O Professor logo reparou que a casa estava do jeito que ele queria. Raquel sorriu ao ver as pétalas de rosa espalhadas pelo chão trilhando caminho até o quarto.


- Isso também é coisa sua, não é? - disse chegando perto de Sérgio.

- Como advinhou? - respondeu fazendo os dois rirem.


Raquel puxou Sérgio para um beijo calmo que logo foi se itensificando. Eles subiram as escadas e chegando no quarto Raquel sorriu novamente. O quarto também estava cheio de pétalas de rosa e na cama um coração com rosas vermelhas escrito "Te amo" no meio. Além disso, várias velas aromatizadas estavam espalhadas pelo cômodo.


- Eu amo esse seu lado romântico, sabia? - disse Raquel olhando ao redor com um sorriso bobo no rosto.

- Você desperta isso. 


Raquel interrompeu Sérgio com outro beijo. Ele a jogou na cama ficando por cima dela. Ela começou a tirar o paletó, a camisa e a gravata de Sérgio, deixando seu abdômen já exposto. Ele tirou o vestido dela, deixando-a somente de lingerie. O Professor trilhava beijos pelo pescoço e por entre os seios da amada. Em resposta, Raquel gemia rouco e arqueava as costas, e isso deixava Sérgio mais excitado ainda. Sérgio tirou o sutiã de Raquel abocanhando um de seus seios com a boca e outro com a mão em movimento circulares, recebendo puxões de cabelo da noiva. O Professor parou de dar atenção aos seios de Raquel e foi descendo deixando uma trilha de beijos até sua intimidade. Ele arrancou a calcinha de Raquel e mordeu seu lábio inferior. Sérgio chupava a intimidade da ex inspetora com gosto. Raquel gemia arrastado o nome de Sérgio e agarrava com força os lençóis da cama. Ela atingiu o seu primeiro orgasmo da noite gritando o nome do Professor. Quando ele parou de dar atenção à intimidade dela, ela o puxou pra cima e girou, ficando por cima de Sérgio. Tirou sua calça junto com sua cueca revelando seu membro pulsante de tanta excitação. Sem aviso, a ex-inspetora abocanhou o membro de Sérgio arrancando um gemido alto do mesmo. Sérgio fez um rabo de cavalo com o cabelo de Raquel e a estimulava em seus movimentos. Ela olhava fixamente para o Professor. O suor na sua testa, a expressão com a boca aberta e seus olhos fechados de prazer. O Professor chegou ao seu ápice pensando no quão maravilhosa Raquel era. A ex-inspetora subiu em seu colo o beijando voracidade. Logo Sérgio tratou de inverter as posições ficando por cima de Raquel beijando seu pescoço.


- Sérgio...- Raquel disse quase sem voz.

- Diga meu amor - disse com a respiração ofegante.

- Eu...preciso de você...agora.

- Repete - Sérgio apertou um dos seios dela, arrancando mais um gemido da mesma.

- Preciso de você...dentro de mim.

- Quando? - parou de dar atenção aos seios da ex-inspetora e deixou um chupão em seu pescoço. Raquel já não aguentava mais aquela tortura.

- Agora. Já.


Sem demora, Sérgio a penetrou. Os dois suspiraram. O Professor acelerava cada vez mais seus movimentos. Os dois gemiam ritmados, pareciam estar conectados, e juntos os dois chegaram ao ápice. Cansados, se deitaram na cama.


- Sérgio - disse Raquel brincando com uma das pétalas que havia na cama. Ele apenas a olhou, e, sentindo esse olhar, ela continuou - Eu te amo.


O Professor sorriu largo. É claro que ele sabia disso, mas adorava essas declarações repentinas de Raquel. 


- Repete, gosto de quando você diz essas coisas.

- Eu te amo. - disse rindo.

- Mais uma vez. - Sérgio apertou Raquel em seus braços. Raquel deu um tapa no ombro dele.

- Está muito abusado. Não vou repetir de novo.

- Tem certeza? - disse descendo a mão até a intimidade dela. Raquel arfou.

- Ok ok, você venceu. Eu te amo, te amo, te amo.

- Eu também amo você. Demais. Mais do que qualquer outra coisa na minha vida.


Beijaram-se novamente e voltaram a se amar.


[...] No dia seguinte, chovia e ventava frio lá fora. Raquel acordou arrepiada pelo vento que invadia a fresta da janela. Passou a mão do lado da cama e estava vazio. Ela logo sentiu o cheiro de café e sorriu largo lembrando-se da sua primeira noite ao reencontrar Sérgio em Palawan. Vestiu uma camisa dele e desceu. Sérgio estava colocando o café na mesa.


- Bom dia meu amor. - ele disse chegando perto de Raquel e a beijando.

- Bom dia -disse retribuindo o beijo - Esse cheiro tá uma delícia!

- Eu já ia te chamar para a gente tomar café.

- O cheiro me acordou. - disse sorrindo e sentando-se a mesa.


Sérgio encaminhou-se a mesa e sentou-se de frente para Raquel. Os dois comeram trocando olhares apaixonados e sorrisos.


- Eu ainda não acredito nisso...-disse Raquel rindo fraco.

- No que?

- Eu vou me casar de novo. - disse olhando para o anel de compromisso em seu dedo.

- Pois acredite. Porque eu não vejo a hora de te ver toda de branco em cima de um altar - pegou a mão de Raquel e beijou - Vai ser a noiva mais linda do mundo.

- Isso tudo é um sonho. - disse sorrindo.

- É o meu maior sonho desde que te conheci. E você vai ser muito feliz, não se preocupe, eu prometo. - disse referindo-se ao casamento anterior da mesma. Raquel entendeu o recado.

- Disso eu tenho certeza, meu amor - respondeu, dando-lhe um selinho - O que vamos fazer hoje? 

- Eu pensei em darmos uma volta na cidade. - disse Sérgio pegando a louça suja e levando pra pia.

- Acho melhor não. Está muito frio, e tá chovendo também.

- Então vamos ficar aqui aproveitando. - disse chegando perto de Raquel e agarrando sua cintura.

- Super topo. Mas primeiro, preciso de um banho.

- Ah dessa vez eu te ajudo. - sorriu malicioso.

- Tá bom. Te espero. - disse se soltando dos braços do Professor e subindo as escadas.


O celular de Sérgio tocou. Era um número desconhecido. Ele estranhou, mas decidiu atender.


- Alô?

- Olá Professor. - a voz masculina do outro lado respondeu.

- Quem é? - disse Sérgio já aparentando nervosismo.

- Você sabe muito bem. - a voz riu.

- Quem é você? - disse Sérgio fazendo seu famoso tic.

- Só liguei pra dizer que sua felicidade não vai durar.

- O que você quer?

- Até breve, Professor. - finalizou a ligação.


Sérgio foi consumido pelo nervosismo. Andava de um lado para o outro passando a mão por seus cabelos. Temia pela vida de Raquel pois imaginava ser Alberto. "Claro que não" pensou o Professor. Foi tirado de seus pensamentos pela voz de Raquel.


- Amor, você não vem?

- Sim, estou indo meu amor. - disse Sérgio se acalmando e subindo em direção ao banheiro. Chegando lá Raquel estava parada na frente da banheira. Sérgio a agarrou por trás distribuindo beijos por sua nuca. Ele queria esquecer daquele telefonema, pois não queria preocupar Raquel. 


[...] Raquel e Sérgio viam séries na televisão abraçados no sofá até que a campainha tocou.


- Eu atendo. - disse Sérgio se levantando e indo em direção a porta.

Ele abriu e ficou perplexo - Jorge?


Raquel ouviu e se levantou, se aproximou deles, estranhando a presença de Jorge ali. Estava com um péssimo pressentimento.


- Me desculpem por isso. - sacou a arma da cintura. Suas mãos tremiam. Ele não queria fazer isso. Apontou a arma para Raquel, e antes que Sérgio pudesse impedir, ele atirou.


Raquel caiu no chão, o sangue já se espalhando completamente. Sua visão foi ficando embaçada. Ouviu o grito de Sérgio antes de tudo ficar escuro.


Notas Finais


Nos perdoem por isso e surtem nos comentários.Sério,não nos matem prometo que vai piorar K
Comentem e até o próximo bjinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...