História Dezesseis luas - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias A Hospedeira, A Metamorfose, Anjos e Demônios
Tags Bruxaria, Camren, Romance, Suspense
Visualizações 8
Palavras 484
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Magia, Sobrenatural, Suspense, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi pessoal espero que gostem da história...

Boa leitura 🌹

Capítulo 1 - O meio do nada



                                [...]

                             <Antes>

Havia apenas dois tipos de gente em nossa cidade. "As burras e as empacadas", que foi como meu pai afetuosamente classificou nossos vizinhos."Os que estão condenados a ficar ou são burros demais pra ir embora. Todos os outros acham um meio de fugir". Não havia dúvidas sobre qual dos dois ele era,mas eu nunca tinha tido coragem de perguntar o motivo. Meu pai era escritor,e morávamos em Gatlin,Carolina do Sul, Porque todos os Jauregui sempre moraram ali,desde que o tataravô do meu tataravô, Henryk Jauregui,lutou e morreu no outro lado do rio Santee durante a Guerra Civil.
Só que o pessoal daqui não a chamava de Guerra Civil. Todos com menos de 60 anos a chamavam de Guerra entre os Estados, enquanto todos com mais de 60 a chamavam de Guerra da Agressão Norte,como se de alguma forma o norte tivesse levado o sul a entrar na guerra por causa de um fardo ruim de algodão. Todos menos minha família. Nós a chamávamos de Guerra Civil.
  Era apenas mais um motivo pela qual eu mal podia esperar para ir embora daqui.
  Gatlin não era como as cidadezinhas que se vê nos cinemas,a não ser que fosse um filme sobre cinquenta anos atrás. Estávamos longe demais de Charleston para ter um Starbucks ou um McDonald's. Só tínhamos um Dar-ee Keen,já que os Gentry eram Pães duros demais para comprar novas letras quando compraram o Dairy King. A biblioteca ainda tinha livros catalogados em cartões,a escola ainda tinha quadros negros e nossa piscina da comunidade era o lago Moultrie, com água marrom morna e tudo. Podíamos ver um filme no Cineplex na mesma época que ele saia em DVD,mas tínhamos que pegar uma carona até Summerville,perto da faculdade comunitária. As lojas ficavam na rua Main,as boas casas ficavam na rua River,e todas as outras pessoas moravam no sul da autoestrada 9,onde o asfalto se desmanchava em pedaços de concreto — terrível para andar,mas perfeito para jogar em gambás furiosos,os animais mais cruéis que existem. Nunca se viu esse tipo de coisa nos filmes.
Gatlin não era um lugar complicado; Gatlin era Gatlin. Os vizinhos ficaram de guarda nas varandas no calor insuportável, sofrendo é suando a vista de todos. Mas não havia sentido. Nada mudava nunca. Amanhã seria o primeiro dia de aula ,no segundo ano do ensino médio na escola Stonewall Jackson High,e eu já sabia tudo que iria acontecer: onde eu me sentiria,com quem eu falaria,as piadas,as garotas e garotos,quem estacionária onde.
Não havia surpresas no Condado de Gatlin. Éramos nada mais nada menos do que o epicentro no meio do nada.
  Pelo menos é o que eu pensava quando fechei meu exemplar surrado de Vampiros e lobisomens,desliguei meu iPod e apaguei a luz da última noite de verão.


Só que eu não podia estar mais errada.
Havia uma maldição.
Havia uma garota.
E no final,havia um túmulo.
Nunca sequer imaginei que aconteceria.


Notas Finais


Primeiro capítulo curtinho mesmo porque sou dessas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...