História Dia de folga - dakaretai otoko 1-i ni odosarete imasu - Capítulo 1


Escrita por: e nolirin

Visualizações 23
Palavras 1.448
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Shonen-Ai, Slash, Yaoi (Gay)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Doce sorriso


Fanfic / Fanfiction Dia de folga - dakaretai otoko 1-i ni odosarete imasu - Capítulo 1 - Doce sorriso

Takato estava escondido. Ele estava se escondendo seriamente, mesmo sabendo que era apenas uma questão de tempo - minutos, meros minutos, antes que o demônio o encontrasse.

"Takato-saaan?" Azumaya gritou o procurando

Takato pressionou a mão contra a boca, suprimindo um suspiro. Ele estava escondido atrás do sofá, apenas atrasando o fim de sua vida. Ele não estava usando roupas, exceto a cueca.

Talvez fosse a terceira ou quarta vez que Junta o sequestrara depois do trabalho no dia anterior e o trouxera para casa

Estavam em semana de folga, resultando em uma sessão de paixão ainda mais longa e uma continuação séria pela manhã. Takato apenas descansou cansado com Junta em cima dele. Foi então que um erro foi cometido; enquanto acariciava seu corpo suavemente, Junta havia chegado um pouco perto demais da axila, fazendo Takato engasgar com uma risadinha.

Saijou tentou evitar isso como aborrecimento, como fez com tudo o que envolvia Junta, empurrou-o, pulou da cama e vestiu sua cueca.

E portanto, agora encontramos Takato nessa atual situação peculiar; escondido atrás do sofá e ouvindo um predador à espreita, pronto para atacar.

"Eu não vou fazer cócegas em você. Eu só quero ouvir você rir, tudo bem?" Azumaya falou enquanto procurava pelo moreno

Oh, e quão inocente isso parecia. Não estava tudo bem. Takato pressionou a mão contra a boca para abafar sua respiração pesada

A antecipação era insuportável. Takato tinha muito pouca experiência em receber cócegas, mas sabia por toques breves e sutis de estranhos durante as sessões de fotos, fãs que tentavam apalpá-lo e outras situações de azar, que ele era muito sensível. Ele não estava pronto para mostrar um lado tão vulnerável a Junta. Apenas ... ainda não.

Um pé descalço apareceu e Takato olhou para o corpo seminu de Junta. O mesmo velho sorriso de tesão estava em seu rosto quando ele se inclinou.

" Takato-san. Achei você."

Takato gritou, tentou se levantar e correr, mas Junta o agarrou e o arrastou de volta para o quarto de onde ele havia fugido para escapar de seu destino.

"Tudo bem, Takato-san. Só um pouco de cócegas, vou ser legal. Quer 1.000 ienes por isso? ” Azumaya disse

" UGH" Takato lutou quando foi empurrado para a cama e ofegou quando Junta o prendeu, lembrando-o daquela força doentia no corpo do mais jovem.

O moreno estremeceu quando um de seus braços foi empurrado sobre sua cabeça e preso lá em baixo, tentou em vão empurrar Junta para longe com o braço livre.

"Não, por favor, Ch-Chunta" ele gaguejou, totalmente perturbado e um pouco assustado e nervoso pelo que estava por vir. Junta sorriu. Ele sorriu com aquele sorriso angelical, e foi injusto. Era o doce sorriso de anjo que tinha poderes para derreter o interior de Takato, mas era tão injusto. Este homem não era um anjo.

"Takato-san. Vou fazer cócegas em você agora ~ ” Este homem era um demônio.

Cinco dedos roçaram a pele exposta da axila estendida de Takato, e Takato imediatamente sentiu seu corpo pular

"Ahhh! AHa-Chunta! Não, por favor!" O moreno entrou em pânico. Ele nunca experimentou sair do controle. Bem, sim, à noite, com este homem batendo fundo nele, fazendo-o sentir o maior e mais desejado prazer. Mas isso, isso era diferente.

“NÃO! Oh, não, hahaha!"

Ele estava ... rindo. Takato quase nunca ria Foi uma risada forçada, ele não estava acostumado a isso. Parecia estranho.

"Há uma risada linda de Takato-san. Ohhhh, eu quero ouvir mais. Eu poderia beber sua risada o dia todo " Azumaya falou divertido

Takato fechou os olhos com força e jogou a cabeça para trás.

Depois de tudo o que Junta fez com ele, o moreno não pôde deixar de sentir que essa era talvez a coisa mais pervertida que ele poderia fazer. Rindo assim pela primeira vez em sua vida, provavelmente, ele nunca se sentiu tão exposto. Tão vulnerável. Suas bochechas estavam esquentando, as lágrimas esquentando seus olhos também, e sua respiração já estava ficando instável.

" Você é realmente sensível, Takato-san"

Saijou teve sorte quando seu braço foi solto, mas com as duas mãos de Junta repentinamente atacando os dois lados de seu torax e ocasionalmente arranhando, Takato estava perdendo a cabeça. Sua voz falhou.

“Chunta-aahahaya! Aheeehehe! ” Ele fez sons e barulhos que nunca tinha se ouvido fazer antes. Isso o ensurdeceu. E então houve a voz provocante de Junta, dizendo coisas como:

"Você está rindo tanto da Takato-san. Eu nunca vi você se divertir tanto antes! O que acontece quando eu te toco aqui? Isso faz cócegas?"

Takato estava muito nu, muito sensível, muito vulnerável. Os dedos do loiro estavam por toda parte. Suas costelas, seus lados, seu estômago, seus quadris, oh caramba, seus malditos quadris-

"Encontrei um bom lugar ~" foi o que o demônio Azumaya disse antes de sair, beliscando seu quadril, fazendo Takato sentir como realmente se sentia ao fazer cócegas impotentes. Depois dos quadris, havia as coxas, as coxas ainda piores que os quadris. A essa altura, Takato estava se acostumando com sua própria risada.

"AHAha-por favor, pare!" Seus esforços e contorções ficaram mais fracos. Ele estava ficando exausto. As palavras de Junta: "Não vou fazer cócegas em você" e "apenas um pouco de cócegas" estavam dançando em sua mente. Aquele mentiroso do mal. Mas ainda assim, provavelmente havia apenas um homem vivo neste planeta que poderia fazer algo tão maligno como agradar alguém até a morte e ainda parecer um anjo - foi o que Takato pensou quando olhou para os olhos brilhantes de Junta e seu sorriso de bunda grande.

"Eu s-sahahaid stooop!"Saijou choramingou. Junta subiu de novo, fazendo cócegas mais algumas vezes em suas axilas, seu pescoço, sua clavícula...

"Mas eu ainda não tentei aqui ~" Junta cantou, rabiscando os dedos sobre a pele sensível do pescoço de Takato. Não havia nenhum lugar onde ele não tivesse apalpado . Takato estava chiando e gemendo, e ainda rindo também, inferno, ele não tinha ideia do que estava acontecendo com ele.

Seus braços que estavam agitados, tentando acertar o corpo pesado e forte em cima dele, agora caíam para o lado, tremendo por causa das cócegas aqui e ali.

Enquanto isso, Junta começou a adicionar beijos e lambidas no peito. O peito de Saijou arfava quando os lábios quentes desceram indo em direção ao estômago. A língua que circunda seu umbigo faz cócegas tão ruins, mas neste momento Takato não podia mais se surpreender.

"Devo fazer-lhe cócegas aqui também?" perguntou Junta, brincando, enfiando a ponta do dedo no umbigo e mexendo de brincadeira enquanto lambia os lábios. O moreno arqueou as costas e tremeu.

"Apenas fodendo - o que quer que seja!", Ele gritou. Junta fez, é claro. A ponta de sua língua fazia cócegas em seu umbigo tanto que surpreendeu Takato o quão sensível ele podia estar lá, no centro de sua barriga.

Talvez ele estivesse ficando um pouco louco, mas quanto mais ele ria, em vez de se sentir infeliz, começou a se sentir aliviado e satisfeito.

O medo dele por sua própria risada incontrolável não era tão ruim quanto antes, ele riu. Claro, ainda era embaraçoso, mas ...

“Foi tão ruim assim?”. Azumaya perguntou

Takato ainda estava sorrindo e rindo um pouco, ainda formigando tanto que nem percebeu que Junta havia parado de fazer cócegas nele. Saijou abriu os olhos e, embora sua visão estivesse embaçada, ele pôde ver que Junta estava se inclinando e então sentiu seus lábios nos dele.

Takato ainda estava sem fôlego e um pouco tonto devido as cócegas de Junta, e ele sorriu no beijo.

"Não é tão ruim, certo?" Junta brincou mexendo os dedos pelos lados nus expostos (Takato inconscientemente colocou os braços em volta do pescoço de Junta), fazendo-o tremer e rir do beijo.

"Você é um demônio" - Takato murmurou entre beijos quentes de língua. Ele sentiu Junta sorrir contra seus lábios também.

"Qual é?" Junta murmurou parando o beijo

Takato só percebeu o que ele havia dito e apenas corou e revirou os olhos.

"Ambos ... seu idiota" ele sussurrou. Junta riu, e então aqueles dedos desagradáveis ​​estavam de volta, seguindo a deslizando pelo quadril sensível de Takato

Os olhos de Takato se arregalaram quando a luz aumentou e ele assentiu rapidamente. E assim o restante de sua manhã livre foi preenchido com mais cócegas, risadas, beijos e, claro, o sexo mais excitante de todos os tempos.

"Vou te dar 1.000 ienes, 2.000! Se você me deixar amarrá-lo na próxima vez? E fazer cócegas em você? Isso seria tão sexy ”, foi o que Junta disse depois do segunda, rodada de sexo matinal. Saijou estava tremendo ao lado dele, enrolado nos cobertores.

-"Cala a boca, seu demônio pervertido!" ele murmurou, corando como um louco. Sim, era definitivamente assim que era sua vida com Junta ao seu lado.  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...