1. Spirit Fanfics >
  2. Dia dos Namorados >
  3. Único

História Dia dos Namorados - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Único


Era dia dos namorados, um dia para se dar presentes e cartões para pessoas que você tem um bom relacionamento, tanto amigos quanto o seu amante, parceiro, namorado, como você quiser chamar.

Ink e Error estavam na casa deles, que se resumia em uma casa de 2 cômodos, a cozinha e o quarto não ficaram divididos por paredes, então contavam como um só, e é claro, um banheiro.

Estavam com seus 20 anos, seus papéis eram destruir e criar universos alternativos, sabiam disso e viviam em paz, Error destruía algumas Au's, e Ink criava outras.

Eram amigos a duas décadas, não, melhores amigos. Em um fatídico dia, após dias do seu surgimento, Error entrou em um portal e então achando o artista que nasceu ali a poucas horas.

Foram feitos para isso, criar e destruir, não vieram ao mundo como bebês, e sim como crianças - adolescentes, a única coisa que sabiam quando apareceram nesse enorme multiverso era os seus nomes e o propósito de serem feitos.

O nosso casal já tinham dado seus presentes de amigos, muitas vezes foram confundidos e acharam que eram namorados. Os dois estavam na cama de Ink, com as costas encostadas na parede, Ink desenhando no seu caderno e Error costurando uma camiseta para si, já que uma delas tinha rasgado sem querer, isso que dá o Ink inventar de passar uma faca na camisa de Error apenas por diversão e é claro, por puro tédio.

Ink estava com uma camisa de botões branca e uma bermuda marrom, da mesma cor do seu cachecol que estava em volta de seu pescoço. Error usava sua camisa vermelha e sua bermuda preta.

A poucas semanas Error admitiu para si os sentimentos que sentia por Ink, o amava com toda certeza e as vezes fazia fantasias tanto fofas quanto eróticas entre os dois, mas se revelou esses sentimentos para o artista? Nem fodendo.

Sabia que o pintor poderia retribuir os seus sentimentos, mas ele achava que os seus sentimentos artificiais eram falsos, então evitaria se apaixonar para não causar dor a si próprio e nem para a sua paixão.

Mas, ele poderia se apaixonar, certo? Ele poderia amar, certo? Certo, mas ele queria sentir isso? Não, com toda certeza. Só que Ink iria sentir isso por alguém, ele iria amar alguém, e se ele já estivesse preso na prisão que era amar? Não, são melhores amigos e contam tudo um para o outro, qualquer paixão do baixinho já seria sido informada para Error.

Mas, perguntar não mata, né? Bom... Essa pergunta pode acabar com algo, mas não com a vida de alguém.

- Ei, Ink - O destruídor chamou pelo nome de sua paixão, o chamado olhou para o maior com seus olhos cheios de curiosidade, aqueles olhos que fazia o de ossos negros se perder em tudo apenas para admira-los. - Sabe... Hoje é dia dos namorados, e então, você está apaixonado por alguém?

Ink gelou e corou um pouco, a um bom tempo tinha percebido o amor que sentia por Error, e agora? Iria mentir? Confessar tudo e depois gritar com si mesmo após acabar com sua amizade de longa data? Não sabia, estava confuso e envergonhado.

- Eu... Ah... Meio que eu... Não, eu só, tipo, você sabe. - Desviava o olhar tentando omitir o máximo possível esse informação de seu melhor amigo, não estava surpreso que tinha recebido essa pergunta do outro, mas estava nervoso. - Eu... Eu... Eu...

Sua voz ia morrendo aos poucos, ele olhou para baixo pensativo e envergonhado, então Ink estava realmente amando alguém e não o contou.

- Por que não me contou? - O artista não conseguia encarar Error, deveria ter contado para ele, eles contam tudo um para o outro.

- É por causa da pessoa que eu estou apaixonada, eu não quero que ela saiba. - Deu um sorrisinho, tinha acabado de se declarar indiretamente.

Error estava paralisado e não acreditava nas palavras de Ink, ele era correspondido? Entendeu o motivo de Ink não o falar, mas, sério? O

pintor estava o amando? O menor notando a quietude de seu amigo levantou a cabeça e notou que mesmo paralisado, estava sorrindo... Feliz? Aliviado? Algo assim.

O destruidor finalmente se moveu, suas mãos agarraram Ink e o puxou para um beijo e o sentou em seu colo, o maior abraçou a cintura do outro assim que o puxou para perto.

O de ossos brancos passou os braços pelo pescoço de Error e rapidamente correspondeu o beijo e passou as pernas pela cintura dele como se a abraçasse.

Em poucos segundos estavam eu um intenso beijo de língua que travava uma mini batalha por espaço, onde Error obviamente estava no comando por causa de seu número de linguas, mas Ink gostava disso, gostava que o maior ficasse no comando, se sentia confortável e protegido.

Se separaram ofegantes, assim que recuperaram o ar se olharam envergonhados e quietos, ao longo do tempo o silêncio foi se tornando desconfortável, assim deixando os dois esqueletos nervosos e constrangidos.

- Eu... - Ink foi interrompido por Error.

- Sei que seus sentimentos são falsos e que não vai querer começar um relacionamento comigo. - Dava para perceber a tristeza que foi dizer isso. - Vamos só, hum... Esquecer isso.

- Nenhum beijinho de despedida? - Ink falou em um tom brincalhão, mas realmente queria aquilo, sorriu e pela surpresa dele seu desejo foi realizado.

Não, de jeito nenhum perderia essa chance, o artista passou os seus dedos lentamente e pressionando de maneira leve mas costas do destruidor e se separou o beijo por alguns segundos apenas para gemer baixinho o nome de seu amado e depois voltou a beijar Error.

O maior sabia o que Ink estava fazendo e amava isso, então sentiu que ele começou a começou a rebolar. Deus, como conseguia o deixar louco assim apenas com atos simples? Não aguentou e tirou o cachecol do artista e então avançando contra o pescoço do mesmo.

Pelo fato do artista ser sensível no local ele gemia a cada chupão, lambida ou fraca mordida, percebeu que o destruidor iria começar a descer até suas costelas o parou, segurou os ombros dele e o afastou um pouco, mas ainda ficando perto já que estava em seu colo.

O pintor deu um sorriso malicioso e olhou para baixo, dando atenção a sua camisa, começou a desabotoar ela lentamente, botão por botão e foi a tirando lentamente de seus ombros e logo a jogando para longe, não deu tempo de fazer nada e ele foi jogado na cama pelo Error.

O de ossos negros começa a dar vários beijos nas costelas de Ink e dando algumas mordidas nas flutuantes, o outro logo agarrou a camisa vermelha de seu companheiro e foi a puxando e mostrando cada vez mais o corpo do seu amado.

O que estava por cima se levanta um pouco e termina de tirar sua camisa.

- Aaahh~ - geme após sentir um pé no seu membro, o massageando com os dedos e se movimentando no geral. Error se abaixa ficando ainda por cima, com os braços esticados o segurando para não esmagar aquele que está lhe dando prazer. - Aah~

O artista rapidamente troca as posições ficando por cima, ele então olha para o volume entre as pernas de destruidor e sorri, tira a bermuda do Error e logo observa o membro do último citado e então coloca apenas a " cabeça " na boca, ele começa a masturbar o que estava para fora.

- AAhh~ Deus InAa~ - Só pelos gemidos que recebia, já sabia que estava fazendo um bom trabalho, colocou mais dentro da boca, continuando os movimentos com a mão na parte que não estava sendo lambida. - Ink~ e-eu ahn~

Com um gemido um pouco alto a boca de do artista foi preenchida por gozo, ele engoliu tudo e então olhou para o destruidor com um sorriso no rosto, a vítima do boquete de Ink estava muito corado e até ofegante.

Ele logo voltou a realidade e quando olhou o pintor já estava nu, se levantou ficando sentado na cama enquanto o outro tinha um sorriso malicioso no rosto corado.

Logo foi puxado pelo destruidor, acabou por fica em cima do membro com Error o segurando pela bunda, eles se olham e logo depois Ink fecha os olhos se preparando.

O maior separa bem as nádegas e o vai abaixando lentamente, quando o artista sentiu algo entrando lentamente dentro de si, segurou os ombros do companheiro fortemente.

- AAAaagh! - após ouvir o gemido de dor que saia de Ink, Error parou por alguns segundos, depois de ver que o que estava encima já tinha se acalmado o terminou de penetrar.

Começou a se movimentar lentamente, subindo e descendo no destruidor, com o tempo foi aumentando cada vez mais a velocidade e a altura que subia, sentiu duas mãos em sua cintura o ajudando e o movimento com mais força.

- Ooh! E-Error! Hmmmmm! - Gemia alto como nada, ainda bem que estava só eles naquele universo, só para eles.

Ficaram assim por um bom tempo, Ink não fechava a boca por nada, seus gemidos que antes eram de dor, agora eram tomados pelo prazer, seus olhos estavam perdidos, não sabiam pra onde olhar, não tinha foco, e sua mente estava nublada, raciocinar não era uma opção, não naquele momento.

Error não estava muito diferente, mas olhava o artista com sua total atenção, amava as expressões que ele fazia e o seu rosto fortemente corado, não que estivesse muito diferente.

AAAh! - Ink goza sem aviso prévio, enquanto ainda era movimentado pelo parceiro, que logo depois fez o mesmo ato.

Deitaram e respiravam descontroladamente, se olhavam ainda com um sorriso no rosto, mesmo que tentando recuperar o fôlego, estavam felizes e até muito envergonhados pelo o que fizeram segundos atrás.

Depois de se recuperarem um pouco ficaram se olhando em um enorme silêncio, até que começaram a rir, era uma cena estranha e constrangedora, mas, por que não?

As risadas pararam e sorriram um para o outro.

- Boa noite Kinky

- Boa noite Ruru.


[...]




Não, eles não ficaram juntos, Ink não poderia retribuir os sentimentos do Error, não verdadeiramente.

Eles se afastaram e decidiram esquecer isso.

Cena bônus:

( Essa cena não está conectada com a one, era para estar, mas não iria fazer sentido. )

A garrafa gira e gira até que para:  Blueberry para Ink.

- Verdade ou desafio?

- Desafio! - O azulado aparenta pensar um pouco e recebe o olhares ansiosos de todos.

 - Ink, te desafio falar algo que você nunca contou pra ninguém!

- Sério Blue? Era sua chance de fazer o Ink passar a maior vergonha da vida dele. - Dream reclama com o amigo.

- Responde logo. - Cross diz neutro, assim como o menor, gosria de saber os segredos mais obscuros do artista.

- Algo que eu nunca comentei com ninguém? - Ink pareceu meio pensativo, até uma lâmpada acender em sua mente. - já sei! Eu já fiz um boquete no Error!

Um silêncio se permaneceu alí

- Um boquete... No Error? - Blueberry pergunta raciocinado o que foi falado.

- Sim! 

- você sabe o que é um boquete, né? - Cross pergunta indignado

- sim!

- Mas... - Dream foi interrompido pelo pintor impaciente.

- Eu peguei a porra do pau do Error me enfiei na minha boca!


Notas Finais


Gente, esse foi meu primeiro lemon KKKKKKK SCRR.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...