História Diabolic - YoonSeok - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Jhope, Sope, Suga, Yoonseok
Visualizações 494
Palavras 1.004
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Adivinha quem pegou celular escondido pra escrever?
Isso é uma prova de que amo vocês♥

Capítulo 33 - Promessas não podem ser quebradas


Fanfic / Fanfiction Diabolic - YoonSeok - Capítulo 33 - Promessas não podem ser quebradas

Casar com alguém vivo era uma coisa de muita seriedade. E não era algo normal. Muito pelo contrário; desde quando um padre une uma pessoa viva e uma pessoa morta? Ninguém seria tão louco a ponto de aceitar isso. 

- Hoseok... Quem iria aceitar esse tipo de coisa? Digo, você sabe que eu... - Yoongi abaixou a cabeça. Doía em si imaginar que o ruivo ao seu lado querer acabar com tudo. Seus sentimentos estavam tão... à flor da pele.

- Amor, não nos importa o que os outros irão pensar. Eu só quero ficar junto a você 'pra sempre. Por favor, apenas me responda: aceita se casar comigo? - Aquela pergunta era tão tentadora. Yoongi sentiu cada vez mais o amor falar mais alto e seus olhos ficarem bem negros. Ergueu a cabeça, tão decidido quanto antes. 

- Eu aceito. 

                                          [...]

Dava uma dó ao pensar o quanto Yoongi sofrera tanto antes de morrer e depois de morrer. Jimin se sentia um bastardo por ter tratado o Min tão mal. Ele pode ter feito coisas ruins mas é uma forma de se sentir "melhor". Era apenas uma vingança. O Park iria fazer um trato com o Min. 

- Anh, Minnie... Eu vou passear um pouco. Faz um tempo que não faço isso. Posso levar o Woo? - Chanyeol apareceu segurando JiWoo pela mãozinha. Aparentemente o pequeno se arrumou só, seus cabelinhos negros estavam penteados de forma engraçada. Jimin riu baixinho e assentiu, arrumou o cabelo do filho e parou para observar a roupa que o mesmo usava. O pequeno Jeon tinha o mesmo estilo de Jimin e Jungkook. Era um estilo bom, tinha que admitir. Deu um beijinho na testa dele. 

- Se comporte, huh? - Woo sorriu e assentiu ao seu omma. O garotinho saiu com Chanyeol. Jungkook apareceu com celular na mão, um pouco sério. Parecia estar resolvendo alguma coisa da delegacia.

- Amor, 'tá fazendo o que? - Jimin indagou sentindo o marido lhe abraçar por trás. 

- Estava resolvendo algumas coisas. Podemos ir pra casa? Eu 'tô com saudade de você. - Jungkook apertou a cintura de Jimin e deu um beijo no pescoço do marido, fazendo-o se arrepiar. 

- Eu queria muito mas, tenho que fazer algo importante. Tenho que falar com Yoongi. Acho que você tem que fazer isso também... Sabe, ele não fez aquilo por mal. 

- Eu pensei sobre isso. Naquela noite, eu escutei vozes. Ele perguntava onde "Ele" estava. Provavelmente procurava o Hoseok e eu o ignorei. Eu queria... - Antes que Jungkook terminasse de falar, a porta é aberta por Hoseok e Yoongi, que estavam um tanto sorridentes. 

- Temos uma notícia muito boa! - Hoseok quase gritou. 

- E o que seria? - Jungkook perguntou. 

- Eu e Yoongi vamos nos casar! 

                                       [...]

A borboleta azul voava perto de JiWoo, este que estava encantado com o pequeno inseto voador. Ele e Chanyeol estavam em uma sorveteria, o menor tomava um sorvete de chocolate e o outro tomava sorvete de morango. Estava um clima bom até. 

- Acho que ela gostou de você. - Yeol comentou sorrindo. 

- É. Ela é muito bonitinha, tio Channie. - O pequeno ergueu o dedinho indicador e a borboleta azulzinha pousou nele. Fazia cocégas. Ela logo voou para o outro lado da rua, para uma floricultura, especificadamente. Chanyeol pagou o sorvete e perguntou se Woo queria ir na floricultura, para ver se a borboleta estava lá. O garotinho assentiu e segurou a mão do "tio". Juntos entraram na floricultura. Tinham tantas flores bonitas e cheirosas. 

Um garoto de cabelos escuros aparece segurando um vasinho com uma plantinha pouco crescida. 

- Olá. Sou Baekhyun! Querem comprar alguma flor? - Sorriu. Chanyeol amou aquele sorriso, era fofo. Amava coisas fofas, e certamente o Baekhyun era muito fofo. 

- Nós vimos uma borboletinha azul! Ela veio voando pra cá. - JiWoo contou com as bochechas rosadas. Estava tímido, com vergonha de Baekhyun, ele era alguém novo. 

- Ah, a Sea. A Sea é meio que uma borboleta de estimação, ela fica aqui na maioria do tempo. Querem vê-la? - Perguntou. JiWoo assentiu. Baek os levou até uma varandinha, com algumas plantas pequenas. Sea estava lá, encima de uma delas. 

- Sea! - JiWoo foi até ela, sorrindo abertamente. 

- Seu filho? - Baekhyun perguntou. 

- Não, não. Ele é filho do meu amigo. Ah e eu sou Chanyeol. Ele é o JiWoo. - Yeol respondeu desconcertado. Estava reparando em todos os detalhes do rosto de Baek, ele era realmente muito fofo. 

- Okay... Por que olha muito 'pra mim? Tem algo no meu rosto? 

- É que você é muito lindo. De verdade. - Chanyeol sorriu bobo. 

- Aish, não me iluda. 

- É verdade. Você é perfeito. Parece um anjinho de tão fofo. - Baek sorriu e agradeceu aos elogios. Chanyeol também era encantador. Se sentia bem ao lado daquele garoto com orelhas grandes. 

                                     [...]

- Yoongi, eu fui muito estúpido com você. - Jimin começou. - Eu te tratei como se fosse a pior coisa do mundo. Eu agora te entendo. Você faz mal às pessoas por vingança. Durante toda a sua vida você foi excluído, as pessoas tinham medo de você. Mas eu não acho que ChaeRin tem tanta culpa nisso. Quer dizer, ela te matou, mas provavelmente seu pai a incentivou a fazer isso. Me perdoe. - Todos estavam sem expressão, esperando Yoongi dizer ou fazer algo. Min YoonGi sorriu. Levantou-se de onde estava sentado e abraçou o Park, que retribuiu o abraço. 

- Yoongi, me perdoe também. Eu te ignorei naquela noite quando ouvi sua voz. Foi mal, eu estava cansado. - O Jeon sorriu um pouco tímido. 

- Tudo bem, eu te perturbei numa hora ruim e fiz algo pior. Te deixei entre a vida e a morte. 

- Escuta... Prometemos ser legais com você se você não nos machucar. 

- Estou de acordo. - Yoongi apertou as mãos com Jimin e Jungkook, aquilo agora era uma promessa. 

 

E promessas não podem ser quebradas. 


Notas Finais


BAEKIE FOFOOOO
♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...