História Diabolik lovers: Aprendendo a amar - Capítulo 15


Escrita por: e NiJin_Susano

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Beatrix, Carla Tsukinami, Christa, Cordelia, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Richter, Ruki Mukami, Seiji Komori, Shin Tsukinami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori, Yuma Mukami
Visualizações 64
Palavras 2.647
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Esporte, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Lírica, Literatura Feminina, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Orange, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Sobrenatural, Steampunk, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiiiieee, chegay, tudo bom com vocês!? comigo sim, bom espero que gostem!!!!!!!!!!

Como sempre, me desculpem pelos erros
Boa leitura!!!

Capítulo 15 - Painful memories


Fanfic / Fanfiction Diabolik lovers: Aprendendo a amar - Capítulo 15 - Painful memories

" Memórias ruins existem para que nós nunca  esquecermos o que um dia já foi real. Independentemente do tipo de lembrança, elas sempre permanecerão na memória, nos atormentando ou nos agradando"


...


3 Semanas antes da chegada dos Mukamis na mansão Sakamaki...


       Gabrielle Kishimaru's Pov

                    ??:??P.M


Inevitavelmente, após uma longa caminhada pela expansão do Jardim, eu me encontrava em frente à uma mansão, pela qual não era a que eu esperava que fosse, pela minha preocupação. Passo levemente a mão sobre a enorme porta de ferro, lembrando-me de que eu deveria procurar ajuda agora, além do mais eu precisava encontrar minha irmã e minha amiga. Criando coragem para bater no portão, me afasto ao perceber uma sombra através da porta que logo se abriu

Com medo, eu avisto um belo homen à minha frente, rapidamente eu reconheço o mesmo, mais o medo e a preocupação ficara maior a cada minuto. Eu precisava de ajuda, então eu tinha que arriscar. Aquele olhar ainda me intrigava, era difícil de imaginar como uma criatura com rosto tão sereno poderia machucar alguém, como a Yui...

— Carla...

O homem de cabelos brancos e longos  logo me fita com um olhar interrogativo, é eu sei, " como você sabe o meu nome" é uma longa história— Passo levemente minha mecha de cabelo para trás da orelha e o fito— sinceramente eu não sabia como começar, eu não posso chegar e falar " Ei Carla eu preciso da sua ajuda, tenho que encontrar minha irmã e minha amiga agora" isso seria imprudência demais da minha parte , chegar ao fato de dar ordens para um fundador é morte certa

— Como você sabe o meu nome?— Perguntara fitando-me rigorosamente, engolindo seco eu tento procurar as palavras certas para responde-lo

— B-Bom...Se não for incomodo eu gostaria que— Sou interrompida pelo mesmo que havia me dado às costas

— Entre— Fala o homem que eu ainda obtinha um certo medo caminhando adentro da sua mansão escura. Logo me apresso e passo à segui-lo

Será que eu devia falar alguma coisa?...ou era melhor eu ficar de boca calada se eu ainda quisesse minha língua dentro da minha boca?  Após virar um breve corredor, era possível se ver um pouco de luz naquela mansão abominante, avistando também o seu irmão mais novo, Tsukinami Shin, que estava assentado em uma poltrona pela qual eu deseja descansar-me

— Então era ela Nii-san?— Pronunciou-se o ruivo ainda com os olhos vidrados em um livro. Como ele sabia que eu estava aqui? Como, se ele nem ao menos m— Meus pensamentos são interrompidos pelo mais velho

— Se essa pergunta ainda te aflige, deverias saber que já sabíamos que estara em frente aquela porta antes mesmo de botar no pé nela— Falara rispidamente o platinado. Eu apenas olho para o chão fazendo bico, eu odiava ser cortada dessa maneira

Como eu sou idiota, eu deveria já ir me acostumando com essas habilidades extraordinárias. Mas agora eu deveria me apressar e contar para eles que eu precisara que ajuda, não só eu

— M-Meu nome é— Novamente sou interrompida pelo mais velho que me fitava com um olhar de desaprovação

— Me responda à pergunta anterior— Fala o mesmo. Agarro a borda da minha saia totalmente irritada com a prostração do mais velho, irritante

— Bom eu conheço cada um de vocês— Respirando fundo eu recomponho minha postura— E eu acho desnecessário citar suas próprias características para fazê-los acreditarem em mim, além do mais seria uma completa imprudência minha mentir para vocês, eu os conheço, então eu ainda priorizo minha vida, mas no momento eu só peço ajuda de vocês— Com a respiração descompassada após explicar-me minha situação completamente enrolada

— Ajuda ?— Olha para mim, ainda sentado na poltrona, o ruivo com a sobrancelha arqueada 

— Sim, eu precis— Me assusto ao sentir as mãos do ruivo na minha cintura, mas logo afasto-me rapidamente do mesmo — Eu... preciso de... Ajuda

— Não precisa ter medo meu amor—  Fala o Ruivo Olhando para mim, dos pés à cabeça. Meu sistema nervoso, que é ativado por conta dos estímulos, deixando meus músculos rígidos e tensionados que me proíbe de assimilar ao sentir novamente mãos me tocando, eu apenas tento me acalmar principalmente em uma situação dessas 

Eu não podia falar que eu era de outra dimensão nem nada do tipo, eu não posso usar isso ao meu favor, isso poderia causar problemas maiores se eles se interessasem nesse assunto. As mãos do mais velho que antes estavam em meus ombros, desceram-se a minha cintura, coberta pelo meu uniforme da minha escola da outra dimensão, puxando-me mais para perto. Era ridículo o fato de ser pequena e fraca perto de dois seres com extrema força e habilidades,mas eu não deixaria de tentar me debater — Levo minhas mãos sobre as dele, tentando tira-las de mim

— Reorganizando os fatos— Sinto seu rosto se aproximar do meu ombro— Eu nunca tinha visto um uniforme como este, incluindo esse nome,muito menos uma humana como você, dentre vários outros fatores como, o seu cheiro— Sinto seus lábios gélidos roçando no meu ombro subindo lentamente até meu pescoço, me causando náuseas da sua  atitude

Eu já estava nervosa demais, eu odeio esse tipo de aproximadamente, eu odeio o fato de me lembrar daquilo...

Mordendo os lábios para abafar o choro, sinto minha visão falhar tornando-se pontos brancos e falhos. Mas eu ainda podia enxergar o ruivo se aproximando, levando umas de suas mãos até o meu rosto, agarrando o meu queixo o levantando com brutalidade para fita-lo

— Pelo menos não tivemos trabalho de encontrar algo para comer... né Nii-san....— Cada palavras ia ficando falha para que eu podesse ouvir, cada vez mais distante, logo tudo se tonara escuro

Eu odeio quando isso acontece...


                         ~#~

Quando eu abro os olhos, fora minha vista que ainda estava embasada, vejo o novo lugar que me encontrava, um quarto, deitada em uma cama, lembro-me do meu óculos, e logo me assento na espaçosa cama e pego os mesmo que estavam sobre o o criado mudo e os coloco. Podia ver que  ainda estara a noite

— Você deveria conter seu sistema nervoso— Pronunciou-se uma voz, dirigindo meu olhar para a pessoa que pertencia a tal voz

Assustada, rapidamente eu saio de cima da cama, eu queria sair daquele lugar, eu precisava sair na verdade, se eles não irão me ajudar eu irei por si própria

— Carla, eu...tenho que ir— Nervosa eu olho para o mesmo que estava sentado em uma poltrona à minha frente— Eu realmente tenho que ir, eu preciso encontrar...— Eu paro de falar após me lembrar dos riscos de por as meninas em perigo

— Procurar o que exatamente?— Perguntara o mesmo se levantando da poltrona, ficando poucos metros a distância. Eu não sei se devo falar... não posso correr o risco— Olho para o chão, tentando achar alguma desculpa para respondende-lo—  Eu tenho que sair o mais rápido possível deste lugar

É... não é nada...— Levo minhas mãos para barra da saia tentando esconder o nervosismo mais era inútil, por que eu não conseguia 

— Ótimo— Eu o olho, estranhando totalmente sua compreensão— Bom agora você terá que conter o seu nervosismo por que , se você desmaiar novamente isso não será motivo para me parar com o que eu irei fazer — Paralizo com as suas palavras, mas me recomponho ao olhar, nenhum pouco discreta para à porta logo a poucas distâncias, dou um passo para trás, temendo que o mesmo fizesse algo, tomando coragem eu descido correr até a porta, mas sem ao menos chegar perto, sinto o meu braço ser puxado com extrema força, me jogando no chão— NÃO!!!— após sentir o impacto do meu corpo com o chão, sinto novamente o nervosismo possuir o meu corpo ao vê-lo puxar-me para si, me jogando sobre a cama, sem ao menos me deixar respirar ou questionar, pela primeira vez em toda minha vida , sinto preses afiadas penetrando em meu pescoço com brutalidade fazendo minha coluna vertebral tomar um leve choque por conta dor aguda. Eu tento o empurrar, colocando firmemente minhas duas mãos sobre o seu peitoral, mas a cada sugada , a cada perda de sangue, eu perdia minhas forças e minha consciência, a cada mudança de local a ser mordido eu sentia minhas pernas fraquejarem, a cada marca pressionada no meu corpo eu me lembrava das meninas, a  cada estupidez minha eu me lembrava o quanto eu fui idiota

Novamente meu corpo e minha visão foi tomada pela escuridão

                         ~#~

Com dificuldade para abrir os olhos, sinto meu pescoço dolorido, deitada de bruços, vejo que ainda estava no mesmo quarto de antes, mas sem a presença dele. Com bastante dificuldade eu me assento novamente naquela cama , dirigindo meu olhar até um grande espelho que ficava ao lado da varanda, expandindo-se o reflexo da lua no mesmo, ainda estava de noite, mas era a mesma noite de quando eu havia desmaiado após Carla me morder ou... Me assusto ao olhar meu reflexo no espelho, eu não estava vestida com nenhuma peça de roupa. Pegando rapidamente o lençol que cobria minhas pernas, eu me enrolo meu corpo com o mesmo 

Nervosa eu saio de cima da cama, com o lençol cobrindo meu corpo, eu temia que algo acontecesse fosse pior. Olho para a varanda e depois para porta. Será a minha chance de fugir?— Vou em direção ao closet que havia logo a minha frente, abro o mesmo e procuro algo para vestir, achando uma blusa social branca, sem escolhas eu à visto,nem reparando no quanto ela havia ficado enorme em meu corpo

Saio do quarto em desparada, corro pela mansão sem rumo, sem saber aonde era a saída , mas eu suplicava para acha-la. Desço as grandes escadas da mansão dirigindo-me para sala escura, pude ver aquele grande portão pelo qual eu havia sido burra em ter chegado perto, corro até o portão , mas quase tocando na maçaneta, sinto uma mão afogando-se em meu couro cabeludo, me puxando para trás.   Contorcendo-se de dor, eu olho para a pessoa que fizera isso é me assusto totalmente ao ver novamente ele— Carla...— Seu semblante e sério e totalmente irritado,me assustava. Tento-me soltar dos braços do mesmo, que havia se irritado cada vez mais com a minha atitude, me jogando brutalmente no chão, e ficando sobre meu quadril. Fecho os olhos com muito medo percorrendo em meu corpo, só pude ouvir suas duas mãos socarem o chão ao lado do meu rosto. Eu suplicava para que eu ele parace mais era impossível

— P-Por favor Carla...pare co— Sou interrompida pelo mesmo, que havia tirado de algum lugar de suas vestes uma adaga prateada, sem ao menos falar algo, sinto uma ardência no meu pescoço, compreendendo sua atitude, a única coisa que eu podia fazer era chorar para que ele parace

Por que estar acontecendo isso, eu só queria ajuda...Ah como eu fui burra 

Você é desobediente demais garota...mas posso adimitir...vestindo algo que é meu à faz ficar mais apetitosa — Com a sua adaga sinto o mesmo roçar a ponta da mesma pelo meu corpo coberto pela blusa, passando levemente sobre o meu abdômen até chegar na minha perna esquerda à cortando— Você nunca se esquecerá desse joguinho de facas — O vejo descendo seu rosto até a minha perna, lambendo o corte não muito fundo. Sem pensar duas vezes eu o chuto, abrindo espaço para que eu pudesse fugir de seus braços, me levanto e corro rapidamente até o portão o abrindo. Começo a correr pelo grande jardim da mansão pelo qual eu tanto adimirei, corro sem parar até o último portão da mansão que dava acesso a uma longa estrada. Pela floresta vejo uma luz no meio da estrada, supostamente deve ser alguém dirigindo um automóvel, olho novamente para a mansão e vejo Carla que havia invocado lobos e os mandara vir até mim, corro até o meio da estrada , a cada maratona que os lobos percorriam o carro se aproximava , até então os lobos pararam quando a tal limosine que antes eu achará que era um carro, surgir de dentro da mesma um homem pelo qual eu reconheci facilmente, eu olho novamente para o Carla, que havia feito os lobos sumirem e recuar para dentro de sua mansão, fito novamente o homem de cabelos brancos como a neve. Seu olhar dirigia-se à mim como se eu fosse uma completa estranha. Eu não sei se isso é uma boa ideia. Novamente a mesma desculpa, eu preciso encontrar minha irmã e minha amiga

KarlHeinz...— Ou Tougo Sakamaki, como eu realmente deveria chamá-lo?

Eu não sei...


                      ......

Atualmente na mansão Sakamaki....


De frente para o espelho do meu quarto, eu analisava a cicatriz que o Carla fizera em meu pescoço. Pego a minha gargantilha  que eu não tirava por nada e a coloco,  eu a usava para poder esconder essa cicatriz que tanto me entristecia e não permitiria que alguém soubesse dela, somente o KarlHeinz que sabia da minha situação— Vou até a minha cama e coloco minhas meias calças pretas — Eu sistemática odiava a cicatriz que o Carla havia deixado em minha perna, era constrangedor e triste. Dificilmente eu usava algo sem as minhas meias , eu me sentia..sei lá...feia? 

Sentanda sobre a minha cama, eu me lembro do fato de como eu sofri nas mãos do Carla somente em uma noite, mas em todas as vezes que ele me mordia, Shin nunca estara presente, ainda bem é claro. Carla não me dava descanso, eu só queria ajuda, mas eu tive a ajuda necessária com KarlHeinz ou Tougo, eu realmente não sei como chamá-lo talvez" Tougo o Safadão" haha com certeza ele me mataria 

Rindo comigo mesma , eu me lembro que eu não tinha contado para as meninas sobre esse assunto nem sobre o Carla, mas era bom deixar quieto— Me jogo na cama e fico a olhar para o teto, pensando em um tal moreno que usara óculos que tanto me atraia 

É eu odiava mais ao mesmo tempo amava fato de gostar do Reiji, eu devo ser algum tipo de maluca por gostar do vampiro mais chato de todos, idai? Foi por ele que eu me apaixonei quando vi pela primeira vez o anime. Todos eles tem suas personalidades e histórias próprias e a dele é a que mais me interessa, mesmo sendo triste do jeito que é. É inacreditável lembrar-me que já havia beijado ele, sério!! Beijar o Reiji Sakamaki, nossa é incrível, e ainda é mais inacreditável pensar que ele me pediu desculpas, sério é difícil decifrar o Reiji, é difícil decifrar todos eles na verdade— Me levanto da cama e saio do meu quarto e começo a andar pelos corredores— É eu sei, ficar com um dos vampiros mais chatos e exigêntes não é uma tarefa muito fácil, exige muita paciência e é uma coisa que eu não tenho

Saber da história do Reiji, eu sei, mas saber do que ele gosta é uma coisa muito difícil, ele as vezes aparenta ser sem sentimentos, como se isso fosse novidade. Mas e se eu tentar?... será que dará certo?... Será que vou me machucar?... É eu não posso prever o futuro —  Em frente a porta da  biblioteca, apreensiva eu pego na maçaneta e abro a mesma, avistando um belo moreno lendo uns de seus livros favoritos— Sim eu adoro vir aqui as vezes. Eu adoro quando ele me explicava o que acabara de ler ou até mesmo quando ele deixava eu observar-lo enquanto ele fazia algo com suas experiências  no seu laboratório, as vezes ele me ensinava como fazer esperimementos e eu adorava isso— Quando o mesmo percebe minha presença, ele apenas me fita e me lança um sorriso de canto, sem abandonar o seu olhar de pura rigidez. Eu adentro o local e fecho a porta 

Eu realmente não sei aonde isso vai dá  mais...eu quero tentar, mesmo que as vezes minhas lembranças dolorosas me machuquem ou tentem me fazer parar 

Bom dia Reiji-san!

.



 



 


.


Contínua...








Notas Finais


Nhahhhnnn espero que vocês tenham gostado!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...