História Diabolok lovers Prisioneira de Sádicos - Capítulo 48


Escrita por:

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Beatrix, Kanato Sakamaki, Laito Sakamaki, Reiji Sakamaki, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori
Tags Ayato Sakamaki, Diabolil Lovers, Kanato Sakamaki, Laito Sakamaki, Subaru Sakamaki
Visualizações 66
Palavras 1.668
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capítulo...
Boa leitura 😘

Capítulo 48 - No castelo..


Fanfic / Fanfiction Diabolok lovers Prisioneira de Sádicos - Capítulo 48 - No castelo..

Pov Hana



Enfim o grande dia chegou, estávamos todos na sala com suas malas e vestimentas formais.

Reiji me contou, que como se trata da realeza, era obrigatório que sempre estivéssemos vestidos de forma cortês.

Então eu podia dá adeus aos meus shortinho curtos e minhas camisetas regatas.

Agora era só vestidos longos e roupas chiques.



Ele também me alertou para que eu tomasse muito cuidado com a forma como eu falava com os demais. 

Pois eu estaria rodeada de Duques, príncipes e marqueses, onde qualquer linguajar que não fosse estritamente formal poderia ser motivo de uma guerra.

Enfim  todas aquelas aulas de etiqueta que eu tive com Reiji seria de grande ajuda agora.



Reiji: Muito bem... agora que todos estamos aqui ...já podemos ir ..(ele fala retirando do bolso uma pedra espiritual).



Reiji recitar um feitiço, que faz com que todo o chão da sala se iluminasse com círculo mágico.

Assim todos nós éramos teletransportado para o castelo.




Pelo pouco que fiquei sabendo descobri que o castelo ficava na Transilvânia como esperado. Porém ficava abaixo da cidade, era como se fosse uma outra dimensão, onde lá todos os vampiros e criaturas mágicas podiam viver livremente sem se preocupar com a espécie  humana.



Eles só subiam para superfície para resolver  assuntos diplomáticos ou para sugar sangue humano foi o que o Ayato me disse.





Fomos teletransportados direto para os portões do Castelo.

Não pude deixar de perceber como a arquitetura era realmente bonita apesar de ser bem antiga.

Mas isso não fazia com que ela perdesse sua beleza, pelo contrário deixava tudo mais encantador .



Do lado de fora, era possível notar que o céu era composto de nuvens escuras, era como se  a iluminação do Sol fosse quase inexistente.

O  castelo ficava localizado no ponto mais alto da cidade, o que dava uma ampla visão das  aldeias que circulava todo o castelo.


Os portões eram feitos de ouro puro e protegidos por Guardas completamente uniformizados com suas espadas e lanças.




 Ao nos aproximar notei que todos os empregados e soldados sempre se curvaram à medida que chegamos perto. Provavelmente pelo fato de que o Sakamakis eram os príncipes de todo local.



Todos os empregados e guardas eram vampiros e talvez por esse motivo todos me olhavam como se quisesse me devorar.

Meio sem jeito com a situação me encolhi atrás de Subaru.



Subaru:Relaxe... não precisa se preocupar com eles.

Provavelmente meu pai já deve ter avisado sobre sua presença... então nenhum deles ousara tocá-la.




Hana: Confesso que é muito bom saber disso... eu não estava afim de ter meu sangue sugado... já me bastam vocês.




Ayato:Hahaha… admita... no fim você gosta de ter seu sangue sugado por nós.



Hana: Uma ova que eu goste… Eu só deixo vocês fazerem isso.. porque  sangue humano é o único alimento que mantém vocês vivos.



Reiji: Senhorita Hana ...o que eu te falei sobre  usar esse linguajar..( ele fala me repreendendo).



Hana: Desculpe.. isso não irá se repetir.(digo me desculpado).




De repente aquele Senhor da noite passada o tal de Sebastian se aproxima da gente.



Sebastian: É um prazer ter todos vocês conosco... Glória a império das trevas..(ele fala se ajoelhando)




Reiji: Pode se levantar…(ele fala mandando Sebastian se pôr de pé novamente).



Sebastian: Por favor  todos vocês me acompanhem….Levarei vocês até seus aposentos…( ele fala fazendo uma sinalização para que os demais empregados ao redor pegassem nossa bagagem).




O caminho até nossos quartos foi um total silêncio.

Não pude deixar de perceber que o Kanato era o que mais estava incomodado em estar-lá.

Ele realmente parecia assustado, pois não desgrudou do meu braço por nenhum um segundo.




Sebastião: Como podem ver... esses serão seus  aposentos.

Cada quarto tem o nome de seu proprietário  escritor na porta.

Então por favor se acomodem e descansem um pouco.

Logo... logo eu virei chamar todos para ter uma audiência com vossa Majestade.



Subaru: Como se eu me importasse com isso... (ele diz encarando Sebastián com olhar mortal que fica sem jeito).




Não demorou muito para que todos entrassem em seus quartos.


Ao entrar, vi que realmente se tratava de um aposento cinco estrelas.

O quarto era decorador com detalhes de ouro no teto e nos móveis.

Tudo era perfeitamente organizado,  podia-se perceber que cada detalhe foi arquitetado com muita perfeição. Era magnífico está em um lugar assim.



Mas mesmo que tudo isso seja bonito, nada mais era importante do que me encontrar com o Shu.

Minha vontade era de correr pelos corredores do Palácio e encontrá-lo.

Porém eu sabia muito bem, que ao fazer isso poderia trazer problemas tanto para mim, quanto para o Sakamakis.

Então tive que me conter e ficar no quarto esperando até ser convocada pelo Rei.




Eu fiquei por quase uma hora trancado no quarto.

E nesse meio tempo eu fiquei andando de um lado para o outro, parecia que a hora não passava.

Eu já estava a ponto de explodir de tanta espera.



Foi quando alguém bateu na porta e eu não demorei para abrir-la.




Ao abri dou de cara com uma empregada do Castelo e atrás dela todos os demais Sakamakis à minha espera.



Empregada: Senhorita Hana... poderia me acompanhar até a sala do trono para ter uma audiência real com Vossa Alteza.



Hana: Sim…seria um prazer.



Ao andar pelos corredores do Palácio a minha agonia só aumentava.

Era possível até ouvir meus batimento cardíacos pelo caminho.



Andamos por algum tempo ,até parar de frente aos  portões enorme protegido por dois guardas, um de cada lado.



Quando os portões se abriram dando passagem para que entrássemos, pude ver um homem de cabelos brancos um pouco rosados  sentado no trono.

Parece que enfim eu havia conhecido o pai do Sakamakis.



Ficamos de frente para o Rei. 

Eu estava um pouco nervosa é claro.

Afinal de contas, não é todo dia que você está  de frente com uma Majestade.




Porém os Sakamakis estavam bem à vontade, talvez pelo fato de que nasceram nesse lugar.

Mas o que não pude deixar de notar, era o olhar frio e mortal, que eles lançavam para o próprio pai.

Pareciam que eles iam pular no pescoço dele a qualquer momento.




O silêncio dominava toda a sala, e o clima era extremamente pesado.

Mas logo o rei resolveu se pronunciar.




Rei: Vejam se não são meus amados filhos.

Que bom que aceitaram o meu convite.

E trouxeram a humana como combinado. Aproxime-se senhorita Hana.. deixe me vê-la melhor.( ele fala sorrindo como se os olhares mortais dos seus filhos não fossem nada).



Um pouco nervosa eu dou um passo à frente pego as pontas do meu vestido e me curvo diante dele.



Rei: Tenho que admitir que apesar de ser humana...você possui uma beleza estonteante.



Hana: Obrigada... É uma honra receber um elogio de Vossa Alteza.



Rei: Vejo que também possui uma educação de alta classe...devo dizer que meu filho Reiji vez um excelente trabalho.



Reiji: Certamente que fiz... não há nada que eu não posso deixar tão elegante é  perfeito.



Rei:Hahaha… ainda continua se achando... é impressionante que apesar de muito tempo você não mudou muito.

Aposto que continua sendo um garoto carente por atenção.



Quando ele falou isso  Reiji ficou extremamente incomodado, pois apertou a mão com força para não dizer nada.



Rei: Meu adorável filho Laito... aposto que ainda continua perdendo tempo com as garotas humanas não é mesmo.



Laito:Você está certo... prefiro passar meu tempo com as Bich-chans... do que continuar sendo um bom filho para um velho como você.



Rei: Hahaha… e pelo jeito ainda tem a mesma língua afiada.

Você tem sorte que sou benevolente...caso contrário eu mesmo cortaria sua língua fora.( ele fala lançando um olhar aterrorizante em direção a Laito).



Subaru: Sinceramente ...Vamos parar com essa palhaçada de fingir que damos a mínima para o senhor.

A única coisa que nos importa é saber do Shu.



Ayato: O Subaru tem razão... para de enrolação e nos diga o que você fez com ele?



Rei: Hahaha…. Pelo jeito vocês dois ainda continuam sendo dois encrenqueiros... desde pequenos sempre foram assim... os que mais me deram trabalho.



Kanato: Como poderíamos te dar trabalho... se o Senhor nunca nos criou...Não é mesmo Teddy..( kanato fala lançando um olhar furioso para seu pai).



Rei: Olhe se não é...o pequeno kanato  e seu odioso urso….Pensei que já tinha deixado essa bobagem de lado.



Hana: Me desculpe me meter... eu sei que sou apenas uma humana para você.

Mas fique sabendo... que eu não vou aceitar que o senhor fique ofendendo os meus amigos na minha frente.

E já te digo logo... pare  com essa enrolação... pois se você não notou nenhum de nós  estamos afim de ficar brincando de realeza.

A única coisa que viemos fazer aqui é saber sobre o Shu.

 Então me diga agora onde ele está?(Digo o encarando friamente).



Rei: Interessante….então a humana também sabe morder.

Realmente fascinante... é a primeira humana que ousou falar comigo  desta forma.

Mas hoje estou de bom humor...e vou relevar esse seu desrespeito a minha parte (Ele disse me lançando um olhar assassino).



Hana: Se realmente está de bom humor..  então pare de enrolação e fala onde está o Shu.




Antes mesmo que eu pudesse fechar a boca os portões da sala do trono se abrem.

Ao me virar meus olhos se encontram com duas safiras que me encarando surpreso ao me ver.


Nesse exato momento eu estava diante de Shu sakamaki,mas dessa vez o que eu vi me deixou deveras espantada.



 Ele estava usando uma armadura e segurava uma espada em sua mão que ainda pingava gotas de sangue. 

Na verdade ele todo estava coberto de sangue,era como se ele tivesse acabado de sair de uma guerra.



Shu: Hana?...



Essa foi a primeira palavra que eu ouvir da boca dele desde o seu desaparecimento.

Minha vontade era de abraçá-lo e beijá-lo, mas por algum motivo eu senti que a pessoa diante de mim não era a mesma que eu conhecia.




Contínua….





Notas Finais


Cometem se gostou...
Depois posto o resto da história 😘😍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...