História Diamante da Noite - Capítulo 1


Escrita por: e PoisonBunny

Postado
Categorias Got7
Personagens JB, Jinyoung
Tags Batman, Bnior, Diamante Da Noite, Got7, Heróis, Jjp, Jjproject, Marvel X Dc, Mulher Gato, Projetogot7
Visualizações 172
Palavras 3.562
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Batman e Mulher Gato são um dos casais que mais gosto dentro do mundo dos quadrinhos, por isso foi muito divertido escrever essa fanfic baseando meu OTP nesses personagens maravilhosos. Espero que goste e boa leitura.

Capítulo 1 - Diamante da Noite


O som do jazz preenchia o salão, embalando os convidados da galeria de artes de Gotham durante a inauguração da nova exposição. Centenas de convidados do mais alto escalão da cidade estavam presentes, esnobando sua riqueza e astúcia. Pessoas sedentas por poder e atenção.

E assim como todos os eventos desse porte que reunia os poderosos da cidade, Im Jaebum, o homem mais rico da cidade, era uma figura carimbada no salão. Mesmo que o milionário detestasse se envolver com os nomes ali presentes, era um mal necessário. Ter livre acesso aos assuntos discutidos pelos grandes nomes de Gotham e coletar informações que uma hora ou outra poderiam lhe ser úteis nunca era demais.

A festa seguia em um clima tranquilo, conversas paralelas eram captadas pelo microfone nano instalado no belo broche dourado do terno de Jaebum, tudo sendo enviado diretamente para sua residência há alguns quilômetros de distância dali, onde Jackson, seu mordomo e fiel confidente, estava capturando as vozes e registrando qualquer conteúdo que lhe parecesse suspeito.

Jaebum caminhou entre as colunas de vidro que protegiam as obras expostas com a mesma taça de champanhe que carregava desde o começo da festa. Ele não se daria ao luxo de se embriagar e perder algum detalhe. Tudo a sua volta era importante e por isso quando seus olhos pousaram em uma figura esguia há alguns metros de distância, ele soube o que fazer.

— Eu não sabia que havia sido convidado para esta festa. — falou baixo as costas do homem à sua frente.

— Talvez eu não tenha sido convidado. — o homem respondeu bebendo o vinho de sua própria taça.

— Você sabe que eu posso te prender aqui e agora, não sabe Jinyoung?

— Sob qual acusação? Eu só estou admirando a exposição, assim como todos aqui. — Jinyoung virou o corpo para encarar a pessoa que lhe incomodara.

— Eu tenho tantas provas contra você, que toda a Gotham agradeceria sua prisão.

— Não seria tão simples assim. O ideal seria você me pegar em flagrante, mas para isso você teria que estar vestido naquela sua fantasia de morc…

— Você fala demais. — Jaebum impediu que o outro terminasse a frase, lhe apertando um dos braços e se aproximando para que sua voz fosse ouvida apenas pelo mesmo. — Tome mais cuidado com suas palavras.

— Oh! Desculpe-me senhor Im. Esqueci que isso é um segredo. — Jinyoung riu malicioso e se soltou das mãos de Jaebum. — Meu tempo aqui já se esgotou. Não gosto de ser interrogado sem motivos. — passou uma das mãos pelo peitoral de Jaebum, seguindo a costura do terno até o broche de seu peito, apertando o mesmo com o indicador. — Mande lembranças ao Jackson.

Jinyoung se misturou aos demais convidados e sumiu da vista de Jaebum, deixando o mesmo intrigado com sua presença na festa.

---

A mansão de Jaebum ficava afastada da parte central de Gotham, mas ele demorava poucos minutos para chegar à mesma com seu carro esportivo de luxo. Assim que adentrou a residência foi recepcionado por Jackson, que o esperava com um copo d'água.

— Festa difícil? — perguntou o mordomo segurando o terno recém-retirado do outro e o pendurando no cabide do closet.

— Apenas as mesmas conversas fúteis de sempre. Você conseguiu alguma informação interessante? — Jaebum perguntou retirando a camisa e a jogando na cama.

— Além da sua conversa com Jinyoung? Nada demais. — Jackson respondeu observando o patrão interagir com os botões do guarda-roupa que abriram uma porta secreta.

— Nem comece Jackson.

Jackson apenas riu da resposta ríspida do outro e o seguiu para dentro da sala secreta. O corredor de pedras direcionou ambos para uma ampla caverna repleta de monitores e equipamentos de alta tecnologia. O ambiente era sombrio, estruturas de metal estavam espalhadas pelo espaço, garantindo a estrutura dos equipamentos.

Jaebum foi até um expositor de vidro blindado que guardava sua roupa, colocando sua mão em um leitor de digitais para desbloquear a porta do mesmo. A roupa era sua fortaleza e sua identidade noturna, onde ele saía pela noite para defender a cidade de bandidos. Anos já haviam se passado desde quando ele iniciou essa rotina. Após ter ficado órfão de uma maneira tão brutal, tendo os pais assassinados na sua própria frente, Jaebum só queria se vingar e proteger as pessoas inocentes de sua cidade.

— Tivemos algum alerta do batsinal? — Jaebum perguntou colocando suas botas, enquanto Jackson estava sentado na frente dos computadores.

— Por enquanto não.

A máscara com duas orelhas, que lhe davam um aspecto de chifres demoníacos cobria parte do rosto de Jaebum, deixando apenas seu queixo para fora. Quando ele colocava sua roupa noturna, ele se transformava em outra pessoa, não mais o milionário Im Jaebum, mas sim o defensor da noite, ou cavaleiro das trevas como alguns começaram a chamar, o homem morcego Batman.

— Eu vou ficar de prontidão caso o batsinal seja acionado. Qualquer coisa você pode me chamar pelo rádio também que estarei aqui, como sempre. — Jackson falou acompanhando Jaebum até seu carro customizado. Desenhado pelo próprio Jaebum, o carro era blindado e coberto com armas de alto calibre, além dos adereços especiais feitos especialmente para que atingisse altas velocidades em segundos e com possibilidade de percorrer diversos tipos de terrenos, inclusive na água.

— Ok! Se precisar eu lhe chamo. — Jaebum se despediu do mordomo e ligou o carro, causando um estrondo na caverna.

Uma porta se abriu entre as pedras e Jaebum saiu noite a fora, em direção ao centro de Gotham.

 

---

 

A galeria de artes parecia uma mansão mal-assombrada quando visitada pela madrugada. As luzes vindas da rua banhavam os salões criando sombras fantasmagóricas e um ambiente sombrio. O brilho e o glamour de algumas horas atrás havia dado lugar às sombras e Jaebum se escondia entre elas, sorrateiramente, aguardando o momento certo para o ataque.

O homem morcego estava à espreita, escondido sob uma coluna no canto do saguão, apenas observando o expositor com um pequeno anel de diamante a alguns metros de si. Ele não tinha nenhuma pista que comprovasse sua teoria para estar ali sem nenhum alerta prévio. Porém seus sentidos nunca falhavam e, assim como esperava, um quase imperceptível barulho de janela se fechando se fez ouvir a sua direita.

Jaebum ligou o visor noturno de sua máscara e aguardou em total silêncio. Segundos se passaram até uma silhueta aparecer no sensor noturno, indicando a presença de uma outra pessoa no salão.

O invasor caminhava de forma sutil e elegante, apesar de usar um par de botas de couro, compridas o suficiente para chegar até seus joelhos e com salto agulha, nenhum som era emitido por seus passos.

A segurança em volta do diamante era grande, sensores de calor e movimento estavam instalados por todo totem de vidro. Jaebum observou por mais alguns instantes, registrando como o ladrão desarmava os sensores com habilidade. Quando o sensor de calor foi desabilitado, o morcego achou que era o momento certo para se manifestar, jogando uma pequena shuriken em formato de morcego em direção ao invasor, fazendo o mesmo se fincar na coluna de gesso há alguns centímetros da cabeça do intruso.

O ladrão, que agora de mais perto estava distinguível e Jaebum não precisava mais dos sensores noturnos ativos, permaneceu imóvel, atento ao leve farfalhar da capa de Jaebum atrás de si.

— Hummm — o ladrão se espreguiçou, levantando os braços acima da cabeça em um movimento alongado e preguiçoso. — E não é que fui descoberto.

Um movimento suave com o quadril e uma risada baixa depois, e o ladrão se virou para encarar Jaebum, levantando seus óculos estilo nadador laranjas até o topo de sua testa, ajustando-os entre suas orelhas felinas costuradas na máscara de couro.

Jaebum já conhecia aquela figura mascarada  de outras noites. Na verdade, inúmeras noites, onde seus caminhos se cruzavam pela cidade de Gotham.

— Você é muito previsível Jinyoung. Seus olhos brilhavam tanto em direção ao diamante hoje durante a festa que só um idiota não perceberia suas intenções.

— Acredito que você seja o previsível aqui, Morcego. — com um movimento ágil, Jinyoung saltou para o lado com o seu chicote em mãos, atacando Jaebum no braço.

O morcego só teve tempo de desviar para o outro lado, jogando sua capa em defesa da ponta rígida do chicote.

— Sempre tão ofensivo. Nós podemos fazer isso de uma forma mais civilizada. Eu não quero te machucar, Gato. — Jaebum falou se preparando para outra defesa, enquanto Jinyoung estava agachado no chão, com uma das pernas alongadas, sorrindo maliciosamente enquanto enrolava o chicote novamente em suas mãos.

A roupa do inimigo era um colã preto de látex, colado a cada músculo de seu corpo. Assim ele tinha uma movimentação ilimitada que não impedia sua flexibilidade. Mas o que chamava atenção em seu traje era a máscara de gato, uma marca registrada do ladrão de joias mais conhecido de Gotham e uma das maiores dores de cabeça de Jaebum.

— Está preocupado em me machucar agora? — Jinyoung sorriu maliciosamente — Você sabe que eu não me importo.

O Gato atacou novamente, batendo o chicote no chão com um estalo e depois partiu para cima de Jaebum em um salto.

— Jinyoung… — Jaebum falou entre os dentes se defendendo e partindo para o contra-ataque, desviando o chicote com os protetores de sua luva.

Jaebum já estava acostumado a essas ofensivas de Jinyoung toda vez que se encontravam. O outro era como um gato arisco, revidava suas palavras e se afastava, preferindo atacar de longe. Isso tudo até finalmente Jaebum o capturar com suas mãos e finalmente domar a fera.

O homem morcego segurou a ponta do chicote entre as mãos, puxando o cordão de couro na direção oposta, fazendo com que o Gato viesse em sua direção, se esbarrando com força contra seu corpo.

Jinyoung soltou um som parecido com um grunhido e um miado abafado por entre os dentes. Jaebum tirou o chicote de suas mãos e o jogou para trás no chão, enquanto segurava o outro firmemente com suas mãos.

— Chega desses joguinhos. Você não precisa continuar roubando, Jinyoung, já tem riquezas o suficiente, porque ainda continua nessa vida? Quer ser odiado por todos em Gotham?

— Você sabe que eu não dou a mínima para o que falam de mim nesta cidade. Eu gosto dessa adrenalina do roubo… Eu gosto quando você vem me capturar. — Jinyoung falou próximo ao rosto de Jaebum e intensificou sua mensagem lambendo do queixo até a ponta do nariz do outro, um movimento sensual seguido por um sorriso que Jaebum já estava cansado de ser perseguido em seus sonhos.

— Não comece com isso. — Jaebum protestou, mas seu corpo apenas puxou o outro para mais próximo de si, colando seus troncos de forma firme e traindo suas próprias palavras.

— Sabe... Tem noites que eu queria enfiar minhas garras em você e fazê-lo sofrer, porém, tem outras noites que eu queria te beijar e te sentir por todo meu corpo, como já fizemos centenas de vezes. — Jinyoung se inclinou indo em direção aos lábios de Jaebum e foi recepcionado no meio do caminho, com um beijo ardente e cheio de desejos.

Jaebum não ia mentir, o outro o tirava do sério. Talvez fosse as roupas sensuais, talvez sua vida noturna e solitária assim como a dele, mas independente de qualquer coisa, Jinyoung o fazia se sentir vivo. Uma adrenalina constante e diferente de quando ele saia caçando os inimigos pela cidade. Ele sabia que o Gato não era um homem ruim, apenas tentava chamar atenção para si. A sua atenção para ser mais exato.

Jinyoung aproveitou o afrouxamento das mãos de Jaebum em volta de seus braços e passou os mesmos em volta do pescoço do outro, depois usou sua força abdominal para levantar as pernas e prendê-las em volta da cintura do morcego com um leve salto.

Jaebum segurou Jinyoung em seu colo enquanto o empurrou até a coluna mais afastada, pressionando-o contra a parede de forma firme. O beijo dos dois era repleto de dentes e saliva. O Gato inclinou o pescoço para trás, dando acesso à região que rapidamente foi explorada pelos lábios de Jaebum.

Embora fosse mais magro, Jinyoung tinha muita força nas pernas e as utilizou para junto de um impulso da pélvis, derrubar Jaebum no chão, indo parar em cima do mesmo, onde não demorou a abrir o cinto de artefatos do outro, jogando o conteúdo para o lado.

— Você é um gatinho bem malcriado. — Jaebum falou quando Jinyoung abaixou suas calças e se deitou entre suas pernas.

— Sim, eu sou. — o outro concordou passando as unhas afiadas pelo lado interno das coxas alheias. — Mas você pode me ensinar a ser um bom gatinho, não é?

Os lábios carnudos de Jinyoung beijaram lentamente o pênis semiereto de Jaebum por cima da cueca, fazendo o homem em sua frente arfar.

Jaebum puxou Jinyoung por uma das mãos e girou seus corpos de forma brusca, eles não eram gentis um com o outro, apenas faziam as coisas de modo rústico, tentando não demonstrar mais sentimentos além do necessário.

— Olhe só para você. — Jaebum comentou olhando o corpo de Jinyoung de cima a baixo. Devido ao material da roupa os músculos do outro ficavam bem delineados no látex e obviamente a excitação do mesmo também era visível. O membro do Gato fazia um desenho curvado em seu baixo ventre e Jaebum lambeu os próprios lábios admirando o delinear do outro.

Jaebum puxou o zíper que se iniciava no pescoço e desceu por todo o comprimento do tronco do outro, abrindo o macacão até a pélvis e exibindo a pele rósea do mesmo. Jinyoung abriu o máximo que pode suas pernas, acomodando Jaebum entre elas, sentindo as pequenas pontas da barba do queixo do Morcego que já estavam nascendo arranhar seu abdômen enquanto ele beijava a região.

As mãos de ambos acariciavam cada centímetro acessível, apertando e arranhando. Seus corpos estavam acostumados às marcas e os vergões deixados nas costas de Jaebum eram apenas mais uma decoração entre suas diversas cicatrizes de batalhas.

Jaebum tirou a parte de cima do seu uniforme, ficando de joelhos na frente do Gato. Este ligeiramente se pôs de joelhos na sua frente, igualando suas alturas e aproximando seus corpos, passando um dos braços pelo pescoço do outro.

— Eu tenho um fetiche por essa sua roupa. — Jinyoung falou mordendo a lateral do queixo de Jaebum. — Mas devo confessar que prefiro ver seu rosto por completo enquanto você me fode.

Com um movimento fácil, de quem já estava acostumado a fazer aquilo, Jinyoung puxou a máscara de Jaebum para trás, retirando-a por completo e exibindo a face do homem morcego.

— Adoro esse jeito que você me olha. Posso sentir em suas órbitas o quanto você me quer.

Jaebum riu sarcástico e puxou Jinyoung pela nuca, soltando o botão que prendia a máscara do outro, também a retirando e jogando-a para o lado, depois apertando com força a região da nuca enquanto mordia a orelha corada do outro.

— Você não tem ideia de como eu te quero…

As mangas do colã foram abaixadas de modo abrupto, deixando o Gato finalmente despido no tronco. Jinyoung gostava de ser manuseado, embora sua personalidade demonstrasse o contrário. Ele também gostava de comandar, mas quando Jaebum lhe forçou pelos cabelos a abaixar até seu membro ereto e ansioso por algum toque, o ladrão apenas sorriu, ficando de quatro para abocanhar Jaebum.

Os lábios de Jinyoung tocaram a glande gentilmente, antes que ele finalmente lambesse a secreção lubrificante da excitação de Jaebum. O pênis de Jaebum quase era completamente sugado por Jinyoung, faltando apenas alguns centímetros para o outro conseguir chupar. Por isso ele utilizou suas mãos para completar os movimentos da masturbação e massagear as bolas do Morcego. Jinyoung sentia seu próprio membro pulsar dentro de sua cueca, ainda apertado pelo restante do macacão.

Jaebum puxou Jinyoung para trás, deixando um rastro de saliva entre seu membro e o queixo do outro.

— Bom garoto. — Jaebum falou apertando Jinyoung contra si até alcançar os glúteos do outro, os apertando com mais força do que esperado.

Jinyoung gemeu por prazer e dor, mas virou o corpo sem protestar enquanto Jaebum lhe manuseava, abrindo os zíperes das botas do outro e as retirando.  

— Tantos detalhes para retirar dessa sua roupa… Nem para facilitar o meu trabalho. — Jaebum falou rouco descendo o restante do macacão para finalmente deixar Jinyoung nu em sua frente.

Jinyoung riu e se posicionou sobre os membros superiores, ficando de quatro para o Morcego, inclinando o quadril na direção do mesmo.

Um som de tapa ecoou pelo saguão da galeria e Jinyoung segurou firme no tecido da capa de Jaebum que estava abaixo de si, mordendo seu lábio inferior para evitar o gemido e sentindo os pelos de seu corpo eriçados pelo arrepio. Sua nádega recém-palmada ardeu na marca dos cinco dedos de Jaebum, agora impressas em vermelho em sua pele leitosa.

Jaebum fez um som como chamando um felino verdadeiro e apertou a outra metade dos glúteos de Jinyoung, como se tentando amenizar a dor que ele mesmo tinha feito o outro sofrer. O Morcego puxou o cinto anteriormente descartado e de dentro de um dos bolsos tirou um pequeno frasco. Despejou o líquido do mesmo entre os dedos e pressionou o indicador na entrada do reto do outro.

Jinyoung não precisava de muito preparo, eles estavam tão acostumado a esse jogo de "gato e morcego", que era fácil para Jaebum deixar o outro no ponto para lhe receber.

— Vamos logo com isso. — Jinyoung protestou impaciente enquanto Jaebum estava com três dedos dentro de si.

— Sem pressa gatinho. — Jaebum falou rindo, mas obedecendo ao outro.

Um pouco mais do gel foi aplicado no pênis de Jaebum. Ele se alinhou atrás do outro e com um único movimento o penetrou até a base.

Jinyoung não teve nem tempo de protestar algum desconforto, antes que Jaebum começasse a se movimentar, com estocadas sequenciais e preguiçosas.

O homem morcego não tinha pressa em chegar ao orgasmo, mas a forma que Jinyoung rebolava em seu pênis conforme se movimentava faziam com que ele não confiasse até quando conseguiria se controlar.

— Mais forte — Jinyoung pediu alongando as costas para empinar ainda mais o quadril em direção do outro.

O barulho de pele contra pele ressoava por todo local, Jinyoung arfava entre os gemidos, proferindo palavras sem sentido enquanto Jaebum acertava sua próstata.

Os longos dedos de Jinyoung foram em direção ao próprio membro até então negligenciado. O homem gato se tocou com a mesma intensidade da penetração, se masturbando enquanto aproveitava todo prazer proporcionado pelo outro. Diferente de Jaebum, Jinyoung não gostava de limitar seu prazer, deixando seu corpo livre para atingir o orgasmo no tempo que desejasse.

Jaebum sentiu seu membro ser pressionado entre as paredes do outro, observando com um sorriso satisfeito Jinyoung se desmanchar no chão a sua frente.

O líquido do gato manchava o chão abaixo de si, mas ninguém se importava e Jinyoung riu em satisfação quando finalmente voltou a si depois de seu ecstasy.  

— Porr… — Jaebum profanou estocando com força em Jinyoung. — Vem aqui.

Jaebum saiu de dentro de Jinyoung e o virou para si. Jinyoung sentou-se sobre as panturrilhas e com a mão direita bombeou o pênis de Jaebum, fazendo uma pressão extra com o dedão na glande vermelha.

O Morcego apenas observou por cima os olhos brilhantes de Jinyoung, refletindo as poucas luzes que tinham no ambiente. Ele era lindo, cabelos bagunçados pelas mãos de Jaebum, suor escorrendo pelas têmporas, lábios vermelhos e brilhando pela saliva de tanto que haviam sido lambidos e mordidos. Jaebum sentiu as ondas de calor percorrerem seu corpo, seu peito batia acelerado e o nó na garganta que o tentava a proferir aquela pequena frase que guardava dentro de si há muito tempo chegava a ser sufocante.

Sua mão foi até os cabelos do outro e quando Jinyoung ergueu o rosto para lhe encarar o líquido esbranquiçado esguichou de si, seguido por um gemido rouco e a imagem de Jinyoung sendo coberto por seu gozo o levou ao delírio.

Um silêncio se fez entre eles enquanto ambos se vestiam novamente, uma leve tensão que os separava do que estavam sentindo e das obrigações que Jaebum deveria seguir. Jinyoung foi o primeiro a se manifestar, prendendo o chicote na lateral de sua cintura.

— Você vai me deixar sair livre? — perguntou se aproximando de Jaebum e o ajudando a prender a capa nos ombros.

— Você quer ser preso? A prisão de Gotham é uma das mais cruéis existentes.

— Se eu for preso você iria me visitar? — Jinyoung selou os lábios de Jaebum pela última vez e o encarou ansioso.

— Eu não posso entrar naquele lugar, muitos inimigos. — Jaebum respondeu incerto, como se houvesse mesmo alguma possibilidade dele entregar Jinyoung a polícia.

— Nesse caso acho melhor eu me despedir aqui, afinal eu espero encontrar você novamente.

O Gato se soltou dos braços do homem morcego e com passos apressados e silenciosos sumiu pela escuridão dos corredores da galeria.

Jaebum sentiu seu peito pesar, ele não queria continuar encontrando Jinyoung em situações como essa, mas por enquanto era a única oportunidade que ele tinha, até finalmente convencer o outro a desistir da vida ladina.

Batman caminhou até o expositor de vidro, com o intuito de reativar os alarmes quando percebeu que o diamante não estava mais ali. Ele sorriu incrédulo, observando seu reflexo no vidro. Pelo jeito ele teria que voltar a se encontrar com Jinyoung mais cedo do que esperava.


Notas Finais


Espero que tenha gostado.
Meus sinceros agradecimentos a excelente betagem da @parkyoonbi e a linda capa da @hoseokey. Vocês são maravilhosas <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...