1. Spirit Fanfics >
  2. Diamond Hearts - All Time ( Imagine Kim Taehyung - BTS ) >
  3. All the time: With you, My family

História Diamond Hearts - All Time ( Imagine Kim Taehyung - BTS ) - Capítulo 5


Escrita por: e Srta_Baby


Notas do Autor


Voltei com o quinto capítulo e mil desculpas por não ter saído atualização na semana passada :')

Adorei ler as teorias de vocês, não vou confirmar nada ainda, mas alguns de vocês estão indo para um caminho bem provável ehe ~.~

Capítulo grande para compensar a semana passada e espero que gostem ^^

Tenham uma boa leitura.

Capítulo 5 - All the time: With you, My family


Fanfic / Fanfiction Diamond Hearts - All Time ( Imagine Kim Taehyung - BTS ) - Capítulo 5 - All the time: With you, My family

Sábado

14h26min


 

Desço as escadas de modo rápido e procurando pelo meu celular, tendo a certeza de que algum dos pequenos pegou para jogar e o deixou em algum canto. Ao chegar na sala observo os meninos jogando videogame no sofá, sorrio esperta e caminho devagar até as costas de Taehyung, cobrindo seus olhos com as minhas mãos. Parece que ele se esqueceu da festa de aniversário da minha mãe hoje já que decidiu jogar o dia todo com Jimin e Taewan. Sinto que estamos criando futuros gameplays para o mundo.

 

— _________!! – Tae reclama alto e eu seguro o riso vendo que Taewan passou seu carro no jogo. — Para!

 

— Chato! – retiro minhas mãos e lhe mostro minha língua, vendo sua careta de bravo. 

 

— Aish...Perdi. – o mais velho diz e vejo Taewan sorri para mim. Sorrio de volta e pisco para ele.

 

— Taewan venceu, minha vez pai. – Jimin diz pedindo o controle e cerro os olhos ao ver Taehyung entregar a contragosto. Ele realmente não gosta de perder. — Mãe joga com a gente!

 

— Uhum, não posso, vou sair agora. – digo e observo um bico fofo crescer nos seus lábios. — Amanhã eu jogo e aproveito e dou uma surra no seu pai por me ignorar. – deixo um beijo na cabeça de Jimin e o mesmo sorri. — Amor, você viu meu celular?

 

— Tá no banheiro eu acho. – sinto o olhar do Kim sobre mim e me aproximo dele, dou a volta no sofá e sento no colo dele. — Você vai aonde? – Tae deixa um selinho na minha boca e olha para os meios seios por dentro da camisa social branca que estou usando e, coincidentemente tem uns botões a mais abertos. 

 

— Na casa da Kaya, ela vai me maquiar para a festa. – respondo e seguro seu rosto, trazendo seu olhar ao encontro dos meus. Safado de natureza e se deixar me seca o dia todo. — Onde está a Yoon? – indago ao não vê-la por perto e respiro fundo sentindo as mãos de Taehyung na minha cintura.

 

— Não sei… – ele olha ao redor e depois para mim com cara de perdido. — Deve estar no quarto dela.

 

— Isso é estranho, ela sempre fica no seu pé grudada. – solto um riso baixo e me levanto. — Vou procurar ela e pegar meu celular.

 

Dito isso subo as escadas novamente pensando o quão tranquila foi essa semana, o que me surpreendeu. Taehyung participou mais das atividades das crianças e até levou Jimin na aula de música, algo que fez ter tempo livre para cuidar não só de mim mas de algumas questões das lojas. Yoongi me contou que eles vão mesmo contratar um novo sócio para a empresa e eu espero que dê tudo certo, assim finalmente poderei passar o final de semana grudada no meu pançudinho. 

 

Adentro nosso quarto e de cara vejo Yoon de costas apoiada na cama e pelo visto mexendo no celular de Taehyung. Franzo o cenho curiosa e me aproximo, a garotinha se assusta e se vira me olhando com os olhos arregalados. Não sei porque mas senti como se tivesse oito anos de novo quando comia doce escondido do meu pai. 

 

— Yoon, o que está fazendo? – indago e passo por ela, pego o celular que a menina largou em cima da cama e vejo o número de Sok Ho na tela. Suspiro de leve e olho de canto para Yoon Bok que está quieta e com uma expressão triste. — Você estava ligando pra sua mãe? – me sento na cama a observando com atenção.

 

— Sim, mas ela não atendeu. – Yoon diz baixo e eu peço para ela se aproximar e assim ela faz. Abro um sorriso para ela e seguro nas suas mãozinhas já não tão pequenas. — Ela iria vir me buscar hoje, mas o papai disse que ela não vai vim.

 

— Eh… – entreabro a boca e olho em seus olhos, ao mesmo tempo sentindo raiva de Sok Ho porque não custava nada ela atender a filha. — Não pense muito nisso, hm? Você quer ir comigo na casa da tia Kaya? O seu pai está jogando com seus irmãos.

 

— Quero. – vejo ela sorrir mínimo e deixo um beijo na sua bochecha. 

 

— Vem, vamos arrumar seu cabelo. – me levanto e estendo a mão para ela que segura e me segue até o banheiro. Vejo meu celular no carregador e pego o mesmo, o guardo no bolso da calça e solto o ar pela boca ao me olhar no espelho. 

 

Pego Yoon e coloco ela sentada em cima da pia, então alcanço o pente e começo a pentear seus fios escuros enquanto sinto seu olhar em mim. Me dói muito ver Yoon Bok assim, principalmente pelo fato de Sok Ho literalmente abandonar a filha e cair no mundo como se fosse a coisa mais normal. Primeiro ela some por pouco mais de um ano e agora isso, definitivamente Taehyung precisa conversar com a ex-mulher dele, é isso ou sempre que ela decidir sumir teremos uma grande dor de cabeça para tentar contar para Yoon o que está acontecendo. E isso me faz lembrar que ainda não contamos sobre a viagem repentina de Sok Ho.

 

Após pentear o cabelo de Yoon e deixar que a mesma pegue sua boneca no quarto, arrumo os fios desarrumados do meu cabelo e volto para o quarto, pego uma camisa preta com uma estampa de algum dos jogos da empresa do Kim e troco pela camisa social. O bom de ter um marido dono de uma empresa de games são os mimos que ganhamos das outras empresas parceiras. E o ruim são alguns fotógrafos que em algum momento conseguem tirar fotos nossas e não querendo admitir mas tendo que fazer isso, meu marido está se tornando famoso a cada dia. Juro que se brotar galinhas pra cima dele e mato todas com milho enfiado naquele lugar.

 

Saio do quarto segurando as chaves do carro, desço as escadas e observo que os meninos continuam jogando. Me aproximo do sofá e vejo Yoon em cima de Taehyung com sua boneca, então sorrio e deixo um beijo na boca do mais velho.

 

— Eu volto mais tarde, hm? – faço carinho na sua bochecha. — Por favor, não esquece do horário da festa amor, dê banho nos meninos e arrume eles antes de eu voltar. – peço séria e ele me olha com um bico nos lábios. 

 

— Tá mas não demora rainha. Acho que tem algum fotógrafo lá fora, toma cuidado quando sair. – Taehyung pede de uma maneira fofa e eu sorrio apaixonada. 

 

— Ok. – faço sinal de ok com a mão e deixo um beijo na cabeça dos meninos. — Cuidem bem do pai de vocês.

 

Me afasto indo até a porta, alcanço os dois bonés pretos em cima da prateleira e coloco um em Yoon Bok que vem correndo até mim, coloco o outro na minha cabeça e abro a porta, rapidamente saio com a garotinha ao meu lado e fecho a porta, olho ao redor procurando pelo tal fotógrafo e suspiro. Seguro na mão de Yoon e sigo andando até o meu carro na calçada, desligo o alarme e abro a porta de trás para ela entrar.

 

— Posso ir na frente? Só hoje! – a mais nova pede me olhando enquanto faz um bico fofo. Mordo o lábio pensando na ideia que não gosto muito, meu maior medo quando estou dirigindo é um acidente acontecer e consequentemente por culpa minha alguma das crianças se machucar. — Por favor! – vejo Yoon juntar as mãos e torço o canto dos lábios.

 

— Tá legal, mas só hoje e só na ida, ouviu? – ela assente sorrindo e eu cerro os olhos. Abro a porta da frente e Yoon senta no banco, coloco o cinto nela e verifico bem antes de dar a volta no carro e entrar, me sentando no banco do motorista.

 

Este momento eu chamo de típico sábado das meninas.


 

[...]


 

Toco a campainha da casa do meu casal favorito e espero alguém atender e, enquanto isso escuto Yoon me contar sobre a última vez que ela e o pai foram tomar sorvete, ela conta que Tae se sujou todo de calda de chocolate e isso me faz rir. Lembro que nesse dia ele chegou em casa todo melado e ainda perdeu uma das camisas que ele mais gostava. Se fosse para definir Kim Taehyung em três palavras seria: arrogante, lento e desastrado.

 

— Oi. – olho para a porta e vejo Kyun com cara amassada e de cabelo bagunçado. — É feio fazer o amigo acordar de um sono gostoso, sabia?

 

— Oi pra você também. – digo rindo e entro junto com Yoon Bok, tiramos nossos sapatos e olhamos para o homem com cara de bolacha. Olho ao redor e cerro os olhos para Chang Kyun, não acreditando muito que foi ele quem fez a decoração da casa. Aposto que Kaya fez oitenta por cento e não apenas trinta como ele havia me contado. — Onde está minha amiga?

 

— Agora deve estar no quarto, ela me expulsou para vir atender a porta. – ouço ele dizer sonolento e me olhar curioso. — Ta parecendo bandido vestida toda de preto.

 

— Se é assim me passa sua conta bancária. – brinco e pisco para ele. 

 

— Amor… – ouço a voz de Kaya e olho para a escada. Ok, se Kyun deixar essa mulher escapar da vida dele eu mesmo faço questão de fazer ele acordar pra vida, nem que seja a base de tapas. — Vocês já chegaram.

 

— E você me fez acordar pra atender a _________. – vejo Kyun revirar os olhos e olho para Kaya, abrindo um sorriso. 

 

— Como você está? – pergunto e toco sua barriga, sentindo que a cada dia que vejo minha amiga ela parece maior. 

 

— Estou bem e vocês? Você está parecendo bandida...

 

— Bem… – digo e ouço o único homem entre nós falar baixo “eu disse”. — Isso é porque agora somos perseguidos por fotógrafos fofoqueiros. – comento sorrindo fraco.

 

— Entendi. Oi Yoon. – Kaya diz para a pequena ao meu lado. — Vamos subir, vem. E você deixa de ser chato e vai tirar as roupas da secadora.

 

A mais nova diz para Kyun e começa a subir as escadas. Olho rindo baixo de Chang e subo as escadas atrás da morena junto com Yoon Bok. Acho que finalmente eles estão entendendo o que é a vida de um casal que moram juntos e tem que enfrentar os problemas juntos e infelizmente mesmo se estiverem brigados vão ter que ficar sobre o mesmo teto. Continuo seguindo Kaya até que entramos em seu quarto e reparo na cama bagunçada. Sinto pena de Kyun, ele realmente estava dormindo.

 

—  Não vou arrumar a cama, você é praticamente da família, só ignore. – ouço ela dizer e sentar na cama com as costas na cabeceira. — Não ligue para o Kyun, ele tá irritado porque discutimos hoje cedo. – assinto e me sento na cama, então vejo Yoon subir no colchão com sua boneca.

 

— Vocês estavam dormindo? – pergunto e coloco na sua frente uma bolsa branca. Ainda bem que deixei no carro para não esquecer de entregar.

 

— Só o Kyun estava, eu estava arrumando algumas coisas. – Kaya responde e me olha curiosa. — O que é? Receber presente seu é como receber uma sorte de deus.

 

— Até parece. – rio de nervoso e observo ela abrir. — É para meu sobrinho ou sobrinha, tenho que mimar muito você agora pra ficar de bom humor. 

 

— Eu ajudei a escolher. – Yoon diz e senta ao meu lado com sua boneca. — Mas a _________ esqueceu de entregar. – fui tapeada ao vivo.

 

— Uau, você está me comprando e ao mesmo tempo me chamando de mal humorada, vou lembrar disso mula. – a morena diz rindo e eu sorrio esperando que ela goste. — Mas não vou abrir agora, vai ter que esperar até eu dizer o que achei.

 

— Que seja. – dou de ombros e me sento ao seu lado, olhando para Yoon que parece perdida. — Então, me conta como está sendo essa gravidez. – peço e a morena retira meu boné, colocando nela. Já vi que não vai devolver. 

 

— Está sendo muito incômodo porque não consigo dormir bem, não consigo namorar direito e não consigo passar mais de duas horas sem sentir minha coluna doer. – ela suspira e sorri. — Culpa sua _________, deveria ter me avisado sobre.

 

— Quem sabe da próxima vez. – deixo um beijo na sua bochecha. 

 

— A Bu vai ter cinco filhos, e eu também. – Yoon diz segurando sua boneca e eu me seguro para não rir. As vezes fico afetada pelo pânico do riso e acho graça até na parede. — Um vai se chamar Bu.

 

— Ah não! – Kaya exclama para Yoon. — Um dos nomes tem que ser Jacinta, é lei. 

 

— Jacinta? – começo a rir e coloco a mão na barriga. — Seria melhor colocar Jurumeu assim.

 

— É nome de índio, mas é engraçado. – Kaya ri e deita sua cabeça em meu ombro. Vejo ela suspirar e fechar os olhos, então seguro sua mão e sorrio. — Sinto falta dos meus pais…

 

— Deve ser difícil. – comento baixinho e vejo ela assentir. Sinto meu peito encher e meus olhos arderem. Ah, eu queria tanto que ela tivesse os pais dela aqui, sem dúvida a mãe dela iria adorar ganhar um netinho. E seu pai iria ficar todo animado e bobo. — Você quer chorar? – pergunto calma e fico brincando com seus dedos.

 

— Sim e não. – respiro fundo e assinto.

 

— Bom, de qualquer forma você sabe que pode contar comigo pra qualquer coisa. Não só a mim, mas meus pais também, eles amam você. Você é a irmã que não tive e por mais que você me chame de mula não vou te largar, hm? – solto um risinho e ela também. — Amo você.

 

— Também amo você, _________. 

 

— Ok, vamos largar de ser choronas e vamos começar a maquiagem. Onde você guarda a sua? – pergunto e Kaya abre os olhos me olhando e sorrindo de forma esperta. — Não acredito que ainda não usou o presente que te dei de aniversário. – digo incrédula.

 

Observo Kaya se levantar e abraço Yoon apertado, ouvindo ela rir alto e deixar um beijo na minha bochecha. Olho com atenção a morena pegar sua maleta de maquiagem no guarda-roupa e se aproximar nos olhando de forma ciumenta. Lhe mostro minha língua e ela mostra a sua. Fazer o que, somos duas bobas.

 

— Só pra você ficar sabendo eu usei sim, uma vez mas usei. Quem começa? – Kaya me olha e eu sorrio pensando. — Você mula.

 

— Tá, você ganhou porque está carregando um galão de água na barriga. – brinco rindo e me levanto, pego a maleta e vejo a morena sentar na cadeira de frente para sua escrivaninha. — Yoon me ajuda, hm?

 

— Ta. – a garota solta a boneca em cima da cama e vem correndo. — Vou deixar a titia Kaya linda.

 

— Espero mesmo hein. – Kaya faz cócegas em Yoon e eu sorrio para ambas.

 

Há pessoas que eu quero guardar pra sempre e Kaya é uma delas.


 

[...]


 

Adentro em casa junto com Yoon Bok e cerro os olhos ao ver Taewan e Jimin no sofá vendo desenho, me aproximo dos dois ao retirar os sapatos e calçar os chinelos, então ambos me olham. Acho que vou derreter de amor por vê-los todo arrumadinhos e de cabelo alinhado. O fato de Taewan ter um cabelo mais enroladinho deixa ele mais fofo e no final sou eu quem sofro de amor. Deixo a chave do carro em cima da mesa e peço para Yoon subir e tomar banho, a mesma me obedece e agradeço mentalmente por isso. Respiro fundo e me sento no sofá com eles e me pergunto se eles estão estranhando a minha cara. Kaya me garantiu que estou bonita, espero que Taehyung também ache.

 

— O pai de vocês deu alguma coisa pra vocês comerem? – pergunto enquanto toco com cuidado no cabelo de Jimin. Meu menino cresceu tanto, meu coração chega a doer porque me sinto velha mesmo estando longe de ser. 

 

— Sim, o papai fez sanduba. – Jimin diz sorrindo e eu devolvo o sorriso. — A senhora tá bonita.

 

— Você acha? – faço uma careta e ele assente, então deixo um beijo na sua bochecha. — Obrigada, vocês também estão lindos, muito. O seu pai tá lá em cima?

 

— Sim, ele foi tomar banho.

 

Assinto para Taewan que responde me olhando e deixo um beijo na sua bochecha, então me levanto e subo as escadas pensando na hora em que vamos chegar na festa. Começa às seis e falta pouco para dar exatamente seis da tarde. Entro no quarto e sorrio ao ver Taehyung de costas se olhando no espelho do guarda-roupa, chego por trás com calma e abraço seu corpo, sentindo o cheiro do seu perfume.

 

— Tá lindo, o homem mais lindo do mundo. – digo boba e vejo ele me olhar sorrindo. 

 

— Você também está linda e olha que nem está vestida ainda. – sua voz sai rouca e rapidamente Tae se vira e segura minha cintura, colando nossos corpos. — Você gostou mesmo da roupa que vesti?

 

— Ahmm… – murmuro pensando e ajeito a gola blazer rosa por cima da camisa branca ele ainda está usando calça preta, o que deixa ele muito sexy. — Sim, gostei. – deixo um beijo na sua boca e passo minhas mãos pelo seu peitoral. 

 

Olho nos olhos de Taehyung e vejo seu sorriso safado, então no momento em que vou abrir a boca seus lábios vão ao encontro dos meus. Não hesito e me entrego a sua boca, intensificando o nosso ósculo enquanto sinto as mãos de Taehyung apertando todas as partes do meu corpo, tornando tudo mais quente ao redor. Solto um resmungo manhoso baixinho ao sentir sua mão por dentro da camisa que visto, apertando levemente meus seios. Ele sabe meu ponto fraco, sabe todos eles.

 

— Tae… – sussurro sem ar ao afastar nossas bocas e olho em seus olhos sorrindo. — Também senti sua falta pançudinho. – deixo um selinho nos seus lábios. — Vou tomar banho.

 

— Espera _________…

 

Entro banheiro e fecho a porta enquanto seguro o riso. Respiro fundo e me olho no espelho, notando que ele me deixa desestabilizada só com um beijo e foi exatamente por isso que saí correndo. Kim Taehyung sempre tem segundas intenções.

 

Prendo meu cabelo com o elástico e retiro todas as minhas roupas, colocando-as no cesto. Entro no box e rapidamente ligo o registro iniciando meu banho que não dura mais do que seis minutos, e assim aprendemos a economizar água e dinheiro. Enrolo meu corpo na toalha e volto para o quarto sorrindo ao não ver o Kim por perto. Fecho a porta e seco meu corpo todo com a toalha, depois pego a lingerie que já havia separado e visto, seguindo pelo o vestido preto que comprei, o mesmo tem mangas que vão até metade do braço, é longo indo até os pés com uma abertura na frente que pega da minha coxa para baixo e tem um pequeno decote em sinal de v. 

 

Me sento na cama e calço as sandálias que Tae me deu de presente, e foi perfeito porque não tem salto. Sigo até o banheiro e penteio meus cabelos, passo alguns produtos e me olho no espelho pensando se devo cortar o cabelo. Ele já está bem grande e eu realmente quero testar algo novo em mim, sem que seja pintar meus fios porque diferente de Kim Taehyung não gosto de mudar de cabelo toda hora. Atualmente ele está com os fios castanhos, mas confesso que amo quando ele está de cabelo preto, é um tom que combina bastante com ele, principalmente nos momentos sexys.

 

Por último passo um pouco do meu perfume no pescoço, alcanço minha carteira junto com meu celular e a sacola com o presente da mamãe, então desço as escadas e vou direto para a cozinha. Vejo Yoon já com seu macacão parecendo uma boneca de tão fofa bebendo água enquanto Taehyung está mexendo no celular. Faço um bico e me aproximo chamando sua atenção.

 

— Vamos? – sinto seu olhar sobre mim e sorrio. — Tô gata, eu sei disso. – deixo um selinho na sua boca.

 

— Tá muito gata, meu coração até tá doendo de ver. – Tae leva a mão no coração e faz expressão de dor. — Isso dói.

 

— Amor… – seguro o riso e balanço a cabeça em negação. Ele é muito bobo e isso me deixa boba também.

 

— Tão namorando… – ouço Yoon e olhamos para ela que sorri nos olhando. Escondo meu rosto no pescoço de Taehyung sentindo meu rosto quente, então escuto sua risada alta e rio também. — Beija ela papai!

 

— Devemos fazer isso? – o Kim pergunta para a garotinha e eu vejo ela assentir. Os dois querem me matar de vergonha, só pode. — Vem cá rainha. – sinto as mãos dele em meu rosto e me afasto rápido, vendo os dois rirem. — Vai fugir?

 

— Estamos atrasados. – digo e coço a sobrancelha. 

 

Saio da cozinha em passos rápidos e ao chegar na sala com Taehyung e Yoon atrás de mim ainda entre risos desligo a televisão e rapidamente saio de casa com os dois meninos. Tae ainda me paga por fazer isso comigo, ele sabe que fico envergonhada na frente da Yoon, principalmente quando ambos decidem me provocar como segundos atrás.

 

Entro no carro junto com Taehyung após ter colocado as crianças no banco de trás, aperto o cinto em meu corpo e olho para o homem ao lado observando ele dirigir. Talvez eu seja muito apaixonada por ele, porque cada detalhe nele me chama a atenção, até mesmo seu jeitinho de dirigir.

 

Não imagino como seria minha vida sem ele, muito provável porque não existiria uma vida.


 

[...]


 

Caminho juntamente com Taehyung e as crianças até a porta da casa da mamãe, já é possível ouvir o escandaloso do Nick falando e uma música de fundo. Toco a campainha e sinto a mão de Tae na minha, a apertando então o olho curiosa. Sorrio e faço carinho no seu rosto, não entendendo o porquê dele estar tão nervoso. Está bem que as últimas vezes em que viemos juntos houve discussões e acabou tudo de forma negativa entre ele e meu pai, porém espero que dê tudo certo. Hoje é um dia especial e se depender de mim não vou estragar o aniversário da minha mãe, pelo menos não hoje vou causar confusão.

 

— Será que tem muita gente amor? – olho para Tae e solto um risinho. 

 

— Não sei, mas minha mãe deve ter convidado pelo menos os dez amigos que ela fez na vizinhança. – respondo e vejo um bico nos seus lábios.

 

— Até que fim vocês chegaram! 

 

Cerro os olho ao olhar para a porta e ver Nícolas ali segurando uma taça de vinho. Taehyung e as crianças o cumprimenta enquanto eu somente passo por ele após deixar um tapinha em seu ombro, olho ao redor e vejo os poucos convidados que ali estavam perto do sofá e da entrada para o jardim gigante que temos. Sorrio sem mostrar os dentes para os ali presentes e me viro de frente para o Nick.

 

— Onde está a mamãe? – pergunto e o mais velho dá de ombros. — Odeio quando me ignora.

 

— Ela está no jardim, sua chata. – Nick diz me olhando sério e eu fecho os punhos, me segurando para não socar sua cara. — Fala ae criançada, querem brincar? – ele pergunta para os três na minha frente e eu respiro fundo.

 

— Vamos brincar de quê? – Jimin indaga e ambos começam a conversar.

 

— Jimin, vamos falar com a sua avó primeiro, vem. – o chamo e sigo ao lado de Taehyung a caminho do jardim. 

 

Olho ao redor e vejo mamãe se aproximar sorrindo grande, então ao se aproximar abraço ela apertado e desejo feliz aniversário, Tae também faz o mesmo e depois as crianças, deixando a minha mãe a avó mais babona da festa porque sim, ela mima os três de uma forma que ninguém supera.

 

— Espero que goste, se não gostar é culpa do Nick porque foi ele quem disse pra mim comprar. – comento e entrego a sacola com o presente.

 

— Vocês não mudam, vivem brigando. – mamãe diz rindo. — Obrigada pelo presente, hm? Agora vão cumprimentar os convidados e o seu pai.

 

— Ok… – sorrio sem mostrar os dentes e vejo ela se afastar.

 

— Podemos ir brincar agora? – Jimin me olha e eu assinto, vendo ele e Yoon saírem correndo indo para junto das outras crianças juntamente com Beatriz.

 

Observo Taewan ao nosso lado olhando tudo de forma curiosa, faço carinho na sua cabeça e vejo Taehyung segurar na mão do menino. Ah, eu espero que ele se sinta bem na festa.

 

— Rainha, temos mesmo que falar com o seu pai? – Tae me olha e eu direciono meu olhar para meu pai em um canto do jardim com os amigos dele. Solto um suspiro e entreabro a boca.

 

— Eu falo com ele, vão para alguma mesa e eu já vou lá. – deixo um beijo na bochecha de Taehyung e caminho em direção onde meu pai está.

 

Após me aproximar noto seus amigos me olharem e me cumprimetarem, faço o mesmo e depois eles saem, me deixando a sós com o homem de alguns fios brancos na cabeça. É tão difícil ainda olhar para ele, as coisas que aconteceram permanecem na minha cabeça e se torna impossível não ficar triste e decepcionada. Eu amo ele, mas ainda sim o odeio pela forma que me tratou.

 

— Como você está? – papai pergunta e eu inflo as bochechas pensando. — Seu namorado tem medo de mim ainda?

 

— Ele é meu marido, pai. – o corrijo e olho em seus olhos. Vejo ele engolir em seco e pisco algumas vezes, não querendo contrariar o que eu pensei sobre não estragar a festa da mamãe. — Estamos bem. – desvio o olhar e vejo Taehyung e Taewan sentados em uma mesa comendo salgadinhos. 

 

— _________..–

 

— Eu preciso ir. – o interrompo e saio pisando firme em direção a mesa onde o Kim está.

 

Eu realmente não consigo conversar com ele, tudo me leva aquele dia e como eu me senti com sua palavras idiotas. Eu definitivamente não sou uma que transa com qualquer um, não engravido porque não me protejo e não perco as pessoas que amo porque quero. E quando eu lembro que um dia ele gritou dizendo que não era mais meu pai, meu peito dói e sinto vontade de chorar. É assim que eu me sinto.

 

Me sento na cadeira ao lado de Taehyung sentindo meus olhos arderem e solto o ar pelo nariz, deito minha cabeça em seu ombro e por alguns segundos observo a decoração de luzes em nossa volta. Olho rapidamente para Jimin e Yoon que brincam, me certificando se estão bem e olho para o rosto de Tae, ele me olha e deixa um selinho na minha boca, sorrindo depois.

 

— Prova esse salgado, tá muito bom. – o mais velho leva um salgadinho até minha boca e eu provo, sorrindo ao sentir o gosto. — Está bom? – assinto. — Eu disse. – ele sorri e come o resto que não provei.

 

— Prova esse mamãe. – Taewan estende o bracinho com o salgado e eu inclino a cabeça, mordo o salgadinho e finjo que vou morder sua mão, então o pequeno se espreme na cadeira rindo de medo. — “Mordleu” minha mão!

 

— Amor, não faz isso com ele. – Taehyung diz fofo e segura minha mão, mordendo ela de leve. — Senão eu te mordo também.

 

— Lindos. – deixo um beijo na mão de Tae e sorrio vendo Taewan comendo enquanto balança o corpinho no ritmo da música. — Ele parece feliz. – sussurro no ouvido do Kim.

 

— Sim, ele está feliz. – ele sussurra de volta e sinto seus dedos entrelaçados nos meus enquanto ainda observo Taewan.


 


 

Levo o corpo de suco até minha boca e bebo o líquido com calma, sentindo que vou ter que dirigir na volta já que Taehyung está bebendo vinho e com Nick enquanto conversa. Ajeito meu corpo no sofá e continuo escutando Kaya me conta sobre a vez em que apareceu um cliente e ele estava decidido a comprar a boutique, o que me estranha muito pois, ou essa pessoa é maluca, ou é doida. Desde que abri a segunda loja Tae me incentiva a abrir outras, mas não sei se sigo isso, é algo que devo pensar com calma mesmo sabendo que as boutiques nos dão uma boa renda, principalmente depois que souberam que eu era a esposa do empresário de jogos KIm Taehyung.

 

Ano passado o Kim foi para Busan para um evento e ele fez várias entrevistas, uma dela eu consegui ver ao vivo e online e é claro que eu morri de orgulho dele. Uma das coisas que mais me chama atenção em Taehyung é que ele parece não ter medo em enfrentar o mundo, sempre que uma oportunidade aparece ele agarra com força e então tudo ao seu redor cresce de forma positiva. Tudo que ele faz é incrível, e temos como prova nossos filhos.

 

— Você sabia que o Nick tá namorando? – Kaya pergunta enquanto estou mexendo no celular e torço o nariz. — _________ é sério.

 

— O que? – a olho e ao ouvir uma voz estranha olho para Nick que agora está com uma mulher alta ao seu lado e ambos se beijam. Franzo o cenho e cruzo os braços pensando. — Por que ela parece educada e uma pessoa boa?

 

— Você fala como se seu irmão só namorasse cobras como a Yoona. – Kaya ri me olhando. — Você reclama dele mas sente ciúmes.

 

— Amiga você bebeu? – rio de nervoso e a morena me olha nos olhos com um sorriso vitorioso. Reviro os olhos e deixo o copo de suco em cima da mesa. — Olha, não é ciúmes, ta? É que eu me preocupo. E ele sim, só fica com mulheres que não presta e se ele realmente está namorando de novo, é porque tem coisa aí.

 

— Bom, você vai descobrir agora porque eles estão vindo aí. 

 

Kaya diz rindo e eu olho para Nick seriamente. O mais velho se aproxima e sorri, o que me faz pensar se ele é tapado de nascença.

 

— _________, essa é a Somin, minha namorada. Somin essa é a minha irmã chata que te falei. – Nícolas diz e eu mostro meu punho para ele, mas me seguro para não o agredir. 

 

— Oi, é um prazer conhecer você. – a mulher de cabelo curto e escuro diz sorrindo. Sorrio de volta e olho rapidamente para Nick.

 

— O que meu irmão fez pra você namorar ele? Te ameaçou? Te dopou? Já sei! – sinto o olhar de Nick em mim. — Ele te prometeu casamento!

 

— Lá vem você queimar meu filme de novo, _________. – ele resmunga e noto que sua namorada ri o olhando. — Não liga pra ela Somin.

 

— A culpa não é minha se você tem péssimo gosto para mulheres, Nick. – comento baixo e sorrio para Somin. — Mas Somin parece ser legal, senta aqui, me conta mais sobre você.

 

— Sim. – ela ri e senta ao meu lado. Sinto Kaya me cutucar, a olho de canto e vejo ela segurando o riso. Ela acha que eu tô brincando ela. — Eu entendo porque está assim, sei muito bem do histórico do seu irmão com as mulheres.

 

— Viu? Nem precisei contar nada. – digo para Kaya e ela ri. — Essa é a minha melhor amiga Kaya.

 

— Oi. – a morena acena.

 

— Oi. – Somin sorri e eu noto que ela realmente parece diferente das outras namoradas que Nick já teve. — O que quer saber?

 

— Você e meu irmão estão mesmo namorando? – cerro os olhos a olhando. 

 

— Sim, estamos sim. Conheci ele através de um amigo meu, e bom, conversamos e saímos bastante até ele me pedir em namoro. Demorou cerca de três meses até que eu aceitei contato que ele não me traia e me trate bem, caso ele descumpra isso eu corto o pênis dele fora. – Somin diz e eu entreabro a boca. — Fui extrema demais?

 

— Não! – Kaya e eu dissemos em uníssono.

 

— Temos que mostrar quem manda, você fez bem. Como você e a Beatriz se dão? Desde que Yoona sumiu ela tem vivido com meu irmão e não sei o que é pior. – brinco ao mesmo tempo em que mantenho uma expressão séria.

 

— Ahm, nos damos bem. A Beatriz e eu temos gostos parecidos, então nos damos bem no final. E sempre aprontamos com seu irmão. – ela conta sorrindo. Parece que Nícolas finalmente caiu em si.

 

— Satisfeita? – olho para Nick em nossa frente e reviro os olhos. Ele ficou só pra ver se eu não contaria seus podres, mas pelo o que vi Somin já sabe então não cabe mais a mim essa tarefa. 

 

— _________, vem comigo. – ouço Taehyung e viro a cabeça, sorrindo para ele. 

 

— Você..– 

 

— Nick olha o Taewan com as crianças, ok? – me levanto ao o interromper e sorrio seguindo Tae.

 

Seguro na mão do Kim e olho curiosa para ele ao ver o mesmo me levando para o andar de cima. Pela primeira vez hoje teremos um tempo sozinhos, as crianças estão brincando e Taewan também decidiu se juntar a elas, então podemos namorar um pouquinho.

 

Ao chegar no andar de cima Taehyung abraça minha cintura com seus braços e beija a minha boca de forma quente, não me dando tempo nem de pensar. Sinto suas mãos pelo meu corpo e deixo um arfar escapar entre o ósculo, me afasto e olho para baixo, então caminho pelo corredor e entro no meu antigo quarto. 

 

— Aqui é mais seguro. – sorrio ao dizer e fecho a porta. Vejo Taehyung olhando em volta e abraço ele por trás. — Sim, eu gostava de bandas de rock brasileiras. – conto ao notar ele olhando para os meus cds.

 

— Você é maravilhosa. – Tae diz e se vira, segura minha cintura e junta nossas testas. — Queria ter te conhecido antes.

 

— Acho que não iria gostar da _________ adolescente. – rio baixo e mordo seu lábio. — Vamos aproveitar o agora, hm? – levo minha mão até seu pescoço e respiro fundo ao ter seu corpo colado ao meu.

 

Tomo iniciativa e beijo sua boca, desço minhas mãos até seu peitoral e aprofundo o ósculo sentindo suas mãos atrevidas dentro do meu vestido, apertando minhas coxas com certa força. Afasto nossas bocas para tomar ar e volto a beijá-lo, sentindo a cada segundo que passa meu coração a mil, extremamente mexido por estar com ele.

 

Taehyung e eu nos beijamos por alguns minutos até que ofegantes e quase sem ar algum afastamos nossos lábios. Sorrio para ele e faço carinho em seu rosto, vendo sua boca vermelha marcada pelo meu batom. Puxo ele até a cama e me deito, ele faz o mesmo e eu abraço seu corpo, ficando em silêncio por um certo tempo. As vezes penso como seria se eu perdesse ele, sei não deveria pensar mas penso. Porque eu só sou feliz porque estamos juntos.

 

— Eu te amo. – Tae diz baixinho enquanto olha nos meus olhos. — Eu te amo, _________.

 

— Eu te amo, Kim Taehyung. – sorrio e limpo um pouco do batom na sua boca. — Meu pançudinho. 

 

— Você ama minha pança. – ele ri e eu sorrio.

 

— Amo você do jeitinho que é. – deixo vários beijinhos no seu rosto.

 

— Ô casal da pegação, mamãe tá chamando pra comer bolo!

 

Suspiro ao ver Nick na porta e viro o rosto para Taehyung, triste por já quer te ir. Deixo um beijo demorado em Tae e me levanto, ajeito minha roupa e meu cabelo, me aproximo do mais velho e o ajudo a limpar sua boca, o mesmo me ajuda a fazer o mesmo e limpar meu batom borrado. Taehyung e eu saímos do quarto e descemos as escadas, seguimos até o jardim vemos papai segurando o bolo com as velas e com as crianças em volta dele. 

 

Me aproximo de mamãe e deixo um beijo na sua bochecha, vejo Taewan subir no colo do pai e assim cantamos parabéns para a aniversariante. Hoje parece um dia bom, um dia que as coisas saíram bem apesar de alguns problemas da vida nos perseguirem. É bom estar com minha família, é confortante e ainda sim diverso porque sei que amanhã vai ser uma bagunça e limpar a casa vai ser difícil. Ainda sim, sorrio porque estamos juntos.

 

Todo tempo, Com vocês, Minha família.


 

[...]


 

Tento entender a conversa que Yoongi está tendo com Taehyung sobre a empresa enquanto como meu segundo pedaço de bolo. O Min chegou pouco antes do bolo e eu não havia o visto até ele brotar com uma taça de vinho e, eu só bebi porque tinha bebido somente suco até aquele momento da festa. E sobre o bolo Taehyung comeu incrivelmente quatro pedaços e estamos levando para casa mais cinco pedaços. E já prevejo briga para ver quem vai comer, porque quem vacilar vai perder o bolo precioso da mamãe que é definitivamente do melhor que já comi.

 

Sinto meu celular vibrar já que o mesmo está na minha mão e vejo um número que não conheço, me afasto dos dois que ainda conversam e sigo até um canto escuro do jardim. Atendo a ligação e termino de comer o bolo, soltando um resmungo baixo por ter acabado. Se o objetivo da minha mãe era me fazer engordar conseguiu.

 

— Alô? 

 

— Oi, _________? – ouço uma voz rouca e respiro fundo. — Sou eu, desculpe estar ligando essa hora.

 

— Ah, tudo bem… – digo e olho para Taehyung que está um pouco longe e de costas. — Você…

 

— Eu liguei porque queria conversar com você, acho que seria bom te ver e bater papo. – assinto ao ouvir e mordo o lábio. — Você tem espaço na sua agenda?

 

— Não sei. – rio baixo. — Vou verificar e te ligo de volta, ok? Vou salvar seu número também. – digo e vejo Taehyung se aproximar. — É isso então, tchau. 

 

Rapidamente desligo a chamada e bloqueio o celular, sorrio para Tae que me olha curioso e eu cruzo meu braço no seu, caminhando de volta até Yoongi. Essa foi literalmente quase, quase meu infarto. 

 

— Com que você estava falando? – o Kim pergunta me olhando.

 

— Era engano. – respondo e deixo um beijo na sua bochecha. — O que quer?

 

— Ah, ele quer saber a sua opinião sobre o novo sócio da empresa. Pra você ver se ele parece ser alguém que vai destruir a empresa ou alguém que vai ajudar. – Yoongi responde me olhando e eu vejo Taehyung pegar seu celular.

 

— Olha amor, o nome dele Kim Mingyu. 

 

Antes mesmo de Taehyung me mostrar a foto sinto meu coração acelerado, pego seu celular e vejo a foto de Mingyu, pisco algumas vezes e suspiro pesado. Não pode ser, não é possível que os dois sejam a mesma pessoa. Agora sim eu estou assada, frita, estou prestes a entrar no meio de um tornado.

 

— Mingyu…

 

Parece que ele voltou decidido a retomar nossos laço do passado.


Notas Finais


Mais um capítulo leve e com muitas coisas lindas e fofas ><

Eu amo a relação da SN com a Kaya
E odeio a Sok Ho

Não vou nem dizer nada sobre esse finalzinho, só sei que vai ter treta ;-;

Enfim, esperem até o próximo capítulo :')

Cuidem-se, continuem confinados em casa e se preparem para o que está por vir (não é brincadeira)

Obs.: já não sei quantos capítulos DHAT terá, talvez se torna mais longa do que pensei...
Voltando aqui porque esqueci: teve spoiler nesse capítulo :')

Até <333

🐼🌈💓


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...