História Diana - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Styles, One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Diana, Drama, Harry Styles, Lily Collins, Logan Lerman, One Direction, Romance
Visualizações 109
Palavras 2.060
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 33 - Capítulo 30


Fanfic / Fanfiction Diana - Capítulo 33 - Capítulo 30

Diana

Passei praticamente o final de semana inteiro no meu quarto, só saindo algumas vezes para comer. Gayle não falou comigo depois do quê aconteceu, não atendeu minhas ligações e nem sequer visualizou minhas mensagens. Foi o pior final de semana da minha vida. Antes fosse só por causa dele, mas meus pensamentos também eram ocupados pelo rapaz de olhos verdes. Harry. 

 

Eu odeio ele, odeio com todas as minhas forças. 

 

Jamais deveria ter me aproximado dele. Tudo seria melhor se nós tivéssemos continuado como éramos antes, ele me odiando e eu fazendo o possível para o ignorar. 

 

Bem, uma coisa não mudou, Harry continua me odiando e provou isso da forma mais baixa, já eu, não consigo ignora-lo e nem sequer parar de pensar nele. 

 

"Hey" a voz de Liam me surpreendeu quando ele entrou no meu quarto, enquanto eu arrumava minha mochila. "Você não precisa ir à escola hoje se não quiser." 

 

"Eu quero." Murmurei. "Quer dizer, eu preciso falar com  Gayle." Acrescentei e ele assentiu. 

 

"Vou te esperar lá no carro e por favor, coma alguma coisa." 

 

"Ok." 

 

Em seguida, Liam desceu as escadas e eu suspirei, desviando o olhar para as minhas fotos com Gayle que ficavam na cabeceira. Fotos nossas na formatura da oitava série, no hospital que trabalhamos voluntariamente nas férias e algumas viagens que fizemos juntos com nossas famílias.

 

Não posso perdê-lo, nem sequer consigo suportar a ideia disso acontecer. 

 

Depois de terminar de arrumar minhas coisas, fui até a cozinha e peguei uma maçã. Liam lançou-me um olhar repressivo quando entrei no carro e eu dei de ombros. 

 

"Não estou com muita fome." 

 

O silêncio se instalou no veículo até chegarmos ao colégio. Quando abri a porta para descer, meu irmão colocou uma mão no meu ombro, fazendo-me olhar para ele. 

 

"Você vai ficar bem?" Perguntou, arqueando uma sobrancelha e forcei um meio sorriso. 

 

"Vou." 

 

Voltei a olhar para frente e foi então que avistei Harry indo em direção ao portão de entrada e mesmo de longe era possível notar o roxo ao redor do seu olho. 

 

Olhei para Liam à procura de uma explicação e ele encolheu os ombros sem dar importância. 

 

"Você fez aquilo?" 

 

"Fiz." 

 

"Liam! Eu disse que não queria mais encrenca." Bufei. 

 

"Ele mereceu, Diana." Afirmou, trincando os dentes, com uma expressão de raiva. "E a dor física passa, espero que o quê eu disse à ele tenha doído mais." 

 

"O quê foi que você disse à ele?" 

 

"Nada que ele não merecesse escutar. E também deixei claro para ele ficar longe de você, se não acabo com a raça dele."

 

Um sorriso nasceu nos meus lábios enquanto Liam falava. Não estava exatamente feliz por ele ter batido em Harry, por quê não acho que as coisas possam melhorar com violência, apesar de que uma parte de mim gostaria que eu mesma tivesse dado um soco no rapaz de olhos verdes, mas estava feliz por saber que eu tinha o melhor irmão do mundo e que podia sempre contar com ele. 

 

"Obrigada por me defender." Murmurei e em seguida envolvi meus braços ao redor do seu pescoço e o abracei. 

 

Ele assentiu e sorriu quando nos afastamos e depois acrescentou: 

 

"Boa sorte com Gayle." 

 

"Obrigada, vou precisar." 

 

Quando cheguei à sala de aula, senti o olhar de Harry sob mim e me esforcei para não olhá-lo de volta. Parei de caminhar antes de chegar no meu lugar e suspirei fundo, virando-me novamente de costas. 

 

Achei que ia conseguir ficar perto dele, mas não consigo. Resolvi mudar de lugar e me sentei lá na frente, do outro lado da sala. Só assim conseguiria prestar atenção na aula...ou não. 

 

Niall entrou na sala segundos depois e seu sorriso se desfez ao me ver ali e foi substituído por uma expressão de preocupação. 

 

"Hey." Murmurou, aproximando-se envergonhado. 

 

"Oi." Sorri. 

 

"Você está bem?" 

 

"Estou." Torci para que minha mentira não fosse tão óbvia e Niall assentiu e mostrou-me um pequeno sorriso. 

 

"Ok... uh, se precisar de alguma coisa ou de conversar com alguém..só, me avisa, ok?" Afirmou e eu assenti lentamente.

 

"Obrigada, Niall." 

 

Ele acenou com a cabeça e em seguida foi para o seu lugar. 

 

As próximas horas foram totalmente desperdiçadas por quê não consegui focar em nada que os professores disseram e desejei que tivesse ficado em casa. 

 

Durante o intervalo, procurei Gayle em todos os cantos do colégio, mas não o encontrei em lugar nenhum, nem mesmo na cafeteria e deduzi que ele não havia aparecido no colégio hoje. 

 

Senti meus olhos marejarem, enquanto discava seu número, mas a ligação foi direto para a caixa postal e então resolvi gravar um recado. 

 

"Hey... se você escutar esse recado, me liga por favor. Nós precisamos conversar. Sei que você está chateado comigo, mas sinto sua falta." 

 

"Procurando alguém?" Aquela voz que me trazia arrepios soou e eu me virei assustada, dando de cara com Harry e seu olhar sarcástico. 

 

"Não é da sua conta." 

 

"Seu namorado ou devo dizer ex-namorado?"Perguntou, arqueando uma sobrancelha e deu um passo à frente, enquanto eu dava um passo para trás. "Ele não soube lidar com uma traição?"

 

"Eu não trai ele e você sabe disso!" Exclamei, sentindo a raiva tomar de conta de mim. 

 

Como ele ainda tinha coragem de vir falar comigo? 

 

"Oh, vamos lá, estamos ambos sozinhos aqui, você pode dizer."

 

"Você tem problema." Afirmei e tentei passar por ele para sair dali, mas Harry colocou seu braço na frente impedindo. "O quê você quer, Harry?" 

 

"Admita, você queria aquele beijo, não sei à quanto tempo você estava esperando, talvez desde aquele dia na praia, mas sei que você queria, eu só te fiz um favor." Ele disse, com divertimento por trás de seu olhar e tom de voz. 

 

Tudo era diversão para ele, apenas um motivo qualquer para ele sorrir com deboche. 

 

"O que você realmente quer de mim, Harry? O que fez comigo na festa não foi suficiente?" Questionei, quase suplicando por uma resposta, mas ele nem sequer me olhou enquanto eu falava. "Olha nos meus olhos." Mandei, fechando a distância entre nós e  segurei em seus braços, encarando-o bem de perto.

 

De repente vi seu olhar vacilar e o sorriso dele se desfazer e sabia que havia o pego desprevenido, mas queria que ele visse. "Eu quero que você veja o que fez. Quero que veja a dor está me causando. Eu não sei por que, mas você fez isso comigo, parabéns."

 

"Tira as mãos de mim."  disse, me afastando ligeiramente para trás. 

 

Que ironia.

 

"O quê? Não consegue me olhar?" Ripostei de forma irônica, mas Harry não respondeu. "Então faça-me um favor e não fale também. Nunca mais." Afirmei, virando-me de costas e deixando-o sozinho.

 

O resto do dia foi apenas um período difícil que passou lentamente. Eu esperei durante todo o dia por uma chamada de Gayle, mas não recebi nem uma mensagem.

 

Droga, eu sinto falta dele.

 

No dia seguinte eu o vi chegando na cafeteria. Ele parecia distraído e seus olhos estavam baixos e com grandes olheiras. Meu coração doeu ao ver isso, porque eu sabia que era eu quem estava causando isso.

 

Eu fiquei o olhando enquanto ele fazia seu pedido e quando terminou, se virou e seus olhos encontraram os meus.

 

Eu pensei que o seu primeiro instinto seria se virar e ir em outra direção para me evitar, mas então ele deu um passo a frente para se aproximar e eu deixei um suspiro de alívio escapar e fiz o mesmo.

 

"Oi" falei baixinho e sorri sem graça, mas ele não respondeu, apenas olhou para mim. "Eu deixei uma mensagem ontem em seu correio de voz-

 

"Sim, eu ouvi."

 

"Ah, você ouviu?" perguntei confusa. "Você não me ligou de volta ..." murmurei e Gayle desviou ou olhar, encolhendo os ombros. "Então, é isso?"

 

"O quê?"

 

"Você está terminando comigo?"

 

"O quê? Não!" Exclamou e então segurou meu braço e me puxou para um canto mais afastado. "Eu nunca disse isso." afirmou olhando nos meus olhos.

 

"Você não está falando comigo e não atendeu a minha ligação."

 

"Eu tentei, ouvi sua mensagem um bilhão de vezes e cheguei a discar o seu número, mas não consegui." explicou e depois suspirou. "Estou magoado, Diana."

 

"Eu sei." disse, sentindo meus olhos ficarem cheios de lágrimas. "Sinto muito, mas precisamos conversar sobre isso, eu posso explicar."

 

"Eu não posso lidar com isso agora, talvez depois da escola." Talvez. "Eu tenho que ir agora." disse e fez menção de sair.

 

"Eu te amo" 

 

Ele olhou para mim de novo e eu repeti. "Eu amo você, Gayle."

 

"Tem certeza?"

 

"O quê?" Perguntei, piscando os olhos várias vezes.

 

Ele realmente estava duvidando?

 

"Você disse que me ama, mas ... é o mesmo que você sentia por mim quando nos conhecemos?"

 

"Eu-eu- sim." 

 

Essa foi a segunda vez que Gayle me fez essa pergunta.

 

E a primeira vez que eu precisei pensar antes de responder. 

 

"Você tem que me deixar no trabalho do Gayle, por favor." Eu disse a Liam no segundo em que entrei no carro quando ele veio me buscar no colégio. 

 

"Ei, tá tudo bem?"

 

"Sério, Liam. Por favor."

 

"Acalme-se, Diana, o que aconteceu?"

 

"Eu tenho que falar com ele, não posso deixá-lo ficar com raiva de mim por causa de algo que eu não fiz."

 

"Então vocês não falaram ainda?" Perguntou levantando uma sobrancelha.

 

"Nós conversamos um pouco, mas ele ainda está bravo comigo, ele acabou fugindo de mim e não tive a chance de explicar."

 

"Ok ... aqui está o que vamos fazer, estou morrendo de fome, então primeiro vamos passar em algum lugar para comer e depois eu te levo até lá."

 

"Ok" 

 

Gayle provavelmente estava em sua hora de almoço de qualquer maneira.

 

"E quanto a Harry?" Liam perguntou e eu me virei para ele com uma expressão confusa.

 

"O quê tem ele?" 

 

"Você o viu?" 

 

"Sim ..." murmurei e ele me lançou um olhar de reprovação. "Nós estudamos na mesma aula, Liam. É meio impossível não vê-lo."

 

"É verdade, eu esqueci disso, mas ele tentou falar com você?"

 

Me provocar, você quer dizer.

 

"Não"

 

"Bom, e é melhor continuar assim."

 

Balancei a cabeça concordando e forcei um sorriso para ele.

 

Pobre, Liam. Ele realmente não conhece Harry se acha que ele vai simplesmente me deixar em paz.

 

•••

 

Depois do almoço, Liam me deixou em frente à livraria onde Gayle trabalhava e eu avisei que ele não precisava me esperar para ir para casa. 

 

"Diana? O quê você está fazendo aqui?" Gayle perguntou, quando me viu entrar e caminhar em sua direção. Ele estava sozinho e parecia que havia acabado de chegar. 

 

"Eu pensei que nós íamos conversar." Murmurei. 

 

"Não aqui, preciso trabalhar."

 

"Gayle, por favor."

 

"Vá embora, Diana." disse friamente e eu senti um lágrima ameaçando cair novamente. Era como se ele me desse um soco no estômago quando me tratava com frieza.

 

"Não." Afirmei, dando mais um passo à frente. "Eu não enviei aquela mensagem."

 

"Quê?"

 

"Eu não mandei, Harry mandou." Finalmente ele parou de fazer o que estava fazendo e olhou para mim. Continuei. "Ele te mandou a mensagem, então me beijou e fez você pensar que havia sido eu. Foi tudo ele, Harry tramou tudo."

 

"Por que ele faria isso?"

 

"Porque ele estava fingindo, Gayle. O pedido de amizade...todo o tempo que passamos juntos, era tudo mentira, tudo parte de um plano.''

 

"Quem te disse isso?"

 

"Ele mesmo, depois que você saiu. Harry me humilhou na frente de todos."

 

"Porra, ele é doente?!" Exclamou, arregalando os olhos.

 

"Ele disse que agora eu ia saber o quê é ser desprezível." Murmurei. 

 

Minha voz se quebrou ao final dessa frase e não consegui segurar minhas lágrimas. 

 

Gayle suspirou e então olhou-me com compaixão. 

 

"Babe, ele está errado, eu não te desprezo. Venha cá." disse, aproximando-se e me puxando para um abraço. Gayle me apertou contra si e eu encostei minha cabeça em seu ombro, sentindo minhas lágrimas descerem, enquanto ele acariciava meu cabelo. "Eu nunca seria capaz de sentir nada além de amor por você, Diana."

 

"Achei que você não ia falar comigo nunca mais."

 

"Eu estou aqui agora. Harry não vai mais te magoar e eu não vou deixar você, eu prometo."

 

E como eu queria que aquela promessa se cumprisse.

•••

queria dizer que faltam 5 capítulos para a primeira parte da história acabar!! ):)

meta: 6 comentários  

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...