1. Spirit Fanfics >
  2. Diário de Kathy >
  3. Consequências.

História Diário de Kathy - Capítulo 9


Escrita por: Ricksanx

Capítulo 9 - Consequências.


Esse último mês tem sido um tanto quanto conflituoso, eu descobri que Peter na verdade é um vampiro e que a vovó na verdade tinha poderes de bruxa que foram herdados por minha irmã mais velha já que eles não foram para a nossa mãe. Vovó que veio de nova york ainda continua aqui, ela tem treinado minha irmã Scarlett, foi bem difícil convencer ela sobre isso tudo mas aos poucos ela foi aceitando que a magia era real.

Já eu tenho aproveitado o meu tempo ao máximo com Peter, aproveitamos esse mês bastante para sairmos juntos e enquanto isso Shirley está se mordendo de inveja de me ver com Peter, hoje tem um passeio da escola e quero aproveitar esse momento especial ao máximo para ficar na companhia da minha pessoa preferida.

*Horas depois*

Cheguei na escola acompanhada de minha irmã e aquela típica cena de filmes americanos estava em minha frente, alguns ônibus amarelos esperando os alunos entrarem para dar início a excursão.

— Ai meu deus vocês vieram, cara eu real achei que vocês não iriam vir meu deus, porquê tipo, no último mês vocês estão muito ausentes sempre que chamamos vocês pra saírem. — disse Ashley vindo em nossa direção.

— Olá meninas, como vão? — disse Noah caminhando com as mãos em seu bolso até nossa direção.

— Foi mals Ashley, é que ultimamente nós estamos bem ocupadas cuidando da vovó.

— Oi Noah, eu tô bem e você? — me aproximei do mesmo lhe dando um abraço.

Assim que me separei do abraço vi que todos os alunos já estavam dentro do ônibus só faltavam eu e meus amigos. Não demorou muito até eu ver Peter saindo de trás do ônibus e caminhando em minha direção com um sorriso no rosto.

— Lá vem ele, gente, já vai roubar nossa amiga da gente. — disse Ashley sobre Peter enquanto arqueava a sobrancelha.

— Me desculpem pessoal, eu preciso dela por alguns instantes. — disse Peter pegando minha mão e entrelaçando nossos dedos me guiando até o ônibus.

— Como você está, Peter?

— Sinceramente? Com certeza estou melhor agora em sua presença.

— Está animado pra esse evento?

— Bom, é a minha primeira vez fazendo algo desse tipo na escola.

Ele me guiou até o ônibus logo adentrando no mesmo, tinham dois acentos vagos perto do fundo então nos sentamos lá. Alguns segundos depois vimos Shirley entrando com seus amigos e seu namorado, ela olhou para nós de canto de olho e deu um sorriso debochado logo se sentado nos acentos altos do fundo. Nossos amigos também entraram e se sentaram nos acentos próximos a nós, a excursão estava prestes a começar quando eu vi um garoto entrando no ônibus de último instante. Ele havia cabelos loiros e longos, sua pele era rosada e seus olhos negros como a noite, ele usava uma camisa branca e uma jaqueta preta de couro por cima com uma calça jeans meio rasgada e botas pretas, em seu dedos havia um cigarro que ele jogou no chão pisando no mesmo logo se sentando na parte da frente do ônibus, eu vi Peter retorcer o nariz quando o mesmo entrou.

— Peter, você conhece ele?

— é um amigo antigo.

— Ele é um ser sobrenatural como você?

— Bom, ele é um bruxo.

— Vovó realmente não estava brincando quando disse que haviam muitos seres sobrenaturais nessa cidade.

Algumas horas se passaram, foi uma viagem tranquila, eu apoiei a cabeça no ombro de Peter durante o percurso enquanto conversamos, dava pra ouvir a voz de Shirley de fundo com suas amigas fazendo planos de festas e coisas bobas. Quando finalmente chegamos a professora que estava no ônibus saiu chamando todos para acompanhá-la.

Os alunos fizeram fila e todos saíram, estávamos em uma floresta haviam algumas mesas e cadeiras para os professores para aquela organização de evento, depois de muita baderna dos alunos e dificuldade dos professores para faze-los se calarem uma das professoras finalmente conseguiu falar.

— Certo, essa dinâmica vai funcionar em duplas, escolham suas duplas com cuidado para a corrida de orientação, vocês irão precisa encontrar alguns itens que vamos dar a lista para vocês e eles estão espalhados nesse perímetro da floresta, atenção, não avancem além das faixas policiais. Podem pegar os papéis com o professor Matheus na mesa.

Todos os alunos se organizaram fazendo fila em dupla para pegar o papel contendo os itens necessários que deveríamos achar.

— Mano, acharam a Jéssica esses dias tudo machucada e um corpo sem sangue e agora temos que entrar na floresta, se alguém morrer já sabem quem culpar. — disse Scarlett enquanto se alongava.

— Até parece que a escola liga pro bem de alguém né, se toca. — disse Noah sendo sarcástico fazendo Scarlett e Ashley rirem.

Eu fiz dupla com Peter, ficamos naquela fila esperando por alguns instantes até chegar nossa vez de pegar o papel contendo a lista de itens necessários que deveríamos achar. Finalmente foi dada a largada e todos os alunos saíram correndo, a floresta era enorme, os alunos sumiram facilmente no meio das árvores.

— Kathy, eu tive uma ideia pra não precisar se esforçar. — ele se abaixou ficando de costas para mim fazendo um sinal para que eu subisse em suas costas.

— Peter, não precisava. — corei mas logo em seguida montando em suas costas.

— É um lugar muito grande e perigoso para humanos e aliás, tem algo errado aqui. — ele começou a andar me carregando em suas costas.

— O que tem de estranho?

— Minha audição de vampiro não está funcionando.

— Isso é preocupante, Peter, meu deus.

— Como a escola está cheia de bruxos e bruxas é normal eles fazerem feitiços para que vampiros não consigam escutar a vários metros de distância, mas aqui é um lugar muito peculiar para fazer isso. — disse preocupado apertando levemente minha perna enquanto ainda me segurava em suas costas.

— Quer conversar sobre isso? Você parece preocupado.

— Não deve ser nada, não se preocupe.

Depois de alguns minutos andando chegamos em um rio, era um belo lugar, as árvores estavam verdes como nunca e borboletas voavam por todo lugar, Peter me desceu de suas costas me botando no chão para que pudéssemos apreciar a vista.

— Que lugar incrível, Peter.

— É sim. — disse se sentando a beira do rio.

— Tá tudo bem, você parece preocupado? — me sentei ao lado dele fitando seu rosto.

— Tem algo que eu quero que você saiba.

— Claro, pode falar, Peter.

— Nesses últimos dias eu me conectei muito com você como eu nunca me conectei assim com ninguém, nem a sua avó. Eu preciso de você na minha vida kathy, você me libertou, eu não me sinto mais obrigado a ser o vampiro aberração que vive na sombra do pai.

— Peter, eu...Sinto o mesmo.

Vi Peter dar um sorriso e se aproximar mais de mim, ele estava prestes a me beijar, eu iria beijar alguém pela primeira vez e seria alguém especial, não seria como minhas amigas que beijaram pessoas por quem elas não sentiam nada.

— Ora ora, uma humana e um vampiro.

Ouvimos uma voz desconhecida vindo de trás de nós, imediatamente nos levantamos para olhar quem estava alí.

— Senhor, eu posso explicar. — Peter disse e imediatamente se ajoelhou.

Quando olhei quem estava alí havia um homem de cabelo branco mas com feição extremamente jovem, em seguida duas pessoas pularam de cima da árvore caindo ao lado do mesmo, eram duas mulheres de roupa preta e capuz.

— Quem são eles, Peter?

— Eles criam as regras e mantém a ordem no mundo dos vampiros, Kathy.

— Vejo que no último mês você tem se divertido bastante com a neta da bruxa. — o homem veio até mim passando a mão pelo meu cabelo.

— Não faça nada com ela por favor, eu lhe peço.

— O problema é que essa humana sabe demais e o seu pai não ficou nada feliz com isso, sabia que foi ele quem nos chamou?

— O-oque? Meu pai sabe de mim e da Kathy?

— Seu pai é a droga do fundador da cidade, moleque estúpido, ele tem espiões por toda a cidade.

Peter se levantou, a expressão de terror no rosto do mesmo era evidente, ele parecia já saber o que iria acontecer.

— Kathy, fuja, fuja rápido. — ele se posicionou se preparando para atacar o homem.

Assim que ouvi o mesmo saí correndo o mais rápido que pude, eu sabia que ele ficaria bem, aliás ele era um vampiro, sei que ele vai ficar bem.

Olhei para trás por meio segundo quando vi uma das mulheres pegando um graveto pontudo da árvore e jogando em minha direção, aquilo atravessou meu quadril. Eu caí no chão sangrando, havia um buraco em mim eu estava me contorcendo de dor, minha visão estava escurecendo mas consegui ver aquele garoto loiro do ônibus chegando e usando magia para jogar as mulheres longe.

— Salve a garota, Peter. — disse o garoto loiro.

Peter veio correndo até mim com sua corrida de vampiro, eu o vi mordendo seu pulso o fazendo sangrar, eu não entendia o motivo dele ter feito aquilo, ele levou seu pulso sangrando até minha boca fazendo eu beber o sangue do mesmo. No mesmo instante eu senti meu machucado se fechando, eu tinha certeza que não iria morrer.

— Beba, beba. — disse Peter desesperado enquanto forçava seu pulso contra minha boca .

— Você não vai conseguir salvá-la. —disse o homem vampiro.

Eu o vi correr até Peter o pegando pelo colarinho o jogando longe, a força dele era tremenda.

— N-não. — consegui sussurrar enquanto me forçava para ficar de pé.

Aquela batalha estava perdida, o bruxo estava lutando com as duas vampiras de uma vez, Peter foi arremessado longe, o homem levou a mão dele até meu pescoço me segurando pelo mesmo e me apertando.

— Você não é nada, não é ninguém, você sabe demais e se meteu com quem não devia, esse será o motivo da sua morte. — ele quebrou meu pescoço me jogando no chão.

Meu cérebro ainda estava consciente, eu o vi limpar sua mão e se virar para a direção de Peter enquanto tudo ficava escuro, eu estou morta.



Notas Finais


Pessoal desculpa se estiver ruim, fiquei muito tempo sem escrever e me desacostumar, mas prometo voltar a postar com frequência.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...