1. Spirit Fanfics >
  2. Diário de Lilith G. >
  3. Invasão de uma deusa.

História Diário de Lilith G. - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Imagem meramente ilustrativa.- Mostra a Nathalie sem seu poder Angelical.
Olá!
Faz tempo que eu não venhi aqui dar um aviso, né? Bom, o aviso não é grave então... Vamos logo terminar ele para vocês pessoas lerem a saga.
Aviso: Lembram quando eu falei que iria mudar a forma de escrita dessa saga? Então... Como vem eu não mudei, e nem fiz questão, o aviso é para vocês saberem disso já que quase ninguém lê a NF, né? Bom... Não é para todos... Boa leitura 📖

Capítulo 19 - Invasão de uma deusa.


Fanfic / Fanfiction Diário de Lilith G. - Capítulo 19 - Invasão de uma deusa.

Havia dormido de verdade após a passagem de Henrique pela porta, ele apenas me deixou deitada, com um olho aberto minimamente o vi saindo do lugar, então eu só dormi, não foi por magia nem nada dele, eu somente havia dormido, foi a tão ruim noite que tive... Não dormi nada pensando na noite passada com Henrique, aquele idiota, após reler a carta pude me lembrar daquele dia com a Jeni, quando ela me mostrou a pintura de Henri que um artista havia feito, lembrei daquele dia no estacionamento. Aquela loira mulher era Amélia, desde aquele dia eles estavam me perseguindo, Henrique com seus cabelos em transição de branco para preto. Aqueles olhos fixados no celular disfarçando seu olhar de mim, como era possível ele não saber que era eu naquele dia no bosque? Seu desejo por sangue é tão forte ao ponto de esquecer-se de seu dever aqui na terra? Se eu tivesse morrido naquela noite... Talvez ele não tivesse que lidar com a dor de seu coração, que pede incessantemente para uma amiga não seja morta por algo que não fez e jamais faria.

Enquanto escrevo isso estou sentada nas cadeiras daquela sala, um vidro quase negro mostrava com certa dificuldade a sala de reunião, haviam anjos e arcanjos reunidos aos montes ali, de maioria nenhum ali me conhecia além das reuniões com Amélia, era doentio ela querer matar alguém sem analisar de forma mais clara. Ouço um barulho... Olho pela janela, havia um exército de seres misteriosos invadindo, junto deles uma líder que tinha um corpo emanando morte pelo ar, o sombroso estouro da espada dela acertando os anjos que estavam ali, os anjos mortos por eles foram literalmente pisoteados pela mulher que passou indo direto para perto dos arcanjos reunidos ali... Era... Um ataque muito violento... Senti necessidade de ajudar os anjos, mas o que podia fazer? A porta estava trancada por fora, comecei a pensar com desespero, pensando incessantemente que... Tudo que estava ocorrendo poderia ser culpa minha. Era tudo um plano daquela poderosa mulher? E talvez eu esteja ajudando ela a conseguir tudo isso com essa história de poder ver o passado de Nathalie.

- Venha aqui, odiada humana frágil.- O vidro estoura com o poder da mulher, seus olhos estavam mostrando orgulho.- Odiada humana, não deves sentir medo... Neutralizei todos seus problemas.- Olhei pela janela e vi todos, digo todos os Arcanjos feridos, e Nathalie sendo presa por correntes aparentemente mágicas.

- Ah...- Estava com medo.

- Não temas. Não lhe farei mal algum...- Ditou dando um sorriso misterioso.

- Como posso confiar em você? Quem sabe você não quer me matar?!?!- Ela sorri debochada após escutar minha frase.

- Não mataria quem me ajudou tanto... Ah... É mesmo... Você não sabe.- Ela faz sua espada desaparecer, ver todos ali praticamente derrotados era triste. Mais ainda eu sei tão inútil ao ponto de não conseguir fazer nada para impedir.- Bom, parece que você foi injustiçada, humilhada, forçada a viver de forma submissa. Tudo isso por você ter recebido uma mensagem divina, se tivessem melhor entendimento saberiam que não significa que a pessoa é perigosa, e sim que algo se aproxima da pessoa cujo o sonho mostra.

- Eu falei... Eu... T-Te avisei... A-Amélia...- Ditou Sarah ferida com cortes em seu corpo todo.

- AAAA!!!- Era Henri, ele tentava uma investida contra a mulher, ela apenas sorri minimamente e se vira enfiando sua espada no rapaz, então ele larga a faca que já tinha sangue de outro soldado da mulher.

- Henri!!!- Gritei pulando a janela sem nem pensar duas vezes, a mulher o joga contra a mesa de reuniões quebrada.- Henri...- Corro para perto dele.- Seu idiota... Maldito... Maldito idiota...- Eram lágrimas, lágrimas com pura tristeza e angústia, achei que quisessem vê-lo morto mas... Na verdade... Eu não consigo deixá-lo ir.

- Continuando... Usei essa teoria de você ser perigosa para poder então ficar cada vez mais próxima da minha chance de pegar Nathalie Grover sem ela nem perceber, em uma invasão perfeita. Bom, essas correntes selam a energia angelical dela, portanto, perderá o tom negro de seus cabelos, a cor viva dos olhos, tomando o tom escarlate de um demônio, a pele dela se tornará mais branca.- Dizia rindo... Com demasiada glória na voz, pegar os anjos desprovidos... Ato de covardia... Essa mulher, quem ela acha que é?!?!?!

- Cale-se!- Me levanto com raiva e ódio daquele tom dela, saco uma espada que estava gravada no chão.

- Como ousa? Quer batalhar com uma deusa? Hahaha.- Uam deusa? Que deusa? Ela está louca.

- Não importa o que seja! Você foi além do limite.- Corro para tentar acerta-la, no entanto sinto algo envolver minha perna direita, assim sendo puxada e caindo de cada no chão, derrubando a espada.

- Pare... Somente pare e preserve sua vida Lilith, a culpa é minha por você estar aqui... Nessa situação.- Dizia Nathalie Grover com lágrimas em seus olhos, rosto pálido, ela... Estava sem seus poderes angelicais.

- Exato.- A dita deusa recolhe as correntes de sua espada, assim trazendo Nathalie para mais perto, que estava presa pelas mesmas correntes.- Vamos! - Gritou aos soldados que se recolheram.

- Lilith...- Sussurrou Zoe me chamando.

- Calada! Não me importo com o que tem a dizer, se conseguissem ser mais abertos a novas ajudas poderiam evitar confusão.- Pego meu diário jogando no chão perto da janela quebrada, vejo a parede também destruída do palácio, a estrada de morte no vilarejo era nítida.

Seguiria pela floresta... Sem ligar para quem gritasse meu nome implorando minha atenção, admito que estou errada em sair dessa forma sem perdoar ninguém, mas, eu não conseguia mais pensar em nada além de lembrar-me dos olhos tristes e culpados dela, Nathalie... Não lhe conheço... Mas desejo salva-la pela minha honra e porque eu devo isso a você mais do que nunca agora que salvou minha vida de morrer em vão pelas mãos da mulher maldita.


Notas Finais


Curto, né? Bom... Mais tarde terão mais quando eu voltar para minha casita hehe.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...