1. Spirit Fanfics >
  2. Diário De Um Gay (Yoonmin) >
  3. Quinze

História Diário De Um Gay (Yoonmin) - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


WE CAME BACK
Demorei bem mais de uma semana pra voltar kkkkkk mas, enfim aqui estamos
Esse com certeza é um dos meus capítulos favoritos da história

Boa leitura :)

Capítulo 15 - Quinze


Ok, eu não tenho nada haver com aquilo, então decidi apenas ignorar e seguir meu caminho.

Sabe aquela sensação de que quando você passa tanto tempo com uma pessoa, que você chega a saber o motivo dela fazer algo que, outras pessoas, achariam um absurdo, mas você consegue entender por que ela fez isso? É exatamente isso que eu sinto agora. 

Eu sei, quase que exatamente, por que ela fez isso. Ciúmes. Ela quer me causar ciúmes dela. Ela quer que eu me sinta da mesma forma que ela se sentiu quando ela descobriu que, sim, eu posso encontrar alguém melhor que ela para amar — e ser amado. Acho que não deu muito certo.

Os meninos me olhavam, preocupados de alguma forma. Visto que eu estava pouco me fodendo para a Rosé, continuaram os assuntos. Pouco tempo depois, Yoongi apareceu com o bendito prato — que eu já tinha me esquecido da existência. Eu coloquei um pouco do Jjajjangmyun que estava no prato dele no meu. 

Yoongi se sentou ao meu lado, e voltou a conversar com os outros. Eu me "isolei" no meu mundinho, com Paid My Dues — música que nem fodendo sai da minha cabeça — de trilha sonora. Tive que sair do meu transe com um Yoongi cutucando minha costela. Eu ri e o olhei.

— Você vai ver o treino hoje? — ele perguntou.

Eu apenas neguei, não tava com cabeça pra isso. Por mim, eu sairia daqui agora e iria direto pra casa, maratonar qualquer coisa, enquanto como um monte de besteiras. Preciso fazer isso ainda essa semana. 

— Hoje não, eu tô cansado. — falei e comi um pouco do Jjajjangmyun. Yoongi assentiu.

— Você vai pra casa sozinho? — ele perguntou, com certa preocupação. — Jungkook disse que você, nem eu, devemos andar por aí sozinhos. — Yoongi sussurrou a última parte. 

Jungkook também disse que não é para comentarmos da situação com mais ninguém. 

— É o jeito. — dei de ombros. 

Eu realmente não tenho medo dela. Ok, só um pouco, mas eu sei me virar. 

— Vai com alguém. — Yoongi realmente estava preocupado, então resolvi fazer o que ele pediu. 

Considerei Kriss, mas ele tem curso depois da escola — e ele larga bem mais cedo que eu.

Jin. Mas faz mó tempo que eu não o vejo. Pelo menos não na escola. Nós conversamos por mensagem, mas não é a mesma coisa. Ele disse que tem ido muito para Daegu, só não diz o que exatamente faz lá. E ele também avisa quando está em Seul. Que é o caso de hoje. Eu acho.

Depois de comer, peguei meu celular e saí do refeitório, e fui pro corredor. Procurei pelo número de Jin e liguei pra ele.

— Hey, Jinnie, está ocupado hoje? — perguntei assim que ele atendeu. Fez-se um silêncio por um curto tempo.

— Não — Jin riu, parceria que havia mais alguém ali. — Por que? A gente bem que poderia sair. Nha, não faz isso! realmente havia outros ser ali. — Relaxa, não foi contigo, agora. Teteco está comigo. — Jin riu de novo — Ele está tentando me morder

Eu ri e neguei com a cabeça.

— Era exatamente isso que eu ia te perguntar. — sorri — Mas não sair, não pra mim pelo menos. Quer vir na minha casa? A gente pode assistir uns filmes e conversar.

— Claro, vai ser ótimo. Ai, caralho — Jin riu e ficou silencioso — Ele me mordeu! Acredita? Aish. Até mais tarde, Jimin-ah.

Encerrei a ligação. Eu gosto dele. Ele é mó legal. Um amorzinho. 

Senti alguém me abraçar por trás. Coloquei minhas mãos por cima daquelas que seguram minha cintura, e tirei as mãos do, até agora, desconhecido. Me virei, ficando de frente para ele. É Yoongi, amém. Ele voltou a pôr as mãos na minha cintura, e eu repousei as minhas em seu peito. Yoongi me puxou para mais perto de si e colou nossos lábios, iniciando um beijo.

Em algum momento tivemos que separar o beijo, infelizmente. Eu sorria todo bobo, encarando meu namorado; esquecendo completamente a situação que nós estamos. Seja por causa de Rosé ou estarmos no meio do corredor da escola.

Eu lhe dei mais alguns selinhos, só não lhe dei mais, já que o sinal tocou, indicando o final do intervalo. 

De pouco a pouco, estudantes ia surgindo, dando início ao amontoado de gente. Me soltei de Yoongi, lhe dei um selinho rápido. 

{•••}

Pouco antes do treino, eu fui a quadra, dizer que já estava indo embora. 

Quando eu saí da quadra, esbarrei com ninguém mais que o carinha que provavelmente é o namorado de Rosé. 

— Desculpa — falei. Eu havia derrubado os livros dele. Logo, me abaixei e o ajudei a pegar.

— Tá tranquilo — ele respondeu, carregado de sotaque… britânico?! — Acontece sempre comigo. — ele sorriu e se levantou. Me levantei também e entreguei os livros pra ele. — Como que é teu nome?

— Jimin. Park Jimin. — sorri, fazendo ele sorrir também. Ele tem um sorriso bonito. — E como é o seu? — perguntei, olhando-o de cima abaixo. E ele é estiloso. Jeans rasgados, cheios de correntes; botas pretas; e o cabelo levemente bagunçado. 

— Você tem um nome muito bonito. Combina com você — ele sorriu de novo, e começamos a andar. — Meu nome é Dominic. Mas me chama só de Dom

Obrigado, Dom. — sorri — Seu nome também é muito bonito. 

Começamos a conversar, e aos poucos, íamos descobrindo gostos em comum. Após uns quinze minutos, conversando e parados na frente da escola, Dom parou de falar por um momento, depois riu. Eu estou perdido aqui.

— Caralho. Mano do céu. Agora que eu me liguei. Tu é o ex da Rosé. — sorri sem graça, acho que as coisas começaram a desandar. Merda. 

Tã-dã — balancei as mãos, tentando descontrair o clima.

— Wow. Você nem é o bicho de sete cabeças que ela tanto fala. — Dom riu, e eu ri também.

De nervoso, eu acho. 

— Ela ainda fala de mim? Uau. — ri de novo, não sei por que.

— Fala e muito. Fala bem mal de você. Eu realmente não entendo isso. Tu é muito amorzinho, cara. Cê fez algo pra ela? 

— Não, não. Eu acho que não. Eu terminei com ela por que ela me traiu. — me sentei em um dos bancos que ficavam na frente da escola, próximo a um playground. Dom me acompanhou.

— Errado você não tá. — Dom riu de novo. Ele é todo sorridente. — Eu faria o mesmo nessa situação. Ela me disse sobre isso que aconteceu. Rosé disse que "pensou com a xota". — eu ri. Dom fala de um jeito até engraçado. 

Dom! Onde você estava garoto?! — Rosé surgiu de dentro da escola, praticamente berrando com o gringo ao meu lado. — Eu te procurei o prédio inteiro! Custa mandar a porra de uma mensagem e falar onde você tá?

— Relaxa, guria. Eu estava aqui trocando uma idéia com o Jimin. Que é muito gente boa, pra sua informação.

Eu observava quieto o casal, que estava começando a discutir. Dom, estava calmo e respondia o interrogatório da namorada com toda serenidade do mundo.  Eles dois se afastaram de mim aos poucos, indo para um lugar mais reservado — eu acho. Antes de ir para qualquer lugar, Dom acenou para mim e abraçou Rosé por trás, acalmando a fera. 

Eu ri sozinho. É até fofo. 

Poucos minutos depois eu vi Jin, que sorria muito. Eu corri até ele e o abracei, com todo cuidado do mundo. Jin já tem aquela barriguinha. É bem fofo. 

— Hyung! — eu sorri e dei um beijo na sua bochecha. — Está tão bonito.

— Sempre fui — Jin riu, fazendo eu rir também. Ele tem uma risada engraçada.

Jin disse que ele havia chamado um táxi, e que o mesmo já estava nos esperando. 

{•••}

— Omma, cheguei. — anunciei, e deixei a mochila no sofá.

Depois de Jin entrar, eu fechei a porta e o levei comigo até a cozinha. Minha mãe está lá, com Jungkook rindo de algo.

— Oi — ela sorriu e bebeu um pouco do líquido que tinha em sua xícara. — E quem que é esse? É seu amigo? — assenti, e trouxe Jin para o meu lado, já que ele estava atrás de mim [todo envergonhado, provavelmente]

— Omma, esse é o Jin hyung. Ele é um amigo meu lá da escola. — ela assentiu, enquanto encarava o mais velho à minha frente. Jungkook sorriu e aenou pra ele. 

— Seokjin? — omma perguntou e eu franzi o cenho. Como que ela sabe de Jin?

— Isso mesmo. Como sabe? — Jin perguntou, quase que lendo minha mente 

— Jungkook falou sobre você. — ela sorriu e olhou pra Jungkook. — E também disse que talvez você e o Taehyung estejam se pegando

O Kim corou. Minha mãe é bem sem filtros às vezes. Ignorem esse fato. Jungkook também está levemente corado.

— Omma… — eu soltei uma risadinha, de nervoso, certeza — Eu vou subir com o Jin, ok?

— Não, não, não. Ele fica e você vai tomar banho. Tá podre, Jimin. Deixa eu conversar com seu amigo um pouco. 

Jin apenas observava quieto, e eu fui tomar banho, sem questionar minha mãe. Deus me livre do que ela pode fazer.

{•••}

A figura da garota se aproximava. Sentia meu coração acelerar de uma forma avassaladora. O desespero tomava conta de mim.

Ela sorriu, enquanto segurava o boneco de pano nas mãos. Ela esperou um alfinete no braço do mesmo, fazendo com que Yoongi se contorcesse ao meu lado. Tentei me aproximar, mas não consegui, como se houvesse uma barreira nós separando.

Roseanne riu em divertimento. Gritei, mas som algum saía. Ouvi um barulho alto, quase ensurdecedor. Um líquido quente e viscoso começou a escorrer sobre minha cabeça. No momento eu soube de quem era. Suga.

As lágrimas rolavam por meu rosto. Rosé abriu a boca, e dela saiu besouros que começaram a comer o que restava do Min. 

Olhei para minhas próprias mãos. Estavam sendo tomadas por uma coloração acinzentada. A garota deu um passo em minha direção, apontou uma tesoura para o meu rosto. Não conseguia respirar. Não conseguia me mexer…

Acordei em um sobressalto. Segundos depois minha Omma veio ao meu encontro. Parecia assustada.

— O que houve? — segurou meu rosto, que era banhado por lágrimas.

Meu peito subia e descia rapidamente. Era só um pesadelo.

— O-onde está o Jin? E o Jungkook?

— Eles já foram, meu bem… — disse em um tom de voz tranquilizador — Você saiu do banho e acabou dormindo. Eu fiquei assustada quando o ouvi gritar. Achei que tinha acontecido algo…

— Não se preocupe. Era só um sonho — disse, por mais que eu mesmo estivesse com medo. Será que havia acontecido algo com Yoongi? 

— Tudo bem. Eu vou voltar para a sala. Se precisar de algo, me chame — avisou, saindo do quarto.

Peguei meu celular que estava sobre a cômoda. Disquei o número de Yoongi. Caixa postal. Tentei mais três vezes, mas ele não atendeu. Respirei fundo. Não se preocupe, Jimin. Está tarde. Ele deve estar dormindo. É. Deve ser isso.


Notas Finais


Será que o Yoon tá mesmo bem??
Favorite se gostou e comente pra me ajudar :)
Um beijo na tua bunda


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...