1. Spirit Fanfics >
  2. Diário de um Prostituto >
  3. (In)diretamente

História Diário de um Prostituto - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


eu tive que reescrever TUDO
pq eu perdi o fucking capítulo


boa leitura meus consagrados

Capítulo 6 - (In)diretamente


Fanfic / Fanfiction Diário de um Prostituto - Capítulo 6 - (In)diretamente

↺Sandy POV↺

Estava tudo ótimo, depois que eu me mudei, parecia que tudo era um sonho, um sonho que eu não queria que acabasse nunca, já que aquilo era a melhor coisa da minha vida.

Pois é, infelizmente acabou quando escutei Nita me chamando.

Merda...

⁕⁕⁕⁕⁕

-Sandy!- Nita gritou desesperada, e depois começou a me bater com uma almofada.

-Que foi? Se acalme!- Perguntei e me sentei na cama, tentando abir os olhos, já que o sono não deixava de maneira alguma.

-Nós já estamos atrasados pra Feira de Biologia!- Ela falou e começou a me chacoalhar pra frente e pra trás, enquanto eu bocejava repetidamente- Pegue seu jaleco na cadeira da cozinha e se troque, tente não se atrasar!- Ela continuou gritando, até que uma hora ela saiu do meu quarto e eu fui me trocar.

Quando me levantei, percebi que meu diário estava aberto e jogado no chão. Vi que não tinha nada escrito, então fui virando algumas páginas e olhando atentamente; Não tinha nada, então tudo realmente foi um sonho.

-Mas como é possível? Eu juro que aconteceu!- Fui correndo para o banheiro, e vi o papel da pílula abortiva em cima da pia, o outro frasco estava no armário.

A resposta pra isso era simples: Tudo aconteceu, mas ao mesmo tempo, tudo foi uma ilusão minha.

Eu já não sabia mais se a causa era que eu precisava de amor, ou se era por quê eu realmente estava gostando do Leon, por mais que eu o conheci há 1 semana.

Me troquei normalmente e fui me encontrar com Nita na recepção do condomínio. Quando eu estava na entrada, vi ela do lado de fora falando com alguém pelo celular, e o desespero já era bem notável.

Saí, coloquei minha mão no ombro dela e ela me viu, me deu um sinal com a mão e eu já sabia o que era. Esperei um tempo até a chamada acabar, logo ela desligou o celular e olhou pra mim com raiva.

-Da próxima vez, eu juro pra você, que eu vou jogar um tijolo no meio da sua testa- Ela colocou a mão na testa e olhou pra mim com um desprezo indescritível- Eu fiquei exatamente 20 minutos tentando te acordar, e você não respondia de maneira alguma!- Percebi que Nita tentava não gritar, o que era um pouco impossível.

-Nita, relaxa, o Sandy termina a parte dele do trabalho, e nós vamos ganhar os 20 pontos que precisamos, ok?- Jessie surgiu de repente e abraçou Nita pelas costas, tentando acalmar a mesma, que em poucos segundos, se virou e retribui o abraço.

-Ok, mas da próxima vez, eu mato ele- Comentou, se acalmando aos poucos- Vamos entrar, meu pai vai nos levar para a faculdade, e então, nós terminamos o trabalho.

Nós entramos no carro, e ficamos em silêncio, mas ele foi quebrado quando escutei o homem que estava dirigindo falar.

-Bom dia! Como vão?- Vi o homem moreno olhar para nós com um sorriso radiante, e eu realmente, achei esse homem muito bonito.

-Bom dia Brock! Estou bem, e você?- Jessie respondeu, e eles começaram a rir um pouco (achou q era o Bo né ksksk).

-Estou bem também! Muito obrigado pela pergunta!- Brock sorriu de novo, dessa vez mais alegre ainda.

-Pai, você poderia nos levar para a faculdade?- Nita perguntou, e foi direto para o banco de passageiro da frente.

-Claro que sim filhinha!

↺Quebra no Tempo↺

-Sandy, pega a planta ali no canto pra mim?- Bea perguntou, enquanto colocava água em uma vasilha pequena.

-Claro- Fui pra perto da porta pegar a planta, mas eu tropecei em uma mochila que estava no chão, e por azar, a porta estava aberta. Eu já sabia que eu iria cair no chão e ficar com a testa roxa, mas na mesma hora, senti duas mãos em mim, e quando olhei pra cima, vi o Leon.

-Tudo bem?- Ele deu um sorriso ladino e olhou pra mim, eu levantei e fiquei mais vermelho que uma pimenta.

-Obrigado...- Eu fiquei muito corado e coloquei minhas mãos no rosto.

-Maninho, o que você vai fazer?- Nita perguntou e chegou mais perto dele, tirando as luvas e jogando no lixo, junto com a máscara que estava usando.

 -Eu só estou responsável pela decoração da escola, talvez depois eu ajude a Piper com os lanches no refeitório- Ele respondeu e encostou na porta, eu saí dali e fui pegar a planta.

-Hey Sandy, eu tô sabendo tá?- Bea olhou pra mim com uma cara perversa e começou a rir baixo.

-Sobre o que?- Eu fiquei um pouco intrigado, já que nem eu sabia sobre "isso".

-Deixa eu adivinhar, você gosta do Leon né?- Ela falou em um tom de voz baixo, e depois começou a rir de novo.

-E-eu? N-não sei sobre o que você está falando...- Cocei minha nuca e corei mais um pouco- Aliás... eu acabei de conhecer ele, e ele já deve ter namorada...- Infelizmente, é a verdade da vida.

-O que tem se você acabou de conhecer ele? Se você ouve seu coração dizendo que você gosta dele, então quer dizer que ele pode estar certo!- Ela continuou sussurrando, enquanto Nita e Leon ficavam conversando na porta da sala.

-Mas, talvez ele pode estar errado...- Eu disse em um tom um pouco triste- Nem sempre o coração acerta, e na maioria das vezes, dá em merda...- Comentei de novo.

-Sandy... de um jeito ou de outro, eu vou te ajudar!- Bea falou e segurou minhas mãos- Eu tenho certeza que seu coração não errou, já que eu conheço o Leon, e sei que ele é uma ótima pessoa!- Ela apertou minhas mãos e começou a lacrimejar, puta que pariu, eu vou amputar minha mão depois disso.

Eu não sabia o que responder, se eu dependesse de Bea pra isso, então já estaria tudo uma merda!

Nesse meio tempo de 1 semana que eu conheci Leon, eu consegui descobrir várias coisas sobre ele, e ele sobre mim.

Como eu comecei a gostar dele, sendo que faz pouco tempo que nós conversamos?

Nita veio correndo em nossa direção, pulando de alegria, como se alguma coisa tivesse acontecido com ela; e eu estava certo, alguma coisa realmente tinha acontecido.

-Sandy~- Ouvi ela sussurrar no meu ouvido, e depois me empurrar bruscamente até a porta- Só segue o Leon, depois nós conversamos- Eu não tinha outra opção a não ser aceitar, se não ela me partia no meio.

Eu só obedeci ela e fui andando, percebi como Leon olhava pra mim sorrindo, mas eu não sabia o que fazer, então apenas ficava sorrindo de volta.

-E então Sandy... qual foi seu sonho hoje?- Ele começou com um assunto de foder, e eu nem sabia o que responder.

-...- Corei e não consegui responder, mas vi que ele parou de andar e me olhou fixamente nos olhos (de novo).

Eu juro que vou explodir.

-Pode me contar, nada acontece- Ele sorriu, pela milésima vez, e fez eu corar mais ainda.

Entendi o por quê todas as meninas gostam dele, agora a batalha iria durar até alguém conseguir conquistar Leon; era eu contra milhares de garotas.

-Não quero desviar do assunto mas... por quê a pergunta?- Perguntei e comecei a suar um pouco.

↺Leon POV↺

Pensa rápido... o que eu posso falar pra ele?

-É que sabe... às vezes, dependendo do seu sonho, ele pode acontecer! E também, eles te ajudam a dormir melhor...- Ok, essa foi uma das piores desculpas que eu já inventei, mas eu quero ver se aconteceu a mesma coisa com ele.

-Bem... eu sonhei que um cara foi no meu quarto... e ele me ajudou por quê eu estava doente- Percebi como ele estava com receio de me contar, e por mais que eu perceba que ele estava mentindo, eu apenas quis continuar escutando- Aí nós viramos amigos!- Reparei a felicidade nele, e por coincidência, eu sonhei a mesma coisa, só que o Sandy era quem estava passando mal.

Papo vai, papo vem, chegamos no refeitório, e vi Piper tentando colocar um enfeite na luminária, só que ela estava ameaçando cair daquela escada; e por fim, ela caiu. Por sorte, Rico conseguiu chegar a tempo e pegar ela no colo, eu só comecei a rir.

-Parece que a professora de português estava precisando de uma ajudinha, né?- Rico, o professor de Geografia, riu e colocou Piper no chão, logo dando um tapa fraco no mesmo.

-Não precisava... eu só estava terminando de arrumar a decoração, e até agora o Leon não chegou pra me ajudar!- Na mesma hora, eu fiquei do lado dela e coloquei minha mão no seu ombro, que fez ela pular no colo de Rico de novo.

-Que foi? Viu algum filme de terror?- Comecei a rir e vi que Sandy também, mas ela saiu do colo dele de novo e ficou na minha frente, com uma cara de nervosa.

-Da próxima vez, pedirei ajuda pra Penny, se você continuar com esse seu comportamento de moleque- Comecei a rir de novo, mas dessa vez eu estava quase chorando- O que você está fazendo? Vá ajudar Pam com a comida logo!

-Se você pedir com mais educação, eu posso ir.

-Você poderia, por favor, ir ajudar Pam com o lanche?- Ela cruzou os braços.

-Bem melhor! E sim, eu vou ajudá-la.

↺Quebra no Tempo↺

Enquanto eu terminava de encher os copos com bebidas, vi Sandy terminando de decorar os donuts, mas ele parecia meio... cabisbaixo.

-Tudo bem Sandy?- Perguntei e fiquei ao lado dele, quando percebeu que eu estava ao seu lado, corou um pouco e olhou pra mim.

-Sim... eu só estava terminando aqui, já terminou sua parte?- Ele perguntou e colocou o saco de confeites em cima da bancada.

-Já, eu só vim perguntar de você estava bem, pois parece que você está triste...

-Eu só lembrei de uma coisa, nada muito importante.

-Se você diz...- Tirei minha touca e joguei ela no lixo- Essa touca incomoda muito, meu Deus...- Vi Sandy rindo e jogou as luvas no lixo.

Quando fomos sair, vi que Sandy tropeçou em uma lata no chão, segurei ele no meu colo, no estilo princesa, e logo coloquei ele de volta no chão. Percebi como ele corou, então eu corei junto, já que aquilo foi meio embaraçoso.

-D-desculpa, não tinha visto isso aqui...- Ele pegou a lata no chão e jogou no lixo.

-S-sem problemas, acontece- Dei um sorriso tímido, e ele sorriu de volta.

Saímos do refeitório e eu fui pro corredor terminar os enfeites junto com Piper. Já não sei o que Sandy foi fazer, mas provavelmente iria terminar seu trabalho junto com as meninas de sua sala.

↺Sandy POV↺

Que porra tinha acabado de acontecer? Pela segunda vez, o Leon me pegou no colo, um abraço indireto, eu diria.

Na volta pra sala, me deparei com vários professores no corredor, entre eles, Eugênio, o professor de história.

-Hey Sandy, podemos conversar?- Ele chegou perto de mim e perguntou. Eu apenas assenti com minha cabeça e segui ele até a sala dos professores.

-Sobre o que você queria me falar?- Perguntei e me sentei no sofá.

-Bem... é uma coisa sobre sua família...

-Pode falar, eu não me importo muito, só depende mesmo...- Eu disse e me levantei pra pegar um pouco de água.

-Você sabe por quê Luya te mandou vir conversar comigo?- Ele perguntou e começou a brincar com seus dedos de forma nervosa.

-Não, mas eu só obedeci.

-Bem... eu sou seu avô...

Deixei meu copo cair no chão e fiquei com meus olhos arregalados, só virei e olhei para o Eugênio, por mais que ele estivesse de costas para mim. Se ele realmente era meu avô, eu posso saber tudo que aconteceu desde o início!

-Sim, eu sou seu avô. Antes da sua mãe morrer, me pediu que eu contasse isso para você apenas quando você fizesse 19 anos. Eu só te achei esse ano, já que eu não trabalhava aqui antes... Me desculpa por essa bagunça, eu só não queria te botar tanta pressão assim por causa da sua família- Ele falou e ficou ao meu lado, colocando sua mão sobre o meu ombro.

-Se você estava no dia que eu nasci... a culpa foi minha por Tara ter morrido?- Perguntei neutro, e me virei para olhar Eugênio.

-Você nunca fez nada... a culpa sempre foi do Mortis.

Eu já desconfiava, eu não poderia ter matado minha mãe!

Escutei o sinal, e saí dali correndo, mas antes de sair, senti Eugênio segurando meu pulso.

-Lembre-se que eu vou estar aqui para o que você precisar, é só me chamar para o que precisar- Ele sorriu e eu sorri de volta, então saí correndo de volta pra minha sala.

Chegando lá, só me deparei com Nita, que esticou seu braço e me deu meu jaleco.

-Daqui a pouco eles vão liberar a entrada para todos lá fora, quando entrarem, espero que você não trave para falar na sua vez- Enquanto eu lia meu papel, respondi Nita.

-Se você continuar botando pressão, não conseguirei falar né?- Falei em tom de deboche, e ela entendeu o recado.

-Eu tô muito animada, não consigo me acalmar!- Ela começou a dar uns pulos e a dar voltas pela sala, então escutamos a porta sendo aberta.

↺Quebra no Tempo↺

-Finalmente acabou! Já não aguentava mais ficar falando e fazendo a mesma coisa várias vezes!- Bea reclamou e se sentou em uma cadeira, deitando seu rosto na mesa.

-Para de reclamar! Isso foi tão legal!- Jessie falou e deu um giro, logo sentando na cadeira e limpando o suor em seu rosto.

Pam entrou na sala com uma bandeja de donuts, entregando um para nós quatro, vi Leon atrás dela com uma bandeja de suco, me entregou um e para as outras meninas também.

-Então maninha, como foi o trabalho?- Leon perguntou para Nita, que bebeu o suco de uma vez só.

-Eu até que gostei, já que os experimentos com aqueles frascos e plantas foram descobertas novas pra mim!- Ela disse com animação, e então abraçou Leon, que a abraçou de volta.

-Que bom maninha!- Ele falou feliz e fez um carinho na cabeça dela.

Ficamos todos conversando por um bom tempo, e deu para eu me aproximar de Leon, de amigos, fomos para melhores amigos, e eu gostei, já que ele era legal.

Depois de um tempo conversando, senti uma pressão na minha barriga, e eu já sabia o que era. Saí dali correndo e fui direto para o banheiro, me tranquei lá e fiquei.

E se me perguntarem: "O que aconteceu"?

Eu respondo...

Meu cio chegou

Continua...


Notas Finais


Ficou uma merda, mas né? XD

Esclarecimentos:
-Tudo que aconteceu era um sonho
-Brock é um dos pais de Nita e Leon
-Aquilo era uma "feira" de Ciências variadas
-Piper é a professora de português
-Rico é o professor de Geografia
-Pra quem não entendeu, isso é um Omegaverse

Flw! ^^
(erros de português?)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...