História Diário de um trans - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Colegial, Heterossexualidade, Transexualidade
Visualizações 44
Palavras 362
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Ficção Adolescente, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 11 - Capítulo não sei


Voltei da viagem quarta, esse capítulo era pra sair quinta mas a preguiça não deixou.

Tudo o que deu na viagem:

Na viagem de fim de ano. 06/11/2017

Eu e o Léo colocamos água no Dispenser de água e caiu na Lana, chegou a cair no total uns 4 litros

Tinha uma menina que não parava de cagar, a Ranya, ela não deve ter mais intestino

A Júlia caiu, tombo feio que derrubou o lixeiro e caiu tudo de dentro, caiu até milkshake no tênis do meu amigo, kkkkk

Eu e o Patrick passamos mal indo na cascata véu de noiva, Patrick colocou sal invés de açúcar no chá

No shopping pegaram 6 bichinhos de pelúcia na quelas máquinas.

A gente levou JBL e acordamos os cara que tavam dormindo com gemidão do zap, me acordaram da mesma maneira. Triste demais.

Jogamos um jogo de desafios, passamos umas 3 horas jogando aquela porra.

Comprei uma brusinha no shopping de Lages. 

Fomos na Renner e votamos no insatisfeito na pesquisa de satisfação.

Fiz um texto durante a viagem (não fiz ele pra ngm, hehehe)

É tão difícil deixar de gostar de alguém, esquecer, deixar pra lá, virar a página. 

É difícil arrancar do coração um sentimento tão puro, dizem que o tempo cura tudo, que é só deixar passar, como tem que ser, que você acaba por esquecer. Talvez seja assim, talvez só tenhamos que deixar passar os dias, como se nada tivesse acontecido, tentar esquecer aos poucos o que dissemos um dia, ser inesquecível.

Dizem que o tempo faz, cicatrizar as feridas, pode até ser, na verdade, não pode ser, não é assim que funciona, o tempo nunca curou nada, e nunca vai curar...

Você esquece só esquece quando quiser e se quiser. Você escolhe esquecer ou sofrer, e pra falar a verdade, é tudo muito complicado. Você escolhe esquecer e sofre a cada tentativa frustrada, então você resolve deixar como está e sofre do mesmo jeito. Por que nossos pensamentos nos traem.

Não sei muito bem como tudo isso acontece, você nunca esquece alguém, apenas deixa de gostar. É como uma música que você deixa de gostar, não a canta mais, você a exclui do celular, mas as vezes, sem perceber se pega cantando o refrão.



Notas Finais


Como prometido
Dedico my life ao meu amigo aCrazBoy
Te venero


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...