História Diário de uma fã - Capítulo 49


Escrita por:

Postado
Categorias Shawn Mendes
Personagens Shawn Mendes
Tags Ídolo, Romance, Shawn Mendes
Visualizações 725
Palavras 1.233
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 49 - Capítulo quarenta e nove


Foi com os pensamentos completamente distantes que passei toda a viagem até o aeroporto de Vancouver, e aos poucos, meu coração se aquietava dentro do peito. Não sei quanto tempo demorou até pousarmos, mas já estava sentindo meu estomago doer de fome. As borboletas finalmente haviam me dado alguma trégua para comer. John me entregou a mala e disse que eles ainda ficariam ali no aeroporto por mais algum tempo. Agradeci a eles e me encaminhei para fora da pista a procura de alguma lanchonete. Mas assim que passei pelo portão encontrei Brice – deduzi pela plaquinha com o meu nome – à minha espera. Ok, comeria uma outra hora. O rapaz era jovem e alto, aparentava ter vinte e três anos no máximo e muito falante.

Ele carregou a minha mala até o carro e no caminho foi me falando sobre a cidade e sobre a sua vida. Eu sorria as vezes, balançando a cabeça nas horas certas e ele pareceu nem reparar que eu mal havia dito meia dúzia de palavras. Pelo que percebi, ele não sabia que era Shawn quem o havia contratado, pois trabalhava em uma empresa de táxis na cidade.

Penso que andamos uns quarenta minutos de carro até ele estacionar em frente a um grande hotel, que parecia ser muito bem localizado. Brice pegou a mala para mim e assim como Christina desejou que eu me divertisse e me entregou um cartão caso precisasse ir a algum lugar. Assim que entrei no hotel fui direto para o balcão na recepção, a onde estava um senhor atarracado e de bigodes falando ao telefone. Enquanto esperava comecei a reparar o hotel. Era extremamente elegante, todo decorado em cores claras. Havia aparadores com vasos repletos de flores por todos os cantos. Dois sofás terracota e várias poltronas com uma mesa de centro sobre o grande tapete marfim. Apenas uma das paredes era vermelha, a onde estavam três grandes quadros de arte abstrata. Fiquei olhando fascinada o grande lustre pendurado no meio do saguão, sempre gostei de lustres, achava que dava um toque sofisticado ao ambiente.

— Posso ajudá-la? – O homem na recepção perguntou tirando-me da pequena distração com o lustre.

— Eu gostaria de falar com a Heather.

— Hóspede?

— Isso.

— Sabe o número do quarto?

— Não.

— Só um minuto. – Ele disse enquanto verificava no computador – Qual o seu nome?

— Luiza. – Ele pegou o telefone e discou algum número.

— Uma garota chamada Luiza está aqui embaixo querendo falar com a senhora. Ah sim. Ok, obrigado. – Ele desligou o telefone. – Ela já está descendo. – Acrescentou para mim.

— Obrigada. – Disse e me sentei em uma das poltronas para esperá-la descer. Peguei uma revista que estava em cima da mesa de centro e comecei a folheá-la sem prestar atenção no que dizia. Até que meus olhos caíram em uma pequena foto entre as páginas, de um rosto muito conhecido de todos os meus devaneios, o rosto do meu ídolo. Sorri involuntariamente ao vê-lo ali e senti novamente o frio na barriga ao pensar que em algumas horas ele estaria na minha frente ao vivo e a cores, como uma réplica perfeita do melhor dos meus sonhos. Eu já deveria esperar encontrá-lo ali, pois Shawn estava em praticamente em todas as revistas que eu olhava. Nem que ao menos citassem o seu nome ou colocassem um pôster seu como jogada de marketing, mas sempre havia um pouco dele em todo lugar. Eu me lembro da secretária do dentista que sempre me falava quando chegava alguma revista em que ele estava, e eu tinha centenas delas em casa.

Procurei a capa da revista em minhas mãos, olhando o nome e gravando-o mentalmente para procurá-la quando voltasse para Whitby e então comecei a ler a matéria. Mas era pequena e falava apenas do seu estilo musical.

Estava lendo a matéria pela segunda vez quando avistei a Heather saindo do elevador e parando na recepção. O senhor de bigodes apontou para mim e eu me levantei colocando a revista de volta na mesinha e indo até ela.

— Oi. – Ela disse sorrindo abertamente. – Você deve ser a Luiza!

— Sou eu. – Disse me contagiando com seu sorriso. – E você deve ser a Heather. – Brinquei.

— Sou eu. – Ela disse também em tom de brincadeira. Fiquei na dúvida se ela lembrava de mim da festa em Oshawa, mas resolvi não perguntar. – Chegou faz tempo?

— Não, acabei de chegar do aeroporto.

— Ah sim. Tem um quarto reservado no nome do Shawn. – Ela disse para o senhor na recepção.

— Mendes? – Ele perguntou surpreso e seus olhos automaticamente caindo para mim, me deixando envergonhada.

— Isso. – Ela disse normalmente.

— O trezentos e onze ou o quatrocentos e quinze? – Ele perguntou enquanto mexia novamente no computador.

— O trezentos e onze.

— Ok. – Ela assinou um papel e ele a entregou um cartão correspondente ao quarto enquanto pedia para um rapaz parado no outro canto do saguão levar a minha mala.

— A manhã foi tão corrida nem consegui almoçar ainda. – Ela disse para mim.

— Eu também não comi nada. – Mas obviamente por outro motivo.

— Eu estava indo para lá agora. Quer me acompanhar?

— Eu adoraria. – Disse sinceramente e ela sorriu.

— Que bom, porque eu detesto almoçar sozinha. – O rapaz levou a minha mala até o quarto e eu acompanhei Heather até o restaurante do hotel. O lugar era grande, assim como o saguão completamente elegante. Todo decorado em cores claras, com várias mesas e cadeiras acolchoadas nos tons de palha e verde musgo. Os pratos e talheres perfeitamente organizados na toalha marfim e as janelas grandes com lindas cortinas tomavam todo o lado esquerdo onde nos sentamos. Estava vazio, exceto por três pessoas conversando em uma mesa há uns seis metros, pois já era tarde e o horário de almoço já havia terminado. Mas ainda assim fomos servidas com total eficiência. Heather pediu salada, peito de frango grelhado e suco de laranja e eu a acompanhei no pedido. E passamos o almoço conversando. Ela me contava sobre os shows, às surpresas que estavam preparando para o dia seguinte e sobre um pouco da sua família.

Ela me disse que Shawn não havia definido um tempo quando reservou o quarto e que eu poderia ficar para o show se quisesse. Expliquei mais ou menos para ela que não seria possível por mais que quisesse muito ir e ela pareceu entender. Ela começou a me contar coisas que fazia quando tinha a minha idade, o que nos ocasionou boas risadas enquanto comíamos. Heather era contagiante, de uma simpatia incrível e uma beleza estonteante. Com seus olhos brilhantes e acolhedores, ela me passava uma ótima sensação de bem-estar e parecia que já nos conhecíamos há anos, pois quando percebi já estava falando mais do que havia falado a semana inteira.

Apesar de ter Guilherme, eu sentia falta de ter uma amiga para conversar coisas de mulheres, coisas que ele jamais entenderia. Ainda tinha a Christina, mas era raro as vezes que Frederico deixava-nos sozinhas. E ali com Heather eu estava me sentindo completamente à vontade.

Ficamos mais algum tempo ali conversando e então subimos para o quarto. Heather me conduziu até a porta do quarto e me entregou o cartão.

— Qualquer coisa que precisar é só me chamar, eu estou no trezentos de vinte.

— Ok, obrigada. – Agradeci sorrindo.

— Obrigada por me fazer companhia no almoço.

— Foi ótimo almoçar com você. – Disse sinceramente. Ela sorriu e saiu enquanto eu encarava a porta de número trezentos e onze.


Notas Finais


No próximo a gente já descobre o que o Shawn está aprontando. Quais são as apostas de vocês? Me contem nos comentários! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...