História Diário De Uma Garota Depressiva - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Depressão
Visualizações 57
Palavras 2.084
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Ficção Adolescente, Hentai, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura <3

Capítulo 8 - Página 8 - Livre, finalmente -


Fanfic / Fanfiction Diário De Uma Garota Depressiva - Capítulo 8 - Página 8 - Livre, finalmente -

As vezes pode-se haver um novo caminho para você, basta não desistir de encontrá-lo.

Emilly Jonhson


Queridas Borboletas.


Digamos que eu finalmente posso dizer a vocês que hoje, apesar de alguns ocorridos, o meu primeiro dia de aula como uma suposta namorada de Jimmy foi... Tranquilo? É, talvez sim, talvez esta seja a palavra na qual eu nunca tive o prazer de pronunciar, mas que hoje pôde fazer parte do meu dia. E confesso que chega a ser bastante estranho dizer que eu finalmente pude ter o prazer de me sentir segura naquele colégio, mas segundo meu "namorado" eu terei que me acostumar com esse novo sentimento.

– Jimmy... — Pronunciei baixo enquanto o olhava, tentando entender o que estava acontecendo naquele momento, já que o mesmo se encontrava segurando em minha mão. — Por que... — Fui interrompida.

– Tenta agir naturalmente, ok? — Ele respondeu minha pergunta com outra dessa vez enquanto entrelaçava nossos dedos. Acenti desconfiada. — A partir de hoje nós somos namorados, então vamos ter que agir como tals, não acha? — O mesmo sorriu num tom divertido, logo dando o seu primeiro passo até a entrada do colégio e consequentemente me arrastando junto dele. Ao nosso redor, a única pessoa que nos observava no momento era Sr. Kim que demonstrava uma feição bastante satisfeita com o que via – algo um tanto novo vindo de sua parte. Apesar de estar na presença de Jimmy, naqueles segundos o que eu mais queria era que JungHee tivesse faltado, claro, eu não pretendia ter que encontrá-la estando de mãos dadas com o seu ex-namorado, muito menos sendo ela a garota que mais me odeia naquele colégio.

Eu e Jimmy já havíamos passado pelo grande portão e por esse fato já era possível ver e escutar várias pessoas comentando sobre a nossa atual situação. Tentei esconder meu rosto ao máximo para que não me reconhecessem, mas era impossível, eles já haviam me identificado apenas pelo moletom que no momento se encontrava em minha cintura. Aish! Eu deveria ter o colocado em minha mochila. Aliás, esqueci de comentar que Jimmy me obrigou a usar roupas sem mangas, o que de fato estava me deixando bastante desconfortável.

– Essa não é aquela tal amiga da garota que se matou? — Uma ruiva questinou para sua amiga que me observava de forma indiscreta, provavelmente tentando ter melhor visão do meu rosto.

– Sim, é ela. — Sua amiga respondeu indignada.

– Aish, como foi que o Jimmy oppa teve coragem de trocar nossa unnie por essa garota? Nunca pensei que ele tivesse tanto mal gosto.

Mesmo com todos aqueles comentários Jimmy continuava a segurar em minha mão e conforme nós andávamos, mais pessoas iam se acumulando ao nosso redor, até que eu pude sentir meus olhos lacrimejando por conta de toda aquela pressão e fazendo com que todos começassem a rir. Estúpida. Não sei se vocês perceberam, mas esse é um mal que carrego comigo, um que me ajuda bastante a não conseguir me socializar com as pessoas, apenas mais um motivo para que eu me isole cada vez mais de tudo e de todos. Eu também não entendo, mas é por esse motivo que não consigo me ter perto de tanta gente, principalmente com a quantidade que existia ali.

– Olha só, ela está chorando. — Um garoto comentou enquanto me apontava o dedo e ria da situação. Jimmy me olhou.

– Ash, o que aconteceu? Porquê está chorando?

– Não é nada. — Falei ainda tentando esconder meu rosto em seu braço. — Já vai passar. 

– Posso saber o que vocês estão olhando? — Jimmy falou num tom alto o suficiente para tomar a atenção de todos que me observava. Com isso alguns tomaram a iniciativa de se retirar e outros preferiram continuar como platéia. — Não ligue para eles Ashley, esse pessoal é só um bando de desocupados que não têm o que fazer da vida e ficam tomando conta do tempo dos outros. Vamos embora. — Ele me puxou até nossa turma, onde eu finalmente pude respirar sem que ninguém me julgasse por isso.

– Me desculpa, eu não queria acabar com a sua reputação. — Falei cabisbaixa. 

– A culpa não foi sua. Eu é que escolhi que você fosse minha namorada aqui dentro, então eu é que tenho que pagar por isso. Até porque você nem queria estar aqui. — Bom, por um lado ele tinha razão. — Não se culpe por nada, e tenta não dar valor ao que os outros falam, eles não te conhecem como eu e por isso não sabem o que dizem. — Como sempre, certo. Acenti.

O sinal tocou e todos os outros alunos entraram na sala. Como o esperado Jimmy pediu ao professor para que fizesse dupla comigo e assim foi feito, ele ja havia me dito que pediria por isso, então por esse motivo eu não me surpreendi e confesso que nós até que estávamos indo bem no trabalho de Geografia. Ele não aparentava ser um garoto inteligente, mas as aparências com toda certeza enganam, e como enganam, Jimmy foi o único que conseguiu me ajudar a compreender todos os assuntos na qual eu estava em dúvida. Um ótimo professor, não é atoa que é aluno destaque na maioria dos bimestres.

– Parabéns ao casal lá do fundo. — O professor comentou e todos os alunos nos olharam. — Vocês conseguiram tirar a nota máxima. — Por um momento olhei para o lado surpresa e Jimmy parecia não ver nenhuma novidade naquilo. Era óbvio. — Estão liberados, aliás, todos que já terminaram estão. 

– Vamos? — Perguntou me estendendo uma de suas mãos.

– Pode ir na frente, eu vou passar na enfermaria. — Falei colocando o moletom, que antes se encontrava em minha cintura.

– Mas... Os seus cortes já estão cicatrizando, não estão? — Falou quase que num sussurro para que os outros não pudessem escutar.

– Sim, eu não vou fazer curativos.

– Então?

– Preciso saber se a Srta. Lee está melhor. 

– Ué, ela está doente? — Perguntou preocupado.

– Sim.

– Ah, então eu vou com você.

– Tudo bem. – Saímos da sala, mas quando estávamos prestes a entrar na enfermaria quem eu menos esperava já se encontrava lá.

– Ora se não é o novo casalzinho do colégio. — JungHee falava num tom debochado e irritante, como o de costume. — Então foi por ela que você terminou comigo? — Falou dessa vez dando uma de suas gaitadas. — Eu esperava mais de você, Jimmy.

– Ela não é mesquinha como você, Hee. Você ao menos se importou com o seu pai quando ele estava no hospital.

– Pode até ser, mas ela não é ninguém. As pessoas só sabem o nome dela por causa da amiga que se matou, se não fosse por isso ela continuaria sendo algo invisível aqui dentro. E você sabe disso.

Eu preferia continuar sendo, acredite em mim.

– A única coisa que sei é que você não vale o que tem, pelo menos não mais.

– Claro que não, já viu o preço dos meus brincos? — Ela realmente havia dito aquilo?

– Ok, eu não vou discutir com você, nos dê licença, por favor.

Ela fez como ele pediu e se retirou de onde estávamos, mas ainda com seu sorriso debochado no rosto, e no momento, por incrível que pareça eu só conseguia sentir pena dela. Seu comentário havia sido estupidamente ridículo.

– Você está bem? — Jimmy perguntou, parecendo decepcionado com Hee e ao mesmo tempo aliviado por ela ter ido embora, assim ele não precisaria levar aquele "diálogo" mais à diante.

– Estou sim. — Respondi. Infelizmente aquele tipo de coisa era algo na qual eu já estava acostumada a passar, principalmente vindo da parte de Kim JungHee. 

No momento em que finalmente íamos entrar na enfermaria, um dos funcionários do colégio passou pela nossa frente.

– A Sra.Lee não está presente, ela teve que sair para cuidar de problemas pessoais. — Acenti e o mesmo se retirou.

– Ela não está? — Neguei com a cabeça. — Ah. Então que tal irmos lá para cima?

– Tudo bem, mas preciso ir ao banheiro. Você não vai comigo, vai? — Falei um tanto brincalhona, algo completamente estranho vindo de minha parte.

– N-não... Mas tem certeza que pode ir sozinha? – O olhei. — Digo, agora que você é alvo de metade do colégio?

– Ah, tenho sim. Não se preocupe.

Jimmy fez um sinal para que eu soubesse que ele estaria me esperando no lugar de costume, e eu apenas saí em direção ao banheiro que ficava a uns dois corredores de onde estávamos. Fiz o que tinha que fazer, e quando eu estava prestes a sair:

– Achou mesmo que iria escapar, vadia? — A mesma voz de alguns minutos atrás se fez presente em meus ouvidos, olhei pelo reflexo do espelho enquanto estava a molhar meu rosto, e só então pude perceber de quem se tratava. Dessa vez JungHee não estava sozinha. — Você vai pagar caro por ter tirado ele de mim, Ashley Park.

Fechei meus olhos, apenas esperando pelo pior, é, como sempre eu não sabia como reagir.

– O que pensa que está fazendo, Srta. Hee? — Quando eu já me encontrava encolhida aos pés das três garotas, uma outra voz bastante familiar tomou conta do banheiro feminino. Abri os olhos lentamente e então pude ter a visão de nossa diretora. — Então a garotinha estava certa sobre você. Saiba que estou decepcionada com suas atitudes. — Ela negou com a cabeça. 

– Não é o que a senhora está pensan... — Hee foi interrompida. 

– Como não? Eu estou vendo com os meus próprios olhos que você estava prestes a bater na Ashley. E se eu não tivesse chegado a tempo, não sei o que você teria feito a ela. — A mesma me ajudou a levantar. — Quero as quatro em minha sala. E sem questionários, por favor.

Fizemos como ela pediu e a seguimos.

– Srta. Hee, infelizmente nós temos acusações de agressão contra você. E eu acabei de presenciar uma cena que pode acarretar a sua suspensão. — Falou enquanto se sentava em sua enorme cadeira courina.

– Suspensão?? — Ela perguntou indignada. Continuei em silêncio esperando que me fizessem alguma pergunta.

– Sim, e dependendo da gravidade das situações a senhorita pode acabar sendo expulsa. — JungHee me lançou um olhar mortal, e por um momento pude jurar que ela iria me bater ali mesmo.

– Foi você, não foi? Foi você que me dedurou...

– Não Hee. Uma garotinha perdida entrou no colégio para pedir ajuda e acidentalmente viu o que uma criança na idade dela nunca deveria ter visto. E a senhorita acabou de se entregar, a partir de amanhã estará suspensa de vir ao colégio, por duas semanas.

– Aish! Está satisfeita, Ashley? — Continuei calada.

– E o que acontecerá conosco? — Uma de suas amigas resolveu perguntar, ela parecia preocupada.

– Também estão suspensas, chamarei os responsáveis das três para dizer o que irá acontecer. Agora podem se retirar. — Eu estava prestes a me levantar quando Sra. Choi me advertiu: — Menos você, Park. — Voltei à minha posição.

– Preciso que você me diga o que JungHee te fez. Srta. Lee me falou o que você tem passado por causa dela.

Ela não podia ter falado, ela prometeu...

– Eu... E'eu... Me desculpe Sra. Choi, mas eu não posso. — A mesma passou a me observar de forma confusa. — Eu não consigo. — Terminei minha última frase, dessa vez já cabisbaixa.

– E porquê não?

Como eu certamente não sabia responder àquela pergunta, optei por continuar calada, pois aquilo de alguma forma não estava me fazendo bem. Apesar de JungHee ter me feito coisas horríveis eu sentia que dedurá-la seria errado, ou simplesmente estava envergonhada de ter que falar pelo que já passei e mostrar o quão grande era a minha incapacidade de reagir em minha própria defesa. Arg, eu só queria que Emilly estivesse comigo naquele momento.

– Tudo bem, você não precisa falar nada se não quiser. Mas irei te fazer algumas perguntas e você terá me responder com "sim" ou "não". — Acenti, afinal, eu não tinha outra alternativa.

Sra. Choi começou com suas perguntas e eu optei por respondê-las de forma sincera, até que a mesma resolveu parar.

– Obrigado, querida. Me perdoe por qualquer coisa, eu irei tomar a melhor providência para isso, Srta. Hee será expulsa do colégio.

Eu não sabia ao certo o que estava sentindo naquele momento, não sei dizer se era um sentimento bom ou ruim por receber aquela notícia, talvez apenas um alívio. É, eu finalmente estava livre de Kim JungHee.


























Emilly se isso for um sonho, por favor não me deixe acordar.

Ashley Park <3.


Notas Finais


Espero que tenham gostado ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...