História Diário de Uma Staff - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bts, Staff
Visualizações 20
Palavras 3.269
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Olá! Nós somos o BTS!


Ainda sentido um pouco te fraqueza e dificuldade para respirar, Jeon Jungkook, conhecido por todos como JK, só pensava em dormir um pouco. A lida da Turnê pela América lhe derrubou logo de cara quando chegou ao Chile. Devido a altitude e o esforço empregado no primeiro show no Chile, JK teve problemas para respirar e a estafa corporal quase o derrubou. Porém, ele entendia que não poderia decepcionar os fãs pois não sabia quando iria voltar ao Chile. Os fâs esperavam que ele e os demais garotos do grupo estivem bem e com performances impecáveis.

O voo do Chile para o Brasil foi demasiadamente turbulento, apesar de ter caído no sono logo que sentou em seu assento, JK não teve um descanso tranquilo. A sensação de dificuldade para respirar ainda lhe incomodava, mas entendia que era mais psicológico do que de físico.

Durante a turnê, uma equipe estava gravando um documentário sobre os bastidores dos shows, suas rotinas nos hotéis, restaurantes e programas de TV. Assim que as câmeras se afastavam (porque por mais que tudo tenha sido gravado para mostrar de maneira fiel a intimidade dos garotos), a verdade sobre seus pensamentos e comportamentos pertenciam somente a eles. Por isso, sempre que tinha uma câmera ligada seus personagens (Suga, J-Hope, RM, V, Jimin, Jin e JK) tomavam a frente lembrando de suas responsabilidades de idols. As histórias contadas, as brincadeiras, os sorrisos não eram falsos ou ensaiados, mas narrados até onde se podia conta.

A rotina dos Garotos a Prova de  (BTS) era intensa e quase sem tempo para nada. Desde da estreia da turnê mundial no dia 18 de fevereiro de 2017 em Seul, havia muita expectativa em relação a performance ao vivo. Os garotos se prepararam meses para proporcionar aos fãs (aos quais respeitam muito) uma experiência única em cada apresentação. Pensamentos como “será que os fãs irão gostar? Será que me preparei o suficiente? E se eu errar a coreografia ou desafinar? O que os fãs esperam de nós?” eram frequentes, pois, os garotos sabiam da responsabilidade que tinham com seu público. Apesar de serem apenas garotos, a rotina de ensaios, sessões fotográficas, publicidades, aulas de canto e de dança, compromissos de divulgação, absolutamente tudo que poderia ser feito para dar suporte a eles no palco, ainda não era o suficiente para deixá-los cem porcento confortáveis, afinal sabiam do peso e da reponsabilidade que carregavam com o nome do BTS. Eles não podiam ser apenas bons, tinham que ser perfeitos.

Por isso, o condicionamento físico foi bem preparado para aguentar a rotina cansativa e interrupta da turnê mundial. Porém, mesmo com todo apoio e cuidado dos Staffs, a pressão em busca da superação pode causar stress e carga psicológica negativa. E os “Garotos à Prova de Balas” não estão imunes a isso.

Durante os shows no Chile, JK pois a prova que apesar de ter destaque por suas habilidades físicas e artísticas não era um super-herói como as pessoas achavam. Muitas vezes, de uma maneira ingênua, JK se achava assim também, afinal era apenas um garoto de 19 anos testando sua juventude. O que ele não contava era que a altitude e o esforço excessivo para dar seu melhor pudessem lhe mostrar o quanto ele também era humano e suscetível ao desgaste e cansaço físico.

JK è a voz principal do grupo na maioria das músicas e pensar que ele não poderia atuar em um show ao vivo era algo impossível de se conceber. E desde que sofreu o colapso físico, algo modificou em sua mente. Algo que lhe deixava nervoso e preocupado. Ele sabia que sua juventude não era o suficiente para lhe manter imune a nada e por mais que já tenha sentido antes a sensação de aflição ou medo, nada se comparava aquilo. Era diferente e novo. JK teve medo....medo por si e pelo grupo.

 

Apesar de JK ter passado por grandes provações, os outros membros do grupo também tinham seus fantasmas....Yoongi sempre preocupado em entregar boas músicas passava a turnê inteira com seu equipamento (quase mini estúdio) escrevendo e compondo músicas para o grupo e uma vez ou outra assombrado pelo desejo de se manter em forma. Jin que apesar de ser considerado o rosto bonito do grupo, possuía uma voz belíssima e que muitas vezes era ofuscada pelo título de Face do grupo. Hoseok que com suas performances era amado por muitos mas sempre duvidava de seu carisma, Taehyung que apesar de ser considerado o desligado e muito desatento era um dos mais rápidos para perceber e aplicar sugestões criativas, NamJoom que se dividia entre suas composições e sua performance de líder do grupo sempre se cobrava como poderia ser melhor com seus companheiros e fãs, e por fim Jimin que apesar de exímio dançarino, possuía seus fantasmas a respeito de suas performances ao vivo referente a sua qualidade vocal. Todos tinham seus medos e histórias não contadas. E isso pertencia somente a eles. A questão é como lidavam com seus medos?

Os garotos tinham acompanhamento psicológico e muito apoio dos Staffs que sempre estavam prontos para ajuda-los. Cada membro tinha seu Staff e sua função nada mais era que servir seu idol em todas suas necessidades, mesmo aquelas que eles nem sabiam que tinham. Os Staffs deviam estar sempre um passo à frente deixando os garotos apenas preocupados em atuar como idols.  

Quando os garotos tinham tempo livre, adoravam ler livros, escutar músicas, passear ao ar livre, sair para comer, encontrara amigos antigos de escola e jogas games (que no caso de JK era seu passatempo preferido). Apesar de amar passar tempo em batalhas virtuais, JK não sabia porque, mas não conseguia se concentrar em seu hobby preferido naqueles dias.

Mal sabia ele que sua história de vida seria atropelada por acontecimentos inesperados.

 

Ao chegar no Brasil a notícia de que o aeroporto estava tomado por fãs fez com que os garotos saíssem as escondidas em uma van pela lateral do aeroporto.

Já a caminho do hotel e após fazerem algumas gravações do documentário na VAN, Jin preocupado com seu irmão mais novo perguntou:

 

- Hei JK, você está bem?

O garoto respirou fundo, virou o rosto para o lado procurando algo na rua.

- Hei...esse é o jeito que você trata seu irmão mais velho?

- Deixe-o quieto. Ele passou por muita coisa esses dias. – Disse NamJoom.

JK continuava olhando para fora da Van com o olhar vazio, mas os pensamentos cheios.

- Eu só queria saber se ele estava bem. Ficou muito calado esses dias desde que passou mal no Chile.

- Ahhhh...será que podemos ficar uns minutos em silêncio só para variar. Quero dormir um pouco. – Resmungou Yoongi.

- Alê Alê Alê Alê....começou a cantar Hoseok fazendo maior festa com Jimin e Jin dentro da Van.

- Ahhhhh.....vocês parecem crianças. – Abaixando o boné que cobriu seu rosto, Yoongi tentou se desconectar do alvoroço de dentro da Van.

 

Os garotos gostavam muito de brincar uns com os outros e ao mesmo tempo respeitar quando um queria dormir ou precisava se concentrar em algo. Porém, a fome e o cansaço da viagem colocaram Jin, Jimin e Hoseok em um estado de euforia único. Ficavam cantando e executando movimentos engraçados dentro da Van o tempo todo enquanto Yoongi tentava tirar um cochilo, NamJoom lia um livro, Taehyung escutava música e JK continuava com olhar vago para fora da Van.

 

Assim que chegaram no Brasil, foram recebidos com uma deliciosa comida coreana o que trouxe um certo alento para o coração dos garotos que tanto amavam sua culinária natal. Os garotos realmente amavam o Brasil. Sempre que podiam elogiavam as fãs brasileiras e como elas demonstravam seu amor pelo grupo. Apesar de todos se sentirem amados nos dois shows que realizaram no Brasil, Hoseok sempre era o mais festejado pelos fãs devido sua alegria, espontaneidade e fofuras.

 

- Não entendo porque os brasileiros gostam tanto de mim – Dizia Hoseok repetidamente no camarim após sua performance de MAMA  com uma cara de satisfação e espanto ao mesmo tempo.

- Você viu? Você viu? – Chamando a atenção de Namjoom – Todos cantando a música...ahhhhh....me arrepiei todo. Ahhhhhh Brazil!!!!

- Brazil nunca me decepciona! Sabia que as ARMY brasileira não nos decepcionariam. – Disse Namjoom (ARMY é como os garotos do BTS chamam suas fãs).

 

Após o segundo dia de show, os garotos foram imediatamente para o aeroporto pois o voo de São Paulo para Nova York estava no horário. Para agilizar o embarque, parte da equipe já se encontrava no aeroporto providenciando tudo para que nada fosse esquecido. Dentre os membros da equipe, havia a sobrinha e o irmão mais novo do CEO da Big Hit, empresa responsável (dona) pelo BTS.

A garota aparentava seus vinte e poucos anos e o homem um pouco mais de trinta anos. Ambos muito bem vestidos já aguardavam na sala Vip os sete garotos para novas orientações sobre os próximos passos da turnê.

A garota, que era bem magra e muito, muito branca, comia esfomeadamente todos os aperitivos do buffet como se não comece a dias.

 

- Hei!!!  Sung Kyung!! Não acha que já comeu demais? Você pode ter uma indigestão.

- Axiiiii!!! Como o quanto quiser! E não é porque você é meu tio que pode mandar me mim.

- Ahhh! Que garota mal-educada. Meu irmão não soube lhe educar bem. Garota bonita, mas mal-educada. Isso é jeito de falar com seu tio ehh?

- Meu tio querido!!! – Disse a garota toda melosa e fazendo cara de crianças para o tio. – Não vejo a hora de chegarmos a Coreia e ver meu querido tio me pagando uma bandeja bem suculenta de Bulgogi (carne coreana).

- Axii! Sua cara fofa me derruba garota boba!!! Preciso conversar com seu pai a lhe ensinar boas maneiras.....

– Você sabe que uma garota bonita e magra como eu preciso ser cuidada e receber atenção. Você sabe como é difícil se manter bonita hoje em dia? Tenho sempre que andar na moda, fazer maquiagem, passar perfumes sofisticados, ahhhh.....como é difícil ser bonita...ahhhh!!!!

 

Apesar de estar conversando com Sung Kyung, Dong-sun não pode deixar de perceber a garota que entrou na sala Vip. Aparentava ter quase trinta anos, de cabelos aparentemente lisos, morena, um pouco acima do peso para os padrões coreanos, mas isso não impediu Dong-sun de reparar em seu rosto fofo de boneca.

Aparentemente a garota, filmava o ambiente e ao mesmo tempo falava com alguém no celular. Era estranho e ao mesmo tempo engraçado de se ver. Tão engraçado que várias vezes sorriu sozinho da situação. Dong-sun estava tão hipnotizado com a cena que não percebeu quando Sung Kyung foi ao banheiro. A garota que mais desfilava do que andava, assim que chegou ao banheiro perdeu toda a compostura e correndo para o box mais próximo, colocou o dedo na garganta e provocando o vômito pôs pra fora toda comida que havia ingerido. Mesmo sabendo, como aquilo era deprimente, sabia que assim se manteria linda, magra e dentro dos “padrões”.

Ainda provocando vômito com certeza de que nada ficaria em seu estômago, Sung Kyung ouviu alguém bater na porta do box o que lhe deixou bastante descompensada.

 

- Axiiiiii! Será que alguém não pode nem vomitar em paz. – Pensou a garota.

Vendo a pessoa insistia na porta do box, Sung Kyung rapidamente limpou a boca, pegou um batom na bolsa, passou rapidamente em seus lábios e como se nada tivesse acontecido abriu a porta do box e se deparou com uma mulher e dois pares de olhos arregalados.

– Eu não preciso da sua ajuda, com licença! – Disse em inglês e saindo do banheiro com a mesma elegância que entrou, Sung Kyung só conseguia pensar no quanto aquela mulher era feia, gorda e intrometida.

 

Assim que Yoongi, Jin, Jimin, Hoseok, NamJoom, Taehyung e JK chegaram ao terminal de embarque foram direcionados para sala Vip onde puderam descansar um pouco. Apesar de haver poucas fãs aguardando na entrada do embarque internacional próximo a sala Vip, a gritaria era tamanha que todos os passageiros que estavam dentro da sala ouviram e viram o tumulto. Assim que se acomodaram em sofás bem confortáveis, os garotos buscaram ocupar o tempo que faltava para o embarque mexendo no celular ou cochilando. Menos JK. O garoto não sabia porque, mas as lembranças do Chile ainda o atormentavam e ele sabia que não era o único a pensar nisso. Após o ocorrido, JK passou a receber atenção redobrada por parte dos Staffs. A todo momento alguém vinha lhe perguntar se estava bem, se queria algo, se lhe doía alguma parte do corpo...Passou a receber treinamento físico separadamente dos outros membros o que lhe deixou um pouco triste pois gostava de se exercitar com os companheiros de grupo. Ele sabia que tinha deixado seus companheiros e Staffs preocupados. Isso mexia muito com JK e a sensação de sufoco e o nó na garganta, estavam deixando sua cabeça ao ponto de explodir. Também tinha um leve enjoo no estômago que atribuiu ao fato de ter comido muito rápido no camarim antes de ir para o aeroporto.

Sabia que se informasse que estava com enjoo e dor de cabeça poderia provocar mais preocupações então decidiu beber algo na tentativa de passar o mal-estar estomacal e relaxar a mente. Ao se aproximar da mesa com bebidas percebeu que alguém havia deixado um copo cheio de um líquido marrom.

JK ainda era menor de idade na América, por isso não tinha permissão para beber, mas pelo pouco que sabia e após uma leve cheirada, o líquido de odor forte parecia ser Whisky. Ao devolver o copo para a mesa, sem perceber esbarrou com o cotovelo em uma jarra de suco o que provocou um banho de Whisky em sua blusa preta. Com o susto, JK deu um salto para trás o que fez o liquido pingar em seu tênis.

No mesmo instante, umas três pessoas correram em direção a JK e cheias de lenços de papel começaram a enxuga-lo.

 

- Hei JK!! Por acaso você pensou que isso era para tomar banho è? Garoto desastrado. – Disse Dong-sun.

- Ô! Peço desculpas pela minha falta de atenção senhor! Apenas fui verificar o que era que tinha no copo....

- Aja, aja, aja! Tudo bem, mas já estamos quase embarcando, faça o que você iria fazer e depois você troca de roupa. Tudo bem! Seja mais cuidadoso.

- Sim, senhor!

 

Apesar das formalidades, Dong-sun olhava com carinho para JK e não parecia estar zangado. Como Dong-sun era o irmão mais novo do presidente da Big Hit, ele era como se fosse o vice-presidente e sempre estava liderando os compromissos dos garotos. Era uma espécie de CEO, e todos os Staffs o respeitavam assim como os sete garotos. Já  Sung Kyung, vivia do status de única sobrinha do presidente da Big Hit (filha de seu irmão do meio) e aproveitava as viagens para fazer compras, tietar os garotos e principalmente, ficar de olho no seu Oppa NamJoom.

JK exalava álcool e foi motivo de piada entre os outros membros do grupo que o zoaram até a hora de embarcarem. Apesar de ser o centro das piadas JK não se incomodava e na verdade até estava gostando pois ria um pouco com os companheiros de grupo. O que ele não contava era que o cheiro de álcool em sua blusa estava cada vez mais provocando enjoo e dor de cabeça.

A chamada do voo para Nova York foi anunciada e como sempre, todos embarcavam na frente e por último os sete garotos com Dong-sun e Sung Kyung. JK cada vez mais enjoado, tentava se concentrar e não via a hora de entrar no avião, se sentar e tentar dormir na esperança do mal-estar passar desapercebido.

 

- Ok garotos! Vamos embarcar! – Chamou Dong-sun.

- Hei JK! Você está bem? Parece pálido. - Perguntou Jin.

- Ah não, não. Estou bem...apenas com dor de cabeça, mas nada demais.

- Hei, não estaria nosso irmão mais novo escondendo algo do seu irmão mais velho? – Disse Jin empurrando JK no corredor próximo ao avião..

- Não, Não! Estou bem. – Respondeu JK com um leve sorriso amarelo.

- Qualquer coisa é só me chamar. Seu irmão mais velho vai lhe proteger.

Jin era o mais velho do grupo e adorava brincar com JK. Muitas vezes era chamado atenção pois precisava se comportar como um irmão mais velho e não como irmão mais novo. Mas ele não se importava com isso e preferia se divertir a ter que viver estereótipos culturais coreanos.

 

- Ahhh meu irmão mais velho como sempre cuidando de mim – Disse JK com tom jocoso.

- Axiiii...na verdade me preocupo, por que se algo acontecer com você com quem vou me divertir heim...

- Estou bem! Não preciso de ajuda...muito obrigada pela sua consideração Jin Shi.

 

Enquanto isso, correndo pelo corredor de embarque Sung Kyung, passou quem pode para ficar próximo de Namjoom.  

 

- Oppaaaa! Namjoom Oppaaa! – Chamava Sung Kyung

Aparentemente Namjoom não estava escutando, mas dava para perceber que apenas tentava não dar ouvidos ao chamado.

Sung Kyung agarrou Namjoom pelo braço de maneira que ele não podia se esquivar a não ser machucando a garota, mas Namjoom era educado demais para fazer isso. Um verdadeiro cavalheiro.

- Oppaa! Porque não me esperou? Eu estava te aguardando para entrarmos juntos. Oppa não quer me acompanhar? Oppa não quer que sua Sung Kyung esteja a seu lado? Hummmm......

- Axiiiiiii!!! – Respirou profundo Namjoom louco para dormir e descansar no avião.

- Oppaaaa! Onde você vai sentar? Posso pedir para trocar de lugar e ficar bem do seu ladinho...Oppa não seria romântico? Hum? Hum?

 

Como Sung Kyung entrou no avião distraída acabou esbarrando seu joelho em uma bolsa que estava no braço de um acento logo na primeira fileira da classe executiva. Transtornada Sung Kyung, pegou a bolsa com a ponta dos dedos olhou para a dona que aparentemente estava dormindo com o fone de ouvido e arremessou sob o colo da mulher sentada a sua frente e em inglês disse:

- Me desculpe, mas sua bolsa está bloqueando o caminho. – Disse Sung Kyung

 

A mulher de traços latinos assustada com a situação, aparentemente ia responder algo quando Dong-sun se antecipou.

 

- Peço desculpas pelo transtorno. Por favor, perdoe-nos. Tenha um bom voo. - Dong-sun saiu empurrando Sung-Kyung pelo corredor a repreendendo por ser tão grosseira, mas aparentemente a garota nem ligava.

Dong-sun percebeu que a mulher da bolsa era a mesma que estava fazendo vídeo no hall da sala Vip o que lhe deixou mais envergonhado ainda. Apenas foi para seu acento imaginando o que a mulher de rosto fofo estava pensando.

 

Assim que entraram no avião, Jin foi para seu acento que era logo em frente e não pode deixar de ver a cena que Sung-Kyung tinha feito, JK foi para o seu que ficava umas três fileiras atrás.

Assim que Jin sentou, como era educado e agradável, pensou em treinar um pouco seu inglês com sua vizinha de voo. Deu boa noite, se apresentou e descobriu que o nome de sua vizinha era Helena...a conversa estava agradável e cada vez mais Jin se encantava por Helena, mas infelizmente um Staff chamou a atenção do rapaz que precisa descansar pois tinha compromissos assim que chegassem em Nova York. Jin se despediu de Helena mesmo querendo conversar mais um pouco, mas sabia que precisava descansar.

Enquanto isso, JK ainda tinha mal-estar que só piorava. Ele tentava manter o controle como podia. O que JK não sabia era que nem tudo estava sob seu controle e que precisaria sim de ajuda. Ajuda que viria de uma desconhecida que mudaria sua vida.


Notas Finais


Assim como Helena, os garotos do BTS também viveram grandes experiências neste que com certeza será um voo muito marcante em suas vidas.
Obrigada pelo seu apoio e espero que estejam gostando da história. Bjs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...