História Diário de uma Vampira - Apenas se afaste... - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Imagine Jimin, Jimin Hetero, Namjin, Taeyoonseok, Vampiro
Visualizações 381
Palavras 2.006
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Querido Diário!☆


Fanfic / Fanfiction Diário de uma Vampira - Apenas se afaste... - Capítulo 1 - Querido Diário!☆

Querido diário, será que ainda se lembra de mim? Faz muito tempo desde a última vez que nos falamos...

Meu nome é Jeon Mi Na, mais conhecida como "Mina", tenho 16 anos, estou cursando o ensino médio, já repeti de ano algumas vezes por causa das mudanças de um lado para outro. Por que?

"Por que sou uma vampira."

Estou mudando mais uma vez. É eu sei não é novidade pra você! Mais dessa vez vai ser diferente, eu prometo!

Mesmo que me descubram, mesmo que me odeiem, mesmo me maltratem, eu aguentarei tudo. Pelos meus tios, pelo meu pequeno irmão Jeon Jungkook que com apenas 4 anos já mudou mais de mil vezes pela Coréia toda.

Moro com meus tios desde quando Jungkook nasceu. Nossos pais foram mortos por policiais anti-vampiros. Eles eram o tipo de vampiros guerreiros, e queriam lutar por uma sociedade que aceitassem os vampiros como parte da espécie humana. Naquela época o preconceito contra vampiros era muito maior. Eles queriam o melhor, não só pra mim e meu irmão mais para todos os clãs de vampiros.

Vivemos em um mundo onde vampiros são tratados como lixo, alguns são domesticados e outros explorados sexualmente.

Vivemos sob uma lei cruel dos humanos, que qualquer crime que cometermos pagaremos com nossa vida.

Meus tios optaram por nos esconder, e fingir ser humanos normais, e por isso sempre nós entramos em problemas. Toda vez que somos descobertos temos que mudar de cidade. Desta última vez nós estávamos  em Busan. Meu irmão Jungkook, ainda não tem controle dos seus instintos, então ele teve sede de sangue fora de hora e tentou "lanchar" uma colega de sua sala. O que resultou nossa mudança.

Meus tios são humanos, então por isso não posso prejudica-los mais. Preciso fazer de tudo para dar certo aqui nessa cidade. Seul é meu novo endereço!

                                    [...]

Logo após escrever no meu diário, faço minhas higienes no banheiro e logo já ouço minha Mãe me chamar.
Eu chamo minha tia de mãe e meu tio de pai por ter que parecer uma família normal para os outros. Mais isso isso não me encomoda... Eles realmente cria eu e meu irmão como se fossem filhos deles.

Fui até a cozinha onde toda a família estava reunida. Todos os dias eu tomo meu "Café da manhã" que são dois saquinhos de sangue falso, uma fórmula que os cientistas inventaram para que os vampiros não tomassem sangue humano e nem animal. Logo após isso eu iria a padaria comprar pão, para "manter as aparências".

-Ah! Querida que bom que já desceu. Está atrasada ... - Minha mãe diz.

-É eu sei... - digo bocejando um pouco preguiçosamente.

-Noona! Kookie que i tamém... - Jungkook diz manhoso.

-Tá espere eu tomar meu café! - disse me sentando na mesa.

-Filha! Suas aulas começam na segunda junto com as do Kookie. Então vamos aproveitar que amanhã é sábado e vamos comprar seus materiais... - Minha mãe diz recolhendo os saquinhos de sangue de Jungkook.

-Hum... - resmungo.

Não gosto de pessoas... Humanos me dão... Medo! Eles podem "parecer" amigáveis. Mais assim que descobrem o que eu sou ... Logo começam os preconceitos.

É por isso que gosto de manter a distância...

-Estou pronta. Vamos Kookie!!! - disse indo até a porta.

-Espelaaaaa Kookie!!! - Jungkook chora.

Jungkook gosta de falar sobre ele mesmo em terceira pessoa. Ele demorou para falar quando era pequeno e quando começou, só se refere a si mesmo desta forma. Preferimos deixar assim e evitar médicos, a maioria adora fazer experimentos com vampiros. Na maioria das vezes são torturas...

-Estou esperando Kookie, mais não tenho o dia todo... - suspiro cansada.

-Espera... Espera, filha! - minha mãe diz nos alcançando.

-Que foi agora? - digo impaciente.

-Olhe aqui pra mamãe, não posso deixar que você saia de casa suja de sangue não é... - Ela diz como se tivesse falando com Jungkook. Isso me irrita um pouco, limpando minha boca.


-... - Suspiro.

-Noona Kookie ta plonto! - Jungkook diz me dando sua mão.

-Já vou indo... - Falo saindo pela porta.

Quando eu estava um pouco longe de casa. Minha mãe grita em uma encenação exagerada na rua, para que os vizinhos ouvissem.

-FILHA! NÃO ESQUECE O LEITE... SEU IRMÃO ADORA LEITE... HAHAHA... - Ela grita no meio da rua e todos os vizinhos a olham acenando em cumprimento pra ela.

Eu simplesmente coloco o capuz do meu casaco na cabeça e ando mais depressa pra sair logo dali, puxando Jungkook pela mão.  
Em seguida eu esbarro em alguém e quase vou de encontro ao chão. Sinto um cheiro forte e doce de baunilha, quase enjoativo eu diria. 

"Meus sentidos de vampiro me dão esse dom insuportável de sentir cheiro..."

-Eiii!!! Você está bem? - Uma voz masculina e delicada diz a minha frente.

-Noonaaaaa... - Jungkook começa a chorar assustado.

-Oh! Pequeno não chore... - O rapaz se vira para Jungkook estendendo os braços.

Logo vejo os de Jungkook ficarem vermelhos e fixos no pescoço do rapaz.

-Bauniaaaa... - Jungkook diz se referindo ao cheiro do rapaz, arregalando seus olhos.

-KOOKIE! NÃO! - grito ríspida com ele, percebendo que o pequeno estava pronto para pular no pescoço do garoto.

-Calma... Eu não mordo... Só queria saber se estava tudo bem... - O rapaz disse ofendido.

-Está tudo bem sim... Não se preocupe... Eu preciso ir... - Pego Jungkook no colo e me apresso em me afastar do rapaz, virando seu rosto para meu pescoço, na tentativa de esconder as pequenas presas, que já estavam apontando em seis lábios.

-Espera! - Ouço o rapaz chamar. 


Parei de caminhar, sem encarar seu rosto, apenas o olhei por cima do ombro.



-Meu nome é Kim Taehyung, mais pode me chamar de Tae ... - disse.

Decidi permanecer em silêncio, não quero amigos.

-Ahn... Tudo bem então... Você está indo pra padaria não é? É nova por aqui, posso te levar até lá se quiser... Eu sou seu vizinho, vamos nos ver muito por aqui... Não acha melhor nos conhecermos? - Ele diz e me alcança.

-Er... É... Meu nome é Jeon Mi Na... Mais pode me chamar de Mina... Esse é meu irmão Jungkook... - falo envergonhada.

-Ótimo começo Mina. Vou te apresentar muita coisa por aqui, está animada para conhecer o colégio? - pergunta empolgado.

-Er... Não muito.

-É sua mãe? - Perguntou, e eu o encaro confusa. - Aquela que gritou na rua. - Diz rindo fraco, e acabo por rir junto a ele.


[...]



Meus planos de "não fazer amigos novos" foram por água abaixo, Tae me convidou para dar uma volta de bicicleta no final da tarde com ele.

Pareceu-me inofensivo, resolvi aceitar. Mais no fundo eu sei que é ai que mora o perigo.


                                     

[...]


Horas mais tarde...


Estava muito quente, eu estava deitada em minha cama com meus fones de ouvido em último volume e lendo "Um amor vampiro" um romance qualquer, na posição mais confortável que encontrei naquele momento. De cabeça para baixo quase escorregando para o chão. 


Aquilo estava tão bom... 


Ouço passos direcionados a porta do meu quarto, logo batidas frenéticas em minha porta.

"Odeio ter uma super audição..."

Tento ignorar, e voltar minha atenção para o livro.

"Onde já se viu, um vampiro se apaixonar e morrer com estaca de madeira ..."

Minha mãe abre a porta abruptamente, e com sua animação exagerada de sempre...

-Filhaaaaa! Eu não sabia que tinha que tinha feito amizades novas no bairro... - diz dando risadas escandalosas.

-Eu não fiz... - Respondo-lhe indiferente, sem retirar minha atenção do livro.

-Ah! Filhota não seja assim, seu amigo Taetae está aqui! Entre filho. - diz abrindo a porta.

-Que? 

Logo sinto o cheiro doce de baunilha invadindo meus pulmões e ponto de quase asfixiar-me. 


Como não percebi ele antes? 



-Estou profundamente magoado, você esqueceu do nosso encontro? - Tae disse entrando no meu quarto.

-Qualquer coisa estou lá em baixo... - Minha mãe diz fechando a porta.

-Mãe, ele é um menino... - Falo sussurrando desesperada, correndo em sua direção, impedindo-a de fechar a porta.

-O que que tem filha? - Se faz de desentendida. - Aproveita! Xauzinho... - Fechou a porta, rindo escandalosamente.

-Er... Eu ... - Viro-me para Taehyung, e tento dizer algo para disfarçar a loucura de minha mãe.  

-Esqueceu de mim! - Aponta seu dedo indicador "acusador" pra mim. -  Tudo bem eu te perdoou, se você der uma volta comigo, agora.


Notei o olhar curioso de Taehyung percorrer meu corpo, só então vejo que não estou adequadamente vestida para estar em sua frente. 

-Olhe pra outro lado! - Cubro meu corpo envergonhada.

-Você é linda... Muito mesmo, qualquer cara ficaria de quatro por você. Fará muito sucesso na escola... Mais não comigo amor... Vou te contar um segredo ... Consegue guardar? - diz sussurrando.

Eu somente concordo com a cabeça desconfiada.

-Eu sou gay. - diz em voz baixa, olhando para os lados.

-Ah...

-Fecha a boquinha amor, se não o queixo cai... Agora depressa vá se arrumar. - Diz fechando minha boca, com sua mão. 

Parando para reparar melhor em Tae, ele tem um jeito todo delicado, sua voz doce e com um tom afeminado.

 Eu sou uma péssima vampira, ou meus sentidos estão um pouco atrasados.
Mais a verdade é que eu não quiz me apegar a detalhes com ele.

Então levanto um pouco acanhada ainda e pego uma muda de roupa confortável para trocar no banheiro.

                                 [...]

Algum tempo depois, nós já estávamos  no portão, saindo de casa em nossas bicicletas.


-Se cuida filhota! E vista casaco se esfriar. - Ela grita acenando em despedida da porta.

Somente pedalei mais rápido, subindo o capuz do casaco para cobrir minha vergonha.

-Sua mãe é muito engraçada! - Tae diz acenando pra ela de volta.

-Só ande depressa. - Eu disse com voz de tédio?

E assim andamos algumas quadras a frente. Eu não faço esportes com freqüência, pois as pessoas notariam que sou vampira, pois não transpiro suor como os humanos. 

"Humanos... Tecnicamente, também sou uma. Só um pouco diferente."

Olho para meu lado e vejo Tae quase sem fôlego.

-Quer parar? - pergunto diminuindo a velocidade

-Quero. - diz ofegante. - Você é feita de ferro ou o que? Eu estou morto. 

-Er... É que eu sou acostumada com isso. - menti claro.

-Que???? Você é louca... Vamos tomar alguma coisa... Ou eu vou morrer sem ar. - desce da bicicleta, e percebo suas pernas trêmulas. 

Não pude conter o riso ao ver ele assim.

-Não é engraçado, eu pensei que você era amadora, mais nem soando você está. - disse levando sua mão em direção ao meu rosto.

Rapidamente eu desvio e me assusto, evitando o contato. Caso contrário ele perceberia que minha pele está gelada. São uma das características vampirescas.

-Calma... Não vou morder você! Não é como se eu fosse um "vampiro", sabe?! - Ri escandalosamente.

Eu continuei sem expressão, claro... Já ouvi muitas piadinhas desse tipo. Já não tem mais graça pra mim.

-Você esta muito séria. Vem, vamos ali. - aponta a lanchonete próxima, somente concordo sem dizer nada.


[...]



Taehyung pediu refrigerantes para nós, eu - como não bebo - quase nem toquei no copo, não é minha bebida favorita...

Nós vampiros comemos de tudo, mais logo precisamos retirar a comida humana de nosso organismo, pois o mesmo rejeita o que não for sangue. Por esse motivo, somente disfarço comendo e bebendo pouco, indo em seguida ao banheiro para "limpar" meu estômago. 


Depois de esperar Tae se recuperar, conversamos o caminho todo de volta sobre a escola e sobre com quem eu teria que ficar. Descobrimos que eu e Tae somos da mesma sala, o que de certa forma me deixou aflita e conformada ao mesmo tempo.

Tae não parou de falar nem um minuto sobre seu super amigo e "crush" Hobi. Que ele insiste em dizer que eu vou adorar conhecer, já deu pra perceber que ele tem uma "paixonite" por esse "crush".

"Que dê tudo certo dessa vez..." 



Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...