1. Spirit Fanfics >
  2. Dias Sangrentos >
  3. Avassalador: Surge o Escarlate

História Dias Sangrentos - Capítulo 120


Escrita por: e dubid8


Capítulo 120 - Avassalador: Surge o Escarlate


Fanfic / Fanfiction Dias Sangrentos - Capítulo 120 - Avassalador: Surge o Escarlate

Nox: Último aviso, rendam-se! Não iremos metralhar quem fizer isso

Samuel: E quanto aos outros de nós? Acham mesmo que vamos nos entregar assim de mão beijada para vocês depois de termos ido tão longe?

Nox: A escolha é de vocês, nós não teremos piedade

Samuel: Então vão pra casa do caralho!

Ele levantou-se e continuou a disparar contra os soldados da fundação

A bagunça e a desordem eram generalizadas. A maioria dos guerreiros de SeatSide fora abatido, o resto virou Zumbi, Letícia ainda estava de pé liderando pouco mais de uma dúzia de pessoas que ainda não sofreram os efeitos de transformação. As forças do Éden estavam reduzidas, da Sociedade Central também. Restava apenas esperar os espantalhos chegarem e a pessoa de Linlin e Douglas, que talvez pudessem ajudar com alguma coisa, mas nada confirmado, muitas coisas poderiam acontecer

Xavier: Sabe o que acontece nessas horas? Eu sinto o poder latente correndo nas minhas veias, sabe qual é a sensação de cada pedaço seu desejar mais e mais.... sangue!?

O braço de Xavier que fora arrancado por Luiz momentos atrás estava começando a se regenerar, sim, estava nascendo outro no lugar, e era assustador, era como uma bola de carne que acabou de ganhar vida própria

Luiz tirou a terra dos seus olhos para finalmente poder observar olho no olho seu inimigo

Xavier: Vê? – ele se preparou para dar um soco em Luiz com seu braço destroçado, quando ele foi efetuar o golpe o braço dele cresceu de novo, rápido como um lampejo de luz no céu, e ele golpeou Luiz na barriga, fazendo-o cuspir sangue e perder alguns de seus sentidos por poucos segundos – a autoridade que eu exerço agora não tem proporções!

Luiz sentiu a pressão ali exercida por Xavier, pela primeira vez em muito tempo ele sentiu um arrepio na espinha, como Oliver sentira, e um toque de desespero. Era do mesmo jeito como quando ele viu um zumbi pela primeira vez dois anos atrás, poucas coisas assustariam uma pessoa como ele, mas aquilo, aquilo ali o assustava

Ele levantou Luiz pelo pescoço com seu braço regenerado e o arremessou até o outro lado da rua, ele deu de costas no chão

Luiz: Filho duma puta.. – ele levantou se apoiando em uma parede – o que você fez careca maldito? – perguntou para Xavier

Xavier: Ampliei minhas capacidades para além dos meus limites – ele falou salivando horrores – pega – jogou a Slave para Luiz – use isso, pra não dizer que te deixei na desvantagem

Luiz: Hm – ele empunhou a foice – benevolência nessas horas? Vou te destroçar!

Kenny: Abaixa! – ele gritou atirando enquanto se escondia por detrás de alguns pallets de madeira – temos que acabar com eles agora que estão visíveis sem a fumaça! Não podemos perde-los de vista outra vez!

O barman que havia fugido chegou no local do combate, com Mônica em seus braços, mas quando viu o tiroteio e a situação caótica do campo de batalha ele tentou dar meia-volta

-É esse lugar? Se eu me enfiar ali eu morro – ele virou-se para trás, mas assim que fez isso foi surpreendido por Franklin

Franklin: Quem é você e o que faz com a Mônica em seus braços?

-Posso explicar

Franklin: Ela está ferida, acha que eu não notei o excesso de sangue? Me ajuda logo e diz de uma vez, não sou bom em estender diálogos, nunca fui

-Calma

Franklin: Tô calmo, só preciso saber, com essas roupas – ele apontou uma arma para o sujeito – não é dos nossos, solta ela, agora

Mônica: Frank...

Franklin: Mônica? Você tá mal, que merda, o que aconteceu?

Mônica: O..Wellyton...lá em cima – ela apontou o dedo para o topo do morro – ele tá lá, não deixa ele morrer, tem, alguma, coisa.. – ela apagou

Franklin: O que tem ele? Mônica? – ele colocou a mão no rosto – é verdade o que ela disse? Primeiramente, qual o seu nome? – ele disse aproximando mais ainda sua M16 do rosto dele – não confio em você ainda

-Pedro, meu nome é Pedro

Franklin: Ótimo, agora me fala, o que fez ela ficar assim?

Pedro: Não sei, mas o Wellyton me pediu pra trazê-la até vocês, de lá de cima

Franklin: Como posso acreditar nisso?

Pedro: Pergunte a ela quando acordar

Franklin: Ah, ele precisa de ajuda então? A situação está feia

Pedro: Muito mais pra ele, se ainda estiver vivo, as coisas estão ruins? Vão piorar, se já não pioraram pro lado de vocês – ele abaixou a cabeça – eles estão chegando!

Kenny: Destruam a barricada deles!

Farlan correu e arremessou uma granada em cima da cobertura de um prédio baixo

Samuel: Nós precisamos avançar pelo lado de dentro!

Algumas tropas entraram correndo pelo prédio, lá em cima dele estava uma quantidade considerável de homens restantes da fundação, se eles fossem de fato eliminados, haveria menos pedras no caminho

Zacarias: Precisamos acabar com parte dos de SeatSide também! – falou enquanto usava um tacape de ferro para esmagar as cabeças de alguns zumbis – mesmo estando do nosso lado antes – ele respirou ofegante – não queremos mais zumbis no nosso encalço, ou queremos?

Paloma: Não Zacarias – ela disse se juntando a ele com uma velha pistola alemã – nós com certeza não queremos isso

Zacarias: É, foi o que eu pensei

Xavier: É foda – ele caminhou na direção de Luiz, que estava sendo esmagado inconscientemente pela sua presença – vocês vieram até aqui, fazem isso conosco, e agora querem vencer nos humilhando feito o pior tipo de lixo que existe? Ah não

Luiz: Deveríamos ter feito o quê então? Vocês causaram essa guerra

Xavier: Não, não causamos. Os eventos de hoje sequer teriam ocorrido caso vocês não tivessem entrado no Éden. Cavaram sua própria cova

Luiz: Não há como mudar o passado! – ele correu na direção de Xavier e pulou, erguendo sua foice para o céu – e não tô a fim de ouvir suas asneiras agora!

Mas a lâmina curva da velha foice de Eznoth foi parada pela mão de Xavier, que agora estava com a pele entrando em processo de avermelhamento, por algum motivo

Xavier: Não há como mudar o passado, verdade, mas o que acontecer de agora em diante, vai ser a prova, de que as coisas poderiam ter sido diferentes!

De repente, o cenário se inverteu, mais ainda do que já estava invertido. Os zumbis, com os quais Zacarias e Paloma estavam lidando, não eram a maior ameaça ali presente. Primeiro, veio do topo do morro, sobre seis grandes patas e como um  cachorro ele avançou contra  as forças aliadas e as rasgou no meio

Luiz: Não! – ele disse desesperado

Xavier: É! – ele ergueu Luiz pelo pescoço e o arremessou para o alto, ele voou ate cair em cima do prédio onde estavam Samuel e mais alguns homens

Samuel: Luiz?

Ele usou a foice para se levantar, um caco de telha tinha penetrado sua carne, por sorte não foi fundo, ele o arrancou com a mão

Luiz: Toma cuidado! – exclamou ofegante

Xavier: Sem a Ohara e sem o Carlos, as merdas só sobram pra mim no fim das contas! – dentes afiados como agulhas tomaram conta da sua boca, destruindo o lugar de seus dentes normais, ele cuspiu sangue e deu um alto rugido, como um leão, assim que fez isso mais três Filhos do Fim apareceram quase de imediato, eram como lobos atendendo ao chamado do alfa da alcateia – veja!

Um era grande e gordo, seus olhos saltavam para fora e ele fedia como um esgoto sujo. Outro era baixinho (considerando o tamanho deles, era do tamanho de um humano, menor alguns centímetros talvez) e o outro era musculoso e alto, não tão musculoso como o que Wellyton enfrentara, mas ainda assim era forte

Eram diferentes entre si, mas nada mudava o fato de que ali, naquele mesmo lugar onde pessoas comuns estavam lutando, havia três Filhos do Fim reunidos, fora as tropas de Nox, que estavam imunes de seus ataques, e seriam seis, caso Wellyton, Ítalo e Douglas já não estivessem se livrado de três deles

Ohara vinha andando junto com Ítalo, amarrada, porém quando viram de longe aquela quantidade de monstros, até mesmo ela se assustou

Ítalo: Que porra é aquela?

Ohara: Xavier seu desgraçado! – ela se empolgou, mas Ítalo forçou a arma na sua cabeça 

Ítalo: Ei, eu tô aqui ainda, não se esqueceu não é?

Ohara: Como poderia?

Ítalo: O que são essas coisas?

Ohara: Filhos, você matou um deles, incrível, mas como seus amigos lidarão com cinco de uma só vez?

Ítalo: Mas ali só tem três

Ohara: Você não perde por esperar... – ela falou em tom sarcástico

Franklin: Jesus Cristo – ele assistiu parte das pessoas sendo dizimadas pelo “cão” e correu para ajudar, mas Pedro segurou seu braço

Pedro: Você é maluco?

Franklin: Não posso ficar parado

Pedro: Não vai, tem que ajudar o Wellyton, e a Mônica também, droga, era deles que eu estava falando, os Filhos do Fim, zumbis com genética modificada, para fins militares e de experimentos, mas ainda são protótipos, o Doutor queria fazer mais experimentos com esses bichos

Franklin: Como os paramos? – perguntou assustado – já não bastavam os humanos, puta que me pariu

Pedro: O Doutor saberia – ele colocou Mônica no chão e analisou o ferimento em sua perna – me escuta, ele tá no topo do morro, ou quase lá, mas não é uma pessoa confiável, se for toma cuidado, mas é dele que a gente precisa pra saber do ponto fraco desses bichos

Franklin: É, vou colocar minha mão no fogo por você, não faça ela queimar! – ele saiu correndo

Pedro: Queimar é? – ele olhou para o “cão”, que depois de matar os vivos avançou contra os zumbis – temos problemas demais aqui pra eu me preocupar com uma mão queimada

Samuel: O que são essas coisas?

Nox: Meu Deus

A própria luta entre os da Ordem e os aliados foi interrompida, estavam todos perplexos com as bizarrices que estavam na frente deles

Xavier começou a crescer, suas costas se mexiam de forma estranha, seus ossos pareciam querer saltar para fora da pele, e de fato, não era apenas isso: sua pele começou a cair

Ele foi ficando na carne viva, e cresceu, cresceu e cresceu mais ainda, até atingir a altura de pelo menos uns três metros, e a carne mole do seu corpo, endureceu, era como se estivesse revestindo-se de ferro, a coloração que ele assumiu era de um vermelho escarlate. Seus lábios caíram e apenas os dentes de agulha ficaram expostos, ele ficou de fato grandioso, como ninguém nunca antes tivera visto algo semelhante àquilo. Era inevitável o sorriso no rosto dos membros da Ordem e da fundação, eles já exalavam vitória

Ohara: Viu? Não quatro, agora são cinco

Ítalo ficou calado, não tinha o que dizer sobre aquilo, na verdade por já ter lutado com um e derrotado ele sentiu mais pânico do que nunca, se apenas um deles era mortal de um jeito que balas não o atingiam com eficiência, como lidaram com cinco de uma vez e ainda com soldados fortemente armados?

Luiz: Puta merda – disse surpreso segurando a Slave

Xavier: Como eu disse ô da foice – falou com a voz rouca apontando seu longo dedo vermelho para Luiz - essa luta já tinha acabado – ele abriu os braços e os Filhos do Fim partiram pro ataque – antes mesmo de começar!

 

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...