História Diferent Love - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Free!
Personagens Goro Sasabe, Gou Matsuoka, Haruka Nanase, Makoto Tachibana, Miho Amakata, Personagens Originais, Rin Matsuoka, Sousuke Yamazaki
Tags Haruka, Harumako, Makoharu, Makoto, Nagirei, Reigisa, Sereia, Shounen Ai, Tritão, Yaoi
Visualizações 29
Palavras 1.047
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem

Capítulo 10 - Ciúmes


Ikuya foi buscar uma tigela com água da torneira e um conjunto de algas marinhas.

Ao regressar à sala, sentou-se de frente para os dois rapazes e juntou as algas marinhas à água.

Ao proferir algumas palavras desconhecidas para os o esverdeado mas conhecidas pelo menor, com a sua mão ergueu a água com as algas marinhas, com a outra mão formou um retângulo com a água e endureceu-a.

Ao continuar com a água dura erguida disse outras palavras e perguntou:

-Nome?

-Haruka Nanase- Respondeu o azulado simplista.

-Data de nascimento?- Perguntou Kirishima novamente.

-30 de Junho de 2000- Respondeu diretamente.

Após outras perguntas e mais algumas palavras proferidas de forma determinada, palavras formavam-se na água endurecida.

Passado algum tempo, depois de muitos documentos terem sido feitos, como o cartão de cidadão, diploma de formatura falso da escola humana, cartão de saúde, cartão de eleitor, etc.

Haruka e Makoto encaravam os documentos impressionados pela forma como foram feitos e pela aparência dos mesmos.

-Pronto acho que já tens tudo o que é necessário para a sobrevivência no mundo humano- Disse Kirishima virando-se para o azulado.

Makoto pensava em todas as perguntas que podia fazer ao rapaz impressionante.

-Kirishima- Começou Tachibana mas foi interrompido por quem ele chamava.

-Por favor trata-me por Ikuya- Pediu o rapaz.

-Certo, Ikuya…- Começou o esverdeado novamente- Como podes ver Haruka está ferido, apesar da lesão aparentar ser na sua perna, ela foi feita na sua cauda, por acaso não tens as algas e os corais necessários para fazer o remédio que cura os ferimentos das caudas dos tritões?- Perguntou rapidamente esperançoso.

Kirishima encarava o esverdeado surpreso pelo seu pedido.

Levou a mão direita até ao queixo e depois virou-se ameaçando ir até à cozinha.

-Makoto vem comigo- Disse indo até à cozinha. Tachibana seguiu-o curioso e o rapaz subiu num banco abrindo um armário.

Ao vê-lo abrir o armário que lá existia, Makoto encarou-o surpreso ao ver a diversidade de tamanhos e de cores de potes que lá haviam.

Ikuya vasculhava o armário à procura dos ingredientes para o remédio. Tirava alguns potes com algas, conchas e até corais.

-Ah, está aqui- Disse ao finalmente encontrar aquilo que desejava. De seguida desceu do banco fechando o armário e dirigiu-se à grande bancada da cozinha repleta de remédios e poções.

Ikuya pousou os três potes de vidro em cima da bancada. Um era verde-escuro e continha alguns pedaços de corais amarelos. O outro era laranja e continha pedaços de algas azuis. O terceiro e último pote era branco e continha pedaços pequenos de conchas variadas.

-Eu consigo preparar o remédio- Disse dirigindo-se para Makoto que sorriu para ele- Podes fazer companhia a Haruka ele deve estar a sentir-se sozinho, já vos levo o remédio.

Tachibana voltou para a sala e sentou-se ao lado do amigo contando-lhe as novidades sobre a realização do remédio para curar as feridas da perna e da cauda do azulado. Nanase sorriu ao pensar na água novamente em contacto com o seu corpo, com a sua cauda.

Kirishima pegou em quatro tigelas e distribui alguns pedaços da substância de cada pote em três das tigelas e na quarta tigela colocou água.

Com um pequeno objeto utilizado para converter algas e corais a pó, Ikuya esmigalhou os pedaços dos corais amarelos, das algas azuis e das conchas variadas que demoraram mais a virarem areia.

Um a um, os ingredientes foram adicionados à água, que com os poderes do rapaz virou uma substância gelatinosa. Com uma colher, Kirishima misturou todos os ingredientes até a mistura ficar verde-escura e de seguida dividiu-a em dois potes, um para utilizar em Nanase e outro para guardar no armário.

Ao guardar um dos potes com o remédio no armário, dirigiu-se à sala e os olhares brilhantes que recebeu dos rapazes foi a forma mais sincera de agradecimento que ele recebeu.

-O remédio está pronto- Disse Ikuya com um sorriso no rosto.

Makoto aproximou-se do azulado e ajoelhou-se perto da sua perna enfaixada, retirando com cuidado as ligaduras, colocando-as em seguida em cima da mesa que se encontrava à frente do sofá.

Os cortes já se encontravam com melhor aspeto. Haruka sentou-se na borda do sofá e colocou a perna para a frente.

Kirishima ajoelhou-se ao lado de Makoto e colocou os dedos na mistura gelatinosa, espalhando-a em seguida na perna do menor.

Nanase gemeu com o toque repentino. A temperatura do remédio era mais baixa do que a do corpo do mesmo e aquilo ardia com o contacto da pomada com os cortes.

O remédio gelado brilhava levemente.

-Pronto- Disse o rapaz ao terminar de esfregar a mistura gelatinosa na perna do azulado- Agora vou buscar ligaduras- Finalizou levantando-se em seguida dirigindo-se à casa de banho que se encontrava no corredor perto da sala.

Ao chegar lá, tirou uma caixa com ligaduras e voltou para a sala.

Calmamente ligou a perna do rapaz e em seguida levantou-se novamente.

-Em uma semana ficarás bom- Disse virando-se para o azulado.

-E poderei nadar novamente?- perguntou ansioso, os seus olhos brilharam só com a ideia de poder nadar de novo.

Kirishima sorriu com a animação do rapaz.

-E poderás nadar novamente- Confirmou Ikuya com um sorriso no rosto. Haruka também lhe deu um grande sorriso.

Makoto observou a troca de sorrisos entre eles e levantou-se imediatamente saindo da casa do rapaz.

Ambos observaram confusos a mudança repentina de humor do esverdeado e Ikuya olhava para Haruka e pensava o que dizer depois de analisar a atitude do maior e perceber o que tinha acontecido. Ia dizer alguma coisa quando o menor o interrompeu:

-O que aconteceu?- Perguntou o azulado confuso com a atitude do amigo.

-Ciúmes- Respondeu Kirishima simplista.

-O que é isso?- Perguntou Nanase curioso.

- Ciúmes é um sentimento dos seres humanos, provocado pelo receio de que a pessoa do qual se gosta não tenha exclusividade em dedicar o seu afeto a uma única pessoa, no caso à pessoa que tem ciúmes.

-Então Makoto gosta de mim? Tipo amor?- Perguntou o azulado interessado.

-Não propriamente- Respondeu Ikuya. Ao ver o sorriso do menor terminar e ele encarar o chão continuou- Pode acontecer entre amigos mas há a possibilidade dele gostar de ti- A expressão de Haruka animou-se e o rapaz encarou-o surpreso com a sua animação.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...