1. Spirit Fanfics >
  2. Diferentes Caminhos >
  3. Azul intenso

História Diferentes Caminhos - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Azul intenso


Fanfic / Fanfiction Diferentes Caminhos - Capítulo 7 - Azul intenso

    - Voltem o mais rápido possível, por favor - Bliss olhou preocupada para os três garotos, eles arrumavam suas malas.

- Não queremos preocupá-la, Bliss... - Explosão fechou sua mala, sentando por cima da mesma, para que as roupas se espremessem lá dentro e o objeto fechasse corretamente - Mas não podemos prometer uma viagem tão rápida.

- Não sabemos nem onde as piolhentas estão - Resmungou - Enfim, espero que eu encontre qualquer uma, menos a verde, é a pior delas!

- Não concordo, Fortão, pra mim, sempre foi a rosa - Brick fez uma careta, como se sentissr nojo somente a falar sobre elas.

- Claro... O pobre Durão não suporta quem bate de frente com seu olhar de animal - Explosão zombou revirando os olhos, sendo seguido por Fortão nas provocações contra o ruivo.

Se não fosse por Bliss (e seu olhar incrivelmente ameaçador), o vermelho já teria pulado por cima dos irmãos e começado a tradicional briga em família. Mas a garota colocou a ordem no recinto.

- Não é hora para isso, rapazes! - Com uma velocidade digna de uma Poderosa, ela fechou as duas malas que restavam e as colocou nas mãos dos garotos - Se cuidem, mandem um abraço para minhas irmãs que nem me conhecem e voltem. Rápido.

Os quatro se encararam fortemente, eles sabiam exatamente o que estava por vir. O grande mal se aproximava e, mesmo com a resistência que os cidadões de Townsville formaram, mesmo com os garotos lutando pelo bem, mesmo com Bliss... Somente com três garotas seria possível triunfar.

Todos sabiam disso.

Explosão não aguentava mais, rapidamente, ele juntou os quatro em um enorme abraço coletivo. Fortão e Durão tentaram se soltar, eles não eram fãns de demonstração de carinho, amor e fraternidade. Mas Explosão e Bliss forçaram ainda mais o abraço, o que os fez somente aceitar aquilo.

- Vocês me prometem que tudo isso vai acabar bem? Por favor, me prometam... - O loiro murmurou, ameaçando derramar uma ou duas lágrimas. Bliss e os outros dois se entreolharam, ela sorriu carinhosamente para o mais novo dos Desordeiros, passando a mão em sua cabeça, afagando seus cabelos.

- Eu prometo, Explosão. E eles também prometem.

O abraço foi desfeito e Explosão só sabia olhar para baixo.

- Não vai ser um carangueijo dançarino de balé que nos fará cair, certo Durão? - O verde respondeu, exaltando confiança.

Durão queria concordar com aquilo, ele realmente queria, mas, dentro dele, o vermelho sabia que estavam perdidos. Na mente do Desordeiro mais velho não havia esperança alguma para o bem. Portanto, somente deu um aceno de cabeça, mas não havia nem um sorriso mínimo em seu rosto.

O azul respirou fundo, ele se tranquilizou, pelo menos um pouco. Fortão bagunçou os cabelos do loiro, em forma de zoação.

- Vamos deixar a parte sentimental somente com você, ok?

...

- Certo, eu vou para o leste! - O moreno fez um sinal positivo com as mãos, olhando para os irmãos.

- Deixem o norte comigo, Explosão, oeste.

- Certo! - Ele sorriu.

- E não se esqueçam, troquem seus nomes! - Durão gritou, enquanto via Fortão alçar voo.

- Me chame de Butch! - Respondeu o verde, olhando para trás e fazendo uma careta - Você - ele apontou para Explosão - é Boomer! E você, meu irmão vermelho, é Brick! - Após nomear os três, Butch saiu em disparada, deixando para trás apenas seu rastro verde escuro.

- Se sentiu bem com isso? - O azul perguntou, mirando o rosto emburrado do novo Brick.

- Nem um pouco.

- Eu sei.

- Droga - Ele estalou a língua no céu da boca, em indignação.

...

- Acho que estou com fome... - Ele resmungou assim que pousou no topo de um edifício, ao ouvir seu estômago implorar por comida - Ah, amigo, espere só um pouco...

Em resposta, Boomer recebeu mais um barulho de dentro de sua barriga, percebendo que o estômago não iria colaborar.

- Tudo bem, vou achar um lugar pra comer... - Suspirou - A vista daqui é bem bonita, não é?

Com suas orbes entusiasmadas, o loiro observou a cidade em que estava, sorrindo. No centro, era possível notar um amplo parque, repleto de árvores e flores coloridas. Porém, a cidade não deixava de ser moderna, com edifícios e casas incrivelmente chiques que também deveriam ser incrivelmente caras. Não seria fácil achar um lar barato naquele lugar.

- Primeiro, comer. Segundo, emprego. - Boomer foi para o chão, parando em frente a uma cafeteria - Ou talvez eu possa fazer os dois ao mesmo tempo... - Murmurou, olhando a placa pendurada na porta do estabelecimento.

O loiro entrou, ouvindo o sininho na porta tocar. Clássico. Logo, uma garçonete foi atendê-lo.

- Bom dia, senhor. Gostaria de olhar o cardápio? - Perguntou educadamente.

- Na verdade, eu... - Assim que Boomer se virou para a garota, os olhos azuis de ambos se encontraram e eles entraram em choque - Você...

Ele não completou sua frase, foi prontamente puxado pela manga da camisa para fora do lugar, ela o olhou de cima a baixo, sussurrou:

- O que... O que você está...? - A loira não conseguia nem ao menos formular a pergunta. Ela estava extremamente confusa. O que aquele Desordeiro fazia ali? Queria causar confusão? E por que razão seus olhos eram tão brilhantes? Ou por que seus cabelos loiros balançavam de acordo com a brisa suave? Além, disso por que...

- Vim te procurar. Lindinha. Quer dizer, procurar qualquer uma de vocês.

A fala do azul cortou a linha de pensamentos dela, ainda bem, pois certamente não estava pensando corretamente.

- Me chame de Bubbles, por favor - Desviou o olhar. E, me responda, por que veio procurar a mim? Ou melhor, a nós?

- É uma longa história.

- Tenho todo o tempo do mundo - Bubbles pensou melhor - Bem... Na verdade, o tempo que minha chefe dará a mim para conversar com um velho conhecido. Ela não é tão rigorosa, talvez quebre esse galho.

- Espero que sim. Não temos muito tempo - Boomer mordeu o lábio inferior, como se estivesse impaciente.

- O que você quer dizer com...

- Ele.

Bubbles arregalou seus olhos, tapou sua boca com ambas as mãos. Pavor. Tudo que sentia era pavor. Um arrepio percorreu seu corpo por inteiro, até seu último fio de cabelo. Sentiu as penas bambas, ela iria cair.

- Ei! - O loiro a segurou, bem a tempo - Você está bem? - Boomer se preocupou com a loira, e ela percebeu isso em seus olhos. O que raios estava acontecendo?? - Sei que deve estar confusa, sente-se - Ele puxou uma cadeira.

- Não. Primeiro vou falar com minha chefe - Mesmo tonta, Bubbles se dirigiu para uma porta, pela qual apenas funcionários poderiam passar.

Ela não raciocinava. Talvez houvesse esquecido como respirar. Ou como pensar. Estava tudo muito estranho. Muito... Preocupante.

...

- Vocês... Vocês realmente mudaram? - Bubbles olhou para baixo, ela continuava zonza. Como disseminar tanta informação?

- Eu sei que não parece convincente... Eu mesmo não acreditei - O loiro segurou a mão da garota, mirando seus olhos - Mas, por favor, confie em nós. Eu juro a você, Bubbles... Estamos ao lado de vocês.

No momento em que seus olhos se encontraram com aqueles azuis intensos, Bubbles sentiu um misto de sentimentos. Ela queria acreditar. Queria muito. Mas como... Como era possível?

- Bubbles... - Ouviu ele a chamar, ela não havia parado de o encarar - Por favor.

Ela respirou fundo.

- Espero que essa seja a escolha certa... - A loira desviou seu olhar para a mão do Desordeiro, que ainda segurava a sua.

- Eu juro que será.

Os dois sorriram, mesmo sabendo o que estava por vir. 


Notas Finais


Favoritem, comentem, compartilhem. Ajudem a fanfic a se espalhar ;)
Obrigada a todos por lerem.
Beijinhos de luz.
Até breve.
<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...