História Differences make equalities - (Namjin, Vhope, Jikookmin) - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO, K.A.R.D
Personagens Baekhyun, J.Seph, Jeon Jungkook (Jungkook), Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rosé, Sehun, Somin
Tags Bangtan Boys, Bts, Jikook, Namjin, Vhope, Yaoi, Yoonmin
Visualizações 230
Palavras 1.793
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Fantasia, Ficção, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oieee. Estou morta. Aqui prazer alma eu postando mais um capítulo quase caindo no chão só pra vocês. E parabéns! Você chegou ao capítulo 10. Mas quem é 10 é você ;D #loveyourself
Boa leitura!
~
I purple you 💜

Capítulo 10 - Sentimentos


Fanfic / Fanfiction Differences make equalities - (Namjin, Vhope, Jikookmin) - Capítulo 10 - Sentimentos

Você pode rir.


"Nunca desistir quando você acha que vale a pena"?

...

- Hum... Quanto a isso... Não acho que eu realmente lutei por algo na minha vida inteira. Digo. Lógico que lutei por algumas coisas. Mas nada que ameaça-se meu estado de paz mental - disse enquanto deslizava o dedo pelo tecido cobrindo a mesa.

- Dizendo isso. Suponho então que sua vida sempre foi muito fácil.

- Não que foi fácil. Apenas não foi desafiadora.

- Que bom para você - Hoseok diz olhando pra baixo ele então parece que começou a pensar em algo pois seu sorriso desapareceu.

- ... O que foi?

- Hu? - ele então percebe e sorri novamente - Nada. Só estava lembrando do meu passado.

- Seu passado?

- Quando era mais novo eu fui abandonado pela minha mãe... No dia do meu aniversário. Ela havia me levado para um parque de diversão... E então pediu para brincamos de esconde esconde. Eu tampei meus olhos inocentemente e contei até 20. Quando abri os olhos. Eu nunca mais achei minha mãe. Sempre achei que ela tinha se escondido de mim pra sempre ah, ah - ele dá uma risada desanimada. Como se não fosse pra rir. Bem. Não é pra rir mesmo. Isso é péssimo.

- Mas depois de um ano acabei sabendo que meus pais tinham morrido num acidente de carro. E então realmente a brincadeira acabou nesse ponto. Eu sempre achava que um dia minha mãe iria aparecer. Que tudo fazia parte da brincadeira. No entanto... Eu era apenas uma criança inocente...

- ...

- Mas eu não guardo rancor... A vida é muito boa pra guardar rancor das pessoas. Você não vive assim. O melhor é esquecer...

- Eu... Sinto muito por te fazer lembrar disso.

- Hein? Oh não. Não se preocupe. Como pode ver. Eu não tenho nenhum sentimento ruim sobre isso. O importante é o presente - ele dá um sorriso enorme.

- E então você foi adotado?

- Ah? Oh não. Minha irmã mais velha conseguiu comprar um apartamento e então conseguiu pegar minha guarda para morarmos juntos. Quando conheci o Jin ele passou a me ajudar mesmo sem eu pedir nada. E aos poucos fomos começando a conseguir viver novamente. Quando terminei minha faculdade ela foi para os Estados Unidos trabalhar lá quando passou em um concurso. Desde então ela mandava dinheiro pra mim enquanto eu trabalhava de lugar em lugar. Sempre dando meus pulos ah, ah.

Espere aí.

Hoseok... Hoseok...

- Hoseok. Tem uma loja não muito longe daqui. Sua irmã trabalha lá?

- Ah? Sim. Ela voltou pra cá não faz muito tempo.

Então aquela menina é a irmã dele...

- Por que ela voltou se tinha conseguido um trabalho lá?

- Bem... Isso é uma coisa que ela não quer me falar. Mas não importa muito. Eu gosto que minha irmã esteja do meu lado depois de muito tempo.

- Que bom. Fico feliz por isso - sorri amigavelmente.

- Mas então... Falando sobre o Jin... O que você acha dele?

- Hã? Como Assim?

- Bem. O Jin por mais que não pareça ele foi um salvador pra mim. Ele foi como a mãe que eu perdi. E para você? Sei que não o conhece há muito tempo. Mas acho que já significa algo - ele apoia o rosto com as mãos esperando uma resposta minha.

- Ah... Bem... Eu não sei direito. Ele foi o primeiro amigo que tive. De fato ele é importante pra mim mesmo com tão pouco tempo. Mas não sei exatamente o que achar dele. Eu gosto dele.

- Eu entendo. Quer saber um segredo? Eu confesso que... Já teve uma época que me apaixonei pelo Jin. Não tem como não amar aquele cara. Ele é tão perfeito. Ele é gentil. Engraçado. Companheiro. Honesto. Leal. E bonito pra caramba meu deus.

Então ele é homosexual?

- Sim - confirmei pensando no Jin. Eu nunca me perguntei porque eu gosto do mesmo - E você... Não gosta mais dele?

- Já faz tempo. Eu percebi que o Jin não me olhava da mesma forma que eu. Mas eu não desisti dele. Eu continuei o amando. E com isso eu percebi o erro que cometi.

- O erro quando ele descobriu?

- O que? Não. Ele nunca soube. Por favor não conte pra ele.

- Tudo bem. Não irei contar. Mas o que aconteceu então?

- Eu estava tão cego com o meu amor falso que eu não percebi uma outra pessoa bem na minha frente completamente apaixonada por mim...

Hoseok abaixou a cabeça e fez uma cara de dor.

- Eu fui tão cego... Eu o machuquei tanto... E ele mesmo assim........ Ele... Esquece. Eu não quero lembrar disso. Pelo menos tudo terminou bem entre mim e o Jin.

- Entendi. Não vou te forçar a falar nada - falo - Legal saber que você ajudou tanto ele Hoseok. Talvez ele não estaria aqui se não fosse por você.

- Amigos são pra isso.

- Mas... Porque você está me contando tantas coisas? Tipo... Nem nos conhecemos direito... Eu sei que estou perguntando as coisas também. Me desculpe. É que pela primeira vez eu consigo conversar tanto assim com alguém que não seja da minha família. Tirando o Jin.

- Pois é né. Sabe que eu também? - Hoseok ri - Jin sabe escolher seus amigos. Ele sabe quem quer seu bem e quem não. Se ele confia em você. Então é porque você é bom. E se você é bom. Você é meu amigo também. Simples - O outro sorri e acaba de comer seu pão depois de um tempão. Viu? Viu? Rimou. Já posso ser um poeta... Ok parei.

Sorrio também.

- Não vai comer? Está uma delícia - ele pergunta.

- Não... Eu... Eu estou preocupado com o Jin. Não consigo comer quando estou preocupado.

- ... - o outro me olha curioso, mas logo abre um sorriso - Você se preocupa tanto com ele. É tão bonito ver isso.

- Eu me preocupo com quem eu gosto.

- Você é bom Namjoon.

Sorri envergonhado com seu comentário.

- No entanto é bom você não se aproximar tanto dele.

- Por que? - perguntei confuso.

- O pai do Jin não é lá uma pessoa muito amistosa sabe. O pai dele me odeia e odeia todos que são próximos do Jin. Tome cuidado com o pai dele. Ele é capaz de fazer qualquer coisa. Até matar. Ele odeia humanos.

- O pai do Jin seria capaz de fazer isso?

- Ele?... Sim. Ele só pensa em seu reino e nada mais. Se o seu único herdeiro namorar um humano, não podera dar continuidade ao império. Pois seus súditos nunca aceitarão. E assim seu reino cairá. O pai dele não quer isso de jeito nenhum. Por isso que ele quer logo que esse casamento aconteça.

- Casamento?

- É... Um casamento arranjado para que o Jin se torne um rei.

- É por isso que o pai dele odeia tanto humanos?

- Bom... Porque ele odeia eu não sei. Mas com certeza isso é um motivo a mais. Eu só te falo. Nunca se apaixone pelo Jin. É perigoso de mais.

- Não é como se eu fosse gay. Eu não sou - falo.

- Não é? Tem certeza?

- Como assim "tem certeza"?

- Você já percebeu o jeito que olha pro Jin?

- Hein?

- Parece que não.

- Gente. Desculpa o atraso.

Ouvi uma voz e nossos olhares se dirigiram ao Jin

Seu rosto estava vermelho e seus olhos inchados.

- Jin? - digo - Você... Chorou?

- Hein? Eu? Chorou? Bem... Só um pouco. Mas já passou.

- O que acontece Jinnie? - Hoseok perguntou.

- Nada de mais Hoseok. É só meu pai besta como sempre.

- Nunca é nada de mais.

- É sério. Não foi nada - Jin se senta na mesa com a gente.

- Bem... Agora que estamos aqui nós podemos nos apresentar - ele fala.

- Hã... Mas nós já fizemos isso - falo.

- Já? Nossa. Isso é que é atividade social rápida. Nem me esperam.

Eu e o Hoseok rimos do Jin que fingia estar bravo. Logo o outro também não aguentou e caiu na gargalhada com a gente.

.

.

.

Depois que Hoseok foi embora eu estava tomando um banho tentando aliviar as coisas da cabeça.

"Hoje foi um dia e tanto" pensei.

...

"O que eu acho do Jin?"

...

Porque isso esta na minha cabeça? Não tem um motivo aparente. Mas eu não consigo parar de pensar nisso. É como se eu precisasse de uma resposta.

Sai do banheiro com a toalha na cabeça eu enxugo meu cabelo e coloquei uma blusa. Pendurando a toalha em meu ombro eu abro a porta do quarto  e olho o corredor.

A porta ao lado (onde está o Jin) está fechada e a luz está apagada.

Ele já foi dormir?

Caminhei até a porta do outro quarto e quando estava perto o suficiente comecei a ouvir soluços vindo do outro cômodo.

Fiz silêncio e realmente. Vinha do quarto do Jin.

Ele está chorando?

Bati lentamente na porta e chamei seu nome preocupado.

Os soluços parou, mas ninguém veio para abrir a porta, mais preocupado ainda giro a maçaneta da porta e percebo que estava destrancada.

- Jin. Estou entrando - falo e abri a porta cautelosamente.

No quarto. Avistei uma silhueta sentada na cama.

Sem acender a luz para não irritar a visão do outro eu caminho até ele.

- O que aconteceu? - pergunto me sentando ao seu lado.

O outro não me respondia e apenas olhava pra baixo.

- Jin - levanto seu rosto para mim.

Eu não conseguia enxergar nada. Mas seu queixo estava todo molhado. Sinal de que estava chorando. E muito.

- ...

Sem falar nada eu o abraço fortemente.

- Mesmo que dê tudo errado. Eu estarei aqui pra você.

Falei e o outro começou a chorar novamente.

- Shhhhhh.

Acaricio suas costas e pouco a pouco ele foi se acalmando até um completo silêncio tomar conta do ambiente.

Sua respiração estava lenta e suave agora.

- Está melhor? - pergunto.

"Uhum" ele solta baixinho e se ajeita em meus braços.

Eu preferi não falar nada.

Sei que nesses momentos às vezes não é bom usar palavras. Pode ficar pior do que já estava antes. Ainda mais que não sou bom em consolar. Então simplesmente resolvi não falar nada.

Ele então se afasta de mim e olha nos meus olhos.

- O... Obrigado...

Sua mão vai até meu rosto e me acaricia. O toque de suas mãos fez meu coração acelerar enquanto o observava.

- Sinto que estou na perfeita paz agora. Você fez meus sentimentos acalmaram. Dificilmente alguém consegue fazer isso... Eu quero te agradecer...

- Não precisa agradecer. Apenas descanse e saiba que estou aqui pra você. Pra tudo.

- Ah... Nam...

Ele rapidamente abaixa a cabeça e encosta sua testa em meu queixo.

Tuduntuduntuduntudun*

- Muito obrigado...

Ele se afasta e me olha.

- Vou dormir então.

Permaneci parado no mesmo lugar e então notei o que tinha que fazer.

- Ah sim. Ok. Estou saindo. Boa noite. Qualquer coisa se precisar me chama - falo.

- Tudo bem.

Saio do quarto e olho pra trás para observa-lo.

Fecho a porta e dou um suspiro pesado.

Isso.

Essa sensação.

Essas batidas.

Esse toque.

O que eu acho dele?

Qual o meu sentimento em relação a ele?

Será que eu estou...


Notas Finais


Muito obrigada por ler. Até o próximo capítulo ^^💙
Bye~
~" meus sentimentos era como um muro mal construído. Eu nunca sabia se ele ia se manter em pé ou se ia cair"
~
I purple you 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...