1. Spirit Fanfics >
  2. Different Love - Longfic (Baekhyun e Chanyeol) >
  3. Tudo bem ser egoísta?

História Different Love - Longfic (Baekhyun e Chanyeol) - Capítulo 14


Escrita por: e jinpallets


Notas do Autor


Desculpem pela demora...
Eu não estava com muita inspiração, então me desculpem sem não estiver bom.
Boa leitura...

Capítulo 14 - Tudo bem ser egoísta?


Domingo. 26 de Abril.


Acordei pouco antes das onze, tomei um bom banho e vesti uma camisa branca, uma jardineira azul-clara e calcei um tênis colorido. Eu havia combinado de sair para almoçar com Natasha e o irmão dela, Jason. Havia terminado de me arrumar rápido, então ainda tinha algum tempo de sobra, resolvi mexer um pouco em meu celular. Mandei mensagem para o grupo que estava meus amigos e primas enviando as fotos de ontem, afinal eu havia batido um monte delas.


Milly: Qual deles é o Baekhyun?


Mandei uma foto apenas dele que eu havia batido discretamente.


Nando: Uau.

Ele é gato.

Aninha: Mas e o Chanyeol?

É qual desses?

É esse todo de preto.


A maioria estava com roupas de mais de uma cor Chanyeol era o único que estava de preto dos pés à cabeça.


Milly: Os dois são muito gatos.

Não são?

O Chanyeol é o admirador que eu falei pra vocês sobre.

Descobri ontem.

E eu meio que dei uma chance pra ele.

Naty: Sério isso?

Aninha: Mas e o Baek?

Milly: Você não estava totalmente na dele?


Fernando mandou uma foto tremida dele com a mão no rosto.


Ainda estou, mas eu dei uma chance para ele me conquistar.

Nando: Que tipo de dorama é esse?

Sei se eu to gostando não.

Vamos conversar direito sobre esse triângulo?

Fale um pouco sobre cada um deles.


Mandei dois áudios, um falando de Baek e outro de Yeol.


Bom, o que eu posso falar sobre Byun Baekhyun? Ele faz o mesmo curso que eu e é muito talentoso, sabe aquela camisa que ganhamos nas boas vindas, aquela pintura era dele. Ele é simpático, engraçado, o sorriso dele é muito bonito e os olhos dele são tão brilhantes e expressivos. A voz dele é tão gostosa de ouvir, sempre me chama pra almoçar com ele quando nos vemos no refeitório, quando eu me machuquei ele me levou para a enfermaria, não tinha sido nada sério, mas ele fez questão de me levar. Foi tão fofo, ele é fofo.Mandei e comecei a gravar outro áudio. — Park Chanyeol, ele é um quebra-cabeças para mim e vocês sabem que eu adoro um quebra-cabeças. Ele é um cara legal, sabe, está quase sempre com os amigos, sorri bastante, aquele sorriso de lado que ele costuma dar é uma coisa, gosta muito de sair para beber com os amigos e ele é tão alto, minha nossa, muito alto. Assim só pra lembrar, vocês sabem que eu gosto muito de caras altos, né? Ele cursa música, mano, a voz dele é grossa e o rosto dele é fofinho, sabe, me lembra até o Yoongi, porém alto e desengonçado igual a Milena.


Iara: Impressão minha ou ela está apaixonada?

Nando: Tudo pra mim a Cat toda apaixonadinha.

Por dois caras.

Milly: Threesome.

Gosto bastante.

Aninha: Já pode começar a namorar já.

Eu deixo.

Andrei: Você só esqueceu de dizer como eles são bonitos.

Beleza é o de menos.

Eles são pessoas legais.

É isso que importa.


Natasha tinha finalmente ficado pronta e disse que seu irmão já nos esperava lá embaixo, então eu encerrei a conversa bloqueando a tela do celular e guardando na bolsa. Jason era um negro tão bonito quanto sua irmã e um advogado muito bom que trabalha em uma grande firma.

Descemos nos direcionando para o carro luxuoso estacionado não muito longe entrando no veículo.

— Oi, como você está? — Perguntou olhando pelo espelho retrovisor após cumprimentar sua irmã brevemente.

— Estou bem. E você? — Respondi simplista.

— Bem, aquele foi um primeiro encontro e tanto, né? — Ele riu se virando para olhar para mim.

— Sim, aquele foi um dia e tanto, na verdade. — Falei lembrando do acontecimento.



Sexta-feira. Dia que ela foi agredida.

Delegacia. Distrito 13.

— Nat pode me ajudar? Eu estou na delegacia, um idiota me agrediu, acredita? — Falei olhando para o lado onde estava aquele idiota tentando se defender.

— Em que delegacia você está? — Questionou.

— Que delegacia é essa? — Perguntei para o policial a minha frente e repassei para Natasha a informação que ele me deu.

— Eu estou indo.

— Ok. — Desligamos. — Senhor, tem alguma coisa pra eu passar onde aquele idiota me bateu? — O homem que não estava muito longe me olhou e já ia dizer algo. — Está doendo, acho que preciso ir para o hospital. — Fiz drama. — Ele tem que se responsabilizar por isso. — Apontei para ele.

Fazia pouco tempo, talvez uma hora desde o ocorrido e o local já estava em uma coloração estranha, não estava vermelho, estava em um tom esverdeado constatei ao levantar um pouco a blusa para olhar.

— Olhe como já está. — Mostrei para o policial.

— Novato. — O policial chamou alguém que estava atrás de mim. — Arrume uma bolsa de gelo para a moça.

— Sim, senhor.

Algum tempo se passou até que Natasha chegasse, mas eu não contava que ela viesse acompanhada. Um negro alto, bonito e muito bem vestido caminhava ao lado dela.

— Oi. Então o que aconteceu exatamente? — A morena perguntou para mim.

— Resumidamente, assédio seguido de agressão física e verbal. — Respondi de maneira prática.

— O que pretende fazer? — Continuou com os questionamentos.

— Eu quero uma ordem de restrição e uma compensação pelos danos causados tanto física como psicologicamente. — Afirmei segura do que queria.

— Ok. Você pode ajudar com isso, não é, irmão? — Natasha olhou para o homem de terno ao seu lado.

— Ele é o seu irmão? — Perguntei curiosamente.

— Sim, podemos fazer as devidas apresentações depois de resolver isso. — A morena se sentou do meu lado e enquanto seu irmão conversava com o policial.

Então como o prometido, depois que saímos da delegacia, ela nos apresentou adequadamente e ele nos levou para o dormitório. O caminho foi preenchido por poucas conversas, apenas algumas perguntas aqui ou ali.

— Pagarei um almoço no domingo como agradecimento por hoje. — Afirmei, ele havia me ajudado e aquilo era o mínimo que eu poderia fazer.

— Neste domingo? — Assenti. — Desculpe, mas terá que ficar para o próximo, além do mais não precisa agradecer. Foi um prazer ajudá-la, minha irmã falou um pouco sobre as colegas de quarto dela, mas ela falou especialmente de você. Tenho que concordar que você realmente aparenta ser mais nova, ainda mais vestida assim. — Ele sorriu gentilmente enquanto fiquei emburrada de brincadeira.

Eu estava com um vestido rosa-claro rodado, um tênis branco e para completar eu estava de maria-chiquinha.

— Eu sou uma adulta já. — Fiz uma cara fofa e gestos exagerados que contradiziam minhas falas fazendo ele e Natasha rirem.



Atualmente. Domingo. 26 de Abril.

Ele nos levou para um restaurante que havia aberto recentemente perto do campus por insistência de Natasha.

— Aproveitem a refeição. — O garçom falou cordial após pôr os pratos na mesa.

— Posso perguntar uma coisa? — Jason questionou.

— Vá em frente. — Consenti.

— Você sempre se veste como uma adolescente? — Estreitei os olhos na direção dele.

Ele estava querendo caçoar de mim, como da primeira vez que nos vimos.

— Faça piada a vontade, mas não, para a sua decepção não me visto assim sempre, depende do meu humor. — Natasha riu da minha resposta.

— Posso perguntar qual humor faz você se sentir assim? Fiquei muito curioso agora. Perguntou depois de beber um pouco de água.

— Me visto assim quando estou muito animada para algo. — A morena apenas observava aquela conversa entre mim e seu irmão e eu suspeitava que ela queria que interagíssemos bastante.


Quando estávamos quase indo embora avistei Chanyeol e Baekhyun entrando no estabelecimento.

— Baekhyun. Chanyeol. — Sorri para eles.

Sabe aquela cena de Goblin quando ele e o ceifador estão andando lado a lado em câmera lenta? Juro que quando aqueles dois estavam vindo em minha direção foi quase a mesma coisa, a única diferença foi que não era em câmera lenta e eu não podia pausar. Meu coração estava estranho, cheguei a achar naquele momento que deveria ir ao médico urgente, porque ele acelerava toda vez que via os dois. Coração idiota, não faça isso comigo, não pode ficar todo agitado assim por dois homens, tudo bem que eles são incríveis, mas por mais que você queira os dois, não vai dar certo. Afinal Chanyeol já havia deixado claro que queria que eu gostasse apenas dele. E Baekhyun, bom eu daria tudo para saber seus sentimentos em relação a mim.

— Oi, Cat. Oi. — Baekhyun cumprimentou a mim e os outro dois que estavam comigo sorrindo.

— Olá. — Chanyeol cumprimentou todos, me dando um olhar significativo se demorando em meu pescoço vendo que eu usava o colar que ele me deu.

— Essa é minha colega de quarto, Natasha e esse é o irmão dela, Jason. — Chanyeol olhou para Jason e depois para mim, provavelmente se perguntando se era ele a pessoa da qual eu havia lhe falado.

— Eu vou pagar a conta. — Jason se levantou para ir pagar e eu me levantei logo depois.

— Não vai mesmo. — Apontei para Jason. — Um minuto. — Falei para Chanyeol e Baekhyun correndo em direção ao balcão do caixa.

Quando voltei para a mesa Baekhyun conversando com Natasha e não havia nem sinal de Chanyeol por perto.

— Eu disse que não precisava pagar. — Jason disse andando do meu lado.

— E eu disse que iria pagar. Veio só você e o Chanyeol? — Perguntei para Baekhyun, encerrando a discussão sobre a conta.

— Sim, os outros estão de ressaca.

— Nós já estamos indo, tenha um bom almoço. — Me despedi indo em direção a saída, mas parando no meio do caminho. — Vão na frente, eu vou ao banheiro rapidinho.

Fui no banheiro e quando sai dei de cara com Chanyeol. Ele se aproximou me encurralado na parede apoiando suas mão na mesma.

— É ele? — Eu sabia exatamente do que ele estava falando.

— Não. — Ele respirou aliviado.

— Ainda bem, ele seria um concorrente bem forte. Não pode me dizer quem é? Assim eu poderia saber se eu, de fato, tenho alguma chance. — Baixei a cabeça negando. — Tubo bem. — Se afastou indo para a mesa em que Baekhyun estava sentando de costas para a saída do restaurante e eu respirei fundo indo embora.

Olhei para Baekhyun uma última vez antes de sair do restaurante e suspirei, se ele tivesse me olhado naquele momento teria descoberto os sentimentos que eu havia mantido apenas para mim, fechei os olhos, respirei fundo e reprimi aquele sentimento. Não seja tão egoísta, Cat, isso não está certo, meu lado certinho dizia colocando o cabelo atrás da orelha. Você está querendo enganar a quem, você é egoísta de qualquer forma, vá em frente com isso, meu lado mal falava jogando os cabelos para o lado examinando as unhas pintadas de vermelho. Você sabe que isso vai magoar não só eles, mas você também, o lado certinho rebateu. Eu suspirei e por fim pensei: Mas, de qualquer forma, o que eu posso fazer se não mando nos meus sentimentos?




Tudo bem ser egoísta.

Pense apenas em si.

Pegue tudo o que quer.

Sem ao menos exitar.


Qual o problema nisso?

Você está sendo feliz.

Tire tudo, tire, tire.

Não devolva nada.


Apenas seja feliz

Não se importe, não

Com nada além de você.



Notas Finais


Espero que tenham gostado. O proximo vai ser bem mais legal, juro.
Desculpem se tiver afim erro, vou dar uma revisada amanhã...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...