História Differents Lives - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Belieber, Chaz Somers, Ídolo, Justin Bieber, Kyra Santoro, Romance, Ryan Butler, Tragedia
Visualizações 181
Palavras 1.994
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


🌸 Oii meus amores, como vocês estão? Mamãe voltou mais cedo do que o esperado.
🌸 Preparem os lenços porque até eu chorei com esse cap.
🌸 Espero que gostem e desculpem os erros. COMENTEM!!
🌸 Tradução do título: desordem, confusão, barulho, etc...

>>>>BOA LEITURA<<<<

Capítulo 20 - Clutter


Fanfic / Fanfiction Differents Lives - Capítulo 20 - Clutter

P.O.V Pietra Gabiatti

Segunda-Feira, 06 de junho de 2016, 14h00

Já faz mais de vinte minutos que Justin entrou para conversar com o diretor do hospital e nada desse menino sair de lá. O doutor que está cuidando da minha mãe disse que é normal o estado que ela está agora, por ela ter passado por uma viagem de Los Angeles até aqui e logo depois uma cirurgia delicada e demorada, o corpo dela não aguentou toda a carga que lhe foi atribuído. Segundo ele, ela irá acordar em algumas horas, no máximo dias.

O pensamento que ronda minha cabeça nesse momento é o fato de eu não poder doar sangue para ela, até onde eu sei, o filho tem sangue compatível com os pais. Isso me deixou intrigada desde a hora que o doutor falou, mas preferi deixar quieto, deve ser só paranóia da minha cabeça mesmo.

Daqui de dentro é possível ouvir os gritos das fãs do Justin lá fora, eu vi no twitter que tem algumas aqui desde a hora que souberam que iríamos vir para cá, isso é loucura total. Sentada na recepção eu conseguia ouvir perfeitamente elas gritando ‘’Justin eu te amo’’. A recepcionista me olhava de cima para baixo como se pudesse me exterminar da terra com aquele olhar frio, não sei se pelo barulho ou por eu ser a namorada do Justin Bieber.

Na TV passava alguma propagando sobre um sabonete novo que lançaram, ficar esperando em uma recepção de hospital não é nada agradável. Depois de longos e torturantes minutos o Justin apareceu com o braço dobrado. Ele doou o sangue. Levantei sem dizer nada e o abracei, o mais forte que eu consegui, ele mais uma vez está nos ajudando como nenhuma outra pessoa será capaz de ajudar, ele ajudou a salvar minha mãe.

- Você demorou, achei que tinha acontecido alguma coisa lá dentro. — sussurrei antes que ele falasse algo.

- Estava tirando o sangue para a sua mãe meu amor. — afagou meu cabelo com aquelas mão enormes.

- Você é tudo para mim. — falei já sentindo as lágrimas rolarem por meu rosto sem que eu pudesse ter controle sobre elas.

Ficamos poucos minutos abraçados, em um momento que abri meus olhos pude ver o olhar penetrante que a recepcionista estava dirigindo a nós, chegou me dar medo. Credo.

O doutor saiu de dentro das alas e veio nos avisar que eu poderia entrar para ver minha mãe, estranhamente o Justin quis ir junto. Passamos por todos os quartos e chegamos ao dela, 504. Justin apertou minha mão que estava entrelaçada na sua me mostrando que ele estava ali e que nunca ia sair. Ter ele por perto me faz ter forças para enfrentar tudo de ruim que aparece na minha vida e na nossa história que sem dúvidas está apenas começando.

Segurei na maçaneta da porta e um arrepio passou por meu corpo. Respirei fundo tentando pegar coragem para abrir e entrar. No fundo do quarto estava a cama dela com seu corpo em cima, os tubos passando por sua garganta e seu nariz fizeram meu coração apertar e as lágrimas voltaram a cair sem dó.

Senti Justin me abraçando de lado e seus dedos começarem a fazer um carinho ao longo do meu braço. Afundei meu rosto no seu peitoral molhando a camisa que ele vestia, mas parecia que isso não importava de nada para ele.

- Amor, eu queria ficar alguns minutos sozinho com ela, você se importa? — sussurrou no meu ouvido me fazendo olhar para ele.

- Sozinho com ela? Para que? — a confusão era nítida no meu rosto.

- Só alguns minutos gatinha, eu já vou sair para irmos embora.

Assenti sem pronunciar nada e lhe dei um selinho que prontamente foi retribuído, fui em direção a cama de minha mãe e dei um beijo na testa dela. Voltei para a porta abrindo-a, dei um último olhar para trás e saí do quarto.

P.O.V Justin Bieber

Pedi para que Pietra saísse do quarto pois eu queria falar algumas coisas para Amélia. Coisas que ela não precisa saber nunca.

Me aproximei da cama e meu coração doeu ao vê-la ali, pensar que poderia ser minha mãe ou alguém importante para mim me faz ter um pouco de consciência da dor que minha menina está sentindo. Me sentei na cadeira posta ao lado da cama e peguei em sua mão.

- Amélia, eu não sei se você está me ouvindo e nem se você tem capacidade de entender tudo que vou falar, mas eu me sinto na obrigação de vim aqui. Eu queria que você soubesse que eu estou completamente apaixonado pela sua filha, é, apaixonado. Há dois dias atrás eu e ela tivemos nossa primeira vez juntos e foi algo maravilhoso, em todos os momentos eu consegui sentir o medo que ela tentava esconder e eu fiz de tudo para que fosse bom para ela. Naquele momento o meu prazer ficou em segundo plano e somente o dela era importante. Eu sei que se você tiver ouvindo isso você vai querer me matar quando acordar por eu ter levado sua filha de dezesseis anos para a cama, mas eu queria te dizer que eu estou disposto a tudo por ela. Eu quero cuidar dela, amar como ninguém além de você ama. Quero mostrar o mundo para ela, levar ela e você para os melhores lugares e proporcionar as melhores lembranças. Eu não sabia o que era amor até conhecer a sua filha e ela me fazer querer estar ao lado ela a cada instante. Ontem eu a pedi em namoro e ela aceitou. Foi um dos melhores dias da minha vida, o dia em que minha menina aceitou ser minha. Eu queria muito ter feito isso na sua frente, pedir sua permissão para cuidar da sua filha como homem dela, mas infelizmente não deu. Ela chorou muito, eu tentei fazer de tudo para que fosse da forma que eu imaginei que ela sonhava. Flores, velas e uma declaração que eu nunca pensei ser capaz de fazer para alguém. Eu nunca acreditei em príncipes e princesas, mas depois de ter a conhecido eu tenho certeza que ela é a minha princesa. Eu estou aqui torcendo muito por sua recuperação. Peço a Deus antes de dormir que cuide de ti e te traga logo de volta para as nossas vidas. Estamos esperando por você. Eu, Pietra, Maria, Mike e todas as minhas beliebers queremos te ver bem e em casa logo.

Sequei meu rosto que estava todo molhado e me levantei da cadeira, depositei um beijo na testa dela e me virei saindo do quarto. Se alguma vez eu já disse palavras tão sinceras assim eu realmente não me lembro.

Fechei a porta do quarto com cuidado e saí atrás da minha garota. Quanto mais eu me aproximava da recepção mais um barulho de gritos aumentava. Abri a porta que separava as alas da recepção e tive a pior visão da minha vida.

Pietra estava jogada no chão com várias meninas pisando nela e muitos fotógrafos tentavam a qualquer custo tirar uma foto do seu rosto. Por um instante meu corpo paralisou diante daquele ataque e demorou alguns segundos para que eu tomasse consciência de que deveria fazer algo. Foquei meus olhos nela e seus olhos me olhavam em uma forma de suplica por ajuda. Saí correndo em sua direção tentando a todo custo tirar ela dali.

Os meus segurança junto com os do hospital tentavam impedir os paparazzi de tirar foto, mas eles estavam em desvantagem. Olhei para Mike e ele logo entendeu que deveria ir pegar o carro para nos tirar dali. Peguei Pietra em meus braços e o corpo dela estava mole, tremendo e gelado.

- Calma meu amor, nós já vamos embora, eu vou cuidar de você.

Fui correndo para a saída de emergência, ao abrir a porta o carro já esperava por nós. Abri a porta e entrei com Pietra ainda em meus braços, fechei após estarmos sentados direito e rumamos para o hotel novamente.

Os soluços de Pietra ecoavam por todo o carro e a única coisa que eu podia fazer era tentar passar para ela o máximo de segurança e proteção. Seus braços estavam encaixados no meu pescoço quase me enforcando. Já estava começando a doer por conta da força que ela fazia.

Pelo retrovisor Mike olhava constantemente para nós. Em uma dessas olhadas eu estava olhando também, sustentamos nossos olhares por breves segundos e fui capaz de entender o que ele passava. Era um pedido de desculpa por ter deixado isso chegar nesse ponto.

Não sei o que aconteceu para tudo ter chegado nesse nível, mas Pietra sabe e quando ela melhorar eu vou querer ouvir palavra por palavra do que ela tem a dizer. Com certeza o culpado vai pagar por tudo.

Chegamos na entrada do hotel e ela ainda estava em meu colo, entramos sem tumulto devido a todos estarem no hospital e subimos até nosso quarto. Abri a porta do mesmo indo em direção a cama e deitei minha princesa com cuidado.

Fui em direção ao telefone do quarto e liguei para a recepção pedindo que levassem até o quarto biscoitos com chá. Maria sempre me dá isso quando estou nervoso e funciona, espero que funcione com ela também.

Tirei meu tênis e minha camisa ficando só de bermuda, antes de ir até ela fui ao banheiro e liguei a banheira deixando a mesma encher. Andei até onde ela estava vendo que seus olhos estavam fechados. Passei minha mão com cuidado por seu rosto e seus olhos abriram, estavam mais escuros que o normal e sem brilho nenhum. Meu coração doeu.

Puxei seu tronco até que ela ficasse sentada e tirei a blusa que ela vestia, logo depois a calça. Seu sapato já estava fora dos seus pés.

Duas batidas na porta chamaram a minha atenção. Puxei a coberta para cobrir o corpo dela e me levantei. Ninguém precisa ver minha menina de peças intimas. Abri a porta, peguei o carrinho logo agradecendo e dando uma gorjeta para o menino.

Antes dela comer eu lhe daria um banho, seus braços e pernas estavam machucados graças aos chutes e pisões que ela levou. Deus, quem faz isso com uma criança de dezesseis anos. Ela não tem culpa de eu ter me apaixonado por ela e de estarmos juntos. Nada se resolve com violência.

Peguei-a no colo e fui para o banheiro. Coloquei ela sentada na pia e terminei de tirar suas peças intimas logo tirando minha bermuda e minha cueca. A desci e fomos para a banheira juntos.

[...]

Não rolou nada além de banho, ela estava machucada e sensível e eu nunca forçaria nada. Dei banho, lavei todos os machucados e o cabelo. Por algumas vezes pude ver resquícios de sorriso em seu rosto devido ao fato de eu estar todo cuidadoso, parecendo um gay.

Já estávamos deitados na cama, ela vestindo calcinha e minha blusa, eu somente de cueca. Sua respiração estava leve e o silêncio pairava sobre o quarto.

Olhando para seus machucados minha mente foi levada ao dia que estávamos na casa da Karla e eu recebi uma ligação anônima dizendo para eu me afastar da Pietra porque eu ia lhe fazer mal. Tudo estava fazendo sentido, eu realmente estou a fazendo mal.

Sentei na cama de forma que ela fosse obrigada a levantar e comecei a chorar sem ter controle das minhas lágrimas. Seus olhos estavam pequenos devido ao choro recente e se arregalaram olhando para mim.

- O que foi amor? Você está passando mal? —  perguntou preocupada.

- E-eu to te fazendo mal P-pietra, eu estou. — os soluços arranhavam minha garganta.

- O que que você está falando Justin? Tá doido?

- Ele tem razão, eu vou acabar com a sua vida. — o olhar perdido dela aumentou ainda mais.

- Eles quem Justin? Céus, fala algo com sentido.

- A gente tem que se afastar Pietra.


Notas Finais


Grupo no wpp: https://chat.whatsapp.com/AbVMw9nbeqs1d7OqLfENaz

Até o próximo.
Xoxo, Va!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...