1. Spirit Fanfics >
  2. Dilectus (2Won) >
  3. Hyunwoo, "Another World"

História Dilectus (2Won) - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura 💜🍭

Capítulo 4 - Hyunwoo, "Another World"


O clube dos corações partidos se encontrou na casa de Son Hyunwoo. Kihyun e Minhyuk por serem os mais bem informados sobre o namoro de Hyungwon, contavam para os demais sobre algumas coisas que achavam ser relevantes. Apesar das diferenças, os cinco garotos se uniram por um objetivo em comum: destruir o relacionamento entre Chae Hyungwon e Shin Hoseok.

— Palhaçada, isso aí - Hyunwoo se indignou.

— Acho que o Chae nunca vai casar, só vai ficar enrolando otários como nós - assim que terminou sua fala, Kihyun ficou chateado e logo lágrimas desceram por seu rosto.

— Eu sou a melhor pessoa do mundo, como esse cara não vê? - continuou Hyunwoo.

— Melhor pessoa?! Você foi o único que teve a audácia de partir o coração dele! - rebateu Kihyun.

— Aquilo foi frescura, acho que Hyungwon já queria me dar um pé na bunda e usou aquilo como desculpa. Nossa, dizer isso em voz alta machuca…

— Você é bem babaca mesmo… - murmurou Kihyun - Eu nunca faria aquilo com Hyungwon.

— Escuta aqui! - Hyunwoo apontou o dedo indicador para o Yoo.

— Dá para calarem a boca por um instante?! - Minhyuk se irritou.

Todos olharam para Minhyuk, surpresos por sua audácia. A verdade era que não importava a união do clube, nenhum deles pensaria duas vezes em pisar no coleguinha para obter Hyungwon no final.

***

Distraído, Mark andava pelo parque de diversões, seu grupo de amigos havia se separado assim que chegaram no local, uns para arranjarem alguém, outros se uniram em duplas para se divertirem a sós. O americano olhava para as luzes coloridas, para os brinquedos, para as famílias, menos para frente, o que resultou em um esbarrão em uma muralha.

— Desculpe - engoliu em seco.

— Olha por anda anda, moleque! - o homem se estressou fácil.

— Não precisa falar assim, acidentes acontecem!

Hoseok por estar por perto, juntamente de seu namorado, tentando pegar um ursinho rosa choque para o mais novo em uma máquina, escutou a voz alterada de seu amigo, isso o fez ficar atento e procurar pelo garoto, Hyungwon foi logo atrás de si.

— Só pode ser carma - o Chae falou quando encontraram Mark e Hyunwoo discutindo por motivos fúteis.

— Algum problema por aqui? - Hoseok se colocou entre os dois.

— Não… - Hyunwoo respondeu olhando para o Shin de cima a baixo - Ora, ora, Shin Hoseok, finalmente nos encontramos! - exclamou ao reconhecer o garoto, afinal, Minhyuk e Kihyun lhe deram uma ficha detalhada sobre o mesmo.

— E quem é você? - franziu o cenho.

— Son Hyunwoo - se apresentou convencido.

— Não conheço - piscou os olhos, confuso.

A conversa parecia tão sem sentido que os quatro rapazes se encararam por uma fração de segundos, e foi Hyungwon que acabou com aquela cena tosca:

— Vamos embora, Hoseok… - segurou de modo delicado o braço do companheiro - Mark, você também vem?

— Claro!

— Nós nem conversamos ainda, Hyungwon - falou Hyunwoo.

— Conhece esse cara? - indagou Hoseok para o mais alto.

— A gente conversa depois, só… Vamos logo, quero ir para casa, por favor - sussurrou apenas para Shin escutar.

Ignorando totalmente a presença do Son, o trio lhe deu as costas e foi embora do parque. Entraram no carro de Hoseok e o caminho foi silencioso, chegou a ser desconfortável.

Dentro da casa de Hoseok e seus amigos, Hyungwon em passos apressados foi até o sofá e se sentou exausto. De fato, Hyunwoo havia mudado, ninguém é o mesmo de um, dez ou até mesmo cinquenta anos atrás, porém o garoto lhe deixou com um pé atrás.

Esse é o efeito da traição.

O namoro de Hyungwon e Hyunwoo foi o único em que o Chae não se sentiu suficiente, foi o único momento em que aparentemente não deu o melhor de si.

— Quer me contar sobre o que foi aquilo? - Hoseok lhe entregou um copo d'água e sentou ao seu lado no sofá, Mark apenas observava do canto da sala de estar.

— Ele foi meu terceiro namorado… Son Hyunwoo é meio complicado - sua voz saiu trêmula.

"Hyungwon tinha acabado de sair da casa dos pais, se mudou para um apartamento simples, mas pelo menos era um lar para chamar de seu. Decidiu dar uma festa para comemorar, chamou seus amigos, pediu para eles chamarem mais amigos e apesar de festas grandiosas não fazerem seu tipo, estava disposto a conhecer pessoas e iniciar amizades diferentes nessa sua nova fase.

Durante a festa, o Chae não percebeu, porém era observado de longe por um convidado específico, no caso, Son Hyunwoo. Aos olhos do mais velho, Hyungwon era como uma notícia boa, uma novidade que fazia seu corpo querer mais, embora não o conhece de fato.

Na cozinha, pegando na geladeira mais uma lata de refrigerante sabor limão, seu favorito, Hyungwon sentiu que não estava sozinho no cômodo e olhou para trás, se deparando com um rapaz de sorriso tímido, olhos pequenos e braços musculosos que ficava nítidos na camiseta branca que trajava.

— Precisa de alguma coisa? - o anfitrião perguntou.

— Sabia que o Michael Jackson tentou comprar a Marvel só para fazer o papel do Homem-Aranha no filme? - o nervosismo do rapaz o fazia dizer coisas aleatórias.

— Do que você está falando? Isso é verdade? - pendeu a cabeça para lado.

— Não sei… Essa é a minha resposta para as duas perguntas... - se sentiu tolo por estar estragando suas chances com Hyungwon.

[…]

O passeio dos dois garotos havia terminado, no entanto aquele não era o fim do encontro. O mais novo convidou Hyunwoo para entrar em seu apartamento, e o rapaz não pensou duas vezes.

Os garotos contaram um para o outro suas histórias engraçadas do passado, tiraram fotografias na câmera polaróide do Chae, dançaram corpo a corpo pela sala, não havia música, eles apenas imaginavam tudo. Já era tarde da noite, os até então amigos não queriam se despedir, simplesmente não tinham coragem de estragar o clima que foi pintado ali.

— Se disser que quer que eu fique, eu vou mudar de ideia - Hyunwoo disse segurando a maçaneta da porta.

— Fica - falou Hyungwon determinado.

[…]

Uma olhada nada discreta, no entanto para Hyungwon era como se Hyunwoo tivesse se deitado com aquela mulher. Para o Chae, assistir vídeos eróticos e trair eram coisas semelhantes que não entravam em sua cabeça, uma completa falta de respeito ao seu ver.

— Hyungwon, era só um pornô! Eu nunca te traí! - gritava para o mais novo.

Naquele dia de domingo, Hyungwon quis fazer uma surpresa para o namorado e o visitar em sua casa, preparar um café da manhã especial e quem sabe fazer umas certas coisinhas a mais em seguida. Porém, sua ideia voou pelos ares assim que entrou no quarto do Son e o pegou assistindo em seu notebook um vídeo heterossexual suspeito.

— Você vai me trocar por uma garota? Não está satisfeito comigo? - falou trêmulo, queria chorar, porém a vontade de não dar aquele gostinho para o garoto era ainda maior.

— Eu só estava entediado e peguei o notebook… Uma coisa levou a outra, nada de mais! Por favor, Hyungwon… Eu nem estava me masturbando - engoliu em seco, tudo que dizia parecia piorar sua situação.

— Terminarmos aqui - disse frio, saindo daquela casa rapidamente e de cabeça erguida.

[…]

Pensando um pouco na proposta do ex-namorado, Hyungwon acabou aceitando se encontrar com o mesmo na estação de trem, pois era lá que o Son desembarcava quando voltava para casa após o trabalho.

Sentaram-se nos bancos de espera, Hyunwoo estava tão constrangido, nunca pensou que Hyungwon fosse pirar por vê-lo assistindo um simples vídeo pornô. O mais novo, por outro lado, se sentia traído de verdade, foi como se não fosse capaz de satisfazer o Son, e que esse precisasse dar prazer superficial a ele mesmo por sua causa.

— Eu não queria ter feito essa bagunça… - Hyunwoo começou a dizer - Sinto muito por ter te chateado, essa nunca foi a minha intenção. Vamos parar a fita e rebobinar, o que acha? Nos dê uma chance, por favor.

— Acho que não estou mais apaixonado por você, Hyunwoo - abaixou a cabeça e fitou os próprios pés.

Aquela frase foi como um punhal no coração de Hyunwoo.

— Posso te fazer se apaixonar de novo - segurou a mão fria do rapaz e a acariciou.

— Estou decepcionado.

— Sem você eu sou um nada.

— Tudo é "eu", "eu", "eu" para você, então eu me pergunto… Você se importa com alguém que não seja si próprio, Son? Pense nisso…

Levantou ao ver trem se aproximar, olhou uma última vez para seu ex-namorado, negou com a cabeça e embarcou o mais rápido que conseguiu. Hyungwon naquele momento rompeu sua relação com tudo que acreditava no quesito Son Hyunwoo."

— Você terminou com o cara só porque ele assistiu pornô? Isso é normal - Mark se intrometeu.

— Não para mim - respondeu ácido.

— Tuan, o que você ainda está fazendo aqui mesmo? - indagou Hoseok, se fazendo de desentendido.

— Aff, está bem… - revirou os olhos - Vou para o meu quarto, pai - disse sarcástico e se retirou do local.

Hyungwon sempre teve a vida perfeita na medida do possível, estava acostumado a ter todos os rapazes aos seus pés e a verdade é que ele não queria que nenhum garoto que lhe pertencesse corresse atrás de outra pessoa, até mesmo indiretamente. Antes de Hyunwoo, não existia as palavras "insuficiente", "trocado" e "insatisfeito" em seu vocabulário, disse ao Son em determinado momento que pensava que o garoto agia como se o mundo girasse ao seu redor, mas talvez…Hyungwon também tivesse um pouco desse ar convencido dentro de si.

— Eu sou exagerado, Hoseok? - deitou a cabeça no ombro do mais velho.

— Não, acho que todo mundo tem opiniões incomuns às vezes, e em determinadas questões… - falava suave para acalmar o namorado - Por exemplo, eu não iria gostar se alguém deixasse o volume da televisão em um número que não fosse múltiplo de cinco, já briguei com o Jackson por isso - acabou fazendo Hyungwon rir.

— Então está tudo bem ser explosivo por motivos fúteis de vez em quando? - perguntou divertido.

— É isso que nos torna humanos, não é? - deu de ombros - Só não mate ninguém por esses certos motivos.

— Bobo - deu um tapa fraco no braço do namorado.

"Aliás, se não fosse esse motivo tosco, eu não estava namorando com você agora", Shin pensou em dizer, porém mudou de ideia no caminho.

***

Fazendo uma caminhada, seu exercício diário logo pelas manhãs, Hyungwon escutava sua playlist tocar em seus fones de ouvido e olhava ao redor para observar a paisagem. Levou cerca de meia hora para ir e mais meia hora para voltar para casa.

Chegando em seu lar, tomou um banho para tirar a fina camada de suor de sua pele, depois vestiu roupas confortáveis, decidiu deixar seu cabelo secar naturalmente e logo foi para a cozinha fazer seus famosos biscoitos de chocolate veganos, receita essa que Hoseok mais gostava de saborear.

Assim que deixou os biscoitos assando no forno, foi até a sala e ligou a televisão, queria assistir ao noticiário. A reportagem era bem objetiva e possuía o intuito de comover a população: os bancos de sangue se encontravam com seus estoques quase totalmente vazios, pois era um período em que as pessoas não costumavam fazer muitas doações.

— Melhor eu ir no banco de sangue mais tarde.

***

O rapaz havia feito todos os procedimentos antes da doação, passou por uma triagem no local e não tardou para o chamarem para se direcionar a sala em que a doação seria feita. Hyungwon sentou na poltrona, a enfermeira retirou o sangue que seria levado para exames, depois se deu início a doação de meio litro de sangue.

Certamente seus exames, assim como foi a triagem, dariam todos negativos para detalhes que impedissem alguma transfusão futura, pois o garoto era cuidadoso com sua saúde.

— Hyungwon!

Ao escutar seu nome ser chamado, ainda na poltrona, e com o braço esquerdo perfeitamente esticado enquanto o sangue era retirado, olhou ao redor para ver quem havia sido. A figura ao seu lado, também fazendo a boa ação, não era exatamente a primeira pessoa que gostaria que fosse.

— Fala o que você quer, Hyunwoo - falou entediado.

— Faz alguns anos, me perdoa.

— Minhyuk e Kihyun já vieram atrás do Hoseok e de mim, aí... Você aparece também e me lembra de que nunca vou ser feliz ao lado de alguém. Toda vez que começo um namoro, vocês voltam, e com mais um cara novo, meu recente término, quero dizer, para me infernizar… E esse é um ciclo sem fim, eu termino meu atual namoro, começo outro e vocês surgem para me encher a paciência! Pedi ao Hoseok para ter paciência com vocês, espero que tenham a decência de fazerem o mesmo - pegou fôlego após a fala.

— Não sou eu o problema, nem os garotos e nem você. Deve ter alguma razão… De qualquer forma, não quero falar de outros, quero falar sobre nós.

— Não existe "nós" - fez uma cara enojada.

— Deixe eu te fazer feliz, prometo de levar para  um outro mundo!

— Que mundo? O mundo pornográfico? - indagou em um sussurro a última parte, afinal a sala continha outros doadores.

Hyunwoo fez uma careta de quem bebeu suco de limão sem açúcar, uma feição azeda. Só queria voltar para aquele maldito dia e ter jogado o notebook pela janela de seu quarto ao invés de digitar besteiras na pesquisa do Google.

— Por que, de todos os outros, você pegou mais raiva justamente de mim?

— Você me constrangeu - deu de ombros.

— Não vou receber seu perdão, poxa?!

— Já te perdoei - revirou os olhos, estava farto do assunto.

Para a felicidade do Chae, a enfermeira retirou os utensílios de seu braço, avisou que já estava liberado e poderia ir até a lanchonete se alimentar antes de sair do banco de sangue. Hyungwon agradeceu, pegou um protocolo para acessar os resultados de seus exames on-line dentro de duas semanas e antes de sair do lugar, Hyunwoo lhe disse:

— As palavras são apenas palavras enquanto você não as trouxer para a vida, sacou? Não minta dizendo que me perdoou, mas você deveria realmente fazer isso de verdade, meu erro não foi proporcional a sua sentença.

Hyungwon  no decorrer dos anos ainda não havia aprendido a ser insuficiente às vezes, ou ele é especial em um relacionamento ou não é nada. Uma dica? Não pense em outras pessoas enquanto namorar com Chae Hyungwon.

Essa é uma das condições.


Notas Finais


Hyungwon exagerou?

Doem sangue!

Até, pessoal ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...