1. Spirit Fanfics >
  2. Dimensão 10 >
  3. A escolha

História Dimensão 10 - Capítulo 25



Notas do Autor


-João: Ué, cadê o meu sanduíche que eu pedi para você comprar?

-Mark: Não deu, acredite.

-João: Você saiu para comprar meu sanduíche e volta de mãos vazias?

-Mark: ME DEU UMA CAGANEIRA NO MEIO DA RUA!

-João: Ah, só isso? Poderia ter trazido meu sanduíche igual.

-Mark: Podia, que podia realmente podia, mas é que você sabe que a mente humana e o intestino às vezes não se comunicam.


(Mark largando uma chave em cima da mesa)


-João: Mark, que chave é essa? De quem é esse carro?

-Mark: Esse carro é o carro que eu comprei, nosso novo transporte.

-João: (Gritando) VOCÊ COMPROU UM CARRO?!

-Mark: (Gritando) EU ESTAVA COM CAGANEIRA, JOÃO! EU ENTREI NA CONCESSIONÁRIA, PELO AMOR DE DEUS, O CARA ESTAVA ME OLHANDO, EU IA CAGAR O BANHEIRO INTEIRO DELE E IA SAIR COM A CARA FELIZ E NORMAL? EU PRECISAVA DISFARÇAR PARA AS PESSOAS NÃO DESCONFIAREM!

-João: Caralho Mark!

-Mark: Porra, é um Cobalt.

-João: Você não queria um prisma?

-Mark:(Gritando) UM PRISMA TINHA UMA PAPELADA ENORME PARA PREENCHER JOÃO, E EU NÃO PODIA PERDER TEMPO!

-João: Vem cá, e com que dinheiro você comprou esse carro?

-Mark: Com o dinheiro que eu peguei no banco.

-João: (Gritando) QUE BANCO, VOCÊ NÃO SABE NEM O QUE É CONTA CORRENTE!

-Mark: (Gritando) QUANTAS VEZES EU VOU TER QUE TE FALAR QUE EU ESTAVA COM CAGANEIRA INFERNO! EU COMPREI COM O DINHEIRO QUE EU PEGUEI NO BANCO!

-João: (Gritando) CARALHO MARK, VOCÊ ROUBOU O BANCO?

-Mark: (Gritando) EU ENTREI NO BANCO PARA CAGAR, TODO MUNDO ME ENCARANDO, A MERDA COM A LINGUINHA PARA FORA, AS PESSOAS ME JULGANDO PORRA!

-João: (Gritando) VOCÊ SABE A DESCREDIBILIZADA QUE ISSO NOS DÁ COMO SALVADORES DAS DIMENSÕES?! POR QUE VOCÊ FEZ ISSO?!

-Mark: (Gritando) MAS EU NÃO ROUBEI O BANCO PORRA!

-João: Não? Então como você conseguiu o dinheiro?

-Mark: (Gritando) EU TINHA NA MOCHILA O CARTÃO DA ALLASTOR, QUE EU TINHA FICADO DE DEVOLVER À DUAS SEMANAS, AI EU LEMBREI QUE COM DINHEIRO EU PODERIA COMPRAR O CARRO E CAGAR NO BANHEIRO DA CONCESSIONÁRIA! LOGO DEPOIS, EU FUI ATÉ O BALCÃO DO BANCO, AI EU OLHEI PARA O ATENDENTE, ELE OLHO PARA MIM E A MERDA ALI EM BAIXO QUASE SAINDO. O CARA FALOU QUE ELA TINHA 200 MIL NA CONTA E EU RETIREI TUDO.

-João: Vish, ela não vai gostar nada disso. Como você vai explicar isso para ela?

-Mark: (Gritando) EU VOU DIZER QUE ESTAVA COM CAGANEIRA PORRA!

-João: Haja paciência! Depois eu devolvo o que sobrou do dinheiro dela ao banco. Bom, vá no banheiro e depois descansar, eu assumo hoje.

Capítulo 25 - A escolha


Fanfic / Fanfiction Dimensão 10 - Capítulo 25 - A escolha


Mark, João, Allastor, Jasminne e Emilly foram em busca do tal traficante esse que Mega tinha mencionado. Não foi difícil de encontrar ele, já que o próprio não faz questão de se esconder. Chegando no local fomos recepcionados por um capanga de 2 metros de altura e com braços que pareciam duas toras de madeira.

Capanga: Fiquem aí mesmo!

Mark: Precisamos falar com seu chefe.

Capanga: O chefe está ocupado, voltem no dia de São nunca! Eu sei bem quem são vocês, as notícias do grupo de pessoas que promoveram a paz entre dois povos chegaram até aqui também.

João: Então deve saber que não estamos aqui para brincadeira.

Jasminne: Sim, e não vamos sair daqui sem falar com seu chefe.

Capanga: Aah vocês vão sim!

Foi quando o homem tocou no braço de Mark e foi o acertar com um soco, nisso Allastor surgiu em sua frente e lhe deu um golpe que o arremessou a uns 9 metros de distância.

Capanga: Hum, olha só, a moçinha é forte até, vamos ver!

Nisso ele se levantou e correu na direção de Allastor, mas eu lancei uma de minhas flechas no chão e logo Mark colocou sua espada por cima da flecha, a cobrindo por completo. A flecha explodiu, e o impacto da explosão fez com que Mark fosse jogado para cima, bem na direção do tal capanga! Ele se assustou e tentou se proteger, mas Mark o acertou um soco fazendo com que quase perdesse a consciência.

Mark: E aí? Já chega?

Capanga: Hum, vermes!

Nisso ele lançou uma granada em minha direção, Mark com sua espada a rebateu com toda sua força, a jogando para longe dali!

(Enquanto isso, alguns metros de distância de onde nossos heróis estavam)

Hermenegildo: Aaah finalmente! Aqueles garotos me fizeram perder o emprego. Mas aqui nesse novo planeta posso recomeçar, com essa bela casa que comprei!

Foi quando a granada que Mark arremessou entrou pela janela dentro da casa de Hermenegildo.

Herminegildo: O quê? GRANADA!

Ele conseguiu se salvar, mas sua casa...

Herminegildo: MAS QUE COISA! SÓ PODE SER PIADA!

(Voltando aos nossos "heróis")

Depois disso seu capanga desmaiou. Então adentramos o lugar, do qual haviam no mínimo 20 homens armados lá.

Traficante: Ah que devo essa visita inesperada?

Allastor: Viemos bater um papinho com você sobre o Mega.

Traficante: Aaah o grandão, claro, como eu ia esquecer.

Mark: Ele não quer mais vender sua mercadoria, pedimos encarecidamente que o deixe em paz.

Traficante:(Gargalhada) Hahaha, você realmente acha que eu vou cooperar?

Allastor: Eu estava torcendo para que dissesse isso!

Foi quando Allastor pegou suas facas e imediatamente o traficante mandou seus outros capangas apontarem suas armas para nós.

Traficante: Não brinque com fogo, que você vai se queimar gatinha! Não tem motivos para me acusarem de nada.

Allastor: Aah não se preocupe com isso, eu sou um demônio, além de não me queimar, tenho todos os motivos de que preciso para acusar você!

Nisso seus capangas atiraram contra nós. Com a espada de Mark ele fez uma parede de energia.

João: Okay...eu tenho uma flecha aqui perfeita. Quando eu mandar você baixa a parede de energia.

Mark: Beleza!

João: AGORA!

Quando Mark baixou, eu lancei minha flecha no teto do lugar, ela puxou como se fosse um ímã todas as armas para ela lá em cima.

Emilly: Beleza, vocês já se divertiram, agora é minha vez! Vou interrogar ele.

Allastor: Você? Jura? Nem sonhando, eu vou.

Jasminne: Aí que saco vocês duas, eu faço isso.

Traficante: Eu não vou liberar ele, podem esquecer.

Allastor: Temos meios de fazer você cooperar!

Traficante: Vai fazer o quê? Me sequestrar?

Allastor: Humm, eu prefiro chamar de "transferência de local não solicitada".

Jasminne: Moço, qual seu nome?

Traficante: Cláudio.

Jasminne: Então, na força bruta não vai adiantar né. O que podemos fazer para quitar a dívida do senhor Mega? Que não seja vender sua mercadoria.

Cláudio: Hum. Podem me arrumar o dinheiro, simples.

Emilly: Ótimo! Como vamos arrumar essa quantia?

João: Não faço ideia. Poderíamos pedir doações né?

Emilly: Tive uma ideia! Na cidade vai rolar um evento amanhã, é uma competição, o vencedor leva o prêmio!

Mark: Competição de quê?

Emilly: Aah vão ter algumas provas de força, resistência, velocidade e por aí vai. É simples, o dinheiro do prêmio é mais que suficiente para quitar a dívida.

João: Ótimo, vamos arrumar o dinheiro e aí você deixa o Mega em paz, trato?

Cláudio: Ninguém sai desse tipo de coisa garoto, acredite.

Allastor: TRATO?

Cláudio: Trato...

Então, saímos dali felizes, pois a missão estava quase encerrada, e foi extremamente fácil comparada as outras. Chegando na casa do Mega...

Mega: Vocês voltaram! E aí, como foi?

Mark: Amanhã vamos conseguir o dinheiro e sua dívida será quitada meu amigo!

Mega: Ótimo! Então, podem passar a noite aqui se quiserem, tem 2 quartos de hóspedes e é melhor que ter que andar de volta até o Zaton.

João: Pessoal?

Mark: Por mim tudo bem.

Emilly/Allastor/Jasminne: Por mim também.

Então, nos dividimos e passamos a noite na casa do Mega. Eu, Jasminne e Emilly ficamos em um quarto, enquanto Mark e Allastor ficaram em outro.

(Quarto do João com as meninas)

João: Jasminne...sobre o que você falou quando quis entrar na equipe...

Jasminne: Sim, prossiga...

João: Eu só quero dizer que eu...

Emilly: Dá para calarem a boca? Estou tentando dormir aqui!

Jasminne: Aí só um segundo! Continue.

João: É só que...a deixe para lá, depois a gente conversa.

(Quarto de Mark e Allastor)

Mark: Só queria agradecer por ter me salvado de um puta soco daquele grandalhão hoje, obrigado.

Allastor: Eu não fiz isso por você.

Mark: Nãooo, você fez isso por mim!

Allastor: Não fiz não.

Mark: Aposto que fez!

Allastor: Não, certeza que não fiz!

Mark: Fez por mim.

Allastor: Fala de novo se for homem!

Mark: Você fez por mim. Vamos tirar na moeda então, cara fez por mim, coroa fez por mim.

(Mark jogando uma moeda para cima)

Mark: E eu não vou nem olhar, porque eu sei que você fez por mim.

Allastor: Você é incansavelmente irritante!

Mark: Olha, eu não sei nem como agradecer. Mas eu sei como te abraçar!

Allastor: NÃO!

(Mark abraçando Allastor)

Mark: Isso vem cá! Pele com pele, contato humano!

(Barulho de faca)

Mark: Tem uma faca na minha perna?

Allastor: É, tem uma faca na sua perna.

Mark: Eu vou me afastar então...

Allastor: Ótimo! Não gosto muito de abraços...

Então, todos foram dormir.

No outro dia de manhã...

Emilly: Todos prontos né? Vamos indo, no caminho discutimos quem vai fazer as provas.

Mark: Não é melhor todos nos inscrevermos? Assim se um perde o outro ainda tem chance.

Emilly: Não.

Jasminne: Por quê?

Emilly: Porque eu disse não.

Allastor: Pois é, mas como você não manda em mim, eu irei participar.

Mega: Bom dia pessoal! Dormiram bem?

Jasminne: Demais!

Mark: Ah... Mega, posso fazer uma pergunta capciosa e indiscreta?

Mega: Ué, acho que pode.

Mark: Não me leve a mal, até porque quem sou eu para julgar o estilo de alguém né? Mas...por que você anda tão bem vestido de terno, mas usa esses chinelos que parecem mais velhos que o tênis do mutante Rex do meu amigo?

João: Ooou, dá um tempo aí!

Mega: Bom... minha mãe conseguiu se recuperar após o tratamento, mas o traficante Cláudio mandou a matar depois de eu ter recusado vender as outras mercadorias dele. Eu fui enrolando ele através dos anos, mas agora não tive mais dinheiro.

Mark: Tudo bem...sinto muito. Mas ainda não respondeu minha pergunta.

Mega: Quando eu era criança, tive uma doença grave que quase tirou minha vida. Mamãe orou e disse que se eu fosse curado, ela usaria chinelos a vida inteira dela. Quando cresci já nem tinha lembranças desse ocorrido, pois era muito novo. Então quando tive condições melhores de vida, fiz uma pequena festa de comemoração, comprei um vestido e um sapato lindo para mamãe usar. Ela chegou na festa com o vestido, mas ao invés dos sapatos que eu havia comprado, ela apareceu de chinelos. Isso me enfureceu, briguei com ela e a mandei para casa. Pouco tempo depois ela foi assassinada a mando do Cláudio. Ela me deixou uma carta explicando o motivo de sempre utilizar os chinelos...achei que seria uma boa forma de honrar ela e me redimir um pouquinho que seja se eu prometesse usar chinelos a minha vida inteira.

Jasminne: Aah querido...sinto muito por você. Mas ela está em um lugar melhor agora, orgulhosa de você!

Mega: Enfim, chega disso, podem ir indo. Levem esses pães e comam no caminho, para dar forças.

Então, fomos a caminho da cidade. Chegando lá Emilly e Allastor correram para o lugar onde se fazia a inscrição para a competição.

Homem: Bom dia meninas! Posso ajudar em algo?

Allastor/Emilly: Eu quero me inscrever no torneio!

Homem: Calmem, uma de cada vez. Quem vai primeiro?

Allastor/Emilly: Eu vou me inscrever primeiro!

Allastor: Sua barata de esgoto!

Emilly: Sua lombriga de dejetos fetais!

Allastor: Eu já disse que eu vou me inscrever primeiro.

Emilly: Não, eu vou me inscrever primeiro.

Narrador: As inscrições serão encerradas em 5 minutos.

Homem: Garotas, por favor, decidam-se logo.

Allastor/Emilly: Já falei que eu vou primeiro!

Homem: Ah... não tem jeito. Vamos fazer assim, eu tenho aqui uma moeda que pode servir para um cara ou coroa.

Allastor: Que coisa mais arcaica.

Emilly: Você só diz isso porque sabe que vai perder.

Allastor: É mesmo? Pois eu digo que te venço até no cara ou coroa.

Homem: Certo, o que vocês escolhem?

Allastor/Emilly: Eu quero cara!

Allastor: Você já está me irritando.

Emilly: Eu já estou quase a ponto de te socar.

Allastor/Emilly: Eu quero coroa!

Emilly: Para de me imitar!

Allastor: Você é que está me imitando.

Homem: Vamos deixar dessa forma; a morena gótica de seios fartos fica com coroa, enquanto a loirinha de olhos verdes e bumbum empinado fica com cara. Está bom assim para vocês?

Allastor/Emilly: Do que você me chamou?

Homem: Ai meu saco cabeludo, essa porra não termina nunca.

Allastor: Tudo bem, me parece justo.

Emilly: Para mim também!

Homem: Ótimo, então vai ser isso.

Então ele lançou a moeda para o ar. Quando caiu viram que tinha parado em cara, então Emilly se inscreveria primeiro.

Emilly: Eu já sabia!

Allastor: Vaca!

Então, as duas se inscreveram e voltaram discutindo até onde nós estávamos.

Allastor: Você vai levar a maior surra!

Emilly: Isso nós vamos ver!

Mark: Essas duas em, sempre competindo.

João: Pois é.

Narrador: Inscrições encerradas! Favor se dirigir ao portão número um, onde começará em instantes a primeira prova que é de velocidade! Os participantes terão que completar o percurso, o primeiro a chegar no final vence!

Emilly: Vai comer poeira!

Allastor: Hahaha, iludida ela!

João: Quantas provas são?

Jasminne: Três. Velocidade, força e resistência.

(Olhando para os leitores) Mark: Roteirinho fraco em gente.

Jasminne: Com quem ele...

João: Melhor deixar isso de lado, vai por mim.

Narrador: Eeee valendo a primeira prova!

Nisso Allastor e Emilly correram em uma velocidade que eu nunca tinha visto antes. Deixaram todos os competidores para trás em questão de segundos. Qualquer uma poderia vencer, afinal o tempo estimado da corrida era de 40 minutos, mas ambas já estavam próximas da linha de chegada em apenas 2 minutos, enquanto era apenas uma que cruzaria a linha de chegada primeiro....então Emilly cruza a linha de chegada antes de Allastor, ganhando por apenas 2 centímetros, mas ganhou!

Emilly: Acho que você deixou sua dignidade cair no meio da corrida.

Allastor: Ah, é? Isso é o que vamos ver! Ainda tem mais duas provas.

(Enquanto isso na casa do Mega)

Mega: Bom, finalmente o presente deles está pronto! Ufa, dei duro nesse, mas é o mínimo que eu poderia fazer depois deles estarem me ajudando assim.

Foi quando Cláudio adentrou o lugar com 8 capangas apontando armas para Mega.

Cláudio: Olha só o que temos aqui! Mega, quanto tempo!

Mega: Cláudio...o que você quer? Sua dívida será quitada hoje!

Cláudio: Eu sei, mas eu não estou aqui por ela. Um tal de Zaratus veio falar comigo, ele ficou sabendo que um grupo de "heróis" está conspirando contra ele, e coincidentemente um grupo de pessoas apareceu ontem lá no meu cantinho a mando seu. Ele pediu que eu eliminasse eles, não sei por que sendo que pelo visto esse cara tem poder para fazer isso ele mesmo, vai ver não quis sujar as mãos. Enfim, sabe que horas eles voltam ou onde vão passar a noite?

Mega: Eu não vou dizer nada!

Cláudio: Sabe, eu tenho uma lista das piores dores que se pode sentir. Vamos passar por ela. Número um, vou dobrar uma coisa, uma coisa que não foi feita para ser dobrada!

Mega: Calma cara, não precisa disso. Eu não vou passar nem da primeira, eu sou sensível...eu chorei quando cancelaram carrossel. Eu falo tudo que você quiser saber, menos onde eles ficarão.

Cláudio: E essa foto? Quem é? Sua filha?

Mega: Não...

Cláudio: Mega... você sempre foi um péssimo mentiroso. Você aí, leve essa foto e localize a garota!

Mega: NÃO! TUDO BEM! EU FALO...Eles irão passar a noite aqui novamente.

Cláudio: Ótimo. Aqui eles não estarão esperando, vai ser mais fácil. Segure esse controle.

Mega: O que ele faz?

Cláudio: Causa um explosão de calor e energia, ninguém seria capaz de sobreviver a isso. Faça com que entrem aqui. Deixe a janela da frente aberta, um capanga meu estará observando para ter certeza de que você não tentará me tapear, após isso é só apertar o botão vermelho, simples.

Mega: Mas...

Cláudio: Se tiver alguma objeção, podemos falar com sua filha.

Mega: Não...tudo bem.

Cláudio: Ótimo! Vamos indo rapazes.

Mega: (Pensamentos) Vou mover o presente que fiz para uma área mais distante do raio da explosão...

(De volta a competição)

Narrador: E agora a prova de força! Veremos quem é o mais forte daqui. Quem conseguir levantar o maior peso vence!

Todos os competidores ficaram posicionados na frente de imensos blocos de pedra. Emilly ergueu o bloco com um braço. Allastor segurou com um braço e equilibrou o bloco em cima de um dedo apenas!

Allastor: Alguém me traga um café enquanto seguro essa coisinha?

Emilly: Está se achando né? Debochada!

Allastor: Eu? Jamais.

Narrador: Hora de aumentar um pouco a dificuldade! Aumentando a pressão e o peso dos blocos!

Outro competidor: Eu não aguento mais!

Foi quando Allastor precisou segurar com a mão. Emilly precisou utilizar as duas mãos...o peso daquele imenso bloco ia aumentando e aumentando. 2 horas e 50 minutos já haviam se passado e todos os outros competidores, exceto Emilly e Allastor, já tinham desistido antes dos 20 minutos.

Emilly: Vai desistir?

Allastor: Não vou soltar isso antes de você, nem que meus braços sejam quebrados no processo.

Narrador: Incrível! Enquanto vários competidores experientes e marombados choraram para aguentar 16 minutos em 800 kg, as duas moças estão aguentando mais de 120 toneladas, em um prova que já dura quase 3 horas.

(João, Mark e Jasminne na plateia)

Mark: Caralho, elas são fortes mesmo!

João: Eu não aguentaria nem 1% disso!

Jasminne: É realmente incrível ver o quão fortes e resistentes elas são. Lá em Lupulus, Perce e Wanderley sempre diziam que mulheres nunca seriam capazes de os superarem em questão de força.

João: Queria ver eles falarem isso na cara da Allastor ou da Emilly.

Mark: Aqueles dois estão anos-luz atrás delas.

João: Na verdade, anos-luz é uma unidade de distância, não de tempo. É um erro comum.

Jasminne: Será que eu também consigo ter essa força algum dia?

João: Claro que consegue! Você é muito determinada naquilo que quer. Basta apenas nunca desistir.

(De volta a disputa)

Emilly: Aiiii! Não estou aguentando mais!

Allastor: Nem eu, mas como já disse antes, não vou largar antes de você! Sou experiente em aguentar a dor numa boa!

Passaram-se mais 8 minutos e o peso agora já era de 133 toneladas. Ambas já estavam no seu limite e prestes a soltar o bloco. Emilly veio a soltar alguns segundos antes de Allastor.

Narrador: E a vencedora dessa prova é Allastor!

Allastor: Não chora tá?

Emilly: Ainda tem a última prova sua tartaruga!

Narrador: 15 minutos de descanso. Voltamos a nos ver em breve!

(Na sala de descanso)

Mark: Parabéns! Vocês são demais!

João: Vocês devem estar exaustas. Querem alguma coisa?

Allastor: Já que ofereceu, eu aceito um café Teltanês gelado.

João: Tá...vou ver se consigo! Emilly, quer alguma coisa?

Emilly: Eu estou suada e suja de terra, gostaria mesmo de uma ducha e roupa limpa, mas como é inviável no momento, fico feliz com uma água borbulhante hondrax.

João: Eu não faço a mínima ideia de onde se acha essas coisas, mas farei o possível para tentar encontrar.

Jasminne: Eu vou com você! Sei exatamente onde encontrar essas bebidas.

Mark: Tragam refrigerantes e hambúrgueres para mim, por favor!

João: Tá bom!

Então, eu fui com Jasminne até a lanchonete para comprar as bebidas e os hambúrgueres, enquanto Mark ficou com as meninas na sala de descanso. Compramos as coisas e voltamos.

No caminho uma mulher linda com um cabelo ruivo cacheado e comprido, olhos castanhos e roupas que se aparentavam muito as roupas usadas por Zaton, nos parou.

Mulher: Vocês são os escolhidos por Zaton para enfrentar Zaratus, não são?

João: Somos sim! Você o conhece?

Mulher: Conheço muito bem! Parece que é uma equipe muito interessante que ele está formando, mas não chega nem perto da minha equipe. Avisem o Zaton que a minha equipe irá derrotar Zaratus e o título de rainha dos deuses será meu.

Então, ela saiu andando de volta para a plateia.

João: Onde será que ela conheceu o Zaton? E ela tem uma equipe também?

Jasminne: Eu a conheço, ela é uma deusa, assim como Zaton. Seu nome é Laurian, também conhecida como a deusa do orgulho.

João: Uma deusa?

Jasminne: Sim, você não se lembra da estátua dela no templo dos deuses?

João: Aquelas estátuas estavam rachadas e sujas de poeira. Não tinha como identificar.

Jasminne: Acredito que só o Zaton entenda o significado do que ela quis dizer.

Voltamos para a sala de descanso e entregamos as coisas que haviam pedido, sem dizermos nada sobre o ocorrido.

Mark: Porra João!

João: O que foi?

Mark: Esses hambúrgueres estão apimentados para caralho.

João: Esses hambúrgueres foram caros, agora para de choramingar e come isso logo. A disputa final deve começar em instantes.

Mark: Deviam ter comprado também kit banho com sabonete, shampoo, perfume desodorante e talco para Allastor e Emilly. Hahaha!

Allastor: Repita isso e eu arranco sua língua fora!

Emilly: Queria ver você fazer tudo isso e ainda seguir perfumado!

Mark: Claro que eu seguiria perfumado! Eu uso Rexona Men Active Dry 48 horas, com fórmula anti-bactérias e anti-danos na pele, que não me abandona, mesmo nos momentos mais difíceis.

(Olhando para os leitores) João: Olha a propaganda aí! Unilever, poderia nos patrocinar?!

Jasminne: Rexona, o que é isso?

Allastor: Sei lá! Eles parecem retardados, falando e olhando para o nada o tempo todo.

Emilly: Bom, já está na hora da prova final.

Allastor: Todos prontos para minha vitória?

Emilly: Para a minha vitória, você quis dizer!

Então, Emilly e Allastor foram para o local da prova, enquanto eu Mark e Jasminne voltamos para nossos lugares na arquibancada.

Narrador: A última prova é de resistência! Veremos quem fica mais tempo embaixo d'água sem respirar!

A piscina está preparada! Em seus lugares! Valendo!

Todos pularam na piscina, que era bem profunda por sinal.

Allastor e Emilly foram as únicas que sobraram, elas entraram ao mesmo tempo na água. Depois de 7 minutos as duas continuavam lá...

Mark: Mas que maldição! Vão acabar se matando!

João: Sim, nunca vi tanto fôlego.

Jasminne: Espero que elas fiquem bem.

Foi quando ao fechar 9 minutos, ambas saíram da água ao mesmo tempo!

Allastor/Emilly: (suspiro)...eu ganhei!

Juiz: Bom na verdade...

Allastor: Você viu, eu sai depois dela!

Emilly: Aaaah não mete essa! Eu saí depois de você!

Narrador: Temos aqui uma foto tirada no momento exato! Ambas saíram ao mesmo tempo, deu empate!

Allastor: Tá zuando?

Emilly: Só pode ser piada!

Narrador: Vocês podem dividir o prêmio ou fazer mais uma prova para desempatar!

Allastor: Isso aí! Mais uma pro...

Mark: (Gritando) NADA DISSO! NÃO FAZ A MENOR DIFERENÇA, VAMOS PEGAR O PRÊMIO LOGO E ENTREGAR PARA AQUELE FILHO DA PUTA DO CLÁUDIO!

Emilly: Quem elegeu você o líder?

Mark/João/, Jasminne: (Grito) CALADA!

Allastor: Aí tá bom. A gente divide o prêmio...

Narrador: Uma salva de palmas para as vencedoras!

Assim, pegamos o prêmio e fomos ao encontro de Cláudio. Chegando lá...

Mark: Saudações. Trouxemos seu dinheiro.

Cláudio: Aaah finalmente! Agora eu sou um homem feliz!

Allastor: Foda-se. Escuta aqui, agora que a dívida dele está quitada, você vai deixá-lo em paz. Nós sabemos que mandou matar a mãe dele...eu sinceramente não sei onde estou com a cabeça que não passo um lubrificante no seu rabo e enfio um cano com um metro de circunferência banhado em pimenta na sua bunda!

Cláudio: Considerem a dívida dele quitada...

João: Ótimo.

Emilly: Vamos embora, dar a boa notícia para ele!

Mark: Você duas chegando lá vão direto para o banho mocinhas!

Allastor/Emilly: (Grito) Cala a boca!

Assim, fomos até a casa de Mega. Chegando lá...

Mega: E aí pessoal...

Mark: E aí Mega! Sua dívida está oficialmente quitada! Não é demais?

Mega: Ah sim, legal... entrem, sintam-se em casa....

(Entrando na casa de Mega)

Jasminne: Tudo bem querido? Está estranho.

Mega: (Pensamentos) Será que isso é o certo a fazer? Não posso perder minha filha. Mas talvez eles sejam quem podem resolver...tive uma ideia!

Allastor: Aloouuu, está aí?

Mega: Pessoal, o Cláudio veio até aqui a mando do Zaratus perguntando por vocês! Ele me torturou! Mas eu apenas disse tudo que ele queria saber! Então espero que estejamos prontos para ir atrás dele sem mim!

Allastor: MAS QUE PORRA?!

Mega: Escutem! Vocês são os únicos que podem levá-lo a justiça! Nesse momento tem um capanga dele no lado de fora só esperando eu apertar o botão!

Mark: Espera, que botão?

Mega: Protejam a minha filha, levem Cláudio a justiça! E depois vão até o meu galpão, tem uma coisa para vocês lá!

Foi quando Mega apertou o botão em seu relógio e sua janela fechou com uma cortina, após isso apertou outro botão e o chão embaixo da gente se abriu! Caímos em um lugar que parecia uma caverna, mas haviam setas indicando um túnel onde provavelmente nos levaria para a saída.

Capanga: (grito)AI MEGA! TENTANDO ENGANAR O CHEFE?! EU PRECISO VÊ-LOS AI DENTRO PARA CONFIRMAR!

Mega: NÃO! EU JÁ VOU APERTAR O BOTÃO!

Capanga: EU VOU ENTRAR!

Mega: Estão seguros agora.

(Mega gravando um vídeo)

Mega: Oi princesa, tudo bem? Então, o papai cometeu muitos erros na vida, erros dos quais não me orgulho, mas você foi o único acerto da minha vida, meu amorzinho. Você é minha melhor amiga, quem sempre alegrou meus dias mais escuros com seu sorriso contagiante. Eu cometi o equívoco de pensar que tudo que conquistei foi por mérito meu apenas, nada poderia estar mais distante da verdade...eu fui encorajado, inspirado e incentivado por sua vó, sua mãe e você, querida. Eu não seria quem sou hoje sem você. Peço perdão se eu não fui o pai que você sempre mereceu, mas eu quero que saiba, que do meu jeito, eu sempre amarei você, de onde quer que eu esteja...sempre amarei e protegerei você, meu anjo. Ainda vamos comer aqueles hambúrgueres que eu prometi semana passada, comer até passar mal haha. Eu te amo, filha!

(Parando a gravação e enviando para sua filha)

Nisso o capanga de Cláudio entrou no local. Então, Mega apertou o botão do controle e o lugar todo explodiu.

(De volta ao túnel)

Mark: Gente, já posso sentir o vento batendo no meu rosto.

Allastor: Se não acelerar o passo quem vai bater no seu rosto sou eu!

Então, chegamos ao fim do túnel. A saída deu em uma floresta, a uma distância considerável da casa de Mega. Corremos por uns 2 minutos em direção a casa dele...

Emilly: Pessoal! Olhem ali, tudo está destruído!

Foi quando avistamos um homem perto dos destroços olhando e falando em um aparelho que parecia um celular.

Homem: Tudo como o senhor planejou, chefe! Mas o Jonas sumiu! Vai ver esse idiota ficou perto demais da explosão, imbecil! Bom, para o senhor um capanga a menos não fará diferença.

Esperamos ele sair e nos aproximamos...

Mark: O Mega, ele...

Jasminne: Não se atreva a dizer isso!

João: Não tem como ele ter sobrevivido a explosão...

Foi quando os olhos de Allastor ficaram vermelhos e ela se dirigiu a casa de Cláudio.

Mark: Allastor, não é por aí que vai conseguir justiça!

Allastor: Como tem coragem de dizer isso depois do que ele fez?! Ele vai pagar, e vai ser agora!

Mark: Vamos fazer justiça pelo Mega, mas do jeito certo!

Emilly: Do jeito certo? Se liga, ele matou uma senhora inocente, por que será que ele foi solto? O sistema é falho, é corrupto, ele vai sair e vai fazer merda de novo! Na minha Dimensão, uma vez um ladrão tentou entrar pela clarabóia da casa da minha amiga. O ladrão caiu e cortou a perna. Esse ladrão processou a minha amiga, PROCESSOU! E por causa de pessoas como o Cláudio, ele ganhou! Acha isso justo?

Allastor: Mark, fazer o certo às vezes é zuado, fodido e nem um pouco conveniente! Mas deve ser feito!

Mark: Certo... João e Jasminne, encontrem Zaton e peçam para ele entrar em contato com a filha do Mega, e que ele a proteja também. Eu, Emilly e Allastor vamos até o Cláudio.

João/Jasminne: Tudo bem!

Assim, chegando onde Cláudio estava...

Allastor: Toc, toc!

(Porta sendo derrubada)

Cláudio: O QUÊ? COMO ISSO É POSSÍVEL? ATIREM AGORA!

Os capangas dele atiraram contra nós, mas Emilly e Allastor sequer tentaram se mover. As balas não faziam nada a elas.

Allastor: Certo. Estou esbanjando generosidade, vou dar a chance de saírem daqui.

Todos os capangas de olharam e saíram andando para fora do lugar.

Cláudio: VOLTEM AQUI JÁ!

Foi quando Emilly deu um soco tão forte em Cláudio que eu ouvi seus ossos quebrando. Allastor o levantou para cima e jogou tão longe que atravessou o lugar inteiro para fora! Se aproximou dele e quebrou seu braço.

Emilly: Olha, acho que vou quebrar o outro para ficar igual.

Allastor: POR QUÊ?

Cláudio: Eu falei que ninguém sai disso garota!

Nisso Allastor pegou uma de suas facas...

Mark: Allastor, não!

Allastor: Acha que depois de tudo ele merece viver?

Mark: Não. Mas não é esse tipo de justiça que queremos, vamos prender ele e levar para as autoridades....

Cláudio: Hahaha, sabe, acho que depois que eu for solto, o que não vai demorar muito, vou fazer uma visitinha a filha do Mega, vamos nos divertir. Quantos anos acham que ela tem? Será que já tem 18?

Allastor: E quem disse que você vai para a cadeia?

Foi quando Allastor cravou sua faca no pescoço de Cláudio. Ele morreu alguns minutos depois...

Mark: Bom, vamos embora.

Emilly: Sem sermão?

Mark: Não. Vocês tinham razão.

Allastor: Agora aquele verme está pagando por seus pecados da pior forma...

Chegando de volta, vimos Zaton, Jasminne e João nos esperando...

Zaton: Bom, não posso dizer missão cumprida, mas... vocês foram bem!

Allastor: Hora seu...como ousa dizer isso?

Zaton: Vocês vingaram a mãe do Mega, protegeram a filha dele e deram a ele finalmente paz. Ele está com sua mãe agora.

Emilly: Ele morreu, Zaton. ELE MORREU!

Zaton: Não, a morte não é um adeus. Em outras palavras, ele foi ali e já volta. Vocês precisam entender que felicidade não é a ausência de dor, mas sim a real compreensão de sua finalidade.

Allastor: Blá, blá, blá. E agora?

Mark: Ei, ele disse para irmos até o galpão dele.

Allastor: Vamos lá então!

Zaton: Voltem antes do amanhecer, por favor.

Assim, fomos até o tal galpão. Chegando lá....

Allastor: Vou abrir a porta.

Mark: Espera! Certeza de que não vamos parar em outro labirinto né?

João: Ora, não seja paranóico.

Foi quando Allastor abriu a porta e nós ficamos de boca aberta! Vimos uma nave majestosa lá, mais bonita e aparentemente melhor que a que Miguel havia nos trazido. Nela haviam pinturas de cada um de nós. Dentro cada um tinha um quarto e uma cadeira de piloto, fora as armas, o GPS, a tecnologia e a geladeira cheia de bebidas e comidas. No painel da nave tinha um bilhete:

Olá, se estão lendo isso muito provavelmente eu esteja morto. Fiz essa nave em agradecimento aos seus esforços para me ajudar, obrigado. Usem com cuidado, deu trabalho para fazer essa... agradeço imensamente pela honra de ter conhecido vocês 5, espero que possamos nos encontrar novamente em um futuro distante.

Com carinho, Mega.

Jasminne: Não acredito!

Emilly: Incrível ele ter construído essa nave incrível em tão pouco tempo.

João: Podemos viajar para todo lugar com ela!

Allastor: Agora que temos um meio de transporte, precisamos definir as funções de cada um aqui.

Mark: Como assim?

João: Entendi! Uma equipe organizada, com funções específicas para cada um.

Emilly: Nesse caso, vamos precisar de: um piloto, um analista de bordo, um mecânico, um médico, um cozinheiro e um capitão.

Mark: São 6 funções e nós somos apenas 5, então vamos ter que ir atrás de mais uma pessoa?

Emilly: Para agirmos de forma 100% organizada, sim!

Allastor: Eu já pilotei naves inúmeras vezes. Posso ser a piloto.

Jasminne: Eu estava estudando medicina em Lupulus. Posso ser a médica.

Emilly: Muito bem já temos duas funções definidas. Eu entendo de mapas e portais. Vou ser a analista de bordo.

Allastor: Espera aí, então algum deles pode vir a ser o capitão?

Mark: Claro! Eu serei o capitão?

Allastor: Nem fudendo!

Emilly: O capitão deve ser alguém responsável!

Mark: Mas eu sou responsável!

Allastor/Emilly: Não é, não!

Jasminne: Esperem um pouco, vocês vão confiar deixar o Mark como cozinheiro ou mecânico?

Allastor: Tá maluca? Ele vai cagar com a comida!

Emilly: Ele vai é explodir a nave se tentar ser o mecânico.

João: Eu entendo de tecnologia e robótica. Quero muito ser o mecânico! Também não acho uma boa ideia Mark ficar com a cozinha, portanto ele deve ser o capitão!

Allastor: Nunca!

Emilly: Você confia nele como líder?

João: É só analisar como as coisas ocorrem! Quem é que toma a decisão na maioria das vezes? Quem é que dá conselhos aos outros do grupo? Se Mark não é a melhor escolha para capitão, eu realmente não sei quem possa ser.

Jasminne: Eu estou de acordo!

Allastor: Tudo bem...mas no primeiro deslize ele perde o cargo!

Emilly: Se essa é a melhor forma de manter ele longe da cozinha...

João: Então está decidido. Mark, você é o nosso capitão!

Mark: Legal! Já vou avisando que sou um líder rígido. Quero café na cama de manhã, a maior parte do almoço é minha e também...

João/ Jasminne/ Allastor/ Emilly: Vai cagar Mark!

Mark: Calma, não se irritem comigo.

João: Eu e Jasminne temos algo que queremos contar a vocês.

Mark: Que vocês estão namorado a gente já sabe!

João: Ei, a gente não está namorando!

Jasminne: Exato! Não é sobre nada disso.

Allastor: Mas deveria, porque está óbvio que ambos querem isso.

João: Enfim, primeiro vamos ter que encontrar com Zaton, fica mais fácil se ele estiver junto.


Assim, nós todos fomos até o Zaton, questioná-lo sobre a deusa que encontramos.



Notas Finais


-Mark: Agora sim estou aliviado!

-João: Prefiro nem ver como você deixou o banheiro!

-Mark: Eu não entraria lá por alguns dias. Bom, agora que temos um carro podemos sair para dar uma volta pela cidade!

-João: Ótimo! Vou ligar para as meninas, aí você aproveita e explica tudo para a Allastor!

-Mark: Aah não me lembra dessa parte!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...