1. Spirit Fanfics >
  2. Dimensional Journey >
  3. Descobertas

História Dimensional Journey - Capítulo 50


Escrita por: e Yukiko


Capítulo 50 - Descobertas


Capítulo 50: Descobertas

Demigra -divertido-: Você não conseguiu me trazer Braniac mas compensou trazendo Kal-El. -observando Ichigo levando dolorosos choques- Isso não vai me impedir de punir você por falhar em sua missão.

E dizendo isso o demônio multiversal se afastou de Ichigo enquanto olhava para a mesa de operações, onde o Kryptoniano estava deitado inconsciente. Demigra achava divertido ter um herói caído em suas garras. Ele então se voltou para Ichigo enquanto abria um portal e manipulou a energia de Argent D'Nur saindo dele.

A energia alaranjada e infernal cobriu o azulado fazendo-o rugir de dor enquanto ela o cobria. Ele tirou então questionou para o seu escravo:

"Como se sente Ichigo?"

Ichigo -rosnando para ele-: Meu poder está transbordando... -seus cabelos ficam mais espetados e dourados- Minha alma está queimando... -escamas negras começam a cobrir seu corpo- MEU MAGMA ESTÁ RUGINDO! -uma explosão ocorre e Demigra sai dela ileso-

Demigra -divertido-: Você ainda é bem rebelde... -mais energia sai do portal cobrindo o jovem que ruge de dor- Eu pensei que você iria apreciar o poder que estou lhe dando. Irá te tornar ainda mais poderoso caso sobreviva. -O azulado rosna- Vamos ver até onde se estende essa rebeldia...

Do lado de fora mais rugidos eram ouvidos...

Earth Land:

Os magos de Fairy Tail, Edo Fairy Tail e a Brigada Dai Gurren estavam reunidos na nave que Kyosuke e Ash haviam descoberto junto dos Autobot's e Maximal's. Enquanto os Autobot's pareciam ser típicos robôs gigantes com sentimentos e a capacidade de se transformar em veículos, haviam também os Maximal's que eram tecno orgânicos. Ao contrário de seus colegas eles se transformavam em animais.

Kyosuke: Bem Optimus poderia nos explicar o porquê de vocês terem vindo ao nosso mundo?

Optimus: Estavamos procurando um novo lar após o nosso, o planeta Cybertron, ter se tornado inabitável.

Kamina: E por que se tornou inabitável?

Optimus: Foi porque Cybertron estava morrendo. O núcleo de seu planeta parou de funcionar, cortando o suprimento de Energon de sustentação viva, o combustível que alimentava nós cibertronianos e sua tecnologia. Incontáveis ​​milênios de guerra civil haviam finalmente causado a maior das baixas.

Lisanna: Oh Kami...

Optimus Prime sabia que isso iria acontecer. Ele sabia muito antes da guerra, quando ele era apenas um simples assistente de dados Orion Pax, que seu mundo estava doente. Ele acreditava que a doença era o sistema de castas opressivo que mantinha seu povo escravizado à estagnação.

Ele viu os sintomas durante seu tempo arquivando documentos históricos e quaisquer holovídeos que apareceram nos feeds de notícias de 24 ciclos. O suprimento de Energon estava diminuindo rapidamente, resultado do consumo excessivo. A taxa de natalidade cibertrônica diminuiu constantemente, como resultado, um esforço fútil do conselho para adiar o inevitável.

Isso nem se compara à discriminação sistêmica entre a população, onde as classes mais altas desprezavam os que estavam abaixo delas. Tudo isso estava acontecendo e ele, apenas um balconista impotente na época, acreditava que não podia fazer nada. Mas então ele conheceu Megatron, o mineiro que entendeu a corrupção de Cybertron, tendo sido vítima dela.

Ele era um filósofo que ponderou sobre o passado trágico de seu mundo e foi capaz de prever o futuro que ele criou. Ele era um gladiador que encontrou sua força no poço de batalha e a chance de sua voz ser ouvida. Quando conheceu Megatron, a Optimus achou que havia encontrado um espírito afim no bot.

Eles se tornaram amigos e parceiros, lutando pelas pessoas pequenas enquanto observavam as costas do outro. Eles eram irmãos em tudo, menos centelha. Claro, esse vínculo deixou o funcionário cego para a escuridão escondida dentro de seu amigo.

Depois daquela fatídica reunião do conselho, ele finalmente viu a fachada de Megatron de um salvador benevolente finalmente começar a desmoronar. Por toda a sua intenção de mudar o sistema, ele também tinha uma raiva desenfreada contra os que estavam no poder. Sob aquele verniz do poeta guerreiro arrependido, havia um psicopata maldoso e mesquinho.

Ele era um tirano cruel, hipócrita e megalomaníaco. Megatron era um monstro, puro e simples. Mesmo quando o grupo tentava fugir de Cybertron os Decepticon's ainda tentavam matá-los com Trypticon e depois os perseguindo, pelo espaço. Pelo menos parecia que os mesmos enfim haviam tido seu fim.

Ash: E o que desejam fazer agora? -tentado a analisar os materiais dos cybertronianos-

Bumblebee: Se possível viver neste mundo.

Ash -cantarolando-: Onde exatamente? Que tipo de lugar seria o ideal?

Hot Shot: Algum lugar com muito espaço para corrermos. -se transforma num veículo- Mas também tem de ter florestas pois alguns de nós nos transformamos em animais. -volta a forma de robô-

Ash: Entendo.

Lisanna: Então teria de ser um pequeno continente desabitado. -recebe acenos-

Wendy: Eu conheço um... -todos olham para ela- Mas vocês terão de esperar antes de se mudarem para lá.

Arcee -tom desconfiado-: Por que?

Ash -tom profissional-: Sua nave é um monte de sucata, não temos meios de levá-los para lá sem atrair atenção e estamos no meio de uma guerra. -a Autobot estremece tendo esquecido desses detalhes- Como vocês escaparam de uma guerra não vamos pedir para nos aju-... -Optimus levanta uma mão-

Optimus: Depois do que nos contaram sobre essa guerra iremos ajudar. Liberdade é o direito de todos os seres.

Ash: Obrigado por isso.

Mais tarde Simon estava explorando uma caverna com seu Lagann acompanhado por Kyosuke e Mirajane. Eles estavam fazendo isso pois mais cedo o pequeno Gunman detectou um sinal para lá. No fundo da caverna eles encontraram uma espécie de caixa.

Mirajane estava prestes a ativar sua magia quando Simon notou uma abertura para o Core Drill. Kyosuke detectava um Ki dentro da caixa deixando-os deconfiados mas fez sinal para Simon abrir a caixa, e uma fumaça começou a sair da mesma. Os três deram alguns passos para trás mas logo a mesma se dissipou e eles se surpreenderam ao ver uma menina, da idade de Simon, dentro dela dormindo.

Era uma jovem de aparência média, de estatura média, cabelos loiros encaracolados, azul claro / pálido. Ela veste uma roupa rosa com uma saia e um colar de ouro com uma gravata vermelha pendurada nela. A jovem bocejou acordando e olhou para o trio sorrindo antes de dizer:

"Ohayou, eu sou Nia. E vocês?"

Mirajane -pisca descrente-: Sério? Você percebe que está dentro de uma caixa?

Nia -curiosa-: Estou? -olhando curiosa-

Kyosuke: Como você chegou aqui? -curioso e nota Simon corando enquanto olha a jovem-

Nia: Eu não sei. Mas quem são vocês?

Kyosuke: Eu sou Kyosuke Ketchum Marvell, essa é Mirajane Strauss e o baixinho é Simon. -os outros acenam sorrindo- Bem já que você está aqui sozinha gostaria de vir conosco Nia-chan?

Nia -sorri-: Claro!

Mais tarde:

Nia se apresenta alegremente aos seus novos amigos como a filha mais velha do Rei Espiral Lordgenome. Ela parece não ter consciência do efeito que isso tem; há muita especulação se ela é uma espiã. Kittan tenta interrogá-la, mas sua falta de conhecimento básico sobre o que é um "inimigo", o que significa "acabar com alguém" e o que é um "punho" significa que Kittan não obtém nenhuma informação.

Natsu: Ela é tão inocente quanto Kazehana... -todos acenam com gotas enquanto a pequena Dragon Slayer olha confusa-

Sigurd: Não é nada mestra. -a pequena faz beicinho- Digo... Kazehana-san.

Wendy: Ela não parece em nada com Lordgenome... Pelo menos não do que me lembro. Provavelmente puxou a mãe. -olhando para Kyohime e Sigurd desconfiada enquanto sussurra- Uma dragoa e um dragon slayer...

Kyosuke: Garanto que eles não são ameaças pra ela mãe.

Kamina: Mas quando eu achava que esse "Rei Espiral" não podia ficar pior eu percebo o contrário. Que tipo de homem a filha fora como se fosse lixo?

Nero -enquanto ele e Yuko cuidam de seu filho-: O tipo que não merece ser chamado de pai.

Nia tinha ouvido falar deles sobre tudo o que seu pai fez, mas ela sente que ele não os teria feito sem uma razão. Embora ele pense que o Rei Espiral é o cara mau e alguém que ele odeia, Simon não acha que ele odeia Nia também. Ele se sentia estranho...

Foi decidido que como a garota era inofensiva ela poderia ficar com eles por enquanto. Edo Levy, agora Lexi, Ash, Hefestus, Rex e Kyosuke, com a permissão de Optimus, começaram a canibalizar a Ark, nome da nave Autobot, em busca de peças uteis. Naquele momento, Adiane ataca e os Gunman se preparam para sair.

Adiane, incapaz de acreditar que a princesa Nia estaria longe da capital, decide desistir por enquanto, mas promete voltar. Ao retornar ao Rei Espiral, ela fica chocada ao saber que ele jogou fora sua filha e não se importa com o que acontece com ela. Tendo prometido exterminar os humanos e eliminar Nia, Adiane encontra Viral após o encontro com o Rei Espiral.

O Viral, ainda ferido, se culpa pela morte de Thymilph e quer ir com ela para a próxima batalha, mas Adiane já decidiu lutar sozinha, porque ela quer vingar Thymilph. De volta ao Dai-Gurren, Nia está tendo um banquete sob a vigilância de uma equipe. Kazehana estava tentando fazer Kiyohime se socializar com ela mais.

Ainda assim todos estavam vigilantes caso Adiane retornasse ainda naquele dia.

Dimensão DxD:

Depois que Takeda foi derrotado, Shinnosuke Tsuji foi enviado para lutar com ele, mas Tsuji se interessa por Kenichi e oferece ao jovem a chance de segui-lo e não se preocupar mais com os bandidos de Ragnarök, mas Kenichi se recusa e afirma que ser membro de uma gangue não é uma ambição razoável. Um Tsuji irritado luta contra Kenichi e eles lutam em igualdade de condições durante a maior parte da luta, mas, como Tsuji tem mais experiência que Kenichi, ele ganha vantagem e quase quebra a perna dele. No entanto, Yang chega e o ajuda a escapar.

Haruo Niijima espalhou a notícia sobre a perda de Kenichi para Tsuji, com mais delinqüentes perseguindo Kenichi. Os mestres em Ryuuikari decidiram que Kenichi deveria viver no dojo como discípulo e treinar artes marciais 24 horas por dia para se fortalecer. Houve um incidente enquanto a maioria deles estava fora de um destruidor de doujo invadindo porém Qrow resolveu a situação rapidamente.

Kenichi: Raven-sensei... -Raven o olha suspirando- Como está? Eu sei que é difícil desde que...

Raven: Meu filho foi sequestrado.

Kenichi: É a primeira vez que te ouço admitir que considera o Ichigo seu filho.

Raven: Eu vivo negando depois do que aconteceu com Vernal...

Kenichi: Vernal?

Raven: Ela foi minha aluna junto com Ichigo por algum tempo. -pega uma foto com ela mesma, Ichigo e uma jovem de cabelos negros e olhos azuis enquanto sorri nostalgicamente- Aqueles dois viviam discutindo como eu e Qrow quando eramos crianças.

Kenichi: O que aconteceu com ela?

Raven -olha a foto triste-: Foi nesse dia que os maus hábitos de Ichigo nasceram de verdade. Estavamos treinando num planetoide desabitado quando fui atacada por um estranho ser que assumiu minha forma, e me prendeu debaixo de uma montanha.

Kenichi: Bem forte...

Raven: Isso e me pegou de guarda baixa. -estremece- Eu agradeço por apenas ter sido jogada pra fora da montanha depois de descobrir sobre a raça e... -um alarme toca- Chega de conversa e vamos recomeçar o treinamento.

Kenichi: Hai! -pensa- Nunca pensei que ia gostar dela me torturando.

Raven: Sabe você deveria treinar armas com Shigure também. Meu estilo é violento demais pra você.

Kenichi: Mas eu meio que...

Raven: Tem medo de armas? -ele acena e fica pálido com o sorriso dela- Não se preocupe farei seu medo desaparecer...

Alguns minutos depois:

Yang -ouvindo os gritos de desespero de Kenichi-: A tortura dele recomeçou. -voando a poucos metros do chão com as asas-

Yukiko: Hai, hai. -lendo um livro enquanto resolve um cubo mágico e faz chá-

Miu: Não vamos ajudar ele?

Yukiko: Você está livre para tentar. -mais gritos são ouvidos-

Miu: Não tenho tanta pena assim.

Yang -rindo-: Foi o que eu pensei.

Mansão Sacred Dragon:

Issei: Enfim você veio buscar a lâmina da foice hein, Summer-san?

Summer -sorri sem graça-: Desculpas pela demora. Tive problemas ultimamente.

Issei: Patrulhando o multiverso? -ela apenas acena- Além do Kazuma não achei que ia conhecer mais um membro da Patrulha do Tempo por aqui.

Summer Rose é uma mulher adulta com cabelos negro e vermelho, pele clara e olhos prateados. Tem os cabelos na altura dos ombros, presos no estilo meio para cima / meio para baixo e usava uma capa com capuz branco por fora e vermelho por baixo. Sob essa capa, uma roupa semelhante à da filha, mas principalmente preta: uma blusa de decote alto com pulseiras nos braços, um espartilho preto e branco, uma saia com tule branco por baixo, leggings cinza e botas até o joelho com solas vermelhas.

Ao lado dela estava a Ruby Rose uma jovem de quinze anos muito parecida com sua mãe. Em seu vestuário a única diferença era que a capa era vermelha. Ruby conectou a foice ao resto de sua arma e aplaudiu animada fazendo Issei ficar com uma gota.

Mãe e filha eram meio estranhas mas quem era ele pra julgar? Pensando nisso ele se lembrou de mais uma loucura de Azazel a alguns dias atrás. Mandar uma carreta, diversos carros, aviões, helicópteros, um tanque e motos para Earth Land por algum motivo.

O que eles iam fazer com aquilo num mundo onde a gasolina não existia? Se ele soubesse... Ele então questionou curioso:

"Como a senhora e minha mãe se conheceram?"

Summer: Eu havia sido enviada para matá-la e quando a ataquei ela notou minha foice. Shinka se recusou a ser morta até que eu a afiasse direito e eu disse que tinha afiado no mesmo dia.

Issei: Bem eu ouvi que ela era meio perfeccionista...

Summer: Nós começamos a discutir sobre armas até nos esquecermos dos propósitos originais de estarmos alie...

Earth Land:

De volta a Earth Land os Autobot's enfim haviam terminado de escanear os veículos que Azazel mandara. Rex notou que quando Optimus se transformava a carreta continuava no logal e ele questionou o porquê. O Prime respondeu com diversão que era uma surpresa.

Alguns dias depois as naves chegam a um litoral e as crianças imploraram pela chance de ficar um pouco lá. Com o radar não indicando nenhuma aproximação eles decidiram tirar uma folga. E algumas mulheres obviamente queriam se exibir para ser namorados/maridos.

Red e Chelia estavam explorando a praia até encontrarem uma caverna no litoral deixando-os curiosos. Eles ouviram dois rugidos diferentes vindos de dentro da caverna se sentindo atraídos para ela. O pequeno casal entrou lá dentro e arregalaram os olhos com seu achado.

Eram dois grandes mecanóides sendo um com aparência de dragão azul e outro de tigre branco. Red e Chelia então disseram os nomes dos mesmos:

"RyuuOhKi (Lorde Dragão Máquina)."

"KoOhKi (Lorde Tigre Máquina)."

Um brilho ocorreu fazendo a dupla cobrir os olhos enquanto os seres de metal se fundiam num único. Quando o brilho desapareceu havia um único mecha com um cockpit para duas pessoas. O casal se olhou antes de decirem chamar Ash.


Seria aquele mecha outro dos projetos de Mangetsu?


Notas Finais


Eu não estou muito satisfeito com esse capítulo. Eu quase adaptei uma das omakes de Fairy Tail no final mas percebi que seria muito fora do contexto. E não quis botar uma batalha pra ser franco.

Então desta vez optei por um capítulo mais curto. Os mais atentos na cena do Ichigo irão notar que tem um nome familiar. E caso notem sim isso significa exatamente o que parece.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...